“Mudanças estruturais são fundamentais para o Brasil sair desta crise”, diz Roriz no Ciesp Sorocaba

Carla Acquaviva, Agência Indusnet Fiesp

Na manhã de 14 de setembro, o presidente em exercício da Fiesp e do Ciesp, José Ricardo Roriz, participou da reunião plenária do Ciesp Sorocaba e palestrou sobre o “Cenário econômico recente, perspectivas e macrotendências mundiais”.

Segundo o presidente em exercício das entidades, o país tem hoje dois grandes desafios para voltar a crescer: fazer as reformas da Previdência e tributária e reduzir a taxa de desemprego. “As reformas são sim bastante necessárias, mas não adianta fazer as reformas e continuar com quase 13 milhões de pessoas desempregadas. É importante criar um ambiente de negócios favorável para que o país volte a crescer”, disse.

Roriz ressaltou também que o atual ciclo de recuperação está sendo um dos mais lentos da história da economia brasileira. “Alguns fatores estão contribuindo para que a recuperação seja lenta, tais como: as incertezas políticas acerca das eleições e das reformas, o tímido aumento da oferta de crédito, a pequena redução das taxas de juros, sendo que os spreads continuam altos, e a geração de emprego com baixa remuneração e vínculo informal”, pontuou.

O presidente em exercício da Fiesp e do Ciesp observou que o desempenho econômico do país depende de seu grau de competitividade. “Um estudo realizado entre 43 países que representam 90% do PIB mundial identificou que o Brasil está em primeiro lugar em taxas de juros, spread bancário e volatilidade cambial. Na outra ponta, estamos nas piores posições em taxa de investimento e escolaridade”, resumiu.

Ele alertou para a necessidade de o Brasil fazer mudanças estruturais. “Temos que fazer o dever de casa diminuindo a carga tributária e a burocracia, que afetam a produtividade e a competitividade das empresas nacionais. As ações que tomarmos hoje terão reflexos daqui a alguns anos. Precisamos preparar as pessoas para terem empregabilidade no futuro, tendo em vista que o mundo passa por grandes transformações – que vão do crescimento da renda e das populações à mudanças no modo de produzir, consumir, se locomover e se relacionar”, disse.

Megatendências

Neste contexto, Roriz destacou oito megatendências mundiais que irão moldar a indústria e a sociedade em longo prazo e que se apresentam como oportunidades para as empresas brasileiras crescerem.

“No futuro teremos maior demanda por alimentos, uma vez que a população mundial está crescendo, e a renda em alguns países está aumentando. Também teremos uma maior demanda por energia, o que para nós é uma grande oportunidade, uma vez que o Brasil é uma dos países mais ricos do mundo em potencial energético de fontes renováveis e está entre os dez maiores produtores mundiais de energia eólica”, ressaltou.

Outras áreas que terão grande expansão no futuro são a de entretenimento e o turismo. “O setor de bens e serviços já representa uma parcela importante da economia brasileira, com aproximadamente 1 milhão de ocupações formais. Além disso, o aumento do consumo pode estimular a chamada economia criativa, com destaque para as áreas de cultura, software e games, mídia audiovisual, design, moda, arquitetura e publicidade. A impressora 3D, por exemplo, está mudando significativamente a indústria da moda”, explicou Roriz.

Outra megatendência é a mudança no padrão de produção, que no futuro terá que ter maior eficiência energética, ou seja, será necessário produzir mais com menor consumo de energia e redução da emissão de poluentes, visando o equilíbrio ambiental.

No âmbito urbano, serão necessárias novas formas de transporte, com gestão do trânsito por meio de “big data” (termo usado na área de tecnologia da informação que refere-se a um grande conjunto de dados armazenados), transporte público interconectado, além de veículos elétricos ou híbridos. “Serão investidos mais de US$ 230 bilhões em sistemas de saúde digitalmente interligados com diagnósticos remotos e monitoramento das pessoas; cerca de US$ 240 bilhões em plataformas de educação à distância, além de US$ 8 trilhões em casas modulares ou pré-fabricadas.  Outra demanda será a urbanização em áreas públicas e de lazer”, destaca Roriz, complementando que essas necessidades serão procedentes do surgimento de megacidades que exigirão infraestrutura mais moderna e competitiva para atender o crescimento e envelhecimento da população.

