Com tranquilidade, meninas do Sesi-SP vencem amistoso contra Bauru

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp, de Sorocaba 

Começou a temporada para o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). E começou tão bem como terminou a última: com vitória. Em amistoso disputado na cidade de Sorocaba, as ‘Meninas da Vila’ derrotaram o time de Bauru por 3 sets a 0 (25/20; 25/18; 25/20) e agora se preparam para a disputa da Copa São Paulo, onde o time tentará o tricampeonato. A estreia será sábado (02/08), em Araraquara, contra o São Bernardo.

Pelo Campeonato Paulista, o Sesi-SP fará sua primeira partida dia 16/09, também em Sorocaba, contra o Araraquara.

Foi um jogo equilibrado, mas o maior talento das jogadoras paulistanas fez a diferença nos momentos mais críticos. Contando com cinco jogadoras da ultima temporada, o desentrosamento comum nesta fase do trabalho não apareceu. Carol com Bia, Mari, Pri e também com Liz, que fazia sua primeira partida. O time começou com Carol Albuquerque, Liz, Mari Cassemiro, Pri Daroit, Stefany, Bia e Suelen de líbero. Entrou Michelle Daldegan.

Time feminino do Sesi-SP estreia a temporada com vitória. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

O jogo

O primeiro set não começou muito bem. Talvez sentindo ainda o início de temporada, as jogadoras entraram frias e deram quatro pontos para o Bauru, forçando o pedido de tempo do técnico Talmo de Oliveira. Aos poucos o time se arrumou, mas contínuos erros na defesa fizeram com que o Bauru mantivesse uma vantagem média de 3 pontos até 15/12. Talmo novamente pediu tempo e o Sesi-SP se acertou, marcando quatro pontos seguidos e virando para 16/15. O set ficou mais equilibrado, porém o Sesi-SP não deixou mais de liderar o placar, até Bia fechar com uma largada no meio, fazendo 25/20.

A etapa seguinte começou lá e cá. Nem Sesi-SP, nem Bauru conseguiram abrir vantagem inicial, se alternando no saque. O cenário só mudou quando Liz foi para o serviço com 4/4 e emplacou três pontos seguidos, conseguindo empurrar o Sesi-SP para uma boa vantagem. Com mais controle e bem menos erros, o time foi se consolidando na quadra e acumulando gordura, enquanto as rivais não conseguiam criar e falhavam muito na defesa. Bia, Mari e Liz se soltaram e atacavam sem serem importunadas. Com 20/13 contra no placar, o técnico do Bauru, Aírton Nascimento, pediu tempo para tentar acertar sua defesa, mas o saque preciso de Mari entrou mais uma vez, ampliando para sete pontos a diferença. O time de Bauru até tentou reagir, mas com ataque na rede, cedeu o 25º ponto, contra 18, e o set para o Sesi-SP.

O terceiro e último set foi apenas a confirmação do cenário de um jogo onde as meninas de Bauru tentavam muito, mas esbarravam na maior capacidade das jogadoras da Vila Leopoldina. A experiente Carol Albuquerque continuava usando bem seu leque de opções, enquanto Bia lembrava a todos porque teve um dos melhores bloqueios da última Superliga. Com tamanha autoridade, Talmo ainda mexeu colocando Michelle Daldegan no lugar de Stefany com 23/19, para fortalecer o passe, e chegou à vitória com 25/20.

Um quarto set foi disputado para testes dos treinadores.

Vôlei: Sesi-SP anuncia renovação de contrato de Murilo

Agência Indusnet Fiesp 

O time masculino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) confirma mais um reforço. É o ponteiro-passador Murilo Endres. O atleta renovou contrato por mais duas temporadas com a equipe da indústria paulista.

Paulo Skaf, presidente do Sesi-SP e da Fiesp, e o atleta Murilo Endres, celebram acordo de renovação em encontro na tarde desta terça-feira (30/07) na sede da Fiesp e do Sesi-SP. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

 

O acerto foi comemorado pelo presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf. “Mais do que um grande jogador de vôlei, um dos melhores do mundo, Murilo é um exemplo para as crianças e jovens de nosso país. Estamos muito felizes de contar com ele, em mais duas temporadas, para continuar inspirando não só a prática de esportes, mas o surgimento de novos talentos para o voleibol brasileiro.”

