CJE recebe empreendedores de sucesso em palestra na Campus Party 2013

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Na noite desta quinta-feira (31/01), durante a Campus Party 2013, o diretor-titular do Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Sylvio Gomide, mediou o Talk Show Empreendedor. O convidado a apresentar o painel com o seu case de sucesso foi o sócio-fundador da Dry Wash, Lito Rodriguez.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544951356

Lito Rodrigues, sócio-fundador da Dry Wash, durante palestra na Campus Party 2013. Foto: Mauren Ercolani


Rodriguez declarou que a ideia inicial de se criar Dry Wash não era com o intuito de diminuir o impacto ambiental ou preservar o meio ambiente, pois  na época nem se falava em sustentabilidade. “O objetivo de lavar carro sem água era lavar o carro onde estava”. Porém, segundo o empreendedor sempre houve preocupação social: “nos preocupamos em valorizar a mão de obra”.

A tecnologia foi um elemento  importante para o crescimento da Dry Wash. “Criamos um sistema, um software, com o objetivo de  que permitisse que nosso aproveitamento fosse acima da média do mercado, que produzir um resultado mais significativo e crescermos efetivamente”, explicou.

Ao concluir, Rodriguez relacionou o sucesso da empresa ao investimento em tecnologia da informação: “Não é a toa que a empresa cresce mais de dois dígitos todos os anos”, afirmou.

Transformando sonhos em ideias

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544951356

Público durante o Talk Show Empreendedor, promovido pelo CJE/Fiesp, na Campus Party 2013


“O mais importante não é o design, é a ideia”, afirmou o sócio-fundador da Soap (State of the Art Presentations), Joni Galvão, que também participou do Talk Show, contou ao público,  através de sua história pessoal, como chegou ao sucesso profissional.

Galvão ensinou que não existe história sem protagonista e ela deve sempre ser estruturada por meio daa própria história de quem a está contando. “Qual é a coisa que só você pode fazer por você e que ninguém pode copiar?”, indagou. E logo respondeu: “É a sua própria história. Essa é a única coisa que só você pode contar por você”.

“Nós ajudamos os clientes a terem boas performances em suas apresentações por meio da ambição de acabar com as apresentações chatas e trazer emoções a elas, como no cinema”, explicou.

Ao relatar como montar uma boa apresentação, Galvão enfatizou a necessidade de dividir a história em atos, destacando algumas etapas importantes no processo, como: introduzir o personagem; apresentar o desejo; deixar uma marca; contar histórias verdadeiras; criar conexão emocional com a audiência, sempre com relevância; conquistar a atenção; gerar entendimento; conquistar a adesão; agregar conflito; apresentar as forcas antagônicas; e, finalmente, criar uma solução para o dilema.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544951356

Joni Galvão, sócio-fundador da Soap, em palestra na Campus Party 2013


“Uma apresentação é uma conversa um a um, como um bate-papo. É preciso esquecer os paradigmas de que não se pode colocar a mão no bolso, ou não pode passar na frente do slides durante a apresentação: pode sim. É um bate-papo”, afirmou.

Para ele, a apresentação precisa deixar uma marca para que não seja esquecida. “Histórias pessoais, com relevância, têm muito mais interesse do que histórias sobre casos aleatórios de sucesso”, explicou.

Galvão destacou que o objetivo de toda apresentação, mesmo que for apenas de uma ideia, é a adesão. “Numa apresentação, você compra a atenção da sua audiência o tempo todo, mas você precisa sustentar isso”, alertou. Para ele, uma crise pode significar perigo ou oportunidade: “O dilema deve saciar a emoção da audiência, e você tem que sair com credibilidade”.

Ao concluir, o fundador da Soap lembrou: “uma apresentação e um negocio precisam ter o equilíbrio: o lado da emoção e o lado da razão”.