Sesi-SP abre segunda edição do SP_Urban Digital na Avenida Paulista

Agência Indusnet Fiesp

Exposição nova na Galeria de Arte Digital do Serviço Social da Indútria de São Paulo (Sesi-SP). Na noite desta segunda-feira (04/11), o espaço – o maior dedicado à arte multimídia na América Latina – abriu a segunda edição do SP_Urban Digital Festival.

A mostra internacional será exibida até o dia 28 de novembro na plataforma de LED instalada na parte externa do prédio da Fiesp e em estrutura inédita construída na alameda das Flores, ambos na avenida Paulista.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542789456

Foto: Beto Moussalli/Fiesp


A programação do SP_Urban Digital Festival é composta por animações, obras de arte interativas, vídeos e performances integradas a dispositivos visuais. Nesta edição, desembarcam em São Paulo os principais artistas mundiais da cena multimídia como James George (EUA), Julian Opie (Inglaterra) e o coletivo internacional United VJs, que atua na Europa e América do Sul.

>> Saiba mais sobre o Festival

Para conhecer todas as atrações que já passaram pela Galeria de Arte Digital do Sesi-SP, clique aqui.


Sesi-SP oferece oficinas gratuitas de arte multimídia na capital paulista

Agência Indusnet Fiesp

O Serviço Social da Indústria em São Paulo (Sesi-SP) vai realizar dois workshops sobre criação digital em telas urbanas multimídias.

A primeira oficina será nos dias 5 e 6 de novembro e a segunda de 18 a 22 de novembro deste ano, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso. Os artistas brasileiros Paloma Oliveira e Matheus Knelsen  e o dinamarquês Rune Madsen serão os professores das aulas prática e experiências com o universo digital.

A programação faz parte da mostra de mídia facade SP_Urban Digital Festival, que acontece, a partir do dia 4 de novembro, na Galeria de Arte Digital do Sesi-SP, sob a curadoria de Marilia Pasculi e da dinamarquesa Tanya Toft.

As obras visuais e interativas serão exibidas até 28 de novembro na plataforma de LED instalada na faixada do prédio da Fiesp, na avenida Paulista. Nesta edição desembarcam em São Paulo os principais artistas mundiais da cena multimídia como o norte-americano James George, o inglês Julian Opie e o coletivo internacional United VJs, que atua na Europa e na América do Sul.

Programação das oficinas

No workshop (Des)Visualização de identidades, os artistas Paloma Oliveira e Matheus Knelsen abordarão questões sobre identidade na contemporaneidade da globalização, do copy-paste e do pós-humano.

Partindo da figura do rosto e da criação de máscaras, os participantes serão convidados a desenvolver códigos com uma câmera de vídeo, trabalhando a visualização e “desvisualização” de suas próprias identidades, mesclando-as com a de seus colegas. Com a criação de códigos integrados à câmera de vídeo, as oficinas serão nos dias 5 e 6 de novembro, das 19h às 22h no Espaço Mezanino e na Sala de Ensaios no edifício da Fiesp.

Nos dias 18 a 22 novembro, o inglês Rune Madsen vai conduzir as experiência do workshop Espetáculo ou estética: um panorama sobre o pensamento crítico na arte interativa. O workshop oferece embasamento teórico e prático, no qual os participantes são orientados a desenvolver programação para obras interativas inspiradas pelos programas de computação generativa. A oficina também será no Espaço Mezanino.

Para saber mais sobre todas as oficinas, clique aqui.

Workshops SP_Urban Digital Festival – 2a edição
Centro Cultural FIESP – Ruth Cardoso
Av. Paulista, 1313, Bela Vista, São Paulo/SP
Facebook: SPUrbanDigitalFestival
Twitter: @spurban
Instagram: @spurban
#spurban


Veja também: O que é e tudo que já rolou na Galeria de Arte Digital do Sesi-SP

Galeria de Arte Digital do Sesi-SP apresenta maior festival internacional de ‘mídia facade’ da América Latina em novembro

Agência Indusnet Fiesp

A Galeria de Arte Digital Sesi-SP, maior espaço cultural de arte multimídia da América Latina (tem mais de 100 mil lâmpadas de LED instaladas em 3.700 m²), apresenta a 2ª edição do SP_Urban Digital Festival, de 4 a 28 de novembro. A mostra internacional será exibida na plataforma de LED instalada na parte externa do prédio da Fiesp e em estrutura inédita construída na alameda das Flores, ambos na avenida Paulista.

A programação do SP_Urban Digital Festival é composta por animações, obras de arte interativas, vídeos e performances integradas a dispositivos visuais.  Nesta edição, desembarcam em São Paulo os principais artistas mundiais da cena multimídia como James George (EUA), Julian Opie (Inglaterra) e o coletivo internacional United VJs, que atua na Europa e América do Sul.

O projeto que explora a participação do cidadão na atual realidade digital, tem curadoria de Marília Pasculli, da Verve Cultural, e da dinamarquesa, Tanya Toft. Um dos objetivos é atribuir uma nova função social a um dos edifícios mais simbólicos da capital e também a outros espaços públicos da cidade. A mostra questiona como a cultura digital afeta o modo de viver, e ainda como as novas tecnologias permitem diferentes meios de expressão e de participação do cidadão urbano.