O jogador, que se recupera de uma cirurgia no ombro direito feita no início de maio, não escondeu a alegria com o desfecho. “Fiquei muito feliz com o convite do Sesi-SP. Esta é minha segunda casa. Tenho uma ligação muito forte com a equipe pois já são quatros anos atuando na Vila Leopoldina. Estou me recuperando muito bem e quero voltar logo. Vou poder ficar em São Paulo e esta era minha vontade, ficando perto da Jaqueline e do nosso filho que vai nascer.”

O supervisor do vôlei do Sesi-SP, José Montanaro, disse que será importante contar com Murilo na equipe. “Murilo está com o Sesi-SP desde o lançamento do projeto da equipe de vôlei – é um ídolo do esporte e um atleta muito querido pelo Sesi-SP. Nesse primeiro ano, o nosso objetivo é dar a ele toda a tranquilidade no processo de recuperação para que ele volte a ser o Murilo que todos conhecem, jogando no nível que fez dele um dos jogadores mais completos do mundo. Tanto que o contrato foi renovado por dois anos”, explicou Montanaro.

Mesmo sabendo que não terá o atleta à sua disposição de imediato, o técnico Marcos Pacheco classificou a renovação como uma excelente notícia.

“O melhor lugar para Murilo fazer a recuperação dele é aqui no Sesi-SP, onde tem profissionais que conhecem bem a trajetória dele”, afirmou Pacheco.

“Ele está aos cuidados do departamento médico, que tem autonomia. Vamos ter calma, nós temos esse tempo. Depois, quando ele estiver em condições, ele vai ter as oportunidades e responsabilidades. Temos um grupo extremamente capacitado e Murilo vai nos ajudar nessa composição”, completou Pacheco.

Murilo

Murilo está no Sesi-SP desde 2009. Foto: Arquivo Fiesp

No Sesi-SP desde 2009, Murilo participou da conquista da Superliga 2010/2011, do Sul-Americano de Clubes Campões 2011) e do tricampeonato paulista (2009, 2011 e 2012), além do tetracampeonato da Copa São Paulo e da 4ª colocação no Mundial de Clubes de Voleibol Masculino, disputado em Doha no Catar.

Nesse período, foi campeão mundial pela seleção brasileira em 2010 e conquistou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, competição em que foi eleito MVP – jogador mais valioso.

Ficha:

Murilo Endres
Idade: 32 anos (03/05/1981)
Cidade: Passo Fundo (RS)
Peso: 94kgs
Altura: 1,92m
Posição: ponta

Sesi-SP anuncia renovação com Serginho para a temporada 2013/2014

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp 

O homem das defesas impossíveis continua. O Sesi-SP renovou com o líbero Serginho e garantiu assim a permanência de um ídolo da torcida brasileira e um ícone do esporte. Com 37 anos, o camisa 10 renovou por mais uma temporada e já avisa que não vê a hora de voltar a jogar diante da torcida. Símbolo de raça e dedicação, na segunda semifinal da Superliga 2013, contra o Cruzeiro, Serginho se machucou ainda no primeiro set, mas ficou em quadra até o final, fazendo um enorme sacrifício para atuar e defender o time.

O líbero Serginho renova mais uma temporada com o Sesi-SP. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

“Estou muito satisfeito em renovar com o Sesi-SP. Eu me sinto em casa aqui, onde ganhei a Superliga e agora quero outra”, declarou Serginho, que,  pelo Sesi-SP, além da Superliga 2010/2011, ganhou três Copas São Paulo, dois campeonatos paulistas e o Sul-Americano de 2011. O líbero também mostrou empolgação ao falar do novo técnico da equipe, Marcos Pacheco.

“O time vai sofrer algumas mudanças; é normal ao final de cada temporada, mas o Pacheco é um cara conhecido por todos e ninguém discute sua capacidade para montar uma equipe. Um cara vencedor, sem dúvida. Estou bastante empolgado com a temporada e não vejo a hora de voltar a jogar na Vila Leopoldina.”

Serginho foi uma exigência do treinador. Ciente de sua experiência, além da técnica bem acima da média, Marcos Pacheco acredita que o medalhista olímpico em Atenas-2004 será mais do que o melhor líbero possível, mas também uma referência para o time nessa nova fase.

O líbero Lucianinho e o ponta Mão também renovaram contratos com o Sesi-SP para a próxima temporada. Foto: Julia Moraes/Fiesp

“Ele é muito importante para o time. Conhece o projeto muito bem, é um ídolo nacional, tem uma liderança incrível, experiência de sobra e a técnica, bom, nem precisa falar. Quero montar o time com responsáveis por áreas e ele será o chefe da defesa. O Serginho já é fundamental, mas esse ano será ainda mais”, disse Pacheco.

