Para ex-jogador Raí, postura ‘arrogante’ da Fifa prejudicou a realização da Copa no Brasil

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Aproveitando a proximidade da Copa do Mundo de 2014, que começa no dia 12 de junho com a partida entre Brasil e Croácia, na Arena Corinthians, o InteligênciaPontoCom, iniciativa do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), reuniu na noite desta segunda-feira (19/05) o ex-jogador do São Paulo Futebol Clube e da seleção brasileira, Raí, e Mário Prata, escritor, jornalista e cronista esportivo, para falar sobre uma das maiores paixões do brasileiro: o futebol.

O encontro entre os dois craques, um dos campos, o outro das letras, foi descontraído. Ambos interagiam e faziam perguntas entre si, como em uma conversa entre velhos amigos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537756871

Raí e Mário Prata: amor pelo futebol. Foto: Hélcio Nagamine/Fiesp


Um dos pontos de destaque do bate-papo foi a crítica feita em relação à atuação da Federação Internacional de Futebol (Fifa) durante os preparativos para a Copa de 2014 no Brasil.

Na análise do ídolo sãopaulino, a postura “arrogante” da Fifa criou efeitos negativos para o evento. “O que a Fifa fez jogou contra a Copa, criando um movimento contrário à realização por parte de parcelas da população”, analisou Raí.

Para o corintiano Prata, o processo que culminou com a escolha do Brasil como sede da Copa foi confuso, pois misturou esporte com política, e já demonstrava o rumo que a preparação para a competição teria no país.

“A classe política achou que a Copa fosse do Brasil, para o Brasil. Mas ela é da Fifa”, analisou.  “Além disso, já estava decidido há tempo que o Brasil seria o país–sede”.


Expectativas para a Copa no Brasil

Os dois falaram também sobre as expectativas que têm para o desempenho da seleção canarinho durante a Copa.

Para Raí, o técnico Luis Felipe Scolari conseguiu transformar as manifestações que aconteceram em junho de 2013, “aquela tensão toda”, em algo positivo para a atual equipe.

“O time embalou depois daquilo, durante a Copa das Confederações, e, hoje, tem condições de ganhar”, disse. “Mas se a Copa fosse fora do Brasil, esse time não seria favorito”, opinou o ex-jogador.

Prata revelou certa preocupação com a falta de craques no time atual. “Não temos gênios, com exceção, talvez, do Neymar”, revelou. “Tenho medo”, completou.


A seleção libertadora de 1994

Em seguida, Mário Prata questionou o ex-jogador do São Paulo e da seleção brasileira sobre a Copa de 1994, na qual Raí foi sacado do time pelo então treinador Carlos Alberto Parreira na terceira partida da primeira fase. Segundo Raí, ele acabou sendo o escolhido pela torcida como o principal culpado pela má fase da equipe.

“Aquele time foi muito criticado em 1993, depois que perdemos para a Bolívia, na altitude de La Paz, nas eliminatórias para a Copa dos Estados Unidos. Eu, como capitão, e o Parreira, o técnico, acabamos sendo os principais alvos das críticas”, justificou.

Apesar de criticada pelo futebol “feio”, Raí acredita que a seleção tetracampeã de 1994 ‘libertou’ as gerações posteriores da pressão pela conquista do mundial. “Nós éramos muito pressionados, porque desde 1970 o Brasil não vencia uma Copa. Acho que isso prejudicou duas ótimas gerações, incluindo a de 1982, de Zico, Falcão, Júnior”.


Futebol: mais fantástico que a ficção

Além do futebol, a literatura foi outro ponto abordado durante o encontro. Prata, autor dos livros sobre futebol, ‘Paris, 98!’, publicado em 2005, e de ‘Palmeiras, um Caso de Amor’, de 2002, explicou por que a chamada literatura futebolística é tão rara no Brasil. Ele revelou que considera muito difícil criar personagens palpáveis tendo como pano de fundo o principal esporte nacional.

Para Raí, isso acontece talvez porque o futebol real é mais emocionante do que qualquer ficção relacionada ao esporte. “Tem jogos históricos cujas histórias jamais poderiam ter sido criadas por um roteirista”, opinou o ex-jogador do São Paulo.