Roriz durante reunião plenária do Ciesp de Sorocaba. Foto: Kika Damasceno

Roriz durante reunião plenária do Ciesp de Sorocaba. Foto: Kika Damasceno

Sorocaba e região

Para o diretor titular do Ciesp Sorocaba, Erly Domingues de Syllos, independentemente de problemas políticos e da crise que afetou o setor industrial, Sorocaba está mais preparada para aproveitar as oportunidades.

“Hoje a cidade está em uma situação diferente de outras partes do país, primeiro porque temos mão de obra qualificada. Além disso, alguns segmentos, como os setores automotivo e de autopeças, que são fortes aqui, estão mostrando sinais de recuperação. Outro diferencial da região metropolitana de Sorocaba é a produção de equipamentos para um setor que está em franca expansão, que é o de energia eólica”, afirmou Erly.

Segundo ele, o cenário é fruto de um trabalho que já vem sendo realizado há alguns anos pelo Ciesp aliado ao poder público e às universidades. “Mas somente isso não basta, precisamos estar antenados com as tendências do futuro e como as empresas vão se preparar para a indústria 4.0, que é uma nova revolução industrias e para atender as demandas de mercado apresentadas pelo presidente em exercício”, completa o diretor titular do Ciesp Sorocaba.

Perfil Exportador Paulista

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345298

O Perfil Exportador Paulista (PEP) é um relatório anual que oferece uma perspectiva mais detalhada das exportações do Estado, por meio de uma abertura setorial e também regional.  O estudo classifica os produtos conforme seu nível de intensidade tecnológica e tem por objetivo contribuir para a elaboração de políticas públicas, que aumentem a competitividade do comércio exterior paulista. As informações foram cedidas pelo Departamento de Estatística e Apoio à Exportação (Deaex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (Mdic). A elaboração da análise é do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Por melhorias no Sesi-SP e Senai-SP, presidentes da Fiesp e do Ciesp visitam escolas

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Itu (SP)

Sorocaba pela manhã, Itu no horário da tarde. Assim foi a programação desta terça-feira (23/09) dos presidentes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Benjamin Steinbruch, e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Rafael Cervone Netto. A agenda de ambos incluiu visitas às unidades do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) dos municípios.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345298

Rafael Cervone, Fernando Carvalho, Débora Cypriano Botelho e Benjamin Steinbruch conversam com alunas do Sesi-SP. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Em Sorocaba, eles estiveram no Centro de Atividades (CAT) José Ermírio de Moraes, um dos mais antigos da rede Sesi-SP, inaugurado em 1969. Lá conversaram com as alunas Shelley Brisola Sampaio e Larissa Armelim Luiz, que participavam de uma atividade de robótica, e com os professores e alunos do terceiro ano, no laboratório de informática. A superintendente do Sesi-SP e diretora regional do Senai-SP, Débora Cypriano Botelho, e o diretor da Divisão de Educação e Cultura do Sesi-SP, Fernando Carvalho, acompanharam as visitas.

Na mesma unidade, conheceram o projeto Cidadania Inclusiva, que oferece capacitação para 15 alunos com deficiência, buscando a inclusão no mercado de trabalho.

“Iniciamos o curso com o módulo de higiene e saúde. Depois, aplicamos os temas linguagem oral e escrita digital, ética – direitos e deveres, levantamento de empresas e sistema monetário”, explicou Erica Fernanda de Moraes, pedagoga e especialista na área de educação especial, responsável pelas aulas.

Escola referência em Itu

Na cidade de Itu, os presidentes foram ao CAT Carlos Eduardo Moreira Ferreira, onde assistiram a uma apresentação de jazz com o grupo de alunas da escola. Também passaram pelas instalações esportivas, pela biblioteca e por algumas salas de aula, além de conversar com a nutricionista e as alunas do curso Alimente-se Bem.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345298

Benjamin Steinbruch, Débora Botelho, Ricardo Terra e Rafael Cervone (camisa azul) na escola do Senai-SP em Itu. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Eles visitaram ainda a escola Ítalo Bologna, do Senai-SP. A unidade faz um trabalho de referência com alunos com deficiência. Por meio do Núcleo de Atendimento às Empresas, a Ítalo Bologna presta consultorias para indústrias de todo o Estado de São Paulo, para inclusão de pessoas com deficiência, além de realizar trabalhos de impressão em braille. Além de Débora Botelho, a visita também foi acompanhada pelo diretor técnico do Senai-SP, Ricardo Terra.

Um exemplo é o livro com receitas do curso Alimente-se Bem. Além de ser todo escrito em braille, o livro foi impresso em um material lavável, adequado para o uso na cozinha.

A escola tem equipamentos adaptados, como um torno para cadeirantes, que faz com que os cursos fiquem acessíveis para esse público. Steinbruch e Cervone ainda conversaram com os alunos de um curso de almoxarife, exclusivamente formado por pessoas com deficiência.

Professor do Senai-SP há 10 anos, Gelson Inácio dos Santos foi uma das primeiras pessoas com deficiência a serem recebidas pela escola de Itu. Em 1996, com um grupo de cerca de 20 deficientes visuais, eles tiveram a oportunidade de fazer um curso do Senai-SP de informática.

“O Senai-SP foi o primeiro a abrir as portas para nós e a proporcionar a entrada no mercado de trabalho com cursos de qualificação, permitindo que a gente concorra de igual para igual com qualquer outra pessoa”, lembrou Santos, que é professor de informática, soroban e braille para deficientes visuais, além de assistente administrativo para pessoas sem deficiência.

Em busca de melhorias

Nas duas cidades, os presidentes participaram de encontros com funcionários, com o objetivo de ouvir sugestões e buscar melhorias para toda a rede Sesi-SP e Senai-SP.

“A gente sabe que o Sesi-SP e o Senai-SP são muito elogiados pelas pessoas, mas se a gente puder, queremos melhorar ainda mais. Nossa ideia é fazer o possível e o impossível para isso. O possível, a gente consegue. O impossível, às vezes, a gente também consegue”, afirmou Steinbruch, que destacou a importância de inovar na educação da rede.

“Buscamos abrir um novo caminho e novas oportunidades. E por isso é importante a participação dos funcionários. O que podemos fazer a mais? O que os outros não fazem que nós podemos fazer? Esse é o nosso maior desafio”, esclareceu.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345298

Benjamin Steinbruch e Rafael Cervone no Senai-SP em Itu: conversa com comunidade da escola. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Presidente da Fiesp diz que chegou a hora de reagir diante da desindustrialização

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Sorocaba (SP)

Os presidentes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Benjamin Steinbruch, e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Rafael Cervone Netto, estiveram na manhã desta terça-feira (23/09) com empresários da região de Sorocaba, município a aproximadamente 90 quilômetros da capital. Na pauta do encontro, o atual cenário econômico e as perspectivas para 2015.

Além das previsões de um 2015 difícil, Steinbruch disse que será um desafio enfrentar os últimos meses de 2014. “Todo mundo estava preparado para um ano de 2015 difícil, porque, independente de quem ganhe a eleição, será um ano de ajuste. O problema, agora, vai ser chegar até 2015.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345298

Steinbruch: "Vamos ter uma diminuição de consumo com uma recessão instaurada no país. Para chegarmos até dezembro, vamos ter que ser mágicos.” Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


“Vamos ter outubro, novembro e dezembro horríveis. Ano de eleição, historicamente, sempre foi um ano bom. Nesse ano, vamos ter uma diminuição de consumo com uma recessão instaurada no país. Para chegarmos até dezembro, vamos ter que ser mágicos.”

Segundo ele, a situação é pior do que apontam os números. “O desaquecimento da economia está vindo a galope. As coisas vinham bem até abril, maio. Depois, começaram a capotar”, analisou o presidente da Fiesp.

“A questão vem em cadeia. Aconteceu na indústria automobilística, depois na [indústria de] linha branca e certamente vai acontecer nos outros segmentos da indústria. O consumo caiu por falta de confiança do consumidor. Com o medo do desemprego, não adianta dar mais prazo, nem desconto, porque não vai ter consumo. E com o câmbio como está, não tem chance de exportação.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345298

Presidente da Fiesp: “Chegou a hora de a gente reagir, não em benefício de nós mesmos, mas do Brasil". Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Na opinião de Steinbruch, um agravante para a situação atual é o processo de desindustrialização pelo qual vem passando o Brasil. “Há 25 anos, a indústria representava 25% do PIB [Produto Interno Bruto]. Hoje, é 12,5%, ou seja, reduzimos pela metade a participação no PIB. É um processo de desindustrialização jamais visto em qualquer outro país, em tempos normais.”

Para mudar esse quadro, o presidente da Fiesp disse que empresários e cidadãos precisam reagir. “Estamos vivendo uma artificialidade tanto do ponto de vista empresarial como na nossa vida de cidadão. E a gente se conformou até uma situação em que as casas são muradas, os carros são blindados e a preocupação é uma constante na vida da gente”, comentou.

“Chegou a hora de a gente reagir, não em benefício de nós mesmos, mas do Brasil. Já passou do limite. Queria encorajá-los a questionar essas coisas e nos ajudar a aproveitar esse momento para melhorar as coisas e favorecer que prevaleça a racionalidade.”

Entraves

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345298

Cervone: é preciso simplificar e eliminar excesso de burocracia. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Em sua participação, o presidente do Ciesp compartilhou a ideia de que o Brasil hoje é um ambiente hostil para o desenvolvimento empresarial e o empreendedorismo.

“As leis trabalhistas devem proteger o trabalhador. Mas como estão, elas travam as empresas, de maneira que a gente não consegue mais trabalhar”, criticou Cervone. “Outro problema é a falta de previsibilidade, seja trabalhista, tributária, previdenciária.”

A burocracia é outro entrave para o desenvolvimento da indústria, segundo Cervone. “É preciso simplificar. O excesso de processos burocráticos acarreta, geralmente, em corrupção”, declarou. “Os empresários têm que gastar seu tempo pensando em produzir, melhorar e investir em inovação”, propôs.

O presidente do Ciesp também defendeu mudanças urgentes. “Tudo isso faz com que o ambiente de negócio seja ruim, nossa lucratividade caia, o valor agregado diminua e a vontade de investir também fique cada vez menor.”

Em obras, nova unidade do Senai-SP em Sorocaba começa a funcionar em 2015

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Sorocaba

Com previsão de entrega da obra em outubro deste ano, a nova unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial  de São Paulo (Senai-SP) de Sorocaba – município a aproximadamente 90 quilômetros da capital – vai oferecer cursos em oito áreas tecnológicas: Automobilística, Construção Civil, Logística, Manutenção Mecânica, Metalurgia, Plástico e Tecnologia da Informação. O investimento é de R$ 41,9 milhões.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Senai-SP visitou as obras da escola na manhã desta sexta-feira (09/05). Além de caminhar pelos prédios em construção, ele também examinou, em detalhes, a planta e a maquete eletrônica da escola e tirou fotos com os funcionários da obra.

Skaf acompanha as obras em Sorocaba: entrega prevista para outubro de 2014. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Skaf acompanha as obras em Sorocaba: entrega prevista para outubro de 2014. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“É muito importante olharmos para frente. Já temos nosso Senai-SP em Sorocaba, que é moderníssimo, bem equipado e oferece cerca de 13 mil matrículas. Mas, se pensarmos no futuro, isso passa a ser pouco. Por isso, estamos fazendo esse investimento em uma nova escola do Senai-SP”, disse Skaf. “Com essa unidade, que deve começar a funcionar no começo do próximo ano letivo, pretendemos dobrar o número de matrículas oferecidas em Sorocaba.”