Além de Serginho e Sidão, o Sesi-SP também anuncia que renovou com o líbero Lucianinho e o ponta Mão. O time volta a treinar no dia 03 de junho, na Vila Leopoldina.

Brasil esbarra em gigante russo e atletas do Sesi-SP ganham prata no vôlei masculino

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Dessa vez não deu. Depois de um início avassalador, em que chegou a abrir dois sets de vantagem, o Brasil foi derrotado neste domingo (12/08), em Londres, pela equipe da Rússia no tie-break por 3 sets a 2 (19/25, 20/25, 29/27, 25 /22 e 15/09) em duas horas e sete minutos de jogo. Com o resultado, a seleção ficou com a medalha de prata – a equipe conta com três atletas do Sesi-SP (Serginho, Sidão e Murilo).

É a terceira medalha de Serginho (ouro em Atenas-2004 e prata em Pequim-2008) e a segunda de Murilo (prata em Pequim-2008).

Rússia e Brasil perfilados antes do jogo

 

O jogo

O Brasil foi absoluto nos dois primeiros sets, comandando o placar o tempo inteiro. Fechou o primeiro set em 24 minutos (25/19) e o segundo parcial em 26 minutos (25/20).

No terceiro set, o técnico russo, Vladimir Alekno, surpreendeu ao mexer na formação da equipe, deslocando o central Dmitriy Muserskiy, gigante de 2,18m, para a posição de oposto, e improvisando o oposto Maxim Mikhaylov como ponteiro passador. A aposta deu certo e os russos equilibraram o jogo, que passou a ser disputado ponto a ponto em cada virada de rede.

Ainda assim, o Brasil fez o 19/16 com Wallace e chegou aos 22/19 em erro de Muserskiy. Os russos empataram em 22/22, mas Wallace manteve a tranquilidade pela saída de rede: 23/22. Lucão, em jogada rápida, conseguiu o primeiro match point (24/23), mas a Rússia salvou.

Murilo (camisa 8 ) fez 18 pontos no jogo.

A seleção de Bernardinho obteve novo ponto da medalha de ouro (25/24), mas a Rússia novamente empatou para conseguir em seguida seu primeiro set point (26/25). Sidão empatou (26/26), mas os russos conseguiram mais um set point em rali emocionante (28/27), fechando o parcial ao bloquear Lucão, em parcial de 34 minutos.

No quarto set, Giba entrou no lugar de Dante, que sentiu uma lesão. Foi o momento do Brasil se perder no jogo. Sem ritmo de competição, Giba cometeu erros na recepção e no ataque, e Wallace passou a errar mais pela saída de rede. Bernardinho escalou Thiago Alves no lugar de Giba, mas os russos seguiram bem no jogo, abrindo 19/14. O Brasil ensaiou uma reação no final, mas não foi suficiente. Os russos fecharam o segundo set com 25/22 em erro de saque de Murilo. Jogo empatado em sets (2 a 2).

No tie-break, Dante entrou no sacrifício, mas o Brasil não se reencontrou na quadra do complexo Earls Court. Jogando como oposto, Muserskiy – 31 pontos na partida – continuou imparável e os russos fecharam o jogo: 15 /9.

O ponteiro Murilo fez 18 pontos (16 pontos de ataque e dois de bloqueio), enquanto Sidão conseguiu quatro no saque, sete atacando e três bloqueando. Serginho liderou as estatísticas do jogo na defesa, com 18 bolas – três a mais que o russo Obmochaev. Murilo conseguiu pegar sete bolas.

Leia mais

Jogo-exibição une equipes de vôlei masculino e paralímpico do Sesi-SP na Virada Esportiva

Lucas Dantas – Agência Indusnet Fiesp

Partida reuniu equipe de vôlei masculino paralímpica do Sesi-SP e nomes como Montanaro (gestor do vôlei), Giovane Gávio (técnico da equipe masculina) e Talmo de Oliveira (técnico da equipe feminina).

Em agenda que integrou a 6ª Virada Esportiva paulistana, o Sesi-SP promoveu na manhã deste domingo (01/07), em sua unidade na Vila Leopoldina, uma partida inédita entre as equipes de vôlei masculino profissional e paralímpico. As regras aplicadas foram as do vôlei sentado.

Diante de atletas profissionais do Sesi-SP e de nomes que fazem parte da história do esporte brasileiro como  Montanaro (gestor do vôlei), Giovane Gávio (técnico da equipe masculina) e Talmo de Oliveira (técnico da equipe feminina), a equipe paralimpica levou a melhor: 25 a 19, em set único.

O placar, no entanto, pouco importou, segundo Carlos Augusto Barbosa, mais conhecido como Guto, atleta convocado para representar o Brasil nos Jogos Paralímpicos Londres-2012.

Evento fez parte da 6ª Virada Esportiva de São Paulo. Foto: Everton Amaro.

“Jogar contra eles [time profissional] é um prazer muito grande. A pegada é diferente, o deslocamento. Com certeza foi mais difícil para eles, mas tenho certeza que se treinarem também, farão um bom jogo numa próxima chance”, disse Guto, que está contando os dias para ajudar o Brasil na competição mais importante da temporada.

“Ir para Londres gera uma expectativa muito grande. Representar o Sesi-SP é muito bom e importante. Somos 5% da delegação brasileira”, completou Guto.

Derrotado no jogo-exibição, Montanaro destacou a dificuldade de adaptação ao vôlei sentado. “O mais difícil deste jogo é o deslocamento. É natural da gente se levantar e tentar o movimento, mas não é permitido. E como estamos acostumados a correr, fica bem difícil acompanhar”, explicou o gestor do vôlei do Sesi-SP.

Giovane Gávio, técnico da equipe masculina, participou do jogo representando a equipe de vôlei profissional.

Montanaro expressou orgulho ao falar da convocação dos atletas do Sesi-SP para as competições olímpica e paralímpica. “Qualquer atleta que consegue índice olímpico no Brasil é um herói. Para conquistar uma vaga, o trabalho começa lá na infância. Para os paralímpicos é mais difícil ainda. A superação deles é comovente. É uma lição de vida.”

O medalhista de prata em Los Angeles-84 comentou ainda sua expectativa para o futuro. “Espero que com esses grandes eventos que teremos no Brasil [Copa do Mundo em 2014 e Jogos Olímpicos Rio-2016] possamos melhorar ainda mais e criar um legado para as crianças. Quando alguém ganha uma medalha, eu me emociono muito. É fantástico.”

O jogo exibição encerrou as atividades referentes à Virada Esportiva no Sesi Vila Leopoldina. Durante a manhã de domingo, centenas de crianças participaram de oficinas de natação e vôlei com as equipes profissionais.

No sábado (30/06), as atividades se concentraram na unidade do Sesi A. E. Carvalho, com oficinas de dança, jogos de futebol, natação, entre outros esportes.

Veja o álbum de fotos no Flickr do Sesi-SP:

Sesi-SP e Pinheiros/Sky vão protagonizar um dos melhores jogos da Superliga

Uma partida realmente imperdível. Quem for ao ginásio Hans Nobling em Pinheiros, zona oeste de São Paulo, neste sábado (27), verá um show de técnica e talento das equipes Sesi-SP e Pinheiros Sky, em jogo válido pela 16ª rodada da Superliga Masculina de Vôlei.

No primeiro turno, ambas equipes fizeram um grande jogo, bastante disputado e equilibrado. O adversário acabou vencendo por 3 sets a 0, mas não convenceu. Naquela ocasião, o segundo set ficou marcado como o mais longo da história da Superliga. Durou nervosos 47 minutos em resultado de 42 a 40.

Desta vez a coisa é um pouco diferente. O Sesi-SP está bem mais entrosado e vem de vitórias muito convincentes, contra equipes que disputam vaga entre os oito melhores na reta final de competição. Por isso, sábado é dia de jogar mais do que no máximo e ir para as quartas de cabeça erguida.


Serviço:

Superliga Masculina de Vôlei – 16ª rodada (segundo turno)
Sesi-SP x Pinheiros/Sky
Data/horário: 27 de março, sábado, às 11h
Local: Ginásio Henrique Villaboin
Endereço: Rua Hans Nobling, s/n, Pinheiros, São Paulo, SP
Transmissão: Sportv
Sesi-SP – Jotinha, Léo, Sidão, Murilo, Filipe, Tiago Bart, Jeffe (líbero). Vini, Daniel, Anderson e Gustavo. Técnico – Giovane GávioPinheiros/Sky – Marcelinho, Léo, Pablo, Dirceu, Gustavo e Rodrigão, Felipe (líbero), Giba. Técnico – Carlos Alberto Villar Castanheira (Cebola)