Siamfesp empossa diretoria reeleita

Agência Indusnet Fiesp (com informações de Siamfesp)

Ao tomar posse como presidente do Sindicato da Indústria de Artefatos de Metais Não Ferrosos no Estado de São Paulo (Siamfesp), para a gestão que acaba de se iniciar e vai até 2015, Denis Perez Martins destacou alguns pontos que marcaram fortemente a atuação do Siamfesp durante o seu primeiro mandato à frente da entidade (2007-2010), e que agora continuam compondo o rol das prioridades, juntamente com novas demandas que tendem a surgir.

Durante cerimônia realizada no último dia 5 de julho, na sede da Fiesp, o empresário lembrou, por exemplo, as grandes modificações trazidas pela criação do Fator Acidentário de Prevenção (FAP) e do NTEP (Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário), além da transformação do SAT (Seguro de Acidente de Trabalho) em RAT (Risco de Acidente de Trabalho), bem como a movimentação intensa em torno das NRs (Normas Regulamentadoras), principalmente a 12, relacionada a máquinas e equipamentos.

“Isso tudo realça a importância da iniciativa do Siamfesp de ter sido o primeiro sindicato patronal a criar um Departamento de Saúde e Segurança do Trabalhador, o que tem ajudado nossas empresas a desenvolver uma cultura realmente preventiva neste campo”, frisou.

Na área tributária, Perez Martins referiu-se à capacitação da base associativa em temas como Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), Substituição Tributária e Nota Fiscal eletrônica, assim como conquistas que incluem a redução do IPI da cesta básica da construção civil. Mas também invocou pleitos ainda em curso, dentre os quais a diminuição do ICMS na cadeia produtiva do setor, proposta recém-encaminhada pelo Siamfesp ao Legislativo paulista.

Em relação à tecnologia, o presidente reeleito mostrou-se satisfeito com os avanços obtidos no âmbito da normalização, graças a um intenso trabalho conjunto realizado com a ABNT.

Sucesso semelhante atribui à parceria com a Apex-Brasil, no tocante às exportações. “Muitos são os problemas enfrentados pelas nossas indústrias: câmbio desequilibrado, dumping e custo Brasil, dentre outros. Mesmo assim, precisamos prospectar sempre novos mercados lá fora”, argumentou o presidente reeleito, ao defender o desenvolvimento contínuo de um perfil exportador no segmento.

Por fim, Denis demonstrou toda a sua confiança no crescimento da construção civil brasileira, relembrando projeção apresentada no último Construbusiness, segundo a qual o País terá de construir mais de 23 milhões de unidades residenciais até 2022. “Entretanto, precisamos de mais infraestrutura para absorver o crescimento previsto para o setor já este ano, que é da ordem de 6,5%, ou seja, cerca de dois pontos porcentuais acima da própria evolução esperada para o PIB em , concluiu.

Ao representar o presidente Paulo Skaf , o 2º diretor financeiro da Fiesp, Fernando Greiber, empossou oficialmente a nova diretoria. Em seu rápido discurso, lembrou o início das atividades do Sindicato e de sua proximidade histórica com a Federação, cumprimentando e desejando sucesso a todos os integrantes da nova gestão.

Além de empresários do setor de não ferrosos, a cerimônia contou com a presença do Dr. José Roberto de Melo, superintendente regional do Trabalho e Emprego no Estado de São Paulo; Julio Cesar Olivieri, diretor superintendente da ACSP – Distrital Mooca, bem como de dirigentes de entidades patronais ligadas a outros setores da indústria, casos de José Rogelio Medela, do Sindratar-SP; Nildo Masini, vice-presidente do Sicetel; Antonio Fiola, presidente do Sindirepa-SP ; Melvyn David Fox, presidente-executivo da Abramat; Reinaldo Pedro Correa, presidente do Sincomavi; Devanir Brichesi, presidente da Abifa; e Antonio Carlos Kieling, superintendente da Anfacer.

Confira mais fotos no Álbum Virtual.

Clique aqui e confira a composição completa da nova diretoria.

Siamfesp comemora conquistas em 2010

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540058039

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, parabenizou empresários do setor de metais não ferrosos e avaliou com otimismo as perspectivas para o próximo ano. Foto: Junior Ruiz



A indústria de artefatos de metais não ferrosos tem motivos de sobra para comemorar. Com o crescimento contínuo da construção civil, estimado em 13,3% em 2010, e a alta da demanda do segmento de utensílios domésticos e artefatos de metais, o setor registrou nos últimos nove meses um aumento de 14% nas vendas.

Para fechar o ano com chave de ouro, o Sindicato da Indústria de Artefatos de Metais Não Ferrosos do Estado de São Paulo (Siamfesp) promoveu um jantar de confraternização, nesta quarta-feira (8), no salão promocional da Fiesp.

“Esperamos que 2011 seja um ano tão bom quanto esse e, quiçá, melhor!”, declarou o presidente do Siamfesp, Denis Perez Martins.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, parabenizou os empresários do setor de metais não ferrosos pelas conquistas em 2010 e avaliou com otimismo as perspectivas para o próximo ano: “Não há o desenvolvimento do País se não houver o crescimento da indústria”, pontuou.

Metas

No próximo ano, o Siamfesp intensificará seus esforços, junto a Secretaria da Fazenda, por medidas palatáveis para o pagamento da Substituição Tributária. Outra meta do sindicato é ampliar a venda dos produtos para o exterior, com o apoio da Apex-Brasil, para novos mercados na América do Sul, Ásia e Oceania.

Há 49 anos o Siamfesp representa cerca de 850 fabricantes de metais não ferrosos do estado de São Paulo, junto às autoridades governamentais. O sindicato oferece cursos, Grupos Setoriais, Programa de Garantia e Qualidade, entre outros serviços para as indústrias associadas.

A confraternização na Fiesp contou com a participação de empresários, representantes de entidades patronais e diretores da federação.