Artigo: Construção Civil e a Responsabilidade Social

Imagem relacionada a matéria - Id: 1556282025

Os artigos assinados não necessariamente expressam a visão das entidades da indústria (Fiesp/Ciesp/Sesi/Senai). As opiniões expressas no texto são de inteira responsabilidade do autor

————————————————————————————————————————————————————————

*Por Haruo Ishikawa

O ano de 2018 foi muito difícil tanto para a indústria da construção paulista como para o SindusCon-SP, que a representa. O PIB da construção acumulou queda de cerca de 30% nos últimos cinco anos. O número de demissões no setor ainda suplantou o de contratações, embora em ritmo menor. Devemos ter fechado o ano com pouco mais de 600 mil trabalhadores empregados, recuando ao número de empregados registrados em dezembro de 2008.

Da mesma forma como ocorreu com os demais sindicatos, o SindusCon-SP viu suas receitas diminuírem com o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical. Um grande esforço foi realizado na busca de novas fontes de receita, para não prejudicar a prestação de serviços às empresas associadas. E, felizmente, conseguimos com isso realizar todas as ações de Responsabilidade Social previstas em nossa programação anual.

Com o tema “Conquistando um novo futuro”, realizamos a 11ª edição do ConstruSer – Encontro Estadual da Construção Civil em Família. Considerado o maior evento de responsabilidade social da construção paulista, o ConstruSer atingiu mais de 22 mil pessoas, entre trabalhadores da construção e seus familiares, na capital e em todas as cidades-sede das Regionais do SindusCon-SP no interior do Estado.

Durante todo o dia, foram oferecidos atendimentos médicos, odontológicos e educacionais, além de muitas opções de lazer. Os participantes beneficiaram-se de um total de 245 mil atendimentos proporcionados pelo sindicato e por seus principais parceiros: Sesi-SP, Senai-SP e Seconci-SP, além de outras entidades

Outro evento relevante foi a 18ª edição anual da Megasipat – Mega Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho, realizada com os mesmos parceiros em todo o Estado. Mais de 2.700 participantes de 307 empresas vivenciaram um dia de atividades voltadas à prevenção em saúde e segurança do trabalho, tornando-se multiplicadores de boas práticas nos respectivos canteiros de obras.

Durante todo o ano, mantivemos o Programa SindusCon-SP de Segurança, em parceria com o Senai-SP. Nos primeiros oito meses do ano, cerca de 1.000 canteiros de obras de mais de 500 empresas que empregam 87 mil trabalhadores já haviam sido visitados pelos técnicos de segurança do programa. Conferiu-se o atendimento às exigências da Norma Regulamentadora 18 do Ministério do Trabalho, que trata da segurança no ambiente de trabalho da construção, e das demais normas de saúde e segurança. Muitas melhorias foram implementadas, graças ao trabalho dos técnicos de segurança.

Outro destaque foi a continuidade do Programa de Elevação da Escolaridade, mantido em parceria com o Sesi-SP, e que se destina proporcionar conhecimentos básicos de português e aritmética aos trabalhadores do setor. Até agosto, 127 funcionários frequentavam os cursos nas 33 salas que haviam sido abertas.

Bastante relevante foi o 5º Prêmio Seconci-SP de Saúde e Segurança do Trabalho, que obteve muita repercussão no setor. A premiação foi realizada em parceria com o Seconci-SP para reconhecer e divulgar as práticas de saúde e segurança do trabalho mais bem-sucedidas, implementadas em canteiros de obras do Estado. Foram laureados 16 canteiros de obras de 9 empresas, além do Trabalhador Modelo e do Empresário do Ano que se destacaram nesta área. Para os trabalhos de avaliação dos participantes, contamos mais uma vez com o auxílio dos técnicos do Senai-SP.

Também divulgamos nossas práticas de responsabilidade social em eventos como o Enic – Encontro Nacional da Indústria da Construção, a Canpat – Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho do Ministério do Trabalho, e o Seminário Unificado em Segurança e Saúde dos Trabalhadores da Fundacentro.

Ao mesmo tempo, seguimos participando da Fiesp por intermédio do Cores e do Depar, além de outras entidades e órgãos, como a Comissão de Política e Relações Trabalhistas da CBIC, os Comitês Permanente Regional do Estado de São Paulo e Nacional da NR-18, e o Fórum de Ação Social e Cidadania da CBIC.

Ter realizado tanto em meio às dificuldades que caracterizaram a vida associativa em 2018 nos deixa com a sensação do dever cumprido, no sentido da contribuição efetiva que a responsabilidade social proporciona à indústria da construção e ao país.

HARUO ISHIKAWA é vice-presidente de Capital-Trabalho e Responsabilidade Social do SindusCon-SP, presidente do Seconci-SP, membro do Cores e do Depar da Fiesp e líder de Saúde e Segurança do Trabalho da Comissão de Política e Relações Trabalhistas da CBIC.

Fiesp prestigia posse de diretoria do Sinduscon-SP e inaugura escola móvel do Senai-SP

Agência Indusnet Fiesp

Cerca de 1.000 pessoas entre autoridades, representantes de entidades de classe e lideranças empresariais prestigiaram na noite desta terça-feira (23/09), na Sala São Paulo, a cerimônia de posse da nova diretoria (2014/2017) do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1556282025

Ometto (terceiro da direita para a esquerda) no descerramento da fita. Na imagem, o diretor técnico do Senai-SP, Ricardo Terra (primeiro à esquerda), e o diretor do Deconcic, Carlos Auricchio (primeiro à direita). Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Na ocasião, o 2o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), João Guilherme Sabino Ometto, descerrou a fita inaugural da mais nova escola móvel do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), a unidade “Soluções Construtivas em Alumínio”.

Ometto foi acompanhado no ato pelo diretor titular do Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da Fiesp, Carlos Eduardo Pedrosa Auricchio, e pelo diretor técnico do Senai-SP, Ricardo Terra. Durante o evento, a escola ficou estacionada em frente à Sala São Paulo.

Fundado em 1934, o Sinduscon-SP congrega e representa mil construtoras associadas e 15 mil filiadas na capital paulista e nas nove regionais do sindicato no interior do Estado. São empresas de obras residenciais, comerciais, industriais, habitação popular, obras públicas e privadas. De acordo com dados da entidade setorial, a construção paulista representa cerca de 36% da construção brasileira.

O presidente empossado do Sinduscon-SP é José Romeu Ferraz Neto.

>> Nova escola móvel do Senai-SP prepara mão de obra para soluções construtivas em alumínio 

Governo e cadeia da construção precisam se unir para destravar projetos já existentes

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Projetos para obras de infraestrutura e outros segmentos da construção civil são muitos, mas o setor precisa se unir, inclusive com diferentes esferas do governo, para destravá-los, afirmou nesta quarta-feira (23/04), o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

“Os projetos já existem e são muitos, mas muitas vezes estão em uma velocidade muito aquém do que o Brasil, São Paulo, todos nós precisamos”, disse Skaf.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1556282025

“Precisamos estar juntos governo federal, estadual, municipal, entidades representativas para realmente destravar os projetos”, disse o presidente da Fiesp, Paulo Skaf

Acompanhado por outros representantes de sindicatos e autoridades públicas, Skaf abriu o ConstruBR 2014, primeira feira organizada pelo Sindicato da Construção de São Paulo (Sinduscon-SP) e pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) para expor novas tecnologias e estimular negócios.

“Precisamos estar juntos governo federal, estadual, municipal, entidades representativas para realmente destravar os projetos”, completou.

Durante a abertura do evento, o presidente da Fiesp reiterou o apoio da federação no que diz respeito às demandas da cadeia da construção civil. Uma delas é a facilitação dos processos para iniciar obras. “Não adianta ter projetos no papel sem a execução. Também não adiantar enfrentar um destravamento no qual a licença leva mais tempo que a execução da obra”, alertou Skaf.

O presidente da Fiesp defendeu ainda uma formação profissional que contribua para a produtividade da construção civil. “Temos que formar profissionais hoje buscando o que há de melhor no mundo, as melhores práticas, a melhor produtividade na mão de obra, na agilidade, no foco, no desenvolvimento”, afirmou.

O estande da Fiesp na ConstruBR: novas tecnologias e possibilidades para o setor. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

O estande da Fiesp na ConstruBR: novas tecnologias e possibilidades para o setor. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Segundo o diretor técnico do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), Ricardo Terra, a escola de formação profissional tem procurado conhecer as melhores práticas, inclusive, na França, na Alemanha e nos Estados Unidos.

Setor privado e governo

Também presente na abertura da feira, o secretário especial de assuntos estratégicos do Estado de São Paulo, João Carlos de Souza Meirelles, pediu aos pouco mais de 500 empresários que participavam da cerimônia para “pensarem em produtividade na interface com o estado”.

Em seu discurso, Meirelles defendeu a adoção, cada vez mais intensa, de Parcerias Público-Privadas (PPPs).

“Há dez anos, São Paulo realizou uma PPP para a construção da linha 4 do metrô e daí por diante nasceu um conjunto de PPPs para dar velocidade ao desenvolvimento do estado. Os senhores são os principais parceiros do estado nesse esforço. São esses modelos de PPPs que precisamos desenvolver”, afirmou o secretário.

Segundo ele, o estado de São Paulo investe ao menos R$ 20 bilhões em infraestrutura por ano.

Em direção semelhante, o presidente do Sinduscon-SP e um dos organizadores do evento, Sergio Watanabe, afirmou em seu discurso que o objetivo da feira ConstruBR é unir a cadeia da construção para aprimorar o setor.  O representante da indústria de construção também aproveitou a ocasião para cobrar a simplificação dos processos.

“Não conseguimos avançar sem reformas estruturais (política, previdenciária, trabalhista e tributária). Além disso, o excesso de burocracia e o excesso de legislação são gargalos que ainda nos estrangulam”, explicou Watanabe.

Também organizador do evento, o presidente da Abramat, Walter Cover, complementou a fala de Watanabe reforçando a necessidade de rever o custo de produção no país e a participação brasileira no mercado internacional.

“A situação econômica não é uma tragédia, mas o Custo Brasil e a baixa inserção mundial determinam a baixa competitividade e o baixo crescimento econômico”.

Também participaram da abertura do ConstruBR o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo (Sintracon-SP), Antonio Ramalho, e o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Paulo Simão.

A feira

A área de exposições do ConstruBR, no Expo Transamérica, ocupa um espaço de aproximadamente 4 mil metros quadrados, tendo como expositores as principais empresas do setor: Amanco, Otis, Pormade, Votorantim e Weber Saint Gobain.

Essas empresas vão apresentar inovações em sistemas construtivos e na utilização de novos materiais.

Ao longo do evento também serão realizadas rodadas de negócios – encontros pré-agendados entre construtoras e fornecedores. Os fornecedores terão a oportunidade de apresentar o que oferecem de melhor ao seu potencial cliente, de forma totalmente reservada.

O Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da Fiesp está presente na feira com um estande onde estão sendo promovidos o portal Observatório da Construção, um espaço criado pelo departamento da Fiesp que reúne pesquisas, análises e notícias sobre o setor. Outra ação também promovida pela área durante os dois dias de feira é a apresentação do Programa Compete Brasil, um conjunto de propostas e ações para estimular a competitividade da cadeia produtiva.

No mesmo espaço, o Senai-SP também apresenta os cursos da escola voltados para o setor e os laboratórios desenvolvidos pela instituição para realizar a verificação de conformidade de matérias utilizados com as normas existentes. A escola possui laboratórios para avaliar matérias como cerâmica, telhas, blocos, metais e outros.

Atletas do Sesi-SP participam do 7º ConstruSer no Sesi-SP Osasco

Agência Indusnet Fiesp

A equipe masculina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi uma das atrações na manhã deste sábado (29/03), no Centro de Atividades do Sesi-SP em Osasco, do 7º Encontro Estadual da Construção Civil em Família (Construser).

O evento é uma realização do Sindicato da Indústria da Construção do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) conjuntamente com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Sesi-SP, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) e em parceria com o Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (Seconci-SP).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1556282025

Murilo Endres (vôlei) e Aline Silva (luta olímpica) no evento que contou com a presença do professor Walter Vicioni (camiseta branca). Foto: Sesi-SP


O tema da edição deste ano foi “ConstruSer Desperta a Inclusão do Esporte na Família” em dia repleto de festivais e torneios esportivos voltados para o trabalhador da construção civil. Um dos objetivos do evento é o de elevar a qualidade de vida dos trabalhadores da construção civil e de seus familiares por meio de atividades lúdicas e socioeducativas que fortaleçam o vínculo familiar e promovam a autoestima.

Atletas como os jogadores de vôlei Serginho, Murilo e Sidão, entre outros, e Aline Silva (da luta olímpica), interagiram com o público. O professor Walter Vicioni Gonçalves, superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, também participou do evento.

