Cerca de 80% dos investimentos nos próximos três anos em SP serão em infraestrutura, diz secretário de Habitação

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540019815

Silvio Torres, secretário de Habitação do Estado de São Paulo. Foto: Everton Amaro

Cerca de R$ 22 bilhões devem ser injetados no setor de construção civil pelo governo de São Paulo no ano de 2013 e, dos R$20 bilhões anuais de investimentos, em média, para os próximos três anos, 80% serão voltados para obras em infraestrutura. Os números foram divulgados pelo secretário de Habitação do Estado de São Paulo, Silvio Torres.

“São Paulo vai fazer investimentos maciços, agora, na área de ferrovias. Acabamos de firmar uma PPP [Parceria Público-Privada] que vai fazer São Paulo dotado de trens expressos novos que vão mudar a agenda, especialmente no direcionamento das pessoas ao interior”, afirmou Torres ao participar da abertura do 10º Construbusiness, realizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Sobre habitação, Torres confirmou aporte de ao menos R$ 8 bilhões de reais para a construção de mais de 80 mil moradias populares “nesses próximos anos”.

“Nós também lançamos um projeto inédito de PPP em São Paulo. Serão 50 mil moradias e já iniciamos o processo das 10 mil moradias que construiremos no centro de São Paulo. A iniciativa privada deu uma resposta muito forte. Apresentamos proposta para 10 mil e vieram projetos para 26 mil moradias para o centro da cidade”, afirmou o secretário.

O evento

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540019815

Carlos Eduardo Auricchio: Compete Brasil sugere medidas para eliminar os gargalos da infraestrutura. Foto: Ayrton Vignola

Para o Construbusiness 2012 – 10º Congresso Brasileiro da Construção, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) elaborou um programa chamado Compete Brasil, que sugere medidas de Planejamento e Gestão; Aspectos Institucionais e Segurança Jurídica; Funding; Mão de Obra; Impactos Tributários e Custos Produtivos, além de Sustentabilidade.

Ainda durante a abertura do evento, Carlos Eduardo Auricchio, diretor-titular do Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) destacou que o programa Compete Brasil sugere medidas para eliminar os gargalos da infraestrutura, “os vilões reconhecidos que impedem o crescimento e a competitividade sustentável.”

“O Deconcic reuniu a cadeia produtiva da indústria da construção e traz para esse evento propostas eficazes. Estamos aqui, podemos contribuir e contem conosco”, concluiu Auricchio.

Paulo Skaf pede maior sinergia entre governos e iniciativa privada

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Durante o Construbusiness 2012 – 10º Congresso Brasileiro da Construção, realizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na manhã desta segunda-feira (03/12), o presidente da entidade, Paulo Skaf agradeceu e elogiou a presença do vice-presidente da República, Michel Temer, representando a presidente Dilma Rousseff. “É a manifestação clara da importância que o governo federal dá a cadeia da construção civil”, disse.

10º Construbusiness - Paulo Skaf. Foto: Everton Amaro

Paulo Skaf: 'É fundamental essa integração entre os governos federal, estadual e municipal nos diversos programas'. Foto: Everton Amaro

Skaf pediu a Michel Temer que transmitisse à presidente Dilma que o setor produtivo precisa do contínuo apoio que vem sendo dado à cadeia da construção civil, que representa 10% do PIB. “Já está claro que ela é tão importante ao emprego, pela participação do PIB, para a formação de mão de obra para dar oportunidades às pessoas”, sublinhou.

Ao ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, Skaf também ratificou total apoio da Fiesp a todos os projetos que vem sendo realizados nas áreas de saneamento, pavimentação, melhoria da mobilidade urbana, entre outros.

Skaf ressaltou que é gratificante para a Fiesp contribuir com esses projetos que não só propiciam a geração de emprego como trazem benefícios para a economia e o crescimento do país.

“Se a cadeia da construção não cresce, o PIB não cresce. Na construção, na habitação e na infraestrutura, se não tem crescimento, a influência é tão grande que afeta o crescimento do país, bem como a geração de emprego”, salientou Skaf, que ainda destacou: “Além disso, é importante darmos mais conforto às pessoas e ajudá-las no sonho de terem sua casa”.

União é força

Agradecendo a presença do secretário estadual da habitação, Silvio Torres, que representou no evento o governador Geraldo Alckmin, Paulo Skaf afirmou que é fundamental essa integração entre os governos federal, estadual e municipal nos diversos programas. “Que haja entrelaçamento de todos os programas buscando a maior sinergia possível, a sinergia que resolve problemas lá no final.”

Segundo o presidente da Fiesp, não adianta só o debate. “O bom é sairmos do debate, do diagnóstico, dos problemas para as soluções, perseguirmos até elas serem alcançadas”, enfatizou.

Skaf elogiou o diálogo que vem sendo proposto no Construbusiness, com o apoio de várias entidades. “Temos que continuar desse jeito, pois tem dado certo. A palavra união é uma palavra mágica. União dá a força e, graças a Deus, nós usamos a força para o bem. Para o bem das pessoas, para o bem do País, para o bem do nosso Estado”, concluiu.