Sindicato Responsável: Sinbi pela infância

Por Karen Pegorari Silveira

O Instituto Pró-Criança de Birigui é o braço social do Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui (Sinbi) e nasceu com a proposta de prevenir e erradicar o trabalho infantil ilegal e apoiar ações de inclusão social de crianças e adolescentes.

Além disso, através de parcerias com as empresas da cidade, o Instituto Pró-Criança apoia e incentiva o uso do selo “Empresa Comprometida com a Proteção e a Educação da Criança”. Trata-se de uma declaração que as empresas recebem e podem utilizar na comercialização de seus produtos e serviços, tanto nacional como internacionalmente, pela não utilização de mão de obra infantil.

Atualmente o instituto atende 80 pessoas, entre crianças e adolescentes, em situação de vulnerabilidade e risco social.  Todos recebem, gratuitamente, intervenções pautadas em experiências lúdicas, culturais, de interação, aprendizagem, sociabilidade, proteção e convivência social, participação cidadã e formação geral para o mundo do trabalho. Muitas ações são extensivas aos pais e responsáveis, visando promover a integração familiar no processo. As crianças e adolescentes matriculadas no Instituto são acolhidas de acordo com a situação socioeconômica de suas famílias.

No desenvolvimento de suas ações, o Pró-Criança de Birigui conta com o apoio das empresas da cidade, da rede de parceiros e associados e da equipe permanente de profissionais para formar as crianças e adolescentes envolvidos em seus projetos.

Tais atividades são realizadas graças a doações, recursos da iniciativa privada, contribuições dos associados, destinações de Imposto de Renda (IR) e eventos promovidos pelo próprio Instituto. Seu Conselho Diretor tem mandato de quatro anos e instituições da sociedade civil e representantes do poder público compõem o seu conselho consultivo comunitário, de onde são eleitos os membros do conselho fiscal.

Sobre os projetos

O “Projeto Fora da Caixa” é realizado pelo instituto junto a colaboradores das empresas/comércio por meio de rodas de conversa com temas transversais da Revista do Instituto Pró-Criança. Tem como finalidade oferecer ao colaborador espaço para a discussão de temas do cotidiano e fortalecer o vínculo entre os colaboradores e Recursos Humanos (RH) das empresas/comércio.

O “Pipocando Saber” é direcionado a crianças de 6 a 11 anos de idade, no contra turno escolar, e tem o objetivo de estimular o desenvolvimento de potencialidades, habilidades, talentos e propiciar formação cidadã. O projeto é realizado diariamente para 40 crianças.

O Projeto Rede Tecnológica para Inteligência Social foi implantado pelo Pró-Criança em 8 Instituições de Birigui, com a finalidade de criar uma base de dados única e consistente de informações sociais, para diagnóstico e tomada de decisões.

O Projeto Casa do Telefone é uma exposição permanente e aberta ao público na casa que abrigou a primeira central telefônica da cidade e que também é a sede da instituição. Possui acervo ligado à telefonia e comunicação, com o objetivo de contar a história parcial da cidade, organizar a memória da comunicação de Birigui, expor o acervo existente e ampliar as ofertas de ensino/aprendizagem relacionadas com as possibilidades da exposição, que é aberta às escolas e comunidade em geral.

Conheça todas as ações do Sinbi no site http://sindicato.org.br/

 

Iniciativa apoiada pela Fiesp doa sapatos para quem só tem um pé

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Já parou para pensar que quem só tem um pé não precisa comprar um par de sapatos? Pois as empresas ligadas ao Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui (Sinbi), no interior paulista, estão atentas a essa questão. Tanto que criaram o Projeto Ímpar, de doação de um pé de calçado apenas para pessoas com deficiência. Com estoque de sobra para enviar esses produtos para quem deles precisa, o Sinbi agora se esforça para divulgar a iniciativa. Todos os pedidos devem ser feitos pelo site http://www.projetoimpar.com/. Até o frete para qualquer lugar do Brasil é patrocinado, não tendo custo algum para quem fizer a solicitação.

A ideia foi vencedora do Prêmio Melhores Práticas Sindicais da Central de Serviços (Cser) da Fiesp na categoria Comunicação, Relacionamento com o Associado e Programa de Associativismo em 2016.