A nova unidade terá 10.645 m² de área construída, sendo que a área total da escola será de 27.335 m². A escola será equipada com modernas oficinas e laboratórios com tecnologia de ponta, com a expectativa de receber 6 mil matrículas por ano.

Sesi-SP homenageia ex-jogador de futebol Paraná e anuncia investimentos em Sorocaba

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) homenageou, na tarde desta sexta-feira (23/08), o ex-ponta-esquerda do São Paulo Futebol Clube Ademir de Barros, mais conhecido como Paraná. Atualmente com 71 anos, Paraná foi escolhido como patrono de uma das quadras esportivas do Centro de Atividades Senador José Ermírio de Moraes, do Sesi-SP, em Sorocaba. Na ocasião, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Sesi-SP, Paulo Skaf, anunciou a ampliação da unidade. Além de, claro, destacar o talento do ex-jogador.

“Parabéns por esse grande brasileiro que você foi, Paraná”, disse Skaf. “Nessa quadra, milhares de crianças vão treinar aqui e ganhar qualidade de vida, disciplina e saúde”, afirmou. “Fico muito feliz por essa homenagem a alguém que honrou o esporte”.

Skaf durante a homenagem ao ex-jogador Paraná: talento reconhecido e quadra para alunos do Sesi-SP. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Skaf durante a homenagem ao ex-jogador Paraná: talento reconhecido. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


O ex-jogador Barros nasceu em Cambará (PR), mas acabou fixando-se em Sorocaba, onde reside até hoje. Ingressou profissionalmente no futebol em 1961 pelo São Bento, passando a jogar no São Paulo quatro anos mais tarde, onde atuou até 1972. No tricolor, Paraná foi vice-campeão paulista em 1967 e bi-campeão paulista em 70 e 71. Pela Seleção Brasileira, jogou 11 vezes.

Paraná: emoção diante do reconhecimento do Sesi-SP. "Só tenho a agradecer". Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Paraná: emoção diante do reconhecimento do Sesi-SP. "Só tenho a agradecer". Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

O presidente da Fiesp e do Sesi-SP anunciou que todas as três escolas do Sesi-SP em Sorocaba vão ocupar um terreno anexo ao Centro de Atividades Senador José Ermírio de Moraes,  por meio da doação da área. “Teremos ainda um teatro com foyer e um centro cultural para exposições”, afirmou Skaf.


A importância do trabalho dos professores foi destacada. “É sagrada essa missão de ensinar”, disse. “E mais ainda de aprender. Peço uma salva de palmas a educadores do Sesi e  do Senai”, afirmou.

O apoio dos “companheiros” da Fiesp também foi lembrado. “Agradeço pela ajuda nesses nove anos de mandato”, disse. “Esse apoio fortíssimo nos dá força para realizar as coisas”.

‘Ser patrono é inspirar’

Presente à cerimônia, o superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), Walter Vicioni Gonçalves, elogiou o trabalho de Paraná. “É uma justa homenagem a esse personagem que se destacou entre as figuras do esporte”, explicou. “O Sesi-SP se orgulha de ter feito parte da trajetória do ex-jogador, vai ser referência para as novas gerações. Ser patrono do Sesi é inspirar”. Emocionado, o craque registrou a sua satisfação. “Só tenho a agradecer por essa homenagem”, afirmou.

Treinamento forte 

No evento, foram realizadas atividades como uma clínica de vôlei para os alunos do Sesi-SP e um treino intensivo da equipe de rendimento, que jogará com o São Bernardo neste sábado (24/08), na Vila Leopoldina, em São Paulo, pelo Campeonato Paulista 2013. O Sesi-SP ocupa a vice-liderança na competição, com quatro vitórias em quatro jogos. Assim, sob a supervisão do treinador Marcos Pacheco, Murilo Endres, Serginho, Sidão, Lucão, Sandro e os demais atletas do time de vôlei da instituição deram dicas e conselhos para os alunos, passando um pouco das suas experiências vitoriosas.

