Teatro contemporâneo é tema de encontro do núcleo de dramaturgia Sesi-British Council nesta quarta-feira (12/06)

Agência Indusnet Fiesp 

Nesta quarta-feira (12/06), o Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council promove um debate sobre Aspectos do Teatro Contemporâneo entre dois importantes dramaturgos, o brasileiro Marcio Abreu e o escocês Davey Anderson. O evento gratuito acontece no Espaço Mezanino, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, às 20h30 e contará com tradução consecutiva. A mediação será do ator e diretor César Augusto Batista.

Serão abordadas questões sobre o Teatro Contemporâneo, relatando pesquisas, procedimentos e experiências de grupos, companhias e produções independentes que produzem novas dramaturgias.

Marcio Abreu é dramaturgo, diretor e pesquisador. Encenou Vida, Oxigênio e a premiada Esta Criança. A repercussão de seu trabalho acontece além do Brasil, em países da América Latina e Europa, especialmente a França, onde também tem peças de sua autoria montadas.

Davey Anderson é autor de The Static e Blackout, entre outras. Em 2006, Davey foi o primeiro diretor em residência no National Theatre of Scotland (NTS). Trabalhos recentes no NTS incluem a curadoria de novas peças de uma temporada chinesa (2013); Enquirer, como compositor e diretor musical (2012); Peter Pan, compositor e diretor musical (2010).

As inscrições devem ser feitas no telefone: (11) 3146-7383.

Serviço

Mesa de debates do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council com Marcio Abreu e Davey Anderson
Tema: Aspectos do Teatro Contemporâneo
Dia e local: 12 de junho, no Espaço Mezanino, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Avenida Paulista, 1313)
Horário: às 20h30
Duração: 1h30
Classificação: Livre
Entrada Franca
Inscrições e informações: (11) 3146-7383

Britânicos e latino-americanos participam do 3º Ciclo do Núcleo de Dramaturgia

Agência Indusnet Fiesp

Depois do 1º e 2º Ciclo do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council, realizados em 2009 e 2010, que comemoraram a formação das primeiras turmas de Novos Autores e reuniram renomados nomes brasileiros e britânicos, vem aí a terceira edição do evento.

Neste ano, o Ciclo abordará as Estéticas Renovadoras e contará com dois workshops, duas mesas-redondas e uma leitura dramática. Os dramaturgos Alberto Villarreal (do México) e Mike Bartlett (Reino Unido) são alguns dos nomes confirmados. Outro destaque é o britânico Royal Court Theatre, um dos centros mais importantes de fomento à nova dramaturgia no mundo.

Todas as atividades acontecerão no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Av. Paulista, 1313, em frente ao metrô Trianon, capital), entre 18 e 26 de novembro de 2011, e serão abertas ao público em geral, com entrada franca e tradução consecutiva.

Para assistir à leitura dramática e às mesas-redondas, é necessário fazer reserva pelos telefones (11) 3146-7383. No caso dos workshops, serão aceitas somente inscrições pelo site www.sesisp.org.br/dramaturgia.

Confira aqui a programação completa.

Fernanda Jaber vence Competição de Peças para Rádio da BBC WS e British Council em Londres

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Fernanda Jaber: críticas e comentários positivos do público britânico

A  brasileira Fernanda Jaber, de 26 anos, continua fazendo fama no exterior. A peça The Wild Neighbour and the Willing Coward, de autoria da roteirista e cineasta revelada pelo Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council, foi vencedora do Concurso BBC World Service and British Council Playwriting Competition na categoria língua estrangeira, em Londres.

O concurso, que admite apenas participantes de fora do Reino Unido, consiste em avaliar peças para rádio com 60 minutos de duração e até seis personagens. Em outubro próximo, Fernanda Jaber vai passar uma semana em Londres para acompanhar a gravação profissional de sua peça, que será veiculada peça BBC World Service. A autora participará ainda da cerimônia de premiação no teatro Shakespeare’s Globe.

The Wild Neighbour and the Willing Coward fala que ser um bom homem não significa, necessariamente, ser um bom vizinho. É uma fábula sobre comunidades, medo e o amor de uma grande onça. O painel de avaliação das peças concorrentes incluiu a celebrada atriz Eileen Atkins, o dramaturgo premiado Roy Williams e a aclamada atriz internacional Ayesha Dharker.

“É maravilhoso ver meus textos montados no Reino Unido, é encorajador. Tenho esperança de que isso suscite interesse pelo que eu faço no Brasil e de ver meu trabalho produzido em português”, afirmou Fernanda Jaber.

Revelação

O trajeto de Fernanda Jaber pela dramaturgia começou com sua participação na primeira turma do projeto do Núcleo de Dramaturgia Sesi – British Council de São Paulo, que tem como objetivo revelar e desenvolver novos dramaturgos brasileiros.

Fernanda teve sua peça Entre Quatro Pedaços (escrita durante sua participação no Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council em 2009) selecionada em fevereiro deste ano para uma produção no Reino Unido, e recebeu críticas excelentes e comentários positivos do público britânico.

Freak Show mostra no palco a espetacularização da vida e do consumo na TV

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Segue em cartaz no Teatro do Sesi São Paulo, o espetáculo Freak Show, de autoria de Luise Cohen com direção de William Pereira. Parte da Temporada de Teatro Contemporâneo Sesi-British Council, a peça pode ser vista diariamente até o dia 10 de julho, na Avenida Paulista, 1313.

Durante solenidade de abertura, na quinta-feira (30), o diretor-titular do Comitê de Ação Cultural da Fiesp, Fernando Greiber, ressaltou a importância do intercâmbio teatral entre o Sesi-SP e o British Council.

“Essa parceria tem contribuído decisivamente para a descoberta de novos talentos nas artes cênicas. Londres é a capital mundial do teatro, um dos maiores focos de desenvolvimento desta arte existentes no mundo, e isso para o Sesi-SP é de suma importância”, considerou Greiber.

Em cena, Cristine, a personagem frustrada que funde sua vida com o "show de horrores" na TV

 

 

Eric Klug, diretor do British Council de São Paulo, destacou os quatro anos de parceria de sucesso com a entidade da indústria paulista. “Agradeço às pessoas que acolhem nossos projetos com tanta ousadia e generosidade, principalmente ao presidente do Sesi-SP, Paulo Skaf”, declarou Klug.

Agonia na TV

Freak Show mostra a vida de Cristine, uma mulher solitária e malograda que, ao se realizar assistindo à TV, canaliza ao aparelho o sofrimento e a angústia com sua vida na tentativa de esquecer seus problemas. De tanto assistir ao programa Freak Show, que de forma imperativa induz o espectador ao consumismo sensacionalista, Cristine acaba fazendo parte dele e passa a descobrir a realidade de quem está nos bastidores.

Luise Cohen, autora de Freak Show

Luise Cohen, a jovem autora de Freak Show, quer mostrar na peça a sua inquietação com a forma agressiva de exploração capitalista na TV. O espetáculo, popular e crítico, demonstra sua intenção de levar o público a uma densa reflexão.

“A espetacularização do ser humano aliado ao consumo desenfreado me deu ideias, e resolvi retratar essa realidade no palco”, afirmou Luise, que revelou ter como referência o livro A Sociedade do Espetáculo, de Guy Debord.

Após participar do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council em 2008-2009, a dramaturga de 31 anos já emplacou sucessos como A Casa dos BonecosSapato Apertado (peça criada exclusivamente para a internet) e De Versão em Versão (baseada em manchetes em evidência na mídia).

Espetáculo Black Box acontece por fora e por dentro da caixa preta

Agência Indusnet Fiesp

Fora do comum, engenhoso, instigante e divertido. O trabalho do projeto coletivo Bootworks Theatre propõe em seu teatro itinerante o nome de Black Box. Originário do Reino Unido e inédito no Brasil, o grupo estreou a peça “Une Boite Andalouse” na Temporada de Teatro Contemporâneo Sesi-British Council, que acontece desde 1º de julho e segue até o próximo domingo (10) no Foyer do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

Um tributo inesperado e adaptado do filme de Luis Buñuel e Salvador Dali, “Un Chien Andalou” (1928), com um toque de exclusividade ao vivo, o público adentra ao mundo dos clássicos do cinema em preto e branco.

A performance, apresentada em uma caixa preta desenvolvida especialmente para o espetáculo, possui diferentes linguagens artísticas. Na encenação, uma pessoa por vez entra na caixa e assiste ao show através de três janelas, manipuladas pelos próprios atores. Cada participante fica até 5 minutos dentro da caixa preta.

Ao mesmo tempo em que o espectador observa, é observado pelo público e pode ter uma leitura extraordinária e diferenciada do espetáculo por dentro ou fora da caixa. O ambiente possui som estéreo integrado para a música, e as três pequenas aberturas da caixa, que na realidade são pequenas abas, levantam-se em momentos diferentes para que o espectador assista ao show, enquanto a mecânica externa e as ações dos artistas intrigam os demais espectadores.

Há proximidade com os artistas e, por causa da caixa preta, a impressão é de que o espectador faz parte do show de alguma forma, por meio da capacidade única de utilizar diferentes ângulos, perspectivas e efeitos. Há acesso para pessoas portadoras de necessidades especiais, que poderão assistir ao espetáculo pelo lado de fora da caixa.

Susurrus integra originalidade a ambientes da natureza

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Fones de ouvido, um tocador de mp3 e a natureza ao redor. Três elementos que compõem a peça Susurrus, produzida pela companhia teatral Fire Exit com autoria e direção de David Leddy, premiado autor teatral radicado em Glasgow, no Reino Unido.

O formato inusitado, escrito e apresentado em jardins botânicos de Glasgow, na Escócia, em 2006, dispensa palco, figurino e coreografia. Na sequência, completou turnê em parques nos Estados Unidos. Agora, integra a Temporada de Teatro Contemporâneo Sesi-British Council, em cartaz no Parque do Ibirapuera de 27 de junho até 10 de julho, todos os dias das 10h às 16h. Após este período, segue para excursões no Chile e Alemanha.

Em cartaz até 10 de julho no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, Susurrus une arte teatral e áreas verdes

Para participar, basta comparecer à tenda do Sesi-British Council localizada ao lado do Auditório Ibirapuera e retirar o equipamento necessário, mediante apresentação de documento de identidade (RG). O espectador receberá, ainda, um mapa do parque com o trajeto a ser percorrido, os pontos de parada obrigatória e a tenda para devolução do material emprestado.

Ao eliminar o formato de teatro tradicional,Susurrus leva o espectador pela narrativa dialogada que, por vezes, abre espaço para as canções de Edith Piaf entre os oito atos. Avaliada pela imprensa estrangeira como uma reinterpretação sensual de Sonho de uma Noite de Verão, de William Shakespeare, a peça traça uma sequência lógica da proposta do autor: experimentar as intensas reações emocionais do público ao combinar textos originais a elementos de performance artística, sob o “poder da voz humana”.

Considerado pela crítica internacional como o mais jovem e inovador dramaturgo, David Leddy sempre quis trazer seu trabalho para o Brasil. Conheceu São Paulo no ano passado ao visitar a Bienal de Artes, e retornou agora para a temporada de Susurrus. “É uma cidade vibrante onde muita coisa acontece, me parece um meio termo entre Tóquio (Japão) e Mumbai (Índia)”, afirmou.

Leddy teve a oportunidade de assistir a uma produção brasileira, e surpreendeu-se. “Mesmo não entendendo o idioma português, achei fascinante por conseguir capturar a pureza do espetáculo, bem como os detalhes da cenografia e a comunicação não verbal no palco”, analisou o autor, presente à estreia da peça, nesta segunda-feira (27), para conversar com o público e imprensa.

Em tempo: por ser uma experiência muito interessante e original, procure dias e horários mais tranquilos para apreciar a peça. Ela exige um leve esforço físico do espectador, pois é necessário seguir a pé por todo o percurso no Parque do Ibirapuera, traçado pessoalmente pelo próprio David Leddy. Em dias chuvosos, a organização fornece capas de chuva para os participantes. A peça é não recomendada para menores de 18 anos.

Participante do Núcleo Sesi-British Council vence 4º Prêmio Luso-brasileiro de Dramaturgia

Fabricia Morais, Agência Indusnet Fiesp

No último dia 9, o escritor Marco Catalão, que participou da 1ª turma do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council, em 2008, venceu a quarta edição do Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva, com a montagem Agro Negócio.

Concedido pela Funarte em parceria com o Instituto Camões, Ministério da Cultura e o Teatro Nacional D. Maria II, de Portugal, o prêmio tem por objetivo incentivar novos escritores de língua portuguesa e reforçar as atividades entre o Brasil e Portugal.

Agro Negócio aborda uma investigação policial sobre a morte de um influente industrial, dono de uma usina de cana-de-açúcar. Um detetive é contratado para investigar o caso. De forma inusitada, a cabeça do industrial continua a falar mesmo depois de ter sido arrancada do corpo e talvez isso ajude a elucidar o mistério. No decorrer da trama outros mistérios surgirão e o crime talvez seja apenas um detalhe.

Para esta edição concorreram 255 trabalhos inéditos de todos os gêneros, criados por dramaturgos brasileiros e portugueses. Deste total, 226 textos foram elaborados por escritores do Brasil.

A comissão julgadora, composta por três especialistas de cada país, analisou sete textos finalistas: três portugueses e quatro brasileiros. O júri brasileiro foi formado por Antonio Gilberto, diretor e produtor teatral; Irene Brietzke, professora, diretora e atriz; e Roberto Alvim, dramaturgo, diretor e professor de artes cênicas.

Em 2009, a peça O Vizinho, de Fernanda Jaber, também da 1ª turma do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council, foi uma das finalistas do Prêmio.

O autor

Nascido em São Paulo, Marco Catalão, 36 anos, é dramaturgo e poeta. Em 2008, participou da primeira turma do Núcleo de Dramaturgia do Sesi/British Council.

No mesmo ano foi contemplado com uma bolsa para autores com obra em fase de conclusão, da Biblioteca Nacional, com o livro O Cânone Acidental. Recebeu o primeiro lugar no II Concurso Nacional de Poesia Violeta Branca Menescal, organizado pela Prefeitura de Manaus, com

Palimpsestos 
e no 18º Concurso Nacional de Contos Luiz Vilela, com o conto Kenji.

Em 2009, com No cravo e na Ferradura, venceu o III Concurso Literatura Para Todos, promovido pelo Ministério da Educação, na categoria Textos da Tradição Oral. Neste ano, com o livro inédito Sob a Face Neutra, foi contemplado pela Bolsa Funarte de Criação Literária.

2º ciclo do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council destaca o multiculturalismo

Agência Indusnet Fiesp

Após a realização do 1º Ciclo do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council em 2009, que comemorou a formação da primeira turma de Novos Autores e contou com participações de renomados nomes brasileiros e britânicos, o Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council realiza o 2º Ciclo do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council.

As atividades ocorrerão no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, de 19 a 25 de novembro de 2010, abertas ao público em geral, com entrada franca e tradução consecutiva.

Neste ano, o evento tem como tema principal o Multiculturalismo na Dramaturgia Contemporânea e conta com workshops, mesas-redondas e leituras dramáticas. A novidade é que, além das presenças de brasileiros e britânicos, o evento receberá também dramaturgos da América Latina.

Nos três primeiros dias do evento (19, 20 e 21) haverá workshops com os dramaturgos latinos Alejandro Tantanian (Argentina) e Victor Viviescas (Colômbia), voltados a autores novos e emergentes.

As inscrições já estão encerradas.

Alejandro ministrará o workshop “Alguns Elementos para uma Iniciação à Dramaturgia”, enquanto Victor será responsável pelo workshop “Real/Irreal: trabalho de indagação do material dramático”.

No dia 22, segunda-feira, três mesas-redondas farão parte da programação:

1ª) A Influência da Diversidade Cultural nos Processos Criativos, com o diretor Sérgio Ferrara e o dramaturgo Samir Yazbek, mediada pela dramaturga e coordenadora do Núcleo de Dramaturgia, Marici Salomão. A mesa contará, ainda, com uma participação introdutória de Zen Salles, autor do espetáculo Pororoca, atualmente em cartaz no Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso, e participante da 2ª turma do Núcleo de Dramaturgia.

2ª) O Diálogo entre Autores Latino-americanos: realidade ou ficção?, com o dramaturgo brasileiro Aimar Labaki e dois dramaturgos e diretores latino-americanos: Alejandro Tantanian (Argentina) e Victor Viviescas (Colômbia). A mediação será do diretor brasileiro Reginaldo Nascimento.

3ª) Raízes Culturais e Diferentes Visões de Mundo: Liverpool e São Paulo, que propõe estabelecer paralelos entre as produções dramatúrgicas de Liverpool e São Paulo. Esta mesa contará com as presenças de profissionais britânicos e brasileiros. Será composta pelas dramaturgas Suzanne Bell e Lizzie Nunnery e também pela diretora Sue Dunderdale (todas inglesas). Representando o Brasil, estará presente o diretor do Grupo Os Satyros, Rodolfo Garcia Vazquez. A mediação ficará a cargo da teórica, ensaísta e docente no campo das artes cênicas, Silvana Garcia.

Para encerrar a segunda-feira (22), duas leituras dramáticas em português apresentarão ao público um texto britânico The Swallowing Dark (A Escuridão Que Nos Devora), de Lizzie Nunnery, e o texto Cada tanto todo vuelve como ahora, produzido por Paloma Vidal, aluna da 2ª turma do Núcleo de Dramaturgia. As leituras serão às 16h30 e 19h, respectivamente.

Nos dias 23, 24 e 25, o 2º Ciclo contará com três workshops ministrados pelos convidados britânicos do Liverpool Everyman and Playhouse.

  • O primeiro direcionado a novos autores do público em geral, com tema de introdução às técnicas dramatúrgicas, ministrado por Suzanne Bell.*
  • O segundo voltado para diretores teatrais escolhidos do público em geral, ministrado por Sue Dunderdale, diretora licenciada do Liverpool Everyman.*
  • O terceiro dirigido a alunos da terceira turma do Núcleo de Dramaturgia, ministrado por Lizzie Nunnery e Suzanne Bell.*

 

Haverá certificado de participação para todos os workshops.

Na terça-feira, dia 23, uma leitura dramática do Núcleo de Dramaturgia do Sesi Paraná completará o 2º ciclo.

Para as Leituras Dramáticas e Mesas-Redondas deverão ser feitas reservas, pelos telefones (11) 3146-7395 / 7401.

*  Para os workshops com as britânicas Suzanne Bell e Sue Dunderdale (23, 24, 25/11) as inscrições ainda podem ser feitas até o dia 19 de novembro, às 12h, pelo site: www.sesisp.org.br/dramaturgia.

Confira a programação do evento.

Núcleo de dramaturgia realiza leitura dramática de textos de novos autores

Agência Indusnet Fiesp

Dois textos teatrais inéditos de Barbara Araújo e Luís Roberto de Souza Junior, autores formados pela segunda turma do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council, ganham leitura dramática do diretor Francisco Medeiros.

Elas e No Bico do Corvo terão única sessão na terça-feira (19), às 20h, no Mezanino do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

O evento conta com a participação de sete atores que já integraram o Núcleo Experimental de Artes Cênicas do Sesi-SP. Os interessados devem se inscrever previamente pelos telefones (11) 3146-7401 / 7395. A entrada é gratuita e a lotação, de 50 lugares.

O primeiro texto, Elas, constrói pontes por meio dos diálogos que tornam possível o trânsito afetivo entre mães e filhas de três gerações. O texto, que aborda questões fundamentais da condição feminina, tem por pano de fundo a sociedade paulista e aponta a maternidade como experiência reveladora do segredo de ser mulher. Ao longo da peça circulam processos de identificação e individualização dessas mulheres.

Já o segundo, No Bico do Corvo, se passa no “País das Peças Prontas”, onde alguns personagens que ainda não se encaixaram em nenhuma história vagueiam em busca de um sentido para a sua existência. É o caso de Ele e Ela, que discutem as convenções da dramaturgia e da vida, vislumbrando uma chance de finalmente se tornarem protagonistas de seus destinos.

Na empreitada, eles vão ajudar e serão ajudados por uma trupe de amigos que também está à procura de uma trama para se encaixar. A peça é uma comédia rasgada que brinca com a metalinguagem e a condição humana.

Estas são duas das quatro peças escolhidas para leitura dramática neste ano, além do texto eleito para ser montado: Pororoca, em cartaz até dezembro. Os atores são selecionados pelos diretores convidados entre os integrantes das várias edições do Núcleo Experimental de Artes Cênicas do Sesi-SP.

Os espetáculo que vêm sendo produzidos no âmbito do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council são resultado de um projeto pioneiro no Brasil, de revalorização da dramaturgia brasileira, por meio de um programa de orientação. Além do oferecimento de workshops, a entidade promove palestras e mesas-redondas com artistas convidados, britânicos e brasileiros. A coordenação do Núcleo é da jornalista e dramaturga Marici Salomão.

Serviço
Leitura Dramática dos textos Elas, de Bárbara Araújo, e No Bico do Corvo, de Luís Roberto de Souza Junior
Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council
Direção: Francisco Medeiros
Local: Centro Cultural Fiesp (Av. Paulista, 1313, em frente à estação Trianon-Masp do metrô)
Data e horário: 19 de outubro de 2010 (terça-feira), às 20h
Entrada franca
Capacidade: 50 lugares
Reservas antecipadas: (11) 3146-7395 / 7401 – válido até 15 minutos antes