Cadeia produtiva do Desporto precisa estar preparada para grandes eventos

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Depois de participar da abertura da 29ª edição do Sports Business, o coordenador do Comitê da Cadeia Produtiva do Desporto (Code) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Mario Frugiuele, disse na manhã desta terça-feira (02/12), no hotel Maksoud Plaza, que as indústrias da cadeia precisam estar preparadas diante dos grandes eventos esportivos na agenda do país – entre eles, os Jogos Olímpicos Rio-2016 e a Universíades de Brasília 2019.

“É um mercado muito forte, muito transversal, amplo, mas [a indústria] precisa estar com nível internacional. A competição não é fácil, é dura, mas o Brasil tem muito que andar nesse sentido de inovação, na qualidade. Uma vez que essas empresas brasileiras continuem nesse desenvolvimento, vamos adquirir mais competitividade e vamos conseguir fazer melhores negócios. O mercado é gigante”, afirmou Frugiuele.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540266789

Mario Frugiuele, coordenador do Comitê do Desporto da Fiesp: câmara setorial vai ajudar muito. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Em sua fala no evento, Frugiuele disse colocou o comitê à disposição dos diversos atores da cadeia produtiva. “A Fiesp, através da ideia do presidente Paulo Skaf, instituiu o Comitê da Cadeia Produtiva da Indústria do Deporto. Esse comitê vem trabalhando pelo desporto ao lado de autoridades federais, estaduais e municipais”, disse Frugiuele.

De acordo com o diretor da Fiesp, a expectativa é que a câmara setorial criada recentemente – um dos assentos é da Fiesp – possa ter bons resultados a partir de 2015.  “Essa câmara vai ajudar muito porque junta a iniciativa privada, três ministérios importantes (Esporte; Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; e Relações Exteriores).”

“O evento é muito dinâmico, muito aberto por conta de todos os interesses. Estamos ajudando para que isso dê certo, para que a indústria nacional possa se aparelhar melhor.”

O Sports Business prossegue até quinta-feira (04/12) no Maksoud Plaza, reunindo representantes das áreas da Indústria, do Turismo, da Educação e do Esporte, das três esferas de governo (federal, estadual e municipal), empresários, patrocinadores, agências de propaganda, de marketing esportivo, turismo, veículos de mídia, entidades de classe, federações esportivas, atletas, gestores públicos, gestores de academias, profissionais de educação física e saúde, fornecedores de serviços e profissionais liberais, todos referências em suas áreas de atuação.

Maurício Fernandez, coordenador adjunto do Code/Fiesp e presidente da Associação Brasileira da Indústria do Esporte (Abriesp), explicou que o objetivo do evento é promover uma integração entre profissionais, setor público  e indústria em geral.

“Que eles se encontrem, que tenham oportunidade nesse evento que é multipolivalente de interagir, trocar cartão, conversar, e juntos possamos conseguir nossas metas e nossos objetivos, que estão estabelecidos de forma muito clara tanto pelo Code como pela Abriesp: redução de imposto, aumentar a sensibilização e a capacitação do empresário para ter acesso a mais verbas e conseguir que haja essa capilarização do dinheiro.”

A cerimônia de abertura do evento contou com a presença de Celso Jatene, secretário de Esportes, Lazer e Recreação na Cidade de São Paulo; Clóvis Volpi, secretário adjunto da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo; e do ministro Vilmar Coutinho, representando o ministro Aldo Rebelo, do Ministério do Esporte, além do deputado federal Arnaldo Faria de Sá (SP), entre outras autoridades.

Reunião apresenta ‘Sports Business 2014’ para câmaras de comércio estrangeiras

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Na manhã desta quinta-feira (11/09), representantes de câmaras de comércio de vários países tiveram a oportunidade de conhecer as oportunidades relacionadas ao maior evento brasileiro voltado aos gestores e negócios do esporte, o Sports Business 2014, que acontecerá entre os dias 3 e 5 de dezembro, no Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540266789

Reunião foi promovida pelo Comitê de Desporto e Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior da Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp

No encontro, promovido pelo Comitê da Cadeia do Desporto (Code) e o Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), foi detalhada toda a programação do evento.

A reunião contou com a presença do ministro da Assessoria de Assuntos Internacionais do Ministério do Esporte, Vilmar Coutinho, além de representantes da Associação Brasileira da Indústria do Esporte (Abriesp), do Sebrae-SP e das Câmaras de Comércio da Bulgária, Espanha, Israel, Angola, Irã, Iraque, África, Itália e França.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540266789

Vilmar Coutinho: oportunidade única para a cadeia do esporte no Brasil. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Vilmar Coutinho observou que esse é o momento mais que oportuno para o esforço de estimular a cadeia do desporto no Brasil. “Essa é a década do esporte para o Brasil”, afirmou, destacando os vários eventos esportivos sediados no país nos últimos anos.

“Se a cadeia do esporte no Brasil não aproveitar este momento — onde os olhos do mundo esportivo estão voltados para o Brasil — para lançar-se e se fortalecer, vai ser difícil que uma oportunidade, tão boa como essa, volte a se apresentar em um curto espaço de tempo.”

Coutinho relembrou que para os Jogos Olímpicos de 2016 os produtos deverão atender a exigências do Comitê Olímpico Internacional (COI) e, portanto, há ainda a possibilidade de as empresas internacionais que já tenham essa certificação encontrem no Sports Business as boas oportunidades de parcerias com empresas brasileiras.

Parcerias internacionais

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540266789

Vladimir Guilhamat: evento traz oportunidades para joint-ventures. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O diretor titular adjunto do Derex/Fiesp, Vladimir Guilhamat, também enfatizou que o evento traz oportunidades para união e joint-ventures entre as empresas.

“E isso não é só para as Olimpíadas. Mas, de maneira geral, pode aumentar o comércio entre os países e as empresas”, destacou, agradecendo o apoio das câmaras de comércio quanto a divulgação das rodadas de negócios que serão realizadas dentro do Sports Business 2014.

Mauricio Fernandes, coordenador adjunto do Code/Fiesp e presidente da Abriesp, concordou que o momento atual é muito sensível.

Segundo ele, o Brasil tem sido o alvo de empresas internacionais nesse período tão necessário em termos de desenvolvimento de tecnologia que o Brasil precisa receber. “Queremos receber empresas estrangeiras que possam dividir o seu know how e tecnologia e, consequentemente, distribuir produtos dentro de uma gama necessária para melhorar o produto nacional.”

Negócios transversais

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540266789

Maurí­cio Fernandez: “Queremos receber empresas estrangeiras que possam dividir know how e tecnologia.” Foto: Everton Amaro/Fiesp

Maurício Fernandes ressaltou que já vêm sendo realizados road shows, pelo interior do estado de São Paulo, com o intuito de sensibilizar as indústrias para essas oportunidades. “O primeiro foi na cidade de Valinhos mas até dezembro acontecerão outros quatro encontros.”

O coordenador também destacou o trabalho de articulação realizado entre os diversos comitês de cadeia produtivas da Fiesp, com o apoio de sindicatos e associações de indústrias e as regionais do Centro das Indústrias do Estado São Paulo (Ciesp).

“Os comitês da Fiesp são importantes pois o esporte é transversal e atinge várias cadeias produtivas”, afirmou, pontuando que para o Sports Business foram enfocados três segmentos: material esportivo, têxtil e infraestrutura.

Toda a programação para o Salão do Esporte Sports Business 2014 já está disponível no site do evento www.sportsbusiness.com.br.