A equipe de vôlei do Sesi-SP também foi destacada na cerimônia. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

A equipe de vôlei do Sesi-SP também foi destacada na cerimônia. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Diante de tantos talentos do esporte, Skaf convidou todos os jogadores para o tablado e brincou com a altura do jogador Lucão, de 2,10m, muito solicitado para tirar fotos com as crianças presentes ao evento.

O gestor do vôlei do Sesi-SP, José Montanaro, destacou que o time está “invicto” no Campeonato Paulista 2013.

Diretor de Esportes e Lazer do Sesi-SP, Alexandre Pflug lembrou  que o Sesi-SP está hoje com 16 modalidades esportivas. E citou o Projeto Try Rugby SP, resultado de uma parceria do Sesi-SP com o British Council e a Premiership Rugby, a liga do esporte na Inglaterra, para atender 10 mil crianças até 2016.

O levantador Sandro confirmou que o time de vôlei da instituição está “treinando forte”, também com vistas à Superliga, que começa em setembro.

Inova Senai: Sorocaba fatura primeiro lugar na categoria Produto Inovador

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Depois de vencer e etapa estadual, no ano de 2010, o projeto “Entalhe Automatizado para Instalação de Fechaduras em Portas de Madeira”, de alunos e docentes da Escola Senai Gaspar Ricardo Júnior, de Sorocaba (SP), conquistou neste sábado (17/11), em São Paulo, o primeiro lugar na categoria Produto Inovador do Inova Senai.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345299

O aluno Djeilson Santos e Rodrigo Jacomini, da Escola do Senai-SP em Sorocaba. Foto: Everton Amaro

Depois de fixada e ligada, a máquina trabalha sem intervenção do operador até a conclusão de todo processo. A inovação permite reduzir de 30 minutos para apenas 60 segundos o tempo de procedimento de instalação de fechaduras em portas de madeira. Além da agilidade, outras vantagens prometidas são o aumento da segurança do trabalho, precisão e redução do risco de perda da porta causada por falha profissional.

De acordo com o professor Rodrigo Jacomini, docente orientador do projeto, a ideia foi um sucesso porque partiu da necessidade de uma empresa da região que atua no segmento de portas.

“A ideia surgiu pela dificuldade que as pessoas apresentam na hora de fazer instalação na fechadura. É uma dificuldade que o empresário tinha. A gente desenvolveu”, explica o professor do curso de Mecatrônica do Senai de Sorocaba.

O produto já está no mercado e a empresa vende cerca de oito máquinas por mês. “A ideia, até o ano de 2014, é vender 10 vezes mais porque ele [o empresário] já tem clientes como construtoras e carpintarias. O objetivo é vender para grandes varejistas. É um produto de muita produtividade e muito retorno financeiro para quem vender a máquina”, resume Jacomini.

O Inova Senai é o programa em que alunos, docentes, técnicos e consultores dos departamentos regionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai) em todo o país podem inscrever processos e projetos inovadores em gestão e tecnologia que tenham alinhamento com interesses e necessidades da indústria brasileira.

Indústria investirá mais de R$ 100 milhões em educação e cultura em Sorocaba

Djalma Lima, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345299

Ilustração da futura escola do Sesi-SP em Sorocaba

O Sesi-SP recebeu nesta quarta-feira (7) a doação de uma área superior a 11 mil metros quadrados. O terreno cedido pela prefeitura municipal de Sorocaba será incorporado aos 17 mil metros quadrados do Centro de Atividades (CAT), localizado no Jardim Mangal.

O novo espaço permitirá a construção de uma nova escola e de um moderno teatro, com capacidade para 450 lugares e uma marquise para exposições. As novas instalações deverão estar concluídas em 2014.

“A indústria de São Paulo vem investindo pesadamente em educação, cultura e esporte para que as pessoas tenham oportunidades iguais”, afirmou Paulo Skaf, presidente da Fiesp, do Sesi-SP e do Senai-SP, durante a assinatura de doação do terreno realizada pelo prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi.

A escola terá capacidade para atender dois mil alunos do ensino fundamental em período integral, do ensino médio e da Educação de Jovens e Adultos. Será uma das maiores da rede e irá absorver duas das três escolas que o Sesi mantém em Sorocaba, em prédios da Prefeitura.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345299

O presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf (1º à esq) e o prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi (de terno cinza) durante assinatura de escritura de doação do terreno



A terceira escola será transferida para o CAT de Votorantim, pois uma pesquisa mostrou que mais de 60% dos alunos de um dos prédios são oriundos desse município.

O investimento previsto entre obras, equipamentos, refeitório para 700 pessoas, construção do teatro e reforma do CAT é superior a R$ 52,5 milhões. O atual teatro do CAT com capacidade para 160 lugares será transformado em auditório.A terceira escola será transferida para o CAT de Votorantim, pois uma pesquisa mostrou que mais de 60% dos alunos de um dos prédios são oriundos desse município.


Cultura e capacitação profissional

O novo teatro para 450 lugares terá 2.000 metros quadrados e palco reversível para área externa, abrindo a possibilidade da realização de espetáculos ao ar livre. Outra novidade deste projeto é a construção de uma marquise em frente ao teatro, que será utilizada para exposições de artes e outros eventos culturais.

Como incentivo à capacitação profissional, Paulo Skaf também anunciou que serão investidos mais R$ 60 milhões para a construção da segunda escola do Senai em Sorocaba.

Paulo Skaf destaca investimentos no Sesi e no Senai da região de Sorocaba, em entrevista

Agência Indusnet Fiesp

Durante entrevista concedida na manhã desta sexta-feira (09/12) na rádio Cruzeiro FM de Sorocaba, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, falou sobre investimentos na qualificação profissional para atender a grande demanda de empregos para o novo parque tecnológico que está sendo instalado na região.

Para o Senai, Skaf anunciou um plano de atualização dos equipamentos com investimentos de R$ 5 milhões para 2012. Além disso, o Senai vai investir mais R$ 35 milhões na construção de uma nova escola. “Esperamos estar com o projeto pronto até março do ano que vem para iniciar as obras. No final de 2013, estaremos inaugurando esta nova escola”, adiantou Skaf.

Para a educação fundamental, Skaf informou que está aguardando a liberação de um terreno para a ampliação da escola do Sesi de Sorocaba. “A ideia é reformar toda a unidade e construir um centro cultural com teatro e área de exposições.” O investimento previsto é em torno de R$ 40 milhões.

Durante a entrevista, Skaf destacou a necessidade de implantação de um plano de desenvolvimento regional descentralizado. “É necessário que haja essa visão. É necessário que todas as cidades tenham suas oportunidades para que toda a região cresça.”

Sesi-SP investe R$ 264 milhões na região de Sorocaba

Alice Assunção e Rosângela Gallardo, Agência Indusnet Fiesp

A indústria paulista investirá R$ 264 milhões na construção e modernização de novas escolas do Sesi-SP e Senai-SP,  em mais de 13 municipios que integram a região de Sorocaba. Iniciativa que beneficiará mais de 50 mil alunos da instituição.

Os números foram anunciados nesta sexta-feira (25), pelo presidente da Fiesp e do Sesi/Senai-SP, Paulo Skaf, ao visitar as instalações da unidade de Itapetininga e inaugurar a nova escola de Salto. “A prioridade da indústria paulista é a educação, por isso, cada vez mais, buscamos um ensino de excelência no estado de São Paulo”, afirmou.

Com um aporte de R$ 6,7 milhões do total previsto para a região de Sorocaba, a unidade de Itapetininga foi reformada e ampliada, recebendo novas salas de aula, espaços pedagógicos e áreas de esporte que atenderão o ensino fundamental em tempo integral e o ensino médio.

Ensino de excelência

“Os investimentos apresentados por Paulo Skaf representam a consolidação de um modelo de educação do Sesi, o qual faz parte de um plano estratégico criado para revolucionar o ensino em todo o estado de São Paulo”, ressaltou Walter Vicioni, superintendente operacional do Sesi-SP. “A verdadeira democracia só se concretiza com o ensino de excelência e nós do Sesi estamos construindo um plano de ação para que essa democracia se consolide no País.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345299

Paulo Skaf com estudantes durante a inauguração da escola Sesi Itapetininga

Eloise Franciele da Silva Machado, 19 anos, se formou junto com a primeira turma do ensino médio do Sesi de Itapetininga, articulado com o curso técnico do Senai. Hoje, ela trabalha em uma fábrica de fornos industriais e pretende continuar estudando. “Graças ao ensino médio no Sesi, consegui um bom emprego e estou até pensando em fazer engenharia”, disse Eloise Franciele, que participou do evento em Itapetininga.

Segundo o prefeito da cidade, Roberto Ramalho Tavares, Itapetininga oferece mais de 70 cursos técnicos gratuitos “e os investimentos feitos pelo Sesi consolidam essa vocação da cidade.”

Salto

À tarde, Paulo Skaf inaugurou a nova escola do Sesi em Salto. A unidade foi projetada com 18 salas de aula, laboratório de informática educacional com 37 computadores, biblioteca escolar com acervo atualizado, duas áreas de convivência, sala de ciência e tecnologia, quadra esportiva coberta e ambientes administrativos, amplos e confortáveis, para atendimento aos pais e professores.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540345299

Alunas comemoram inauguração da nova escola do Sesi na cidade de Salto

A escola oferece ensino fundamental em tempo integral e educação de jovens e adultos, além do ensino médio. Todas as atividades pedagógicas são associadas a diversas atividades e serviços nas áreas de saúde, alimentação, cultura, esporte e lazer.

“A ideia não é fazer uma escola para a elite da sociedade, mas uma escola da indústria que formará trabalhadores de elite”, afirmou Vicioni referindo-se ao padrão de excelência em educação projetado pela entidade.

O prefeito da cidade, José Geraldo Garcia, elogiou a chegada da escola ao município. “Salto é uma cidade industrial, uma estância turística, universitária, e agora também está virando um centro tecnológico. Todo investimento em educação é sempre bem-vindo.”

“Foram investidos R$ 11,3 milhões na nova unidade de Salto, projeto que faz parte das 100 novas unidades que serão inauguradas”, concluiu Paulo Skaf.

Leia mais:

Saiba mais sobre os investimentos do Sesi e Senai-SP em educação

Sorocaba terá nova unidade do Senai-SP

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

A cidade de Sorocaba ganhará uma nova unidade do Senai-SP. A novidade foi anunciada pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e o prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi, na manhã desta sexta-feira (17), na sede da federação, durante a solenidade de assinatura da escritura de doação do terreno para construção da unidade de ensino.

Com novo modelo de infraestrutura, a escola será instalada em terreno com cerca de 24 mil metros quadrados, com todo o aparato necessário para realização de um ensino técnico de qualidade. O custo total da obra está estimado em R$ 35 milhões e o projeto deve ser concluído até o final de 20112.

Para o prefeito, a inauguração da escola será a porta de entrada dos jovens no mercado de trabalho: “A construção da unidade do Senai vai ser muito importante para criar novas oportunidades para os jovens e ampliar a oferta de mão de obra capacitada para as indústrias de base tecnológica da região”, afirmou Lippi.

Também participaram da cerimônia o superintendente operacional do Sesi-SP e diretor Regional do Senai-SP, Walter Vicioni; o secretário de desenvolvimento econômico de Sorocaba, Mário Kajuhiko Tanigawa; e lideranças industriais e políticas da região.