Conselho da Fiesp debate desafios para o setor da construção em 2014

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Membros do Conselho Superior da Indústria da Construção (Consic) se reuniram na manhã desta terça-feira (11/03), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), para discutir melhorias e possibilidades de crescimento para o setor.

Abrindo o encontro, José Carlos de Oliveira Lima, presidente do conselho, afirmou ser necessária a superação dos obstáculos que impedem o crescimento da indústria brasileira. “Continuamos a ter mão de obra pouco qualificada, nosso país prossegue sendo um dos piores em competitividade, além disso, nossa infraestrutura segue deficitária”, analisou Lima.

Conforme Lima, o país não soube acompanhar o crescimento do poder aquisitivo da classe C. “Uma grande parcela da população passou a consumir, mas não foram criadas as condições necessárias para suportar o crescimento. O que vemos então são vias apinhadas de automóveis, aeroportos muito atrás da capacidade ideal de atendimento de demanda, entre outros graves problemas”.

Lima, ao centro, na reunião do Consic: mão de obra pouco qualifica e problemas de infraestrutura. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Lima, ao centro, na reunião do Consic: mão de obra pouco qualificada. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Redução das taxas básicas de juros, do IPI para materiais de construção e da tarifa de energia elétrica são algumas possibilidades que Lima acredita serem fundamentais para a melhoria das condições da cadeia.

Construbusiness

Em seguida, Carlos Eduardo Pedrosa Auricchio, diretor titular do Departamento da Indústria da Construção (Deconcic), anunciou a data da realização do 11º Construbusiness. “A edição desse ano será realizada em 24 de novembro”.

O Construbusiness é o mais importante congresso da indústria da construção, tendo como objetivo a apresentação de propostas que contribuam com soluções para os principais gargalos do setor e que venham a ser adotadas como política de Estado.

“Se as nossas solicitações desses dez anos de ConstruBusiness fossem ouvidas anteriormente, a situação do setor seria melhor”, opinou Auricchio.

Auricchio: solicitações do setor feitas em dez anos de Construbusiness. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Auricchio: solicitações do setor feitas em dez anos de Construbusiness. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Outro participante do encontro, Sérgio Henrique Cançado de Andrade, superintendente executivo da SGE Engenharia, apresentou  números referentes ao crédito imobiliário. Para ele, o setor da construção civil está estabilizado. “Em 2013, foram contratados cerca de R$ 135 milhões em crédito imobiliário. A previsão para este ano é de R$ 150 milhões, um crescimento de 15%”, disse.

No fechamento da reunião, o diretor titular adjunto do Deconcic, Manuel Rossito, destacou a importância da criação da chamada Lei de Responsabilidade de Investimento, “para maior segurança empresarial no cumprimento de contratos”.