Pílula inteligente e sensor da equipe do Sesi Bebedouro evita exame de sangue e endoscopia

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Equipe Sesi Bebedouro durante o 4º dia de provas no Torneio de Robótica

Um grupo de seis adolescentes prometeu, na tarde desta quinta-feira (10), durante a fase estadual do 3º Torneio de Robótica do Sesi-SP,  “revolucionar” com um novo método de diagnósticos, dispensando exames, como eles mesmos dizem, “invasivos”.

Os alunos da unidade de Bebedouro do Sesi preparam durante três meses o projeto de um dispositivo (pílula) com microcâmera que, após ingerido, coleta amostra da saliva, registra em imagens o trajeto do aparelho digestório, além de medir temperatura do corpo e colher amostras do estômago para verificação de composição química.

O dispositivo pode ser ingerido por maiores de 12. Após percorrer o trajeto do aparelho digestório, a pílula com a microcâmera é expelida pelas fezes.

Os alunos Karolyne Justino de Souza (13 anos), Angela Ogata (13), Daniele Othon (12), Thaís Santos (13), Vitor Marciano (12) e Matheus Gomes (13) se inspiraram em modelos como a iPill, lançada por cientistas em 2008. Trata-se de um microprocessador, composto por bateria, rádio sem fio e reservatório, que permite a liberação de medicamento em uma região específica do corpo.

Nanobiossensor

Injetado abaixo da endoderme, no abdômen, o dispositivo nanobiossensor projetado pela equipe de Bebedouro entra em contato com a corrente sanguínea e monitora as alterações do organismo. “Do lado de fora, um equipamento faz a leitura dos dados em tempo real, e ainda com possibilidade conexão com bluetooth”, afirma Thaís Santos.

Essa conexão com biossensores já possível em Nanotecnologia. “O que a gente tá propondo está de acordo com a tecnologia atual e o que já existe em equipamentos”, acrescentou Thaís.

Longe de casa

A cidade de Bebedouro fica há mais de 390 quilômetros do capital paulista. E, pela primeira vez, a equipe de quatro meninas e dois meninos passa quatro dias fora de sua cidade desacompanhados de familiares, segundo Luis Fernando Granato, técnico do grupo e analista de suporte e informática do Sesi.

Os mentores da equipe Bebedouro@alunosesi são: Jonas Alexandre da Silva e Neusa Maria Pontelli de Medeiros, também professores do Sesi.