O público teve ainda à disposição atividades como educação alimentar, oficinas de leitura, orientações às mães e gestantes, exames médicos e odontológicos, esportes, oficinas de artesanato para geração de renda complementar, oficinas de educação ambiental e outras práticas relacionadas à saúde, educação, cultura, lazer e entretenimento, como o Show de Talentos, um concurso no qual os participantes podem mostrar seus dotes artísticos, da música à contação de piadas, dança e circo.

SindusCon-SP realiza em agosto o 83º Encontro Nacional da Indústria da Construção

Agência Indusnet Fiesp (com informações de SindusCon-SP)

Com apoio da Fiesp, o SindusCon-SP realizará, nos dias 10, 11 e 12 de agosto, o 83º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic). Promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o evento acontecerá no World Trade Center, em São Paulo, com presença confirmada da presidente Dilma Rousseff.

O encontro discutirá temas como habitação, infraestrutura, construção sustentável, inovações tecnológicas, produtividade, competitividade e capacitação de profissionais. Os Programas de Aceleração do Crescimento (PAC) e Minha Casa, Minha Vida, bem como a preparação do Brasil para os eventos esportivos dos próximos anos também estarão em pauta.

Nos três dias do evento é esperada a participação de 1.500 empresários, gestores, profissionais de todo o país, além de autoridades. Este será o primeiro Enic que contará com diversas práticas sustentáveis, com o objetivo de estimular os participantes a levá-las para dentro de suas empresas e suas casas.

Serão realizadas ações como neutralização de emissões de carbono, que prevê uma compensação ambiental por meio do plantio de mudas; segregação e destinação adequada de resíduos; utilização de materiais que possam ser reciclados ou reutilizados; e uso de materiais reciclados na confecção de panfletos, folders, banners.

Para saber mais e fazer sua inscrição, acesse o: http://www.enic.org.br/


SindusCon-SP comemora 75 anos com grande festa

Agência Indusnet Fiesp (com informações de SindusCon-SP)

Com a presença de 1.500 pessoas entre empresários e autoridades, o SindusCon-SP encerrou as comemorações de seus 75 anos com uma festa em 30 de novembro, no Terraço Daslu, na Capital.

Todos os empresários que presidiram o SindusCon-SP desde 1983 estiveram presentes e fizeram pronunciamentos sobre a relevância da construção para o desenvolvimento do País: Julio Capobianco, Eduardo Capobianco, Sergio Porto, Artur Quaresma Filho, João Claudio Robusti e o atual, Sergio Watanabe.

O vice-presidente da Fiesp e diretor-titular do Deconcic, José Carlos de Oliveira Lima, representou o presidente da entidade, Paulo Skaf, no evento. E disse que aprendeu muito com Julio Capobianco quando este teve a ideia de criar na Fiesp, na década de 80, o núcleo da construção civil que antecedeu o Deconcic.

João Claudio Robusti, diretor-titular-adjunto do Deconcic e representante do SindusCon-SP junto à Fiesp, convidou os presentes a participar das comemorações do 100º aniversário do SindusCon-SP.

“Será um evento muito importante, com o setor da construção, o mais importante da economia brasileira, que estará entre as três primeiras do mundo, reunindo-se para festejar 25 anos de crescimento ininterrupto. Será um evento em que comemoraremos uma entidade mais forte gerando mais empregos e com cada brasileiro morando em sua casa própria”, destacou Robusti.

Segundo ele, o setor da construção “deixou de ser coadjuvante e se tornou protagonista do desenvolvimento do Brasil, porque somos um setor que coloca mãos à obra, somos ousados, somos brasileiros, porque somos a construção civil de São Paulo e do Brasil”.

Após a abertura solene, houve um show dos Demônios da Garoa e cada convidado recebeu um exemplar do livro comemorativo dos 75 anos da história do sindicato.

Também prestigiaram o evento, o ministro das Cidades, Marcio Fortes, representando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva; o presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz; o secretário da Habitação do Estado de São Paulo, Lair Krähenbühl, representando o governador Alberto Goldman; o deputado estadual Sidney Beraldo, representando o governador eleito Geraldo Alckmin; o secretário da Habitação do município de São Paulo, Ricardo Pereira Leite, representando o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab; o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, Paulo Simão; o presidente do Sintracon, Antonio Ramalho; prefeitos de outros municípios, deputados federais e estaduais, vereadores, além de presidentes das entidades de classe da construção.