O escritor também revelou uma curiosidade sobre sua obra ‘Palmeiras, um Caso de Amor’, que foi adaptada posteriormente para o cinema pelo cineasta Bruno Barreto.  “É um Shakespeare futebolístico”, classificou, fazendo referência à narrativa que acompanha o relacionamento conturbado entre uma palmeirense e um corintiano.

Esse filme, curiosamente, foi um tremendo sucesso em Israel, revelou o autor. “Talvez por eles viverem tão profundamente a rivalidade com os palestinos”.

Sesi-SP fecha convênio com 16 municípios paulistas nas áreas de esporte e educação

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp, de Presidente Prudente

Em um evento que reuniu 16 municípios de São Paulo, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) assinou convênios dos programas Educação num Clique, Atleta do Futuro e de implantação do  Sistema Sesi de Ensino, nesta sexta-feira (28/03), no Centro de Atividades de Presidente Prudente.

A solenidade contou com a presença de prefeitos e representantes das 16 cidades e do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Sesi-SP, Paulo Skaf.

Com as cidades de Adamantina, Alfredo Marcondes, Caiabu, Caiuá, Emilianópolis, Irapuru, Nova Guataporanga, Oswaldo Cruz, Paulicéia, Pirapozinho e Tarabaí, foi firmado o acordo para promover, por meio do Programa Educação num Clique, o curso de inclusão digital “Aprenda a Clicar”. Serão atendidas, em cada município, 120 pessoas.

Em Dracena e Presidente Prudente, além do Aprenda a Clicar, serão oferecidos curso de inglês e espanhol (nível básico, intermediário e avançado) para 560 pessoas em cada cidade. Já em Panorama, as 120 vagas disponibilizadas serão para aulas de produção textual e inglês básico e intermediário.

O programa Educação num Clique tem o objetivo de facilitar a inserção de jovens e adultos trabalhadores no mundo digital, assim como ampliar seus conhecimentos para atuar no mercado de trabalho. Para se inscrever nos cursos, o interessado deve ter idade mínima de 16 anos e ensino fundamental completo.

Os cursos são gratuitos e incluem temas como informática, produção de textos e aulas de idiomas. São eles: Aprenda a clicar (30 horas), Produção textual (45 horas), Inglês básico (30 horas), Inglês intermediário (60 horas) e Inglês avançado (30 horas). O programa também oferece o curso de Espanhol básico (30 horas), Espanhol intermediário (60 horas) e Espanhol avançado (30 horas).

As aulas são realizadas em plataforma digital e os instrutores motivam os participantes e os auxiliam no desenvolvimento do seu potencial. Ao se familiarizar com novas tecnologias e interagir com os outros participantes, o aluno tem a oportunidade de ampliar seu conhecimento, sua cultura e estará mais apto para o mercado de trabalho.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537756871

Em Presidente Prudente, o presidente da Fiesp e do Sesi-SP assina parcerias nas áreas de esporte e educação com 16 cidades do interior paulista. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Atleta do Futuro e Sistema Sesi de Ensino

Mais dois convênios foram assinados nesta sexta-feira (28/03). Com a Prefeitura de Santo Expedito, o Sesi-SP vai oferecer a metodologia do Programa Atleta do Futuro para 500 crianças e jovens, nas modalidades futsal e vôlei.

“O nosso objetivo é ampliar a prática esportiva buscando maior número de jovens, pois esporte é educação e todos merecem”, afirmou o presidente Paulo Skaf, que assinou o convênio com o prefeito de Santo Expedito, Ivandeci José Cabral.

Já os 460 alunos das escolas municipais da cidade de João Ramalho passam a fazer parte do Sistema Sesi de Ensino. “O importante é atender as pessoas. Por meio do Sistema, o Sesi-SP vai tentar estar presente no maior número de cidades, mesmo em lugares onde ainda não há escolas do Sesi”, disse Skaf. O acordo foi assinado com o prefeito de João Ramalho, Wagner Mathias.

São José do Rio Pardo e Sesi-SP assinam convênio para Programa Atleta do Futuro

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp, de São José do Rio Pardo

A prefeitura de São José do Rio Pardo, a 255 quilômetros da capital, e o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), assinaram, na manhã desta sexta-feira (14/03), convênio para o desenvolvimento do Programa Atleta do Futuro (PAF).  A iniciativa atenderá 100 alunos na modalidade futebol e mais 100 em canoagem, prática esportiva até então inédita no projeto.

A medida foi firmada em cerimônia com a participação do presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e do prefeito de São José do Rio Pardo, João Batista Santurbano. O diretor da Divisão de Esportes e Qualidade de Vida do Sesi, Alexandre Pflug, também esteve presente.

Na ocasião, ficou combinada a implantação do Sistema Sesi-SP de ensino no município em 2015. Com chances de construção de uma escola da rede na cidade mais adiante. “Começaremos com o Sistema Sesi-SP de Ensino em São José do Rio Pardo  para depois construirmos uma escola do Sesi-SP na cidade”, afirmou Skaf.

A partir da esquerda: Santurbano, Skaf e Pflug na assinatura do convênio que leva o PAF para São José do Rio Pardo. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

A partir da esquerda: Santurbano, Skaf e Pflug na assinatura do convênio que leva o PAF para São José do Rio Pardo. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Além da prática esportiva, os alunos do PAF recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho e consumo, meio ambiente e pluralidade cultural, entre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

Sobre o PAF

Presente em 190 municípios, o Programa Atleta do Futuro contempla 80.549 participantes entre 6 e 17 anos e as atividades estão organizadas em três fases, adequadas para cada faixa etária.

Na fase que compreende crianças entre seis e oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas. A partir dos oito anos, os participantes iniciam a prática esportiva, conhecendo as diversas modalidades e suas diferenças. Então, dos 11 aos 17 anos, os alunos optam por uma modalidade e realizam treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria do Sesi-SP, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família. Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.


Sesi-SP leva unidade móvel de nutrição a Cotia, Ourinhos e Sumaré

Agência Indusnet Fiesp

O Serviço Social da Indústria de São Paulo  (Sesi-SP) promoverá cursos educativos do programa “Alimente-se Bem” em três cidades do interior paulista: Ourinhos (de 29 de outubro a 08 de novembro), Cotia e Sumaré (de 29/10 a 23/11). Em Ourinhos, a previsão de atender gratuitamente 180 pessoas, enquanto em Cotia e Sumaré serão mais de 400 pessoas atendidas em cada cidade.

As aulas serão ministradas nas unidades móveis do Sesi-SP – carretas totalmente adaptadas com eletrodomésticos e utensílios de cozinha. A grande novidade é o curso “Alimente-se Bem – Ceia de Natal”, que ensinará receitas especiais para as comemorações de dezembro.

Ao final do curso, o aluno poderá adquirir livro com as receitas desenvolvidas pela equipe de nutricionistas do Sesi-SP.

Unidades móveis

Construídas no Centro de Treinamento Senai-SP de Lençóis Paulista, as cinco unidades móveis do Sesi-SP têm capacidade de atendimento para 30 participantes por turma, comportando até quatro grupos por dia. Isso é viável graças a um sistema retrátil, que faz surgir uma sala integrada à estrutura do caminhão quando ele está estacionado.

Os cursos do “Alimente-se Bem” unem teoria e prática, com o objetivo de ensinar preceitos de uma alimentação saudável, econômica e sem desperdício, além de aumentar o consumo de vegetais e a utilização integral dos alimentos.

Todas as aulas são ministradas por nutricionistas do Sesi-SP, que preparam receitas balanceadas, nutritivas, econômicas e com ingredientes de fácil acesso. Os calendários são elaborados com o intuito de atender o maior número de alunos, respeitando o máximo permitido e o horário de trabalho da equipe técnica.

Serviços:

Cursos do programa Alimente-se Bem

Ourinhos
Endereço do curso: Rua Professora Maria José Ferreira, 100 – Bairro das Crianças – Ourinhos
Endereço para inscrições: Rua Professora Maria José Ferreira, 100 – Bairro das Crianças – Ourinhos
Informações: (14) 3302-3517

Cotia
Endereço do curso: Rua Mesopotâmia, 300 – Jardim Passargada – Moinho Velho – Cotia
Endereço para inscrições: Rua Mesopotâmia, 300 – Jardim Passargada – Moinho Velho – Cotia
Informações: (11) 4612-3323 Ramal 202 ou 203

Sumaré
Cursos do programa Alimente-se Bem
Endereço do curso: Rua: Amazonas, 99 – Jardim Nova Veneza – Sumaré.
Endereço para inscrições: Rua: Amazonas, 99 – Jardim Nova Veneza – Sumaré.
Informações: (19) 3854–5855.

Proposta do Sesi-SP é de ‘educação completa’, diz Paulo Skaf na inauguração de escola em Lençóis Paulista

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537756871

Paulo Skaf inaugura Sesi em Lençóis Paulista. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Receber uma criança de seis anos, desenvolvê-la e devolver para a sociedade um jovem de 18 anos, com ensino de qualidade e completo. Esta é a proposta do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), afirmou na manhã desta sexta-feira (04/10), em Lençóis Paulista, o presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

“Essa é a proposta da indústria, devolver para sociedade alguém saudável, com autoestima e, acima de tudo, pronto para a vida e para as oportunidades”, afirmou Skaf depois de inaugurar a escola Alberto Trecenti, a primeira do Sesi-SP no município interior, a aproximadamente 280 km da capital.

>> Unidade do Sesi-SP em Lençóis Paulista atende um total de 316 estudantes; 228 em período integral

“A indústria investe nessas pessoas, mas elas vão servir ao Brasil e não obrigatoriamente à indústria. São pessoas que vão ajudar a construir esse país”, completou Skaf.

Segundo o presidente do Sesi-SP, a instituição de ensino deve inaugurar um total de 100 escolas com ensino em tempo integral e ensino médio.  Skaf destacou ainda o papel dos educadores. “Não adiantaria a vontade e a prioridade para a educação se não fossem os professores e professoras”, ponderou.

O diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) e superintendente do Sesi-SP, professor Walter Vicioni, também participou da inauguração da unidade escola em Lençóis Paulista.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537756871

Presidente da Fiesp e do Sesi-SP acompanha apresentação musical de alunos em sala de aula. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

De acordo com Vicioni, ao menos 35 mil alunos estudam em tempo integral nas escolas do Sesi-SP no Estado. Em 2006, Quando o modelo foi implantado eram apenas 800 matrículas. A meta da escola é atender um total de 90 mil alunos em 2015 pelo regime integral, informou o professor.

“Nesse balanço, eu começo a acreditar que querer é possível, é algo realizável. Ninguém imaginava em 2006 que haveria tantas realizações, tantas escolas”, disse Vicioni.

A escola do Sesi-SP de Lençóis Paulista recebeu o nome de Alberto Trecenti, empresário da cidade. Emocionado, ele também falou durante a cerimônia de inauguração.

“Minha família está em Lençóis há mais de 100 anos. Queremos que essa cidade tenha campo para profissionais, mão de obra especializada”, disse Trecenti. “Finalmente isso está acontecendo aqui, a Fiesp deu para lençóis esse presente”, acrescentou.

Patrono da escola, o empresário doou o terreno para a construção da unidade, que funciona desde o começo do ano. “Essa escola vai formar pessoas que farão diferença no mercado de trabalho”, disse Trecenti.

A prefeita da cidade, Bel Lorenzetti, também participou da inauguração. Ela destacou o envolvimento de Luiz Carlos Trecenti, diretor regional do Ciesp e ex-vice-prefeito de Lençóis, do empresário Alberto Trecenti e do presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf.

“Luiz Carlos intensificou os esforços para conseguir essa escola, enquanto o Alberto, ciente da importância dessa escola para nós, doou o terreno com sua generosidade”, lembrou Lorenzetti.  “Gostaria ainda de cumprimentá-lo pela maneira como você valoriza a educação”, disse a prefeita para Skaf.