“A maioria dos erros na saúde é do processo e não do profissional”, afirma Paulo Chapchap

Patrícia Ribeiro, Agência Indusnet Fiesp

“É fundamental a disseminação do conhecimento. Quanto mais compartilhamos, mais o conhecimento cresce”, destacou o superintendente de estratégia corporativa do Hospital Sírio-Libanês, Paulo Chapchap, durante a reunião ordinária do Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na noite de quarta-feira (24/2).

Doutor em Clínica Cirúrgica pela Universidade de São Paulo (USP), Chapchap recebeu o Prêmio Conselho Acadêmico, da Sociedade Brasileira de Pediatria (2001) e o Prêmio Rockefeller, da Faculdade de Medicina da USP (1978). É especialista em transplantes de fígado, sendo conselheiro da International Liver Transplantation Society (ILTS) desde 2004. Atuou como professor visitante na Universidade de Pittsburg (EUA).

O médico contou que toda sua família tem formação em engenharia e desde criança estava predestinado a ser um engenheiro. “Daí veio da fase do vestibular e foi muito cruel. Passei em engenharia como a família queria. A razão que me levou à medicina e a contrariar todos foi a insegurança de não ter a melhor nota na área que todos dominavam”, declarou.

Segundo ele, enfrentar a medicina da USP foi muito difícil. “Vocês têm noção do que é ter a disciplina Parasitologia? De em pleno sábado o dia inteiro examinar parasitas intestinais?”, brincou.

Chapchap conta que acabou se apaixonando por medicina. Como médico, tem a obrigação moral de retribuir à sociedade, de conhecer para cuidar. “Nosso propósito é cuidar da saúde de cada um como se fosse a única da sociedade como um todo e do planeta, para as futuras gerações”, disse, referindo-se à postura do Hospital Sírio Libanês.

Projeções do futuro

Segundo Chachap, estamos ficando mais velhos. A previsão de aumento da população idosa (com mais de 60 anos) em 2030 é de 18,6% da população total (em 2015 foi de 11,7%).

“Temos que equalizar as coisas básicas, e como não fazemos, criamos as desigualdades”, alerta. É fundamental investirmos no futuro. “Líderes estadistas comandam instituições colaborativas, e instituições mais colaborativas são mais sustentáveis”, enfatiza.

“É fundamental que um profissional de saúde se prepare para falar com um paciente, sobre qualquer assunto, principalmente sobre diagnósticos e tratamentos”. Para ele, é premissa básica ter como valores o calor humano; excelência; pioneirismo; conhecimento; transparência e filantropia.

O médico Paulo Chapchap durante reunião do Comitê de Jovens Empreendedores da Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp