Riad reedita dupla com Lucão e não foge da responsabilidade nas quadras

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Riad irá substituir Lucão

Riad se sente em casa com pressão. Para o central de 2,05m, bom mesmo é entrar em quadra com a pressão da vitória, para transformá-la em motivação e empurrar o time para o triunfo. E é com essa raça e força que Riad Garcia Pires Ribeiro chega ao Sesi-SP para substituir Sidão e retomar com Lucão a dupla campeã brasileira da temporada 2012-2013, pelo Rio de Janeiro.

“Prefiro encontrar a pressão para ganhar. Ninguém entra para perder. Nós pegamos essa pressão e levamos para o lado positivo, de ter que ganhar e trabalhar duro para isso. Equilibramos a pressão para que ela não vire negativa, mas positiva para o time”, declarou o jogador, ansioso por reencontrar seu parceiro Lucão.

“Joguei com o Lucão dois anos no Rio de Janeiro e o cara dispensa comentários. Ele é sensacional. Fiquei triste quando saiu e eu disse isso pro Lucão. Mas a gente se falava bastante e quando eu fechei com o SESI-SP, ele, no mesmo dia, me escreveu e deu boas vindas. Quando voltar da seleção vai ser ótimo repetir a dupla”.

Vascaíno de berço, Riad começou sua carreira no maior rival, Flamengo, aos 11 anos. Dois anos depois foi convocado pela Seleção Brasileira Infanto-Juvenil, onde conquistou a medalha de ouro no Sul-Americano de Quito e nos Jogos Mundiais da Juventude, em Moscou. Depois passou por diversos clubes no Brasil, até seguir para a Itália, em 2006, onde posteriormente foi campeão italiano, europeu e mundial pelo Trentino. Voltou ao Brasil em 2011, para o Rio de Janeiro (então RJX), onde foi campeão brasileiro na temporada seguinte.

Depois de tanta viagem, Riad chega ao Sesi-SP para vestir o número 15 e ainda sente a expectativa de um novo começo na carreira, principalmente após o ano conturbado na equipe carioca.

“A expectativa é a melhor possível, até pelas dificuldades que passei o ano passado. Na verdade, eu tive um aprendizado com tudo o que aconteceu. Mas agora é vida nova e vamos em frente. Aqui no Sesi-SP eu tenho certeza de que encontrarei tudo o que faltou, em dobro. Já tinham me falado da estrutura do time, que ainda estou conhecendo e adorando. Estou muito feliz e empolgado para começar logo a temporada. Encontrei um grupo sensacional e espero que consigamos alcançar os objetivos, que é ganhar o máximo de títulos, como todo mundo sabe”.

Nome: Riad Garcia Pires Ribeiro
Nascimento: – 12/10/1981
Altura/Peso: 2,05m/101kg
Posição: Central
Clubes                         País     De        Até
Flamengo/Petrobrás     Brasil    1998     2000
Bunge/Barão                Brasil    2000     2002
Ulbra/RS                      Brasil    2002     2003
Ulbra/SPFC                  Brasil    2003     2004
On Line/Herval              Brasil    2004     2005
Unisul/Nexxera             Brasil    2005     2006
Bre Banca Lannutti        Itália     2006     2007
Andreoli Latina              Itália     2007     2008

Vôlei: quatro atletas do Sesi-SP convocados para a seleção

Agência Indusnet Fiesp

Em mais uma convocação do técnico Bernardinho para a seleção brasileira de vôlei, quatro atletas do Sesi-SP estão na lista, divulgada nesta quinta-feira (24/04): os centrais Lucão e Sidão, o oposto Renan e o ponteiro Murilo. Também foi convocado o levantador Bruninho, do Modena, da Itália.

Os jogadores se apresentam no Centro de Desenvolvimento do Voleibol, em Saquarema (RJ), na segunda-feira (28/04). As competições mais importantes que a seleção vai disputar nesse ano são a Liga Mundial, em que o Brasil está no Grupo A, ao lado de Irã, Polônia e Itália, e o Campeonato Mundial, na Polônia, em que vai tentar o quarto título consecutivo.

Nas convocações anteriores, já haviam sido convocados os levantadores Murilo Radke e Fernando, os opostos Leandro Vissotto, Gregore (Bahiano) e Rafael, os centrais Gustavão, Matheus, Otávio e Flávio, os ponteiro Lucas Loh, Maurício Borges, Douglas, João Rafael e Rodriguinho, e os líberos Mário Jr. e Felipe.


Vôlei: equipe do Sesi-SP lamenta derrota e elogia desempenho do adversário

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Belo Horizonte

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Sidão: saque foi um dos maiores problemas do Sesi-SP na partida. Foto: Fiesp

Passado o calor da derrota por 3 sets a 0 para o Sada/Cruzeiro, na final da Superliga masculina de vôlei na manhã deste domingo (13/04), a equipe do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) atendeu a imprensa.

Em comum, a mesma avaliação: o Sesi-SP rendeu menos do que suficiente para superar a força e a regularidade do adversário.

“Não conseguimos em momento algum colocar a equipe deles em dificuldade, não jogamos na frente em nenhum momento”, disse o ponteiro Murilo.

“ Tivemos alguma oportunidade de igualar o placar, de passar na frente, mas não concluímos o contra-ataque, não marcamos bem no bloqueio, o que a gente tinha planejado não funcionou”, emendou o camisa 8.

“Faltou tudo hoje. Principalmente essa capacidade de entender a equipe deles e usar a nosso favor os poucos pontos fracos que eles têm.”

Na análise do central Sidão, o saque foi um dos maiores problemas do Sesi-SP na partida. “A nossa equipe não entrou como deveria. Faltou muito saque. Frisamos muito durante a preparação, porque com uma equipe com potencial de ataque como a deles, a gente tinha que sacar muito bem para o bloqueio funcionar. Não sacamos, a rodada de bola não foi tão boa”, lamentou o camisa 9.

“Parabéns para o Cruzeiro, equipe que conquistou tudo nessa temporada. Eles mereceram, jogaram melhor do que a gente hoje. Cabe a nós aprender e começar a construir de novo para a próxima temporada”, assinalou Sidão.


Marcos Pacheco: grupo pode evoluir

O técnico Marcos Pacheco disse que a equipe não conseguiu equiparar o padrão de jogo do Sada/Cruzeiro.

“Trabalhamos sempre sabendo que a equipe do Sada é de uma regularidade altíssima. Para vencer esse jogo, teríamos que ter esse padrão. Um saque eficiente, uma virada de bola consistente, que conseguimos no começo do jogo”, explicou Pacheco.

“Mas tivemos problemas no saque: ou errávamos, ou colocávamos um saque inoperante. Com o volume de jogo e a intensidade que tem o Sada, isso dificultou muito. Eles faziam uma virada rápida, o que acabava nos pressionando a fazer uma virada, o que desequilibrou o jogo.”

De acordo com o técnico, três vezes campeão da Superliga quando dirigiu o Cimed/Florinópolis, o Sesi-SP não teve capacidade para superar o time mineiro nesse jogo.

“Chegamos a todas as finais disputadas. O time foi construído para isso, pelas peças, pelo investimento e pelo trabalho que tem. A intenção era chegar às finais e sermos campeões. Enfrentamos o Sada em duas finais e eles foram mais competentes que nós. Mas foi uma temporada muito boa, atingimos quase todos os nossos objetivos. E esse grupo tem muito evoluir, muito a render, muito a crescer ainda. A próxima temporada já começa amanhã.”

>> Sesi-SP é derrotado pelo Sada/Cruzeiro e fica com o vice na Superliga



‘A conquista delas nos orgulha’, diz Serginho sobre o título do vôlei feminino do Sesi-SP

Guilherme Abati e Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A vitória da equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) no Sul-Americano Feminino de Clubes de Vôlei, neste domingo (09/02), sobre o Molico/Nestlé Osasco por 3 sets a 0 (25/21, 25/21 e 25/16), também motivou o time masculino da modalidade. Orgulhosos das companheiras, os jogadores da instituição elogiam a conquista e desde já desejam boa sorte para as atletas no Campeonato Mundial, na Suíça, em maio.

Entre os meninos, o central Sidão tem um motivo extra para celebrar o resultado: ele é noivo de Dani Lins. “Eu estava tão nervoso por elas que preferi ver o jogo de casa”, disse. “Elas sempre chegavam à final, agora deu tudo certo”.

Para o jogador, a conquista foi merecida. “O time delas está jogando muito bem neste ano. O volume do jogo está muito bom e a cobertura e o ataque, bem trabalhados. Até a vibração delas mudou”, afirmou.

O líbero Serginho foi outro que vibrou com a partida. “O mérito delas é muito grande”, disse. “Elas apresentaram um vôlei de alto nível e deram ao Sesi-SP um título importante, que prova a evolução da equipe”.

Serginho: “O mérito delas é muito grande”. Foto: Sesi-SP Mauá

Serginho: “O mérito delas é muito grande”. Foto: Sesi-SP Mauá

Para ele, além do orgulho, foi um estímulo e tanto para todos os atletas da modalidade na instituição. “A conquista delas nos motiva e nos orgulha”.

As outras que se cuidem

Segundo o ponta Lucarelli, as meninas do vôlei provaram ser “muito qualificadas”, já que tiveram um jogo “tranquilo”. “Elas estão de parabéns”, contou.

Tanto que o caminho está aberto para a obtenção de bons resultados no Campeonato Mundial, na Suíça, em maio. “Elas têm time para isso”, disse. “Quem deve se preocupar são os times de fora”.


 


Sesi-SP vence Canoas/Kappesberg e está na final da Copa Brasil masculina

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Em jogo na noite desta quinta-feira (23/01), em Maringá (PR), o time do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) beirou à perfeição na disputa da semifinal da Copa Brasil ao vencer o Canoas/Kappesberg por 3 sets a 0 (parciais de 21/19, 21/13 e 21/17).

Enquanto o primeiro set foi mais equilibrado, o time paulista não teve dificuldade alguma em passar pelo segundo set e finalizar o terceiro. Se o Sesi-SP cometeu sete erros de saque no primeiro set, compensou no show de acertos e precisão que deu no segundo. O time comandado pelo técnico Marcos Pacheco jogou com inteligência, mantendo-se sempre à frente do adversário e explorando as qualidades de seus jogadores, com excelentes bloqueios e saques decisivos.

Em uma partida em que o líbero Serginho foi poupado com dores nas costas, o time paulista cometeu poucos erros e brilhou com os levantamentos de Sandro, as finalizações de Lucão, os saques de Lucarelli e as surpreendentes largadinhas de Sidão. “Eles estudam bastante a gente e sabem que temos um ataque bem forte, mas quando eu vejo o bloqueio saltando, dou uma largadinha atrás. É a tática e acaba dando certo às vezes”, afirmou Sidão.

A final do campeonato será disputada contra o Sada Cruzeiro, no sábado (25/01), às 10h, com transmissão ao vivo pela Rede Globo, menos para São Paulo – praça em que será exibida a final da Copa São Paulo de Futebol Junior . “São duas equipes de altíssimo nível. O voleibol no Brasil está em alta e temos certeza de que vai ser uma linda final. Esperamos que a torcida contribua com a gente”, completou Sidão.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Sesi-SP vence Canoas e garante vaga na final da Copa Brasil. Foto: Talita Camargo/Fiesp


O jogo

O primeiro set foi bastante equilibrado, com alguns erros de ataque do Sesi-SP. Uma defesa brilhante de Lucarelli e três pontos de bloqueio do Sesi-SP, fez com que o técnico adversário pedisse tempo. O levantamento espetacular de Sandro garantiu o 14o. ponto do time paulista. Mas o paredão de Thiago Salsa, do Canoas, empatou o jogo em 16/16 e provocou o pedido de tempo do técnico Marcos Pacheco. Depois disso, Lucarelli garantiu os dois pontos seguintes. Lucão finalizou o set em 21/19 para o time paulista.

O segundo set foi à feição do Sesi-SP, que errou pouquíssimo e teve aproveitamento máximo de suas jogadas. O Canoas começou com um erro de saque e teve bastante dificuldade em acompanhar o ritmo do time paulista. Murilo fez um ponto de saque e abriu vantagem no placar. O quarto ponto do Sesi-SP foi garantido por uma defesa espetacular de Sandro, deixando o placar em 04/01. Em mais um ponto de saque, o Sesi-SP abriu a vantagem para 06/03 e a boa sequência de saques, garantiu o primeiro tempo técnico a favor do time paulista, com 07/03. Evandro fez uma jogada rápida e colocou a bola no fundo da quadra, aumentando a diferença para 08/05.

Num erro de saque de Lucarelli, o Canoas diminuiu a diferença para 08/06. Mas o bloqueio duplo de Sidão e Sandro colocou a 11ª bola do time paulista no chão e o técnico adversário pediu tempo. Um peixinho do Lucão manteve a bola em jogo, mas em seguida o Canoas diminuiu para 11/07. Foi o bloqueio de Evandro que levou o Sesi-SP ao segundo tempo técnico com o placar de 14/08. Sidão fez ponto de saque aos 16/09. Foi o erro de saque de Enrico, do Canoas, que fechou o placar e garantiu a vitória do Sesi-SP no segundo set por 21/13.

O primeiro ponto do Sesi-SP no terceiro set veio de uma largadinha de Sidão. Um triplo bloqueio, com Lucão no centro, garantiu o 03/01 para o Sesi-SP. Mas o set foi mais equilibrado e, embora o time paulista tenha cometido mais erros, conseguiu marcar em todos os fundamentos. Evandro errou o saque e a diferença diminuiu para o adversário, chegando a 04/03. Lucarelli forçou o saque e a bola ficou na rede (06/04). O time paulista chegou ao tempo técnico a seu favor, com com 07/04.

O bloqueio de Sidão fez o nono ponto, mas um erro de saque deixou o placar em 09/06 para o Sesi-SP. O primeiro ponto de ataque do Canoas no terceiro set deixou o placar em 09/07. E o 11º ponto do time gaúcho apertou o placar. Mas o Sesi-SP correu atrás e aumentou a diferença para 14/11, garantindo o segundo tempo técnico.

Mais uma vez, o bloqueio do Sesi-SP garantiu a vantagem e, num belo trabalho do Thiaguinho com Lucão, a equipe abriu vantagem de 16/12. Numa sequência de acertos nos saques, o Sesi-SP disparou em 18/13, mas o adversário diminuiu a diferença e Pacheco pediu tempo aos 18/15. O 19º ponto do time paulista foi um lance polêmico, contestado pelo adversário e no erro de saque do adversário, o Sesi-SP encerrou o set em 21/17 e garantiu a vitória da partida.

Com quatro atletas do Sesi-SP, Brasil é tetracampeão da Copa dos Campeões de vôlei

Agência Indusnet Fiesp

Em jogo neste domingo (24/11), no Japão, a seleção masculina de vôlei venceu a Itália por 3 sets a 2 (25/22, 25/22, 23/25, 20/25 e 15/11), em 2h03, e garantiu o título da Copa dos Campeões de vôlei, competição por pontos corridos que envolve as campeãs continentais. A equipe comandada pelo técnico Bernardo Rezende, o Bernardinho, contou com quatro atletas do Sesi-SP: Lucão, Sidão, Lucarelli e Evandro.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Seleção brasileira de vôlei campeã da Copa dos Campeões 2013. Foto: FIBV


É o quarto título do Brasil em seis edições da competição – 1997, 2005, 2009 e 2013. A seleção encerrou a competição com 12 pontos somados em quatro vitórias e uma apenas derrota.

Lucão, central do Sesi-SP, foi eleito o melhor jogador da partida, marcando 21 pontos – 17 de ataque, três de bloqueio e um de saque.

“Hoje, conseguimos jogar com inteligência, paciência e acredito que o nosso grupo amadureceu muito nesse campeonato passando por situações difíceis. Soubemos construir a competição. Por ser por pontos corridos, não demos mole e conseguimos fazer bons jogos”, disse Lucão ao site da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

“Os jogadores que estão chegando tinham que sentir o gostinho de ser campeão com a camisa do Brasil em uma competição fora do nosso continente. Temos que comemorar mesmo, mas logo botar a cabeça no lugar e saber que ainda temos muito o que evoluir. Temos, por exemplo, que ser um pouco mais decisivos em alguns momentos”, completou o atleta do Sesi-SP.

Além do Brasil, participaram da Copa dos Campeões as seguintes seleções: Irã, Estados Unidos, Japão, Rússia e Itália. Todos são campeões continentais com exceção do Japão que participa da competição por ser o país sede e da Itália, que foi convidada pela organização.

>> Conheça a equipe de vôlei masculino do Sesi-SP

Pela Superliga masculina, Sesi-SP derrota Brasil Kirin por 3 sets a 0

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Em jogo na noite de sábado (02/11), o time masculino do Serviço Social da Indústria venceu pela terceira vez seguida o do Brasil Kirin/Campinas por 3 sets a 0 (21/15, 21/11 e 21/17) – desta vez pela Superliga masculina 2013/14. O jogo foi realizado no ginásio do Sesi Vila Leopoldina, em São Paulo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Sidão e Lucarelli. Bloqueio do Sesi-SP funcionou. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


Com o resultado, o Sesi-SP chega à sexta vitória em seis jogos na competição – bateu o Funvic/Taubaté, UFJF, São Bernardo Vôlei, Voltaço e Kappesberg Canoas. O time do técnico Marcos Pacheco é o terceiro na tabela de classificação, com 17 pontos, um atrás do líder Sada Cruzeiro e do vice-líder RJX.

Depois de superar o Brasil Kirin duas vezes consecutivas pelo Campeonato Paulista, o Sesi-SP não perdeu a concentração, pressionando a equipe visitante desde o início de cada set, com saques demolidores de Evandro e Lucão, e bem em todos os fundamentos. O bloqueio funcionou, a linha de passe distribuiu a bola na mão do levantador e Sandro variou bem as jogadas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Evandro, oposto do Sesi-SP, com o goleiro Cássio. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

“A gente está numa sequência boa. Conseguimos jogar bem, muito bem”, comentou o oposto Evandro depois de receber o troféu Viva Vôlei das mãos de um convidado especial: o goleiro Cássio, do Corinthians. O reconhecimento é concedido ao atleta melhor em quadra em escolha do treinador da equipe vencedora – Marcos Pacheco, no caso.

“Foi uma vitória importantíssima, que dá confiança. Foram duas semanas duríssimas, com três jogos por semana, mas está todo mundo de parabéns”, disse o central Sidão.

Uma das novidades do jogo foi a camisa customizada usada pelo líbero Serginho, em alusão ao apoio do Sesi-SP ao movimento Novembro Azul, alertando para a necessidade do exame de prevenção ao câncer de próstata.

O Sesi-SP entrou com Sandro, Ary, Sidão, Lucão, Evandro, Sidão e Serginho (líbero). Entraram Renan, Thiaguinho e Rogerio.

A equipe volta às quadras pela Superliga somente no último dia do mês (30/11), às 19h30, no ginásio Chico Neto, onde enfrenta o Moda Maringá (PR).

O jogo

Serginho - Vôlei

Serginho com camisa em alusão à campanha "Novembro Azul". Foto: Lucas Dantas

O primeiro set começou equilibrado. Alexandre Rivetti, técnico do Brasil Kirin, surpreendeu ao escalar Bergamo e Mineiro. Lucão, pelo meio de rede, levou o jogo para a primeira parada técnica: 07/06. Bem nos fundamentos, o Sesi-SP fez 10/07 com Lucarelli, em ponto de bloqueio. Lucão soltou o braço, a recepção devolveu e Lucarelli matou o ponto (15/08). Depois de uma sequência de pontos dos visitantes, que reduzira a diferença para 17/12, o técnico Marcos Pacheco pediu tempo. O Sesi-SP  voltou a rodar e o oposto Renan fechou o jogo em 21/15.

No segundo set, o Sesi-SP seguiu com ritmo forte no saque e bem em todos os fundamentos – a vantagem chegou a sete pontos quando Sidão, pelo meio, levou o jogo para a segunda parada técnica obrigatória. O set point veio com um ace de Evandro: 20/11. Um erro de Bergamo, do Brasil Kirin, decretou o fim do parcial: 21/11.

O terceiro set começou mais equilibrado depois de uma mudança na equipe visitante, que escalou o oposto Rivaldo, preterido na formação inicial. Lucão, que vinha bem no saque e no ataque, fez um ponto de bloqueio para levar o jogo para a primeira parada obrigatória do terceiro set. A vantagem aumentou depois de um erro de recepção do Brasil Kirin: Sandro não perdoou e fez o 08/05. Na segunda parada técnica, o técnico Marcos Pacheco, percebendo o risco de a equipe diminuir o ritmo, pediu mais concentração aos jogadores. Deu certo e a equipe conseguiu rodar até abrir cinco pontos de diferença em bloqueios de Lucarelli (17/13) e Sidão (18/13). Foi o suficiente para fechar o jogo com tranquilidade, em bola do ponteiro Ary: 21/17 e 3 sets a 0.

>> Conheça o elenco da equipe masculina do Sesi-SP 

Vôlei: Bernardinho chama sete atletas do Sesi-SP para a seleção brasileira

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Bernardinho. Foto: Alexandre Arruda CBV

Dos 15 atletas convocados, cinco são jogadores do time do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP): o oposto Evandro, os ponteiros Ary e Lucarelli e os centrais Sidão e Lucão.

Bernardinho também convidou o ponteiro Murilo e o levantador Thiaguinho, ambos do Sesi-SP, para participarem das atividades anteriores à viagem para o Japão.

A apresentação à comissão técnica está programada para a próxima segunda-feira (04/11), no Centro de Desenvolvimento do Voleibol, o Aryzão, em Saquarema.

Na estreia de Lucão, Sesi-SP vence São Bernardo: 3 sets a 0

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Em partida válida pelo campeonato paulista, o time masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o São Bernardo por 3 sets a 0 (21/18, 21/18 e 24/22). O jogo aconteceu na tarde deste sábado (24/08), no ginásio da Vila Leopoldina.

O compromisso marcou a estreia do ponta Manius Abbadi e do central Lucas Saatkamp, o Lucão, campeão mundial, medalhista olímpico em Londres e campeão da Superliga 2012/13 pelo RJX.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Lucão fez nove pontos em seu primeiro jogo pelo Sesi-SP. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Após a partida, Lucão avaliou sua atuação. “Foi um jogo bom. Mesmo no primeiro jogo, deu para acertar a primeira bola do [levantador] Sandro”, disso o central, que marcou nove pontos.

Ao avaliar sua estreia, o reforço do Sesi-SP disse que ainda tem muito a evoluir. “Fui bem no ataque. No saque e no bloqueio, um pouco irregular. Dá para melhorar bastante. Treinei muito pouco depois de uma semana parada”, comentou, referindo-se ao período de férias depois de atuar pela seleção brasileira na conquista do sul-americano e do vice da Liga Mundial.

Lucão aproveitou para elogiar o novo clube. “O Sesi-SP tem uma estrutura espetacular. Montaram aqui algo de primeiro mundo. Tem pessoas que gostam de voleibol. É sempre muito bom jogar aqui.”

Satisfeito com mais uma vitória, que credencia o Sesi-SP a buscar o primeiro lugar na tabela de classificação, o treinador Marcos Pacheco analisou a atuação da equipe. “O que a gente pode melhorar: o entrosamento no bloqueio. Com o saque que a gente tem, pode evoluir muito mais no bloqueio. Isso é treinamento. Tem que dar tempo ao tempo”, ressaltou Pacheco.

De acordo com Sidão, maior pontuador do Sesi-SP na partida, com 14 acertos, a presença de Lucão desafoga o ataque. “Eu acho que, com o passe chegando na mão, eu e ele vamos dar bastante trabalho [para os adversários].”

Para o camisa 9 do Sesi-SP, mesmo nos momentos em que os visitantes estiveram na frente do placar, a equipe manteve a cabeça no lugar e soube aproveitar as oportunidades.” A postura foi muito legal. A gente entrou com muita determinação”,  afirmou, revelando que ainda não s habituou ao novo placar, que encerra os sets aos 21 pontos.“Eu até tinha esquecido”, confessou,  referindo-se- ao “súbito” final do primeiro set, fechado pelo Sesi-SP em 21/18.

O Sesi-SP atuou com Sandro , Evandro, Sidão, Manius, Lucão e Alisson. Serginho foi o líbero. Entraram: Lucianinho e Tarcisio.

O São Bernardo começou com Leozão, Luis, Matheus, Ceará. Michael e Canhoto. Felipinho foi o líbero. Entraram no decorrer da partida os atletas Rodrigo, Luizinho, Joel e Felipe Grah.

A próxima partida será novamente em casa, no ginásio da Vila Leopoldina, no sábado (31/08), às 17h, diante do Campinas. A entrada é gratuita, com distribuição de ingressos uma hora antes da partida, obedecendo a ordem de chegada.

O jogo


Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Ponteiro passador Manius Abaddi: mais um reforço do Sesi-SP. Foto Helcio Nagamine Fiesp

A partida começou equilibrada, com as equipes alternando dianteira no placar, mas o São Bernardo conseguiu chegar ao primeiro tempo técnico em vantagem (05/07) em pontos de Leozão (ex-oposto do Sesi-SP) e num erro de ataque dos donos da casa. Na volta, Lucão fez seu primeiro ponto com a camisa do Sesi-SP. O adversário continuou mais regular, abrindo 11/08 e forçando um pedido de tempo de Marcos Pacheco. O Sesi-SP voltou melhor e, depois de um belo rali, diminuiu com Sidão, chegando ao empate no ponto seguinte (11/11). A partida prosseguiu disputada ponto a ponto até que Lucão, pelo meio, chamou a segunda parada técnica (15/14). O Sesi-SP conseguiu abrir dois pontos (17/15) – foi a vez do treinador Cezar Douglas pedir tempo. Lucão fez o 18/16, mas os visitantes reduziram para 19/18. O set point veio com Alisson. Um erro de recepção do São Bernardo depois de saque de Lucianinho deu números finais ao parcial: 21/18.

Na retomada do segundo set, o Sesi-SP manteve o ritmo e um ataque do oposto Evandro fez com que o técnico visitante pedisse novo tempo. O primeiro tempo técnivo veio depois de erro de saque dos visitantes: Sesi-SP 07/05. Na volta, Evandro continuou bem e o Sesi-SP abriu três pontos: 09/06. O São Bernardo melhorou, com a atuação do ponta Luis, e Leozão fez o ponto da virada (10/11). O Sesi-SP empatou com Sidão, depois de mais um rali. Na sequência, Lucão levou o jogo para a segunda parada técnica em ponto muito comemorado por estudantes do Sesi-SP (15/14). Em ponto de bloqueio triplo, o Sesi-SP fez 18/16 e forçou novo pedido de tempo do adversário. O ponta Luis, maior pontuador do São Bernardo, continuou bem, mas Sidão fez o set point: 20/18. O ponteiro passador Manius fechou o set com ponto pela entrada de rede: 21/18.

No terceiro set, o São Bernardo seguiu mostrando consistência, chegando a abrir dois pontos de vantagem. Sandro começou a acionar os centrais, ambos da seleção brasileira – Lucão e Sidão – e o Sesi-SP conseguiu virar (07/06). O equilíbrio continuou sendo a tônica do jogo, e os visitantes viraram novamente, abrindo 10/12, Marcos Pacheco preferiu pedir tempo. Mas os visitantes continuaram bem e chegaram à segunda parada técnica na frente: 13/15. Melhor na sequência, o Sesi-SP virou de novo o placar (16/15). O São Bernardo empatou (18/18) e Marcos Pacheco pediu tempo. Foi o suficiente para a equipe se acertar e ter vários set points seguidos. Sidão deu números finais ao jogo: 24/22 e  3 sets a 0.

O Sesi-SP pontuou com Sidão (14), Evandro (11), Lucão (nove), Alisson (sete), Manius (quatro), Sandro (um) e Lucianinho (um). Pelo São Bernardo, Luiz fez 12 pontos, seguido por Leozão (11), Matheus (10), Ceará (seis), Felipe Grah (quatro) e Michael (um).

Com Sidão de volta, Sesi-SP busca a terceira vitória no campeonato paulista

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp 

O gigante da rede está de volta. Sua última imagem pela equipe do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi de choro pela dor física e pela eliminação na Superliga 2012/2013. Sidão se sacrificou, lutou até onde pôde, mas não conseguiu superar as dificuldades impostas pelo problema nas costas e, do banco, viu o Sesi-SP ser eliminado pelo Sada na semifinal do último campeonato nacional.

Mas o tempo passou, as dores cessaram e o craque da camisa 9 está de volta para azar de quem aparecer na sua frente. E o primeiro adversário será o Atibaia, nesta quarta-feira (14/08), pela terceira rodada da edição 2013 do campeonato paulista, na Vila Leopoldina.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

O central Sidão está de volta ao time da indústria em busca da vitória no Paulista 2013. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“A temporada anterior acabou e é passado. Tirei lições, aprendi muita coisa, tive alegrias e decepções. Mas agora estou pronto e muito empolgado. Voltei jogando bem pela seleção, conquistamos um título muito importante e mostrei que estou preparado para a temporada que será bastante disputada”, declarou o central, confirmado pelo técnico Marcos Pacheco na equipe desta quarta-feira.

O jogador também destacou o ótimo momento pessoal que está passando como mais um incentivo para jogar bem e com tranquilidade. “Está tudo funcionando perfeitamente. Eu estou recuperado, a Dani está voando na seleção, fui campeão pelo Brasil, o Sesi-SP está muito bem preparado. Não tem nada atrapalhando. É só trabalhar”.

Quem também comemorou a volta do central foi o técnico Marcos Pacheco, que aponta no equilíbrio do time como principal ganho com o retorno de Sidão. “Um jogador como ele nos dá muito mais poder de ataque e de bloqueio. Sua própria presença intimida o adversário, que precisa alternar as jogadas e tem mais dificuldade para atacar. Além disso, Sidão libera o nosso ponteiro e o time fica mais equilibrado, dificultando mais a marcação adversária”, elogiou Pacheco, que também falou sobre as dificuldades na última partida e como prevê o confronto contra o Atibaia.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Sidão de volta: 'Agora estou pronto e muito empolgado'. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“Nesse início de temporada o investimento não conta tanto, pois as equipes têm um calendário diferente. É uma particularidade do Campeonato Paulista. Alguns times já vinham jogando e estão mais entrosadas. Não é desculpa, mas faz diferença. O São José dos Campos estava assim e o Atibaia também. Nós é que temos que correr atrás e melhorar a cada jogo”.

No Campeonato Paulista 2013, o Sesi-SP fez até o momento duas partidas e conquistou duas vitórias, ocupando a segunda colocação atrás do Vôlei Brasil Kirin no número de sets contra. Após o jogo desta quarta, a equipe viaja para Taubaté, onde enfrenta o time local no sábado (17/08), às 18h.

Serviço
Sesi-SP x Climed/Atibaia
Campeonato Paulista de Vôlei Masculino 2013
Data e horário: 14 de agosto, quarta-feira, às 19h
Local: Ginásio da Vila Leopoldina (Rua Carlos Weber, 835 – Vila Leopoldina – São Paulo – SP)
Entrada franca

Sidão, do Sesi-SP, é eleito o melhor jogador do sul-americano de vôlei

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Sidão com seus prêmios individuais. Foto: Alexandre Arruda/CBV

O Brasil derrotou a Argentina neste sábado (10/08), em Cabo Frio (RJ), e conquistou o 29º título e do campeonato sul-americano adulto masculino de vôlei. O placar foi definido por 3 sets a 2 (19/25, 25/20, 25/19, 24/26 e 15/10), em 2h02 de jogo.

O grande destaque da vitória foi o central Sidão. Com 17 pontos, o atleta do Sesi-SP foi eleito um dos dois melhores centrais e, ainda, o melhor jogador do campeonato.

“É gratificante demais ser campeão com boa atuação. Passei por momento difíceis, por uma cirurgia, mas tive a ajuda de muitas pessoas para me recuperar. Mais um campeonato, mais um título e ser campeão é sempre muito importante. Tive pouco tempo de preparação, mas sempre procurei trabalhar bem e com tranquilidade. Posso botar minha cabeça no travesseiro feliz, com o sentimento de dever cumprido”, disse Sidão.

Além do troféu de MVP para Sidão, outro atleta do Sesi-SP, Lucarelli, reccebeu prêmio individual, como ponteiro. O central Lucão, também do Sesi-SP, também atuou.

Veja a campanha do Brasil

06/08 – Brasil 3 x 0 Paraguai (25/07, 25/09 e 25/05)
07/08 – Brasil 3 x 0 Colômbia (25/15, 25/18 e 25/12)
09/08 – Brasil 3 x 0 Chile (25/19, 25/19 e 25/17)
10/08 – Brasil 3 x 2 Argentina (19/25, 25/20, 25/19, 24/26 e 15/10)

Sidão passa por cirurgia e fica dois meses afastado das quadras

Agência Indusnet Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Sidão prepara ataque pelo meio de rede. Foto Everton Amaro

Um dos principais atletas da equipe de vôlei masculino do Sesi-SP, o central Sidão, sofreu uma intervenção cirúrgica, na última segunda-feira (22/04), na região das costas para regeneração do disco entre a quarta e quinta vértebra lombar. Há mais de quatro anos, o atleta sofria com dores nesta região.

De acordo com o médico do Sesi-SP, Sérgio Xavier, a cirurgia durou cerca de uma hora, sendo utilizado o método de rádio frequência, que não necessita de cortes.

O jogador ficará dois meses afastado das quadras e, após esse período, voltará gradativamente aos treinos.

De acordo com o médico do Sesi-SP, esse tipo de lesão é muito comum entre jogadores de vôlei.

Vôlei: Sesi-SP anuncia renovação de contratos com Dani Lins e Sidão

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Sidão e Dani Lins: medalhistas olímpicos permanecem no Sesi-SP. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O casal olímpico do vôlei permanece na Vila Leopoldina. O central Sidão e a levantadora Dani Lins acertaram a renovação de contrato com o Sesi-SP por mais uma temporada.

Na equipe feminina, o nome da levantadora é o quarto a ser confirmado depois dos anúncios das renovações de Bia e Suelle e da continuidade de Fabiana Claudino, que em 2012 assinara por um período de dois anos.

Já Sidão é o primeiro nome anunciado do time masculino. E o central está bastante empolgado para a nova temporada, principalmente com a chegada do novo técnico, Marcos Pacheco.

“Marcos é um nome fantástico, um cara super correto e vencedor. Estou muito feliz que tenha acertado com o Sesi-SP e desde já muito ansioso em voltar a trabalhar com ele. A temporada do Sesi-SP promete, tenho certeza disso”, declarou o camisa 9, que foi comandado por Pacheco na Ulbra (2004-05) e no Cimed (2005-06). O treinador também não economiza elogios ao central, e reforça que seu espírito de luta foi fundamental para a renovação.

“Além da questão técnica, Sidão tem uma força muito grande de ataque, bloqueio e de saque e possui uma entrega espetacular. Não desiste nunca da vitória e tem o espírito que eu quero na equipe, de luta constante. Esse espírito foi fundamental para renovarmos”, apontou o técnico.

E se Sidão está empolgado, sua namorada Dani Lins também coleciona motivos para celebrar. Na semana passada, com a convocação do técnico José Roberto Guimarães para a etapa de treinamentos visando as competições da temporada. Agora, com a renovação confirmada, Dani comemora a tranquilidade para descansar e voltar voando para a os treinos, em junho.

“A notícia da convocação já havia sido fantástica, mas eu estava no meio da renovação com o Sesi-SP. E agora estou duplamente feliz em ter renovado, ainda mais sabendo que a Fabi, a Bia e a Suelle já renovaram e outras deverão permanecer. Tenho certeza de que o time estará muito forte para a próxima temporada.”

O Sesi-SP continua trabalhando na formação das equipes masculina e feminina para a temporada 2013/14. Mais nomes devem ser anunciados ainda esta semana – inclusive possíveis contratações.

Exposição na Fiesp mostra 48 fotos de atletas de esportes olímpicos e paraolímpicos do Sesi-SP

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Com presença de cinco medalhistas olímpicos da equipe do Sesi-SP – Thiago Pereira (natação), Dani Lins, Serginho, Sidão e Murilo (vôlei) –, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) inaugurou na noite de segunda-feira (15/04), em evento para convidados, a exposição fotográfica “Olhar a toda prova”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, abre e exposição "Jogos Olímpicos: Esporte, Cultura e Arte". Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

A mostra, aberta ao público até 30 de junho no Centro Cultural Fiesp, reúne 48 imagens de atletas do Sesi-SP sob o registro das lentes de fotógrafos como Claudio Edinger, Jonne Roriz, Marlene Bergamo e Renan Cepeda. A curadoria é de João Kulcsár.

Outra cerimônia aconteceu de forma paralela, a abertura da exposição “Jogos Olímpicos: Esporte, Cultura e Arte”, organizada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Sesi-SP.

Em seu pronunciamento na abertura de “Olhar a toda prova”, o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, enfatizou que a indústria, por meio do Sesi-SP, vai dar uma contribuição concreta ao Brasil nos Jogos Olímpicos Rio-2016.

“Nós esperamos colocar pelo menos 50 atletas formados no Sesi-SP para defender as cores brasileiras nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro”, afirmou Skaf.

“A Fiesp está à disposição a colaborar com tudo que estiver ao nosso alcance para divulgar as próximas Olímpiadas”, acrescentou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Professor Walter Vicioni na abertura de exposição fotográfica. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

O superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, enfatizou que a instituição passou a investir no esporte de alto rendimento a partir de 2005. “Nós fizemos grandes avanços no esporte, dando oportunidades e criando um processo educacional que pretende ser o exemplo e colaborar com o Brasil no desenvolvimento esportivo.”

Recém-chegado ao Sesi-SP, o nadador Thiago Pereira, medalhista de prata em Londres-2012, elogiou a iniciativa: “ É maravilhoso. Esta exposição sobre os atletas olímpicos é uma coisa muito boa. Faltava esse reconhecimento pelo esforço. São eventos como esse que motivam a gente cada vez mais a correr atrás de novos recordes, medalhas e de uma vaga para disputa de 2016”, avaliou o atleta.

Entre os fotografados estão os medalhistas olímpicos Serginho, Murilo, Dani Lins, Fabiana e Sidão (vôlei); Thiago Pereira (natação); Reinaldo Colucci (triatlo); Aline Ferreira (luta olímpica); Ana Marcela (maratonas aquáticas); Gustavo “Grummy” Guimarães (polo aquático); Hugo Praxedes (judô); Marco Aurélio Borges (atletismo paralímpico); Luisa Lisboa (bocha paralímpica) e Janaina Petit (vôlei sentado).

Acessibilidade

A exposição conta com seis fotos perceptíveis pelo tato, com legenda em braile, de registros fotográficos realizados por seis fotógrafos com deficiência visual durante os jogos da Superliga de vôlei 2012/13.

De acordo com o curador da mostra, durante o processo de captação das imagens, os fotógrafos contaram com o auxilio de um ajudante que descrevia o cenário para os deficientes visuais. Munidos destas informações, os artistas conseguiram fazer os seus registros fotográficos.

“Tanto deficientes visuais como todos que tiverem interesse poderão explorar diferentes sentidos nas visitas guiadas. Os visitantes serão convidados a perceber a exposição pelo tato e audição, e quem quiser poderá ver com os olhos”, afirmou João Kulcsár.

Serviço
Exposição Olhar a toda prova

Classificação indicativa: livre
Entrada gratuita
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso ( Espaço Fiesp II)
Avenida Paulista, 1.313 (em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
Os espaços têm acessibilidade.

Período expositivo: de 16 de abril a 30 de junho – segundas, das 11h às 20h; de terça a sábado, das 10h às 20h; e domingos, das 10h às 19h (entrada até 20 minutos antes do fechamento)

Agendamentos escolares e de grupos: de segunda a sexta-feira, das 10h às 13h e das 14h às 17h, pelo telefone (11) 3146-7396

Depois de tropeço em casa, Sesi-SP tenta recuperação contra São Bernardo pela Superliga masculina

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Sidão e Murilo. Foto: Everton Amaro

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Sidão custou a pegar no sono na noite de domingo para segunda-feira (04/02).Na tarde anterior, o Sesi-SP decepcionara ao ser derrotado pelo Vivo/Minas por 3 sets a 0 em uma atuação que não vai deixar saudades. ”Perder faz parte num campeonato de um nível como a Superliga, mas a gente não pode admitir tomar 3 a 0 em casa como foi. Dormi às 3h da manhã”, conta o central do Sesi-SP e da seleção brasileira, explicando ter ficado remoendo os erros cometidos na tarde anterior.

O desafio, agora, é dar a volta por cima na sétima rodada do returno da competição. E o adversário é um velho conhecido: o São Bernardo. O jogo tem início programado para as 18h desta quarta-feira (06/02), no ginásio da Vila Leopoldina.

“Eles sempre jogam bem contra a gente”, afirma Sidão. “É um time grande que bloqueia muito bem. O Rubinho, técnico deles, trabalha muito bem a base da equipe. A gente sabe que não vai ser fácil. Temos que dar os 110% e tentar fazer os três pontos.”

O ponteiro Murilo, para quem a derrota de domingo foi um resultado horrível, concorda. “O São Bernardo não está bem na Superliga, mas sempre joga bem contra a gente, já nos conhecem bem. Apesar de estar com vários desfalques, eles gostam de jogar contra o Sesi-SP”, analisa.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Everaldo e Sidão; Foto Everton Amaro

“Passamos por cima da derrota contra o Minas. Estamos preparados para voltar a vencer porque é reta final antes dos playoffs. Temos que tentar fazer o nosso trabalho e fazer 12 pontos nesses quatro últimos jogos. E se por acaso RJX/Rio e Janeiro e Sada/Cruzeiro bobearem, a gente belisca o primeiro ou o segundo lugar”, disse o camisa 8.

Segundo o levantador Everaldo, o jogo diante do Minas foi atípico. “A gente realmente não conseguiu colocar em prática o nosso voleibol. O time estava meio apático. Foi um dia que nada deu certo e o Minas aproveitou-se bem e parou de errar”, relembrou.

Para Everaldo, a temporada da Superliga está muito equilibrada e o importante é somar vitórias e preparar-se para a fase decisiva.
“Estamos quatro a cinco pontos atrás, mas está muito em aberto. Acho que temos que buscar nosso melhor. Se vai dar para chegar em primeiro, eu não sei. O importante é que a gente esteja bem, pronto para os playoffs.”

Leia mais

  • Veja outras notícias de esporte do Sesi-SP no site: www.sesisp.org.br/esporte

Sesi-SP vence Funvic/Midia na retomada da Superliga masculina

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Sidão na vitória do Sesi-SP sobre o Funvic. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Com boas atuações dos centrais Éder, melhor jogador da rodada no bloqueio, e Sidão, melhor sacador, o Sesi-SP venceu mais uma partida pela Superliga masculina 2012/13: 3 sets a 1 sobre o Funvic/Midia Fone. As parciais foram de 25/21, 25/16 e 23/25 e 25/21.

Com a vitória, a quinta consecutiva, o Sesi-SP chegou a 21 pontos, ocupando a terceira posição na tabela – liderada pelas equipes do RJX (1º) e Sada Cruzeiro (2º).

Nos dois sets iniciais, a equipe do técnico Giovane Gávio mandou na pontuação, mas a atuação caiu no terceiro set – e o time de Pindamonhangaba reduziu para 2 sets 1. No quarto e derradeiro set, o Sesi-SP impôs seu voleibol. Após a partida, Sidão foi eleito o melhor na quara e ganhou o prêmio Viva Vôlei, entregue pelo professor Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP.

Para Giovane, o terceiro set mostrou que é preciso atenção para evitar surpresas. “Fizemos um segundo set muito bom, mas não demos o mesmo gás no terceiro. Foi disputado, ponto a ponto, mas podíamos ter jogado melhor, mesmo considerando que o adversário fez ótima partida e foi um rival duríssimo. Sabíamos que seria difícil, mas em casa nós aproveitamos o bom momento par conseguir a vitória. Agora temos mais um jogo complicado sábado, só que o time vem evoluindo e ainda vamos chegar no nosso ideal”, declarou o treinador que não quis adiantar se Murilo volta ou continuará sendo poupado.

Na 11ª e última rodada do primeiro turno da competição, o Sesi-SP recebe neste sábado, às 17h, o time do Volta Redonda, também na Vila Leopoldina.

O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Eder 9camisa 16) foi um dos destaques, com 16 pontos. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

A partida foi equilibrada, mas o time da casa soube se impor nos momentos decisivos e fez valer a maior quantidade de jogadores que desequilibram. Murilo foi poupado, mas Cléber estava inspirado e marcou 18 pontos, seguido por Sidão e Éder, com 16. O maior pontuador do jogo foi Sérgio, do Funvic, com 20. As duas equipes erraram bastante e proporcionaram pontos para o outro lado, mas o Sesi-SP foi mais eficiente no bloqueio e foi nessa jogada, com Éder, que o time fechou o set em 26 minutos.

No segundo, o time que representa a indústria paulista foi bem mais eficiente e comandou as ações. Com o saque entrando mais e forçando erros do Funvic, além da pontaria afiada de Sidão, foram precisos 24 minutos para fechar em 25/16 e abrir boa vantagem para definir o jogo.

No terceiro set o cenário mudou. O adversário entrou mais focado e determinado a conseguir esticar a partida. Os times se alternavam na frente do placar sem conseguir abrir vantagem maior que dois pontos. Porém, ao fazer 24/23 e com o bloqueio mais eficiente e 14 pontos de saque, o Funvic venceu a etapa em 30 minutos forçando mais um set.

Depois de um puxão de orelhas de Giovane Gávio, o time voltou para o quarto set para decidir o jogo. E o fez em 29 minutos, sem maiores dificuldades. Cléber marcou sete pontos de ataque e foi fundamental para a quinta vitória seguida na competição.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Professor Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP, e Sidão, com o troféu que recebeu como melhor em quadra. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Brasil esbarra em gigante russo e atletas do Sesi-SP ganham prata no vôlei masculino

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Dessa vez não deu. Depois de um início avassalador, em que chegou a abrir dois sets de vantagem, o Brasil foi derrotado neste domingo (12/08), em Londres, pela equipe da Rússia no tie-break por 3 sets a 2 (19/25, 20/25, 29/27, 25 /22 e 15/09) em duas horas e sete minutos de jogo. Com o resultado, a seleção ficou com a medalha de prata – a equipe conta com três atletas do Sesi-SP (Serginho, Sidão e Murilo).

É a terceira medalha de Serginho (ouro em Atenas-2004 e prata em Pequim-2008) e a segunda de Murilo (prata em Pequim-2008).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Rússia e Brasil perfilados antes do jogo


O jogo

O Brasil foi absoluto nos dois primeiros sets, comandando o placar o tempo inteiro. Fechou o primeiro set em 24 minutos (25/19) e o segundo parcial em 26 minutos (25/20).

No terceiro set, o técnico russo, Vladimir Alekno, surpreendeu ao mexer na formação da equipe, deslocando o central Dmitriy Muserskiy, gigante de 2,18m, para a posição de oposto, e improvisando o oposto Maxim Mikhaylov como ponteiro passador. A aposta deu certo e os russos equilibraram o jogo, que passou a ser disputado ponto a ponto em cada virada de rede.

Ainda assim, o Brasil fez o 19/16 com Wallace e chegou aos 22/19 em erro de Muserskiy. Os russos empataram em 22/22, mas Wallace manteve a tranquilidade pela saída de rede: 23/22. Lucão, em jogada rápida, conseguiu o primeiro match point (24/23), mas a Rússia salvou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Murilo (camisa 8 ) fez 18 pontos no jogo.

A seleção de Bernardinho obteve novo ponto da medalha de ouro (25/24), mas a Rússia novamente empatou para conseguir em seguida seu primeiro set point (26/25). Sidão empatou (26/26), mas os russos conseguiram mais um set point em rali emocionante (28/27), fechando o parcial ao bloquear Lucão, em parcial de 34 minutos.

No quarto set, Giba entrou no lugar de Dante, que sentiu uma lesão. Foi o momento do Brasil se perder no jogo. Sem ritmo de competição, Giba cometeu erros na recepção e no ataque, e Wallace passou a errar mais pela saída de rede. Bernardinho escalou Thiago Alves no lugar de Giba, mas os russos seguiram bem no jogo, abrindo 19/14. O Brasil ensaiou uma reação no final, mas não foi suficiente. Os russos fecharam o segundo set com 25/22 em erro de saque de Murilo. Jogo empatado em sets (2 a 2).

No tie-break, Dante entrou no sacrifício, mas o Brasil não se reencontrou na quadra do complexo Earls Court. Jogando como oposto, Muserskiy – 31 pontos na partida – continuou imparável e os russos fecharam o jogo: 15 /9.

O ponteiro Murilo fez 18 pontos (16 pontos de ataque e dois de bloqueio), enquanto Sidão conseguiu quatro no saque, sete atacando e três bloqueando. Serginho liderou as estatísticas do jogo na defesa, com 18 bolas – três a mais que o russo Obmochaev. Murilo conseguiu pegar sete bolas.

Leia mais

Com grande atuação de Sidão, vôlei masculino do Brasil vence Sérvia de virada: 3 sets a 2

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Sidão foi o maior pontuador do Brasil no jogo contra a Sérvia. Divulgação/FIVB

A Sérvia era uma das lanternas do grupo B. Mas o time dos Balcãs não facilitou em nada a vida do Brasil. Em partida de duas horas e dois minutos, a equipe do técnico Bernardo Rezende, o Bernardinho, precisou de cinco sets (22/25, 25/15, 20/25, 25/22 e 15/9) para superar os atuais campeões europeus, em confronto realizado na noite de sábado (04/08) pelo torneio de vôlei masculino dos Jogos Olímpicos de Londres.

Com a vitória de virada, o Brasil somou oito pontos pelo Grupo B e garantiu classificação para as quartas de final.

O destaque foi a atuação de Sidão, central do Sesi-SP. O meio de rede marcou 15 pontos – sete de ataque, seis de bloqueio e dois no saque.

Sempre muito concentrado na recepção (26 passes perfeitos em 33), Murilo Endres, ponteiro do Sesi-SP, também teve boa atuação, marcando 12 pontos – nove de ataque e três de saque – e defendendo cinco bolas.

Serginho defendeu sete bolas e contribuiu com 19 passes perfeitos em 27 recepções.

A próxima partida será contra a Alemanha, na segunda-feira (06/08), às 18h (horário de Brasília).

O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Murilo Endres fez 12 pontos e se destacou no passe, com alto índice de acertos.

Mais concentrada no início, a seleção da Sérvia comandou o placar durante quase todo o primeiro set. Chegou a abrir 8/5, mas o Brasil empatou em 8/8 em bloqueio de Vissotto, e, depois, em 9/9 em ataque de Murilo. Liderados por Uros Kovacevic, os campeões europeus abriram quatro pontos (15/11) e administraram uma vantagem de dois a quatro pontos até o final, fechando o set em um ataque de Aleksandar Atanasijevic desviado para fora pelo bloqueio de Dante.

Com outra atitude, a equipe de Bernardinho impôs seu jogo e comandou o placar no segundo set . A Sérva chegou a empatar em 6/6, mas o Brasil conseguiu abrir margem de sete pontos (15/8) em saque de Sidão. A vantagem chegou a 10 pontos em saque de Murilo (24/14). Vissotto empatou a contagem de sets em 1 a 1 em bloqueio para fora de Nikola Kovacevic.

No terceiro set, as equipes mantiveram equilíbrio no placar até o 19/19. Sidão errou seu saque e a Sérvia, aproveitando o serviço de Atanasijevic, abriu quatro pontos (23/19).  O time dos Balcãs fechou o terceiro set (25/20) em 26 minutos.

Bernardinho mexeu na formação da equipe para o quarto set, escalando o oposto Wallace e o central Rodrigão nos lugares de Vissotto e Lucão. E deu certo. O Brasil abriu vantagem (15/11), mas a Sérvia chegou a assustar (19/19). Wallace fechou o set em 25/22, empatando a contagem em dois sets.

No quinto set, o tie-break seguiu equilibrado até 6/5, mas com ataques de Murilo (7/5) e bloqueio de Sidão (8/5), a seleção brasileira deslanchou, deixando a virada bem encaminhada em bloqueio de Bruno (10/5) e mais um ataque de Murilo (11/5) não defendido por Atanasijevic. O técnico da Sérvia, o montenegrino Igor Kolakovic, tentou mudar o rumo do placar com um pedido de tempo, mas já era tarde. Um erro de Nikola Kovacevic determinou mais uma vitória brasileira (15/9), por três sets a dois.



Leia mais


Murilo e Sidão estreiam pelo Sesi-SP no Super Paulistão 2009 de Vôlei

Agência Indusnet Fiesp

O ponta Murilo e o meio-de-rede Sidão foram escalados para o jogo contra o Vôlei Futuro. Apesar do pouco tempo de treino com o grupo, os jogadores atuarão pelo Sesi-SP, nesta terça-feira (1º/09), às 20h, no Ginásio Plácido Rocha, em Araçatuba.

Depois de serem apresentados à torcida durante o FestVôlei, evento realizado em Mogi das Cruzes no último sábado, os atletas estarão à disposição do técnico Giovane Gávio somente nesta semana. Em seguida, voltam a defender a seleção brasileira em amistosos agendados para manter o ritmo de jogo da equipe nacional.

Apenas após esse período com o técnico Bernardinho, Murilo e Sidão integrarão outra vez a equipe do Sesi-SP, visando às disputas das semifinais do Super Paulistão.

Pelo pouco tempo com os colegas de equipe, Murilo acredita que jogar será a melhor maneira de ganhar entrosamento com o time. “A integração, especialmente com o levantador e o líbero, só vou conseguir se entrar logo em quadra”, explica o ponta.

A vontade de atuar pelo Sesi-SP também tem outro motivo. “Estar de volta ao Brasil e poder retribuir o investimento que tive na base, contribuindo com esse momento de busca da qualidade do vôlei nos campeonatos nacionais, me deixa muito feliz e animado”, conta Murilo, repatriado do vôlei italiano.

Com o reforço dos jogadores da seleção, o Sesi-SP busca a recuperação no campeonato. No confronto, as duas equipes têm o mesmo número de pontos. Tanto o time da Vila Leopoldina quanto o anfitrião Vôlei Futuro somam oito pontos no torneio, com três vitorias e duas derrotas cada um.

Serviço:
Evento: Super Paulistão 2009
Jogo: Vôlei Futuro X Sesi-SP
Data/horário: 1º de setembro de 2009, às 20h
Local: Araçatuba (Ginásio Plácido Rocha)
Endereço: Rua Coelho Neto, s/n

Leia mais

Murilo e Sidão iniciam treinamentos com o Sesi-SP

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212366

Murilo (esq.) e Sidão, após jogarem pela seleção brasileira, já treinam com a equipe do Sesi-SP

Os recém-apresentados jogadores do Sesi-SP, o ponta Murilo e o meio Sidão, foram integrados ao grupo nesta quinta-feira (27). Os atletas atuaram na última temporada no vôlei italiano e estavam com a seleção brasileira disputando o Sul-Americano, na Colômbia.

Com mais um título, eles desembarcaram em São Paulo e já estão na intensa rotina de treinamentos, na Vila Leopoldina.

O time de vôlei do Sesi-SP já embarcou para Mogi das Cruzes, onde enfrenta, neste sábado (29/08), o Brasil Vôlei Clube (ex- Santander/São Bernardo). As duas equipes repetirão a final da Copa São Paulo. No torneio realizado em agosto, o Sesi-SP venceu, por 3 sets a 0, e foi campeão.

Marcada para as 11h, esta será a quinta partida do primeiro turno do Super Paulistão e fará parte do FestVôlei 2009. O evento promete mobilizar a região, com 16 dias dedicados à modalidade.

O Sesi-SP vem de três vitórias consecutivas. A última ocorreu como visitante, em Santo André, contra o Gac Logistics. O jogo, no ABC, contou com a estreia de Tiago Barth, que logo que entrou em quadra marcou ponto direto de saque. Para o treinador Giovane Gávio, outro destaque da partida foi o ponta Filipe, que marcou 17 pontos para a equipe.