Segundo informações do Sinbi, no Brasil, 85% das amputações são em membros inferiores. E menos de 3% das pessoas com deficiência conseguem próteses.

“Esse público precisa de calçados de qualidade para o apoio dos pés, muitas vezes forçados pelo uso das muletas”, explica a supervisora de Comunicação e Relações Institucionais do Sinbi, Rossana Basseto. Custo nem sempre acessível. “O nosso desafio é tornar o projeto conhecido, temos muitos sapatos para doar”.

Rossana, do Sinbi: sapatos de qualidade para pessoas com deficiência. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

De acordo com Rossana, as indústrias do setor produzem um único pé para fins de mostruário e divulgação de lançamentos em feiras e eventos diversos. Depois disso, muitos desses produtos são reciclados ou até triturados, ou seja, podem muito bem ser doados. “São pelo menos 100 modelos criados para cada coleção”, diz. “A cada temporada, ficam sem utilidade. Assim, por que não mandar essas peças para quem precisa?”.

Além das empresas, qualquer pessoa pode doar sapatos em bom estado para o Projeto Ímpar. No site, os interessados em pedir doações podem escolher modelo e tamanho, com opções para crianças e adultos.

Rossana conta que a iniciativa surgiu depois que representantes do Sinbi leram uma reportagem sobre uma moradora de Belo Horizonte que, ao encontrar vários sapatos avulsos na rua, realizou uma campanha para doar esses produtos para os chamados unípedes. “Percebemos que poderíamos fazer a mesma coisa”.

Para saber mais sobre o projeto, só clicar aqui.

Saiba como foi o ‘Dia do Empresário da Indústria’, evento da Central da Serviços da Fiesp

Da Cser, Agência Indusnet Fiesp

Araçatuba, município a aproximadamente 520 quilômetros da capital, foi sede de mais um evento do “Dia do Empresário da Indústria”.

A iniciativa, promovida pela Central de Serviços (Cser) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), com apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), contou com a parceria do Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui (Sinbi), reunindo empresários das principais cidades da região.

Paulo Henrique Schoueri: empresário é mais forte a partir do momento que se une. Foto: Cser

 

De acordo com o diretor titular da Cser, Paulo Henrique Schoueri, um dos objetivos da ação é estimular o associativismo e mostrar que os empresários são mais fortes a partir do momento em que se unem.

“As empresas têm que ser atendidas e o sindicatos precisam usar tudo o que a Fiesp disponibiliza”, disse Schoueri ao explicar rapidamente o que cada departamento da entidade pode oferecer aos sindicatos.

Na sequência, a diretora do Centro de Atividade do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) de Araçatuba, Salete Surani, apresentou o que a unidade proporciona aos funcionários da indústria. “O grande ganho nosso é divulgar todos os serviços do Sesi-SP, que são tanto para funcionários como para a família do funcionário da indústria.”

Misael Pinheiro, coordenador pedagógico da unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) em Araçatuba, exibiu vídeos que explicam o trabalho da escola, ressaltando que o interesse da instituição é manter a competitividade da indústria brasileira. Além dos cursos permanentes, Pinheiro mostrou como funciona o trabalho das unidades móveis do Senai-SP e os demais projetos educacionais.

Um vídeo institucional apresentou um pouco do trabalho do Sinbi, e o presidente Antenor Marques destacou o lançamento da campanha “Indique um Sonho”, que visa levar pessoas com deficiência para o mercado de trabalho.

Para o presidente do Sinbi, a grande vantagem desse tipo de evento é a possibilidade de aproximação com os empresários que estão um pouco mais distantes.

Nelson Giardino, Paulo Henrique Shoueri e Antenor Marques da Silva Filho. Foto: Cser

 

“Esse trabalho que a Cser vem fazendo de estimular o associativismo é extremamente importante e vem de encontro com o trabalho que nós do Sinbi fazemos de longa data e que vem dando resultado”.

Cenário da economia brasileira em 2014

O evento foi finalizado com a palestra “Perspectivas Econômicas 2014”, conduzida pelo gerente do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp, Guilherme Moreira.

Segundo ele, depois de um 2013 de recuperação, 2014 não apresenta um cenário otimista. “O grande problema é que o empresário está com a sensação de que este ano não será exuberante. Esta queda de confiança é o principal fator que emperra o desenvolvimento. Se acreditarmos que o cenário não está bom, com certeza não faremos investimentos”, explicou.

Na análise de Moreira, o otimismo pode ser recuperado a partir do momento em que se troca o modelo de importações e se prioriza a produção nacional. “É preciso investir na qualidade a fim de aumentar a competitividade do empresário nacional da fábrica para fora, visto que da fábrica para dentro ele é competitivo e está melhor ou igual a qualquer outro”, afirma.

O vice-presidente setorial do Sinbi, Samir Nakad, falou sobre os benefícios oferecidos pelo Sesi-SP e pelo Senai-SP, ressaltando a necessidade da valorização daquilo que saí do próprio bolso. “A importância é que um evento como esse abre nossa mente para informações não lembradas no dia a dia.”

O vice-presidente Nelson Giardino destacou o papel da parceria  entre Fiesp e sindicatos como apoio à indústria. “É um evento que aproxima o Sindicato e a Fiesp, que por sua vez tem muito recurso para apoiar o empresário, assim como o Sinbi faz com a Universidade Corporativa, ou seja, traz a informação e mostra o que está acontecendo de novo”.

Depois das palestras, os participantes se reuniram em um coquetel e aproveitaram para trocar ideias. “Acho que as informações precisam ser repassadas sempre, pois muita coisa vai caindo no esquecimento na correria do dia a dia. Isso fortalece e nós aprendemos”, ressaltou a associada do Sinbi Elizabete Buono.

Outro empresário, Marcos Noale, aprovou o evento. “É interessante para ampliar nosso conhecimento sobre tudo que o Sesi-SP, o Senai-SP e a Fiesp proporcionam.”

João Carlos da Silva, destacou a palestra econômica. “Foi uma explanação breve, mas muito realista do nosso mercado.”

Sinbi é o grande vencedor de segunda edição do prêmio ‘Melhores Práticas Sindicais’ da Fiesp

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Da esq. p/a dir: o 3º diretor secretário da Fiesp, Sylvio de Barros; o presidente do Sinbi, Nelson Giardino; e o diretor-titular da Cser, Paulo Schoueri. Foto: Júlia Moraes

Em reconhecimento às melhores práticas adotas pelos 131 sindicatos filiados e visando promover ações que estimulem o fortalecimento e a busca no aumento do associativismo,  a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), por meio de sua Central de Serviços (Cser), divulgou, na noite desta terça-feira (27/11), os  vencedores do 2º Prêmio Melhores Práticas Sindicais. O evento contou com a participação dos representantes dos sindicatos e diretores da Fiesp.

A edição recebeu um total de 170 cases de 46 sindicatos, inscritos nas categorias: Infraestrutura Administrativa, Financeira de Sistemas e Recursos Humanos; Comunicação, Programas de Associativismo e Promoção Comercial; Defesa Setorial e Responsabilidade Socioambiental.

Durante a solenidade, o diretor-titular da Cser, Paulo Henrique Schoueri afirmou que os cases inscritos na premiação servirão de legado para outros sindicatos, por meio do “Manual de Melhores Práticas Sindicais”, que será distribuído a todos os sindicatos filiados à Fiesp.

“Esta noite não encerra um trabalho, apenas traça um meridiano de atividades que seguirá com a publicação e posterior envio do manual [Melhores Práticas Sindicais] aos sindicatos, com o propósito de enriquecer o acervo de nossas entidades e de servir como material de consulta a qualquer tempo, propiciando a troca de experiências e realização de novas ações, com a replicação nas entidades, como um serviço aos seus associados a qualquer tempo”, disse Schoueri.

O grande destaque da noite foi o Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui (Sinbi), com cases premiados em todas as categorias. O resultado, de acordo com o presidente do Sinbi, Nelson Giardino, é fruto de trabalho árduo e da dedicação dos colaboradores da entidade:

“ Os prêmios mostram que nós estamos no caminho certo e que a nossa equipe de colaboradores é realmente comprometida com o trabalho, com as boas práticas sindicais. E isso é muito importante”, avaliou Giardino.

No final da cerimônia, os convidados participaram de happy hour organizado pela Cser, seguido do sorteio de brindes doados pelas entidades patronais filiadas à Fiesp.

Veja aqui a lista completa dos vencedores  do Prêmio Melhores Práticas Sindicais

Confira abaixo as fotos da premiação: