Sinergia entre indústrias melhora vida do consumidor

Agência Indusnet Fiesp,

A preocupação da indústria em desenvolver produtos saudáveis ao consumidor foi o tema da palestra Indústria Alimentícia Orientada para a Saúde do Consumidor , realizada nesta quinta-feira (26), no último dia da 4ª Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental, com a participação de especialistas do setor.

O mediador Alberto Ogata, integrante do Cores e presidente da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV), abriu os debates ressaltando que a mudança de hábitos alimentares assume importância cada vez maior na vida das pessoas. Especialmente quando pesquisas revelam que, em mais de 70% dos casos, doenças crônicas não transmissíveis como AVC, câncer e diabetes são reflexos de má qualidade de vida e alimentação inadequada.

“Esses mesmos estudos comprovam que o brasileiro não come frutas, verduras e hortaliças e prefere alimentos gordurosos. É preciso haver uma mudança cultural, inclusive”, pontuou Ogata.

Medidas

É fato que existem vilões responsáveis pela incidência dessas doenças, como açúcares, gordura trans (formada a partir de ácidos graxos altamente nocivos à saúde) e sódio.

Com base nisso, a Associação Brasileira da Indústria de Alimentação (Abia), orgão técnico de consulta e referência no setor da alimentação, aliada ao Ministério da Saúde, está tomando uma série de medidas para reduzir o índice de gordura trans e sódio nos produtos comercializados, como destacou a diretora técnica da associação, Amanda Poldi.

“O próximo passo da Abia será um acordo de cooperação com o Ministério da Saúde, cobrando posicionamento das indústrias sobre essas reduções nos alimentos”, informou.

A técnica observou, no entanto, que um dos principais problemas na legislação que institucionalizará essas mudanças estará no preço: “É um desafio para a indústria. Alimentos que contém menos gordura trans e sódio são mais caros no mercado, o que acaba desestimulando o consumo. É preciso que se crie alternativas para que substitutos mais saudáveis não sejam tão onerosos para o consumidor”.

Compromisso
O responsável pela área de desenvolvimento de produtos da Pepsico, Sergio Júlio, disse que a empresa está alerta ao problema desde os anos 1990, quando, em 1999, eliminou a gordura trans de alguns de seus salgados comercializados no mercado, como os da Elma Chips.

“A saúde dos consumidores sempre teve papel fundamental no desenvolvimento de nossos produtos. Há três anos, lançamos um produto para as crianças (batatinhas) com redução de sódio e gordura saturada em até 25%.”

De acordo com Júlio, a Pepsico tem um compromisso global no fornecimento de alimentos mais saudáveis e na redução da média de sódio por porção nas principais marcas globais da companhia, em torno de 25% até 2015, em comparação com os níveis de 2006.

A mesma regra vale para a redução de gordura trans, só que em torno de 15% até 2020, quando comparado aos níveis de 2006: “Gostaria apenas de observar que nós já reduzimos em até 38% o índice estabelecido em relação ao sódio”.

Sérgio Júlio concordou com o alerta de Ogata sobre a mudança cultural. E lembrou que o consumo de salgados no País é de 900 gramas por habitante, ao passo que o de aveia, altamente saudável e que contribui para a redução de peso, é de apenas 100 gramas.

Ciente do problema, a Pepsico, fabricante da Aveia Quaker, lançou no final do ano passado um tipo de aveia de bolso, a preços mais acessíveis e que pode ser encontrado em algumas praças como Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. “Com isso estimulamos o consumo de aveia, que faz muito bem à saúde, em qualquer momento do dia, inclusive no trabalho”, explicou o responsável pela área de desenvolvimento de produtos.

Saudáveis e atrativos
Dayane Rosalyn Isidoro, pesquisadora técnica da Nutrimental, responsável pelos produtos Nutry, chamou atenção para o desafio da empresa em reduzir elementos como açucares, gordura trans e sódio e, ainda assim, mantê-los atraentes ao consumidor.

A Nutrimental desenvolveu projeto que elimina 100% a quantidade desses produtos em seus alimentos. Além disso, a empresa estimula o consumo de alimentos comercializados, ricos em aveia, frutas e fibras. “Nossos produtos trazem um alto teor de elementos que ajudam a pessoa a ter uma vida bem mais saudável”, explicou a técnica.

Segundo Dayane Isidoro, em janeiro deste ano, a Nutrimental lançou três sites com informações sobre alimentação adequada, entre outros assuntos: o Quero Viver Bem (ww.queroviverbem.com.br), o Stressblog (http://stressblog.com.br/) e o Nutrycionista (www.nutrycionista.com.br/). “Todos eles priorizam a qualidade de vida”, sublinhou a especialista.