>>> Sesi-SP oferece oficinas gratuitas de arte multimídia na capital paulista

Um mirante instalado na alameda das Flores é a grande novidade desta edição. O calçadão que liga a Avenida Paulista à rua São Carlos do Pinhal, vai se tornar um mirante interativo da fachada luminosa do prédio da Fiesp. A travessa será um novo espaço interativo-expositivo com 45 metros de extensão: a pista multimídia Sonic Skate São Paulo. Em cada uma de suas extremidades, haverá um painel de LED. Os skatistas serão privilegiados com uma rampa iluminada e colorida.

Ousado e gigantesco, o festival colocou a cidade de São Paulo na rede mundial de “media facade” Connecting Cities Network, com sede em Berlim.

Numa experiência inédita no Brasil, o SP_Urban Digital Festival estabelece um canal de divulgação cultural como parte integrante da cidade, fundindo arquitetura, arte e tecnologia.

Não perca!!
SP_Urban Digital Festival – 2ª edição
De 4 a 28 de novembro
Locais: Fachada do prédio Fiesp/Sesi-SP (Av. Paulista, 1.313)  e Alameda das Flores (travessa de pedestres entre av. Paulista e rua São Carlos do Pinhal).
Horários:  das 20h às 06h

Para saber a programação completa do Festival, clique aqui.

Veja também:

O que é e tudo que já rolou na Galeria de Arte Digital do Sesi-SP


São Paulo ganha primeira galeria de arte digital a céu aberto da América Latina

Agência Indusnet Fiesp

O prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), um dos principais cartões postais paulistanos, agora é também em um espaço inédito e permanente de arte digital para exibição de obras visuais a céu aberto.

[veja mais fotos ao final deste texto]

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542789456

Inauguração da Galeria Digital no prédio da Fiesp. Foto: Mauren Ercolani

A abertura oficial se deu na noite de segunda-feira (03/12), por volta de 20h, quando teve início uma contagem regressiva de aproximadamente 20 minutos até que as luzes foram apagadas e a fachada e as laterais do prédio passaram a exibir a primeira galeria de arte digital da América Latina: a Galeria de Arte Digital do Sesi-SP.

Com 26.241 mil clusters, cada um formado por quatro lâmpada de LED, instalados em 3.700 m² da estrutura metálica que reveste o prédio da Fiesp, o novo espaço cultural transmitirá até 4,3 bilhões de combinações de cores. A inauguração marcou também o início da primeira edição do SP_Urban Digital Festival, com curadoria da brasileira Marília Pasculli e da alemã Susa Pop.

Durante a exibição, centenas de pessoas ficaram no lado oposto da Avenida Paulista para apreciar o espetáculo. Entre elas, Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP), e Walter Vicioni Gonçalves,  superintendente do Sesi-SP, além de diversos diretores da Fiesp, artistas e convidados.

Presente da Fiesp e do Sesi-SP para São Paulo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542789456

São 26.241 mil clusters, cada um formado por quatro lâmpada de LED. Foto Mauren Ercolani.

O festival aconteceu durante o mês de dezembro, todas as noites das 20h às 6h, quando o edifício icônico da avenida Paulista virou uma grande tela urbana de novas formas de expressão de arte digital.

Segundo Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Sesi-SP, a Galeria Digital do Sesi-SP é um presente das entidades da Indústria para São Paulo.

“A cidade é pulsante e efervescente durante o dia e a noite. A galeria, baseada em tecnologia e modernidade, traduzirá esse ritmo produtivo e será mais um marco de São Paulo, como existem poucos no mundo.”

Obras audiovisuais

O SP_Urban Digital Festival segue o conceito de Media Facade – a transformação de fachadas arquitetônicas em “telas” para exibição de obras audiovisuais. Na edição 2012, foram expostos trabalhos dos artistas paulistanos VJ Spetto (United VJs), o coletivo BijaRi e Goma Oficina, além dos internacionais Esteban Gutierrez, da Colômbia, do francês Antoine Schmitt, e da dupla Mar Carnet & Varvara Guljajeva, respectivamente da Espanha e Estônia.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542789456

Imagem feita durante testes, dias antes da abertura oficial da galeria na Avenida Paulista.

Cada artista teve cinco dias do festival dedicados exclusivamente à transmissão de sua obra, das 20h às 23h. Entre 23h e uma da manhã, o trabalho de Antoine Schmitt tomou conta do prédio0. E a partir desse horário, a programação foi mista e randômica até as 6h.

A obra do francês Antoine Schmitt, renomado mundialmente pelo projeto City Sleep Light, foi um dos destaques do festival. Traduzida como “luz do sono da cidade”, tem como matéria-prima os dados de atividades socioeconômicas do local onde está sendo realizado.

Estes dados são recolhidos a partir de um software que coleta os códigos de fluxos disponíveis na internet de uma cidade específica: trânsito, transações bancárias e movimentação nas redes sociais, por exemplo. Quando a cidade vai dormir, Antoine transforma estes códigos em pulsações de luz branca. Todos os pixels piscam juntos, transformando o edifício em um organismo vivo, que “respira” de acordo com o ritmo da cidade. “Será como observar os batimentos cardíacos da capital paulistana a cada noite”, diz a curadora Marilia Pasculli.

Alguns exemplos de edifícios que sediaram galerias de arte digital em suas fachadas são o ARS Electronica Center, na Áustria; a Uniqa Tower, em Viena; o Shopping Iluma em Cingapura; o MediaLab-Prado, na Espanha, além do renomado Media Facades Festival, que acontece desde 2008 em diversas cidades da Europa.

Veja aqui os artistas que participaram do SP Urban Digital Festival