Skaf defende proteção à saúde financeira do Sesi-SP e do Senai-SP

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp, do Sesi-SP e do Senai-SP, Paulo Skaf, defendeu nesta sexta-feira em São Bernardo do Campo os ajustes feitos para manter a saúde financeira dos serviços da indústria paulista, “situações necessárias para que o futuro esteja sempre garantido”.

Skaf lembrou que a indústria de São Paulo investiu quase R$ 4 bilhões nos últimos 10 anos no Sesi e no Senai. Foram investimentos em escolas, em laboratórios, no ensino em tempo integral, no Ensino Médio, em cursos superiores. “E tudo isso com saúde financeira, por causa da seriedade com que são feitos os investimentos”, afirmou.

“Fizemos uma verdadeira revolução na educação de São Paulo, fizemos o que governos não fazem”, disse Skaf, agradecendo o apoio recebido de alunos, professores e industriais e de todos que colaboraram para isso.

“Como investimos muito ao longo dos últimos 10 anos – nossas escolas do Senai são todas moderníssimas – não há problema se tanto o Sesi quanto o Senai deixarem de iniciar novos investimentos durante os próximos 6 meses, ou 12 meses”, até que seja possível retomar o ritmo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544701821

Paulo Skaf na inauguração do Núcleo de Materiais Avançados e Nanocompósitos da Escola Senai Mario Amato. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

>> Ouça boletim sobre investimento do Senai-SP

Recursos

Skaf disse também que o Sistema S é amplo e diversificado e que não faz sentido falar de seus recursos totais como se fossem do Sesi-SP e do Senai-SP.

A situação hoje, devido à queda da economia, também por culpa deste Governo, é de queda de 20% na arrecadação do Sistema S, explicou Skaf. O Brasil, lembrou, vai encolher 3% neste ano, enquanto o mundo cresce. E o Governo, que levou a essa queda do PIB, ainda quer que o Sistema S destine 25% de seu orçamento para pagar despesas públicas. “Ninguém aguenta 45% [de queda do orçamento] sem medidas chatas e amargas”, declarou Skaf. “O governo não sabe diminuir no orçamento dele nem 1%”, afirmou Skaf, lembrando que o ajuste fiscal do país deveria ser feito por meio no corte de gastos. “Mas entende que uma entidade pode sobreviver normalmente dando um choque de 25%, além da queda natural por força da situação.”

As declarações foram feitas durante a inauguração do Núcleo de Materiais Avançados e Nanocompósitos da Escola Senai Mario Amato.

Em seu discurso, Skaf pediu à diretoria do Senai-SP que encontre uma forma de assegurar a abertura de matrículas para o primeiro ano do Ensino Técnico na instituição em 2016.

Em artigo na Folha de S.Paulo, Arnaldo Niskier defende o Sistema S

Agência Indusnet Fiesp

Arnaldo Niskier, membro da Academia Brasileira de Letras e presidente do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) do Rio de Janeiro, chama de estapafúrdia a proposta do governo federal de “sequestrar os recursos financeiros do Sistema S” (que inclui Sesi e Senai) para “colocar nas contas baleadas do governo”.

Niskier elogia o Senai e argumenta que prova de sua competência é o fato de mais de 60% de seus alunos estarem empregados, apesar da crise. “Só mesmo um gênio do mal para mexer no setor”, escreve Niskier, citando a reação indignada do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, contra a ideia.

“A se confirmar a pretensão oficial, haverá uma série de perdas nos programas hoje vigentes de educação –sobretudo a construção de creches–, saúde, cultura e esporte.”

A defesa que Niskier faz do Sesi, do Senai e de outras entidades bancadas pelas empresas brasileiras está em artigo publicado neste domingo (5/10) na página 3 do jornal Folha de S.Paulo, com o título “Tiro no Sistema S”.

Clique aqui para ler o artigo (liberado para assinantes da Folha e do portal UOL).


Nota oficial – Sesi e Senai

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) vê com extrema preocupação os movimentos do presidente da CNI, Robson Andrade, para aceitar supostos acordos com o governo em que o Sesi e o Senai abririam mão de recursos que custeiam seus importantes serviços.

Consideramos ser nossa obrigação defender nossos alunos, seus familiares, professores, funcionários, atletas e artistas do Sesi e do Senai, assim como os trabalhadores da indústria e os importantes serviços que essas entidades prestam à sociedade brasileira.

O Sesi e o Senai são reconhecidos por sua eficiência e pelo ensino de qualidade que prestam a milhões de alunos de todo o país. Se concordarmos com essas iniciativas, estaremos sacrificando os melhores investimentos. Os investimentos nas pessoas.

Repudiamos, portanto, supostos acordos e esperamos o apoio dos companheiros das federações da indústria, do comércio, do transporte e da agricultura de todo o país para manter a integridade dos importantes serviços que o Sistema S presta ao Brasil.

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

Skaf defende no Senado Sistema S e combate ao aumento de impostos

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, reuniu-se nesta terça-feira (29/9) com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). “O assunto basicamente foi a preocupação com possível aumento de impostos”, afirmou Skaf a jornalistas depois do encontro.” Discutimos bastante isso, batendo na tecla de que é necessário que o governo faça o ajuste reduzindo gastos e desperdícios, e não aumentando mais nas costas da sociedade os impostos, que já são muito elevados.”

Outro tema da reunião entre Skaf e Calheiros foi a proposta do Governo de confiscar verbas do Sistema S (que inclui o Sesi e o Senai). “Também conversamos sobre as escolas do Sesi, do Senai, que são de excelência, de educação de qualidade, de formação profissional, e não se deve tirar dinheiro de onde funciona bem para tapar buraco do governo.”

Skaf disse que o empresariado está “muito zangado” com os cortes do Sistema S, “uma coisa que funciona, e que o governo vai atrapalhar”. O empresariado, como toda a sociedade brasileira, está muito preocupado com o momento do Brasil, de aumento de desemprego, de aumento de inadimplência, de falta de crescimento – o momento pelo qual o país passa, de crise econômica e política gravíssima.

Skaf disse que pessoalmente é contra o Sistema S assumir despesas do Ministério da Educação. Explicou que o orçamento já terá perdido, de 2014 até o final de 2016, cerca de 30% – em razão por exemplo da mudança no teto do SuperSimples, da queda da arrecadação e de transferências, para outras finalidades, de recursos que antes iam para o Sistema S.

O Sistema S surgiu por iniciativa dos próprios empresários, que criaram uma taxa voluntária para permitir a formação profissional. “O Governo não tem nada com isso.” Skaf lembrou que depende de mudança constitucional a alteração no financiamento do Sistema S.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544701821

Paulo Skaf é entrevistado no Senado. Foto: Jonas Pereira/Agência Senado

Educador Cláudio de Moura Castro defende Senai em artigo no Estado de S. Paulo

Agência Indusnet Fiesp

Doutor em economia e pesquisador em educação, Cláudio de Moura Castro se mostra indignado com a proposta do Governo de confiscar verbas do Sistema S, especialmente do Senai. Chama de “piada de mau gosto” a ideia de tirar 30% dos recursos que financiam escolas de formação profissional comprovadamente entre as melhores do mundo.

Castro lembra que o Brasil venceu o WorldSkills São Paulo 2015, a olimpíada do ensino profissionalizante – graças aos alunos do Senai, especialmente os paulistas.

O pesquisador afirma que o modelo do Senai é único no mundo – e funciona muito bem, com as próprias empresas se encarregando de cobrar a manutenção do nível de excelência da formação daqueles que futuramente serão seus colaboradores.

Clique aqui para ler o artigo no site do jornal O Estado de S. Paulo.


Acordo de cooperação técnica entre Fiesp e TCU contribuirá para capacitação de recursos humanos e gestores do Sistema S

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Benjamin Zymler (esq.) e Paulo Skaf recebem o livro "Manual do Gestor do Sistema S", do professor Carlos Nirvan

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Benjamin Zymler, firmaram, nesta segunda-feira (23/07), um acordo de cooperação técnica entre as entidades, que promoverá intercâmbio de informações técnicas e científicas e contribuirá na capacitação de recursos humanos e dos gestores do Sistema S.

O acordo foi assinado durante a solenidade de abertura do seminário “O papel do TCU junto das Entidades do Sistema S”, realizado na sede da Fiesp, contando com a participação do superintendente operacional do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni; do presidente do Conselho do Sebrae-SP, Alencar Burti; do secretário-geral de Controle Externo do TCU, Guilherme Henrique de La Rocque Almeida; do desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, José Joaquim dos Santos, além de membros de órgãos e entidades públicas federais, estaduais e municipais e gestores do Sistema S.

Durante a solenidade, foi lançado o livro “Manual do Gestor do Sistema S”, de autoria do professor e servidor emérito do TCU, Carlos Nirvan.

Aproximação entre gestor público e empresários

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, elogiou a publicação e o intercâmbio firmado.  “Estamos compartilhando conhecimento prático para que as entidades de todo o Brasil possam realizar com segurança as mais variadas questões na área administrativa como contratação de obras, planejamento, celebração de convênio e prestação”, afirmou.

Agradecendo o apoio da Fiesp, o professor Carlos Nirvan destacou o papel da entidade em defesa dos interesses econômicos e sociais do Brasil. Segundo  o autor, a publicação possibilitará a aproximação do gestor público com o setor empresarial, contribuindo para a eficiência na gestão dos recursos. “Este livro é resultado de uma pesquisa sistemática realizada nos últimos sete anos para que o gestor do sistema S tenha uma orientação segura de como agir em consonância com as norma vigentes aplicáveis com as recomendações, determinações jurisprudência firmadas pelo TCU”, diz.

O presidente do Tribunal , ministro Benjamin Zymler,  elogiou as ações promovidas pelas entidades da indústria na formação dos profissionais. “ O caminho que está sendo trilhado pela Fiesp, Sesi-SP e Senai-SP é o caminho do sucesso”, afirmou.

Zymler também avaliou como positiva a cooperação entre o TCU e o setor empresarial.  “O setor empresarial tem que ser ouvido e o TCU está aberto às suas críticas e sugestões”.

No segundo semestre deste ano serão promovidas palestras e encontros com empresários do setor de tecnologia das informações. “Gostaríamos de contar com a presença de representantes da Fiesp nestes encontros”, afirmou o presidente do TCU.

Fiesp e TCU realizam seminário sobre gestão das entidades do Sistema ‘S’

Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Tribunal de Contas da União  (TCU) promovem nesta segunda-feira (23/07), às 9h, na sede da entidade, o seminário “O papel do TCU junto das Entidades do Sistema S”. O painel será ministrado pelo secretário-geral de Controle Externo do TCU, Guilherme Henrique de La Rocque Almeida, e pelo professor Carlos Nivan.

Durante o evento será lançado o livro Manual do Gestor do Sistema S. A publicação apresenta de forma objetiva, orientações e recomendações para a boa e regular gestão dos recursos das entidades de Formação Profissional e de Assistência Social, vinculadas ao sistema sindical – órgãos integrantes do Sistema “S”, tendo como base a consulta de aproximadamente 1.000 acórdãos do TCU sobre questões como licitações, contratos e convênios.

Além de professor do Instituto Serzedello Corrêa (TCU) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Carlos Nivan, autor do Manual, integra o Conselho de Dirigentes de Controle Interno dos Poderes da União.

A programação do encontro é destinada a  membros de órgãos e entidades públicas federais, estaduais e municipais, além de gestores das entidades do Sistema “S”.

Estarão presentes no evento, o presidente da Fiesp, do Ciesp, do Sesi e do Senai-SP, Paulo Skaf; o presidente do Tribunal de Contas da União, ministro Benjamin Zymler; o superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni Gonçalves; e o presidente do Conselho Sebrae-SP, Alencar Burti.

Serviço
Seminário “O papel do TCU junto as Entidades do Sistema S” e lançamento do livro “Manual do Gestor do Sistema S”
Data/horário: Segunda-feira (23/07), às 9h
Local: Fiesp – Espaço Nobre, 15º andar – Av. Paulista, 1313

Secretaria da Educação e Fiesp criam grupo de trabalho visando maior qualidade educacional

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544701821

Da esq.p/a dir.: Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP; Herman Voorwald, secretário de Estado da Educação; e João Guilherme Sabino Ometto, vice-presidente da Fiesp



O Sistema S será parceiro incondicional e importante na integração do Ensino Médio estadual e o técnico profissional. A avaliação foi feita pelo secretário de Estado da Educação, Herman Voorwald, após encontro com empresários e especialistas em educação, na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, nesta quinta-feira (28).

Em maio, será realizada chamada pública a fim de cadastrar parceiros interessados. Para o secretário, este será o próximo passo após o lançamento do programa “Um salto de qualidade na educação pública paulista”, ontem (27), tendo à frente o próprio governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

No encontro, mais um saldo positivo: a criação de um grupo de trabalho composto por representantes do governo estadual e da Federação, atuando em parceria. “Haverá, sim, uma participação da Fiesp nas políticas educacionais da Secretaria de Educação”, enfatizou Voorwald.

A parceria foi considerada mais do que bem-vinda, na avaliação do vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto. “A educação é essencial para a entidade, em função da atuação do Sesi e do Senai”, afirmou, que, reunidos, somam hoje um milhão de matrículas.

O secretário convidou a Fiesp para integrar o Conselho de Educação do Estado, que será representada por Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP.