Competitividade: foco do edital de inovação para a indústria do Senai-SP

Mariana Soares, Agência Indusnet Fiesp

Com o objetivo de aumentar a competitividade industrial de São Paulo e do país, a Fiesp e o Senai-SP deram início ao ciclo do Edital de Inovação para a Indústria.

Na tarde da última terça-feira (30/4), o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, assinou os contratos dos 10 projetos aprovados, em 2018, na ferramenta de apoio às ideias inovadoras.

Skaf parabenizou todos os autores das ideias reconhecidas pelo Edital e reforçou a preocupação constante da Fiesp e do Senai-SP em fomentar o desenvolvimento do setor produtivo. “Estamos muito felizes de poder, mais uma vez, incentivar a transformação da indústria paulista e brasileira por meio da tecnologia, da inovação”, completou.

Os recursos de até R$ 400 mil são destinados a projetos com duração de até 24 meses. Eles devem conter desafios tecnológicos em estágio de desenvolvimento ou aprimoramento para a realização de prova de conceito, planta-piloto ou inserção no mercado.

A gestão dos recursos é realizada pelo Senai-SP, o que indica que não há repasse financeiro direto para as empresas ou startups de base. Por outro lado, há a necessidade de contrapartida financeira da empresa proponente do projeto de, no mínimo, 10% do valor solicitado ao edital. Todos os recursos devem ser aplicados em atividades destinadas diretamente ao desenvolvimento do projeto.

A empresa Rhodia teve seu projeto contemplado pelo edital na categoria Grandes e Médias Empresas. Já na categoria Startups de Base Tecnológica, Usifer, Eccaplan, Ciacamp, Gigante, Vedicin, Logstore, VetSolutions, Recigreen e Grani Amici tiveram suas ideias inovadoras selecionadas.

Dácio de Almeida, gerente de inovação e qualidade da Rhodia, explicou que o produto desenvolvido pela empresa é uma fibra derivada da celulose, material de fonte renovável e biodegradável. “O que nós precisamos é aumentar o portfólio de aplicações dele. Como a fibra é derivada de um material natural, ela tem uma fragilidade mecânica. Com este edital, juntos com o Senai-SP, vamos melhorar a capacidade mecânica do produto que vai viabilizar a utilização dele em outros mercados. Vamos analisar a possibilidade de adicionar partículas para melhorar a capacidade mecânica dele”, disse.

Felipe Barbi Marcon, da startup Recigreen, deu detalhes do desenvolvimento de equipamento inovador capaz de retirar 98% dos resíduos dos sacos de cimento, argamassa, gesso e cal, sem utilização da água. A tecnologia vai possibilitar a reciclagem desse material, que hoje é descartado em aterros e lixões. “Será um percentual altíssimo de descontaminação. Desenvolver essa ferramenta junto com o Senai-SP será o passo principal para entrarmos fortemente no mercado. Vamos aprender bastante dividindo a ideia com a área laboratorial da escola. Dessa forma, teremos a comprovação técnica do nosso equipamento”, concluiu.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

O presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, assina contrato das dez empresas selecionadas no Edital de Inovação para a Indústria 2018. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Trainees aprovados no programa do SENAI-SP serão consultores da Indústria 4.0

Agência Indusnet Fiesp

No dia 2/4, o presidente da FIESP e do SENAI-SP, Paulo Skaf, recebeu 31 aprovados no Programa Trainee do Senai-SP que vão fazer consultorias supervisionadas em áreas tecnológicas. Também integrou o encontro Ricardo Terra, diretor regional do SENAI-SP.

Os 31 aprovados no Programa Trainee 4.0 serão consultores tecnológicos para adequar plantas produtivas. Isso inclui a gestão industrial à revolução da Indústria 4.0 e da Transformação Digital a fim de tornar as indústrias paulistas mais competitivas e melhorar seu rendimento. O programa se iniciou em fevereiro deste ano e irá durar 12 meses. Sob tutoria e supervisão de especialistas do mercado, o trainee se tornará um Consultor da Indústria 4.0, altamente qualificado e com as principais habilidades e competências exigidas por um mercado altamente tecnológico.

Entre os pré-requisitos exigidos, Graduação concluída entre dez/2015 e dez/2017, nas áreas de Mecatrônica, Automação Industrial, Engenharia de Produção, Mecânica, Eletrônica ou TI, além de conhecimento da língua inglesa.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Trainees selecionados participam de encontro com presidente da FIESP e do SENAI-SP, Paulo Skaf. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Anufood: oferta de alimentos deve crescer 20% em 10 anos. Brasil será estratégico para a segurança alimentar mundial

Cristina Carvalho, Agência Indusnet Fiesp

Realizada pela primeira vez no Brasil, a Anufood Brazil – Feira Internacional Exclusiva para Alimentos e Bebidas, que contou com o apoio da Fiesp e do Senai-SP, teve a presença da ministra da Agricultura, Teresa Cristina, em um dos painéis do Congresso realizado nesta terça-feira (12/3) durante a feira.

Roberto Rodrigues, coordenador do Centro do Agronegócio da FGV, falou sobre a necessidade de alimentar o mundo, apontando dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) que indicam que a oferta de alimentos deve crescer 20% em 10 anos. “Nesse período, o Brasil vai expandir sua produção de alimentos em 41%, enquanto que os Estados Unidos apenas 10%, União Europeia em 12% e China em 15%. Estamos muito otimistas. Mas é uma ilusão pensar que os acessos aos novos mercados já foram dados. É preciso ser conquistado. Nós temos que arrumar estratégias para atender essa demanda, vender para outros países, outros mercados. Todos os países do mundo almejam esse mercado. Estamos em uma disputa gigantesca”, disse.  Dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) mostram que a produção de alimentos precisa crescer 50% até 2050.

Ainda em sua fala, Rodrigues apresentou alguns dados do Outlook, estudo do departamento do agronegócio da Fiesp. “Os estoques de milho tendem a cair. Temos que olhar esse mercado e encontrar nele nichos para trabalhar. Temos de sair da posição modesta de vender matéria prima”, concluiu.

“A FIESP e o SENAI-SP reconhecem a importância global da feira Anuga de Colônia, na Alemanha. Por isso, as duas entidades, diante de seu posicionamento estratégico relacionado à indústria de alimentos e bebidas, estão apoiando a Anufood Brazil, a primeira feira dedicada exclusivamente a esse setor”, afirmou Antônio Carlos Costa, gerente do departamento de Agronegócio da FIESP, sobre o apoio a esse evento que estimula a troca de conhecimento relevante entre os principais agentes do setor.

De acordo com a ministra Teresa Cristina, a estimativa é que a safra brasileira deste ano alcance 234 milhões de toneladas. O crescimento está, principalmente, no interior do país, gerando emprego e renda para os municípios. “Essa feira mostra onde chegamos e todo o potencial que o Brasil possui em segurança alimentar. Segurança alimentar é importante para a estabilidade política e também é estratégica para a imagem e competitividade no mercado internacional. Por essa razão, cabe ao produtor adotar as melhores práticas, capacitar-se continuamente, escolher os melhores insumos e cuidar da higiene, enquanto que ao governo cabe regular todos os elos da cadeia para que os produtos tenham sempre mais qualidade de produção”, apontou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Fiesp e Senai-SP participam de Congresso Internacional de Alimentos e Bebidas. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Fiesp e Senai-SP apoiam a Anufood Brazil, que será realizada de 12 a 14 de março

A FIESP e o SENAI-SP são apoiadores da ANUFOOD Brazil – Feira Internacional Exclusiva para Alimentos e Bebidas –, que movimentará o setor de 12 a 14 de março, e também coorganizadores do Congresso Anufood Brazil, que debaterá o papel do País na segurança alimentar do planeta.

Organizada pela Koelnmesse e inspirada na Anuga– maior evento internacional do setor alimentício –, a ANUFOOD Brazil será um evento de três dias, com todas as atividades acontecendo entre 10h e 19h.

De acordo com o gerente do Departamento de Agronegócio da FIESP, Antônio Carlos Costa, apoiar um evento como esse é estimular trocas de conhecimento relevantes entre os principais agentes do setor. “A FIESP e o SENAI-SP reconhecem a importância global da feira Anuga de Colônia, na Alemanha. Por isso, as duas entidades, diante de seu posicionamento estratégico relacionado à indústria de alimentos e bebidas, estão apoiando a ANUFOOD Brazil, a primeira feira dedicada exclusivamente a esse setor”, explica.

Já o Congresso, que será realizado nos dias 12 e 13 de março, conta com o apoio das entidades em sua organização e divulgação, e curadoria da FGV Projetos. Os três pilares que darão a tônica em todos os paineis são segurança alimentar, regulação do setor e desperdício de alimentos.

O SENAI-SP realizará aulas-show para profissionais de confeitaria e panificação durante a feira. Nas apresentações, especialistas da instituição ensinarão técnicas para Escultura em Chocolate e Modelagem de Pasta Americana, por exemplo.

As apresentações são uma oportunidade para os visitantes conhecerem um pouco dos cursos do SENAI-SP, que preparam o aluno para o mercado de trabalho. “O SENAI ensina o profissional a coordenar o desenvolvimento dos processos produtivos de alimentos seguros, avaliar a qualidade das matérias-primas, dos insumos e dos produtos alimentícios”, explica Antonio Carlos Costa.

A 1ª edição da ANUFOOD Brazil tem o patrocínio do Banco Fator. O evento é exclusivo para profissionais do setor, que devem fazer o credenciamento gratuito pelo site www.anufoodbrazil.com.br.

A programação do Congresso ANUFOOD e as informações para inscrições estão no link https://www.anufoodbrazil.com.br/congresso/.

Serviço:

ANUFOOD Brazil

Data: 12 a 14 de março de 2019 – Feira:  10h às 19h

Congresso: dia 12 (das 14h às 17h30) | dia 13 (das 10h às 18h)

Local: São Paulo Expo – Enderço: Rodovia dos Imigrantes Km 1,5 – Vila Água Funda, São Paulo – SP

Sobre a ANUFOOD Brazil – A ANUFOOD Brazil está sendo organizada pela Koelnmesse do Brasil em parceria com a FGV Projetos, unidade de assessoria técnica da Fundação Getúlio Vargas, dedicando o devido espaço a toda diversidade das atividades relacionadas ao agronegócio e à indústria alimentícia e de bebidas. Dessa forma, compradores nacionais e internacionais terão a oportunidade de se encontrar em um mesmo local para realizar negócios, além de ter contato com as inovações da indústria.

Mais informações: anufoodbrazil.com.br

Sobre a Koelnmesse – Global Competence in Food and FoodTec: A Koelnmesse é líder internacional na implementação de feiras de alimentos e serviços e produtos relacionados a processamento de alimentos e bebidas. Feiras como a Anuga, a ISM – Feira Internacional de Doces e Biscoitos e a Anuga FoodTec são reconhecidas em todo mundo como líderes absolutas em seus setores. A Koelnmesse também organiza feiras líderes no setor de alimentos e bebidas em outros mercados emergentes no mundo todo, tais como: Brasil, China, Índia, Itália, Japão, Tailândia, Estados Unidos e Emirados Árabes Unidos. Com estas atividades globais, a Koelnmesse oferece aos seus clientes um completo portfólio de eventos qualificados, em diferentes mercados, que garantem uma rede de negócios sustentável e internacional.

 Mais informações: http://www.global-competence.net/Global-Competence-in-Food-and-FoodTec

 Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

‘Fábrica do futuro é automatizada e flexível’, diz especialista no 1º Simpósio das Faculdades de Tecnologia Senai-SP

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Tempo de refletir sobre o futuro. E sobre a união do mundo real com o virtual. Com esse foco, foi realizado, nesta segunda-feira (26/11), o 1º Simpósio das Faculdades de Tecnologia Senai-SP – Informação e Conhecimento. O evento foi sediado no Teatro Sesi-SP, no prédio da Fiesp, em São Paulo.

“Existe uma correta preocupação da indústria de São Paulo com o ensino superior”, afirmou o diretor regional do Senai-SP, Ricardo Terra, na abertura do encontro. “Hoje temos a certeza, pela alta empregabilidade dos nossos alunos, de que estamos no caminho certo”, disse. “Somos a escola da indústria”.

Para Terra, “a melhor forma de prever o futuro é construí-lo”.

Responsável pela palestra magna do simpósio, sobre a “Quarta Revolução Industrial – A Transição e seus impactos”, o engenheiro Luís Miguel Marques de Sá, gerente sênior de Projetos e Produtos da Festo Didactic SE, empresa de automação e consultoria da Alemanha, destacou que “não é preciso temer a automatização do humano” nesse momento de mudança.

“A indústria 4.0 envolve cadeias de criação de valor, unindo o mundo real e o virtual”, disse Sá. “É a tecnologia que vem para ajudar a facilitar a vida”.

O especialista apontou tendências na área como a mobilidade como serviço, os veículos autônomos, a inteligência de softwares em produtos e conexão de três mundos: casa, trabalho e lazer. “Temos os três ligados, não é possível mais separar”, explicou.

Isso sem falar no cuidado com a sustentabilidade e o uso das novas energias, na adoção de novos modelos de negócios e na oferta de serviços novos ou adicionais.

Sá destacou ainda conceitos como a maior flexibilidade nos processos e aumento na eficiência dos recursos, com controle mais eficiente dos procedimentos e aumento na disponibilidade das máquinas. “A implantação da indústria 4.0 é um processo evolutivo que progride em diferentes velocidades nas fábricas e em certos segmentos da indústria”, disse.

Nesse contexto, para o especialista, a fábrica do futuro é “automatizada, flexível e com consumo energético otimizado, um cenário de constante aprendizagem”. “Até um prego a ser colocado tem um sistema de inteligência”, explicou.

Outro ponto importante, segundo Sá, é o foco nas pessoas. “A peça central da indústria 4.0 é a noção de fábrica de aprendizagem inteligente”, disse. “Cada máquina precisa ser capaz de conversar com a outra, a indústria 4.0 muda as exigências feitas aos trabalhadores”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Terra: alta empregabilidade dos alunos e compromisso com o ensino superior. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp



Senai-SP e BMW apresentam novo Centro Técnico em São Paulo

Alex de Souza, Agência Indusnet Fiesp 

A mobilidade global atravessa um período de rápida e profunda transformação e se torna cada vez mais autônoma, eletrificada, conectada e compartilhada. Como consequência imediata deste cenário, a demanda por profissionais qualificados aumenta exponencialmente. E como uma resposta concreta a esta necessidade, a Academia BMW Group Brasil Senai-SP surge para atender este complexo panorama de negócios potencialmente ávido por liderar a transformação da indústria de mobilidade premium em produtos e serviços.

Erguido em uma área de 1.000 m² nas dependências da Escola Senai Conde José Vicente Azevedo, no bairro do Ipiranga, na capital paulista, o empreendimento abre oficialmente suas portas à comunidade, nesta segunda-feira (29). A iniciativa é um exemplo de cotraining, em que BMW Group Brasil e Senai-SP terão uma área exclusiva, personalizada e totalmente desenvolvida para a melhor qualificação profissional dos profissionais da mobilidade.

Para o presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, é motivo de satisfação a parceria com a BMW. “Este local vai formar 2700 alunos por ano, sendo 1200 da própria rede BMW e 1500 alunos da comunidade Senai-SP. E eles terão acesso a modernos laboratórios, conectados às mudanças mundiais. Isso mostra que as duas entidades entendem os desafios impostos pela quarta revolução industrial e se anteciparam para formar mão de obra para o emprego do futuro”, afirmou.

Fruto de um investimento compartilhado que totaliza R$ 4 milhões – sendo R$ 3 milhões em instalações, área construída e infraestrutura, somados a R$ 1 milhão, em modernos equipamentos e produtos –, a Academia BMW Group Brasil Senai-SP possui tecnologia de última geração para formação de profissionais em veículos elétricos e híbridos, sistemas de diagnóstico e programação, assim como agrega ferramental voltado para reparação de carrocerias feitas de alumínio. O novo local também está capacitado para treinar toda a rede BMW e alunos do Senai-SP em tecnologias assistentes de condução semiautônoma presentes em veículos como o BMW X3 M40i, produzido na fábrica do BMW Group em Araquari (SC).

O novo centro de treinamento vai aprimorar a capacitação técnica para as novas tecnologias em produtos e serviços das marcas BMW, MINI e BMW Motorrad. Esta iniciativa também permitiu a unificação das áreas de capacitação específica de funilaria e pintura, de mecânica e eletrônica embarcada, além de favorecer a logística, reduzindo o tempo de deslocamento de equipamentos e de pessoal. O local conta ainda com um Brand and Customer Institute (BACI), um espaço voltado para imersão nos valores das marcas do BMW Group e do segmento premium.  Com esta atuação, o BMW Group Brasil espera também atrair alunos técnicos do Senai-SP para abastecer sua rede de concessionários no Brasil. Os primeiros treinamentos começam a partir da 2ª quinzena de janeiro de 2019.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Skaf e autoridades na apresentação do novo centro técnico: desafios da quarta revolução industrial. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Skaf inaugura Escola Móvel de Indústria 4.0 do Senai-SP

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, apresentou a nova Escola Móvel de aprendizagem industrial nesta sexta-feira (26 de outubro), na Escola Senai Luiz Pagliato, em Sorocaba. Totalmente voltada à Indústria 4.0, a unidade volante poderá percorrer todo o Estado de São Paulo e capacitar pessoas em cidades onde não há escolas físicas do Senai-SP.

O termo indústria 4.0 é uma denominação que agrupa série de conceitos tecnológicos convergentes e capazes de transformar o modo de produção das indústrias modernas, com expressivos ganhos de competitividade. Por essa razão, essa temática tem se tornado foco de ações em praticamente todos os setores industriais.

Nesse contexto e atento à evolução em curso, o Senai-SP construiu a Escola Móvel de Indústria 4.0 – A Evolução da Automação, uma inovadora e moderna  estratégia de ensino que visa capacitar novos profissionais para atuar neste novo cenário industrial, contribuindo para a atualização do parque industrial e do capital humano.

A unidade móvel integra as mais importantes tecnologias habilitadoras da Indústria 4.0, tais como a Inteligência Artificial, Realidade Aumentada, Realidade Virtual, Técnicas de Manufatura Aditiva: Prototipagem e Impressão 3D e Redes Industriais aplicadas à Indústria 4.0. Além dessas há a Robótica Avançada, Sensoriamento, Análise de dados, Internet das coisas (IoT) e Computação em nuvem.

A inauguração da nova Escola Móvel é resultado do esforço do Senai São Paulo para ofertar à indústria o que há de mais moderno e relevante, uma plataforma tecnológica para a formação de recursos humanos para a quarta revolução industrial.

Skaf na apresentação da Escola Móvel de Indústria 4.0 do Senai-SP. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Skaf na apresentação da Escola Móvel de Indústria 4.0 do Senai-SP. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Na Fiesp, StartSe e Alibaba participam de workshop para missão à China

Agência Indusnet Fiesp

Os empresários com o passaporte carimbado para a missão prospectiva da Fiesp à China International Import Expo (CIIE 2018) participaram na tarde desta terça-feira (23 de outubro) de um novo workshop de preparação, em São Paulo. Organizado pelo Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, o encontro contou com apresentações de empresas como StartSe e Alibaba, além de especialistas técnicos do Senai-SP. 

Na visão do sócio da StartSe Ricardo Geromel, já é um consenso mundial que a China e os Estados Unidos estão na vanguarda da inovação tecnológica. Segundo ele, é essencial a compreensão dos grandes números chineses por parte dos empresários brasileiros, para além de discussões superficiais sobre o país. “Para termos uma ideia, o número de unicórnios, como são chamadas as empresas de capital fechado que valem mais de US$ 1 bilhão, é de 160 na China, ante duas companhias deste tipo no Brasil”, explicou.

A executiva do Alibaba Victoria Stive, por sua vez, mostrou o desenvolvimento e os produtos do grupo chinês que revolucionou o setor logístico global, bastante conhecido no Brasil pelo e-commerce AliExpress. Por meio da plataforma Tmall, Victoria apresentou como pequenos e médios produtores e fabricantes podem vender seus produtos pela internet para todo o mundo.

Da coordenação de Relacionamento com a Indústria do Senai-SP, Guilherme Dias falou sobre as questões logísticas fundamentais de exportação para a China. Ele considerou como principais etapas para a adaptação de empresas brasileiras no exterior: design, itens regulatórios, embalagem e logística. “Trabalhamos a internacionalização de marcas levando em consideração sete linhas de atendimento e conscientização, como por exemplo a produção para mercado nacional e estrangeiro, a gestão da cadeia de fornecimento e o planejamento integrado da produção”, disse.

Sobre a importância do design dos produtos brasileiros no mercado chinês, Camila Tomás do Senai-SP ressaltou as diferenças culturais e de linguagem entre o Oriente e o Ocidente. Já a especialista em tecnologia gráfica também do Senai-SP Giselen Wittmann frisou a importância da embalagem como um meio de conter, proteger, identificar e vender o produto. Ela apontou como requisitos básicos para embalagens a atenção com risco à saúde humana, em relação a composição do alimento e alteração do gosto, odor ou textura, além das boas práticas de cada setor.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Encontro fez parte da programação da Fiesp para a feira China International Import Expo. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Ministro do Desenvolvimento Social visita unidades do Sesi e Senai na Vila Leopoldina

Agência Indusnet

Foram duas visitas rápidas, objetivas e que provocaram boa impressão. O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, conheceu no início da tarde desta quinta-feira (23/8) a Escola Senai Mariano Ferraz e o Centro de Atividades Sesi Gastão Vidigal, na Vila Leopoldina. Ele foi recebido pelo presidente em exercício das entidades mantidas pela indústria paulista, José Ricardo Roriz.

Durante o trajeto Beltrame conheceu os ambientes das unidades e as ações do Senai-SP em requalificação de pessoas para mercado de trabalho, bem como os programas de formação continuada. No Sesi-SP, o ministro viu de perto o trabalho realizado nos programas de reabilitação.

Positivamente impressionado com o que viu, Beltrame afirmou que o trabalho das entidades é extremamente importante para melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores da indústria e de seus dependentes. “Juntos, o Sesi-SP e o Senai-SP proporcionam lazer, esporte, educação, cultura, e vejo espaço para desenvolvermos alguns projetos em parceria com o ministério, que tem atuado em diversas frentes em nível federal”.

No Senai Mariano Ferraz o ministro conheceu o Núcleo Odonto-Médico-Hospitalar Manoel Amaral Baumer e o  Centro de Treinamento em Equipamentos Médico-Hospitalares Senai-SP/ GE Healthcare. No Sesi, a visita foi concentrada no Centro de Reabilitação.

Presidente em exercício da Fiesp, Jose Ricardo Roriz, recebe o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, para visita ao Senai e Sesi. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Presidente em exercício da Fiesp, Jose Ricardo Roriz, recebe o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, para visita ao Senai e Sesi.
Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Skaf assina convênio do Senai-SP para formar mão de obra para o Carnaval paulistano

Agência Indusnet Fiesp

O Senai-SP assinou nesta terça-feira (5 de junho) convênio do Programa Comunitário de Formação Profissional com a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo. A parceria foi firmada na Fábrica do Samba 1, na Barra Funda, em solenidade com a participação de Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Senai-SP, de representantes das 34 escolas de samba da Capital e de 15 escolas de samba do interior do Estado, integrantes das escolas e representantes da Liga e do Senai-SP. O acordo proporcionará oportunidade de formalização da mão de obra para trabalhadores das escolas de samba filiadas à Liga, promoverá o empreendedorismo e geração de renda entre os profissionais do setor, além da profissionalização do Carnaval paulista, por meio do desenvolvimento de soluções tecnológicas e inovação nos processos de produção.

Skaf destacou o crescimento do Carnaval paulista, graças ao trabalho das escolas de samba, e elogiou a iniciativa de agregar tecnologia aos desfiles graças à capacitação que será feita pelo Senai-SP. Para ele, o acordo será fundamental para que as comunidades ligadas ao carnaval paulista tenham mais acesso à educação e oportunidades de se profissionalizar. “Os cursos do Senai-SP são reconhecidos pelo mercado de trabalho por sua qualidade na formação e essa parceria traz novas possibilidades para os que trabalham para produzir essa festa tão bonita que é o carnaval. A educação profissional proporcionará mais geração de emprego e renda para essa população”, afirmou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Skaf na assinatura de convênio do Senai-SP para formação de mão de obra para o Carnaval. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O convênio prevê a oferta dos cursos de Formação Inicial e Continuada da área do Vestuário, tais como Costureiro de Máquina Reta e Overloque, Modelista de Roupas e Cortador de Confecção Industrial. Oportunamente, também será oferecida capacitação na área de Soldagem. Por isso, na ocasião da assinatura, foi exposta a Escola Móvel de Soldagem do Senai-SP.

As Escolas Móveis do Senai-SP são laboratórios tecnológicos sobre rodas nas as quais são realizadas programações de formação inicial e continuada, de curta duração, destinadas a atender às necessidades imediatas e específicas de formação de mão de obra para empresas industriais e outros clientes.

Por suas características — ambientes de ensino sobre rodas (laboratórios e salas de aula), as escolas têm flexibilidade para atingir localidades de todo o Estado, atendendo, dessa forma, regiões que não possuem unidades fixas do Senai-SP. Equipada com sala para aulas de tecnologia dos processos de soldagem e laboratório, com fontes de energia sinérgica e multiprocesso.

Em Pindamonhangaba, Skaf destaca renovação do Sesi-SP e do Senai-SP no Vale do Paraíba

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, inaugurou neste sábado (2 de junho) a nova Escola Sesi de Pindamonhangaba. O novo prédio recebeu investimentos de R$ 34,1 milhões e terá capacidade de atendimento para quase 900 alunos nos ensinos Fundamental e Médio. Skaf listou as unidades do Sesi-SP e do Senai-SP já inauguradas e as em construção na região do Vale do Paraíba. “É uma rede nova, com equipamentos modernos, para dar oportunidade às pessoas. É educação completa.”

A estrutura composta por térreo e mais dois pavimentos tem 18 salas de aula, dois laboratórios de informática, um de química e biologia e laboratório de ciência e tecnologia. Também há biblioteca escolar com acervo atualizado, sala de vivências, teatrais, sala de música, sala multidisciplinar e uma área de convivência e espaços poliesportivos. A unidade oferecerá Ensino Fundamental em tempo integral do 1° ao 5º ano, o que permite que os alunos permaneçam nos períodos da manhã e tarde na escola realizando vivências de esporte, arte, cultura e tecnologia, além das refeições diárias compostas de café da manhã, almoço e lanche da tarde.

Na ocasião também foram assinados convênios do programa Atleta do Futuro, que beneficiarão um total de 940 alunos em quatro municípios da região: São José do Barreiro (190 vagas para a prática de futebol e vôlei), Arapeí (110 vagas para futebol), Canas (360 vagas para futebol, futsal e judô) e Bananal (280 vagas para futsal).

Em todo o Estado de São Paulo são mais de 100.000 alunos beneficiados pelo programa, que envolve 187 prefeituras conveniadas. Desde 2008, o Atleta do Futuro tem estimulado a prática esportiva e a cidadania de crianças e adolescentes.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Paulo Skaf na inauguração do Sesi de Pindamonhangaba. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Investimento na região

As novas escolas que têm sido construídas na região do Vale do Paraíba reforçam o compromisso do Sesi-SP e do Senai-SP, que trabalham fortemente pela qualidade da educação básica e de ensino profissionalizante.

Desde 2007, as entidades investem na modernização de suas escolas e a região já recebeu investimento de R$ 265,6 milhões, o que inclui a construção de novas escolas.

Em Caçapava, o Sesi-SP está construindo nova escola que tem investimento estimado em R$ 20,6 milhões. A a previsão de entrega do prédio é para o primeiro semestre de 2019. Ao término da obra, haverá a etapa de instalação de equipamentos e mobiliários, quando então poderá receber os atuais 384 alunos do Sesi-SP no município.

A nova escola de Lorena deverá ser entregue no primeiro semestre de 2019. O investimento previsto para essa unidade é de R$ 16,1 milhões e tão logo esteja pronta para as aulas serão transferidos para o novo prédio 384 alunos.

Em Jacareí está em andamento a construção de nova unidade do Senai-SP, que tem previsão de término para outubro deste ano e tem investimento estimado de R$ 60,6 milhões. No ano passado, o Senai-SP realizou em Jacareí 6.242 matrículas em todas as modalidades de ensino profissionalizante disponíveis.

Além das escolas citadas, recentemente foram inauguradas as unidades do Sesi-SP e do Senai-SP no município de Cruzeiro e a Escola Sesi de Taubaté. As novas escolas são mais um passo para a consolidação do modelo educacional criado pelas instituições mantidas pela indústria de São Paulo.

Inaugurar uma escola é algo único, afirma Skaf no novo Senai de Cotia

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, inaugurou nesta sexta-feira (25 de maio) a nova Escola Senai de Cotia. A nova unidade recebeu investimento de R$ 45,7 milhões e atenderá à demanda de formação profissional da região. “Quando inauguramos uma escola, parece que é a primeira. Dá a mesma emoção”, disse na cerimônia de apresentação da nova unidade.

A Escola Senai Ricardo Lerner tem sete salas de aula e sete laboratórios: Controladores Lógicos Programáveis (CLP), Sistema Integrado de Manufatura (CAD/CAM), Informática, Eletroeletrônica, Hidráulica/Pneumática, Metrologia Dimensional e Gestão da Produção e Logística.

A escola também dispõe de cinco oficinas: Eletroeletrônica (Instalações Elétricas, Comandos Elétricos e Máquinas Elétricas), Usinagem com máquinas Convencionais e a CNC, Soldagem e Manutenção Mecânica.

Completam a estrutura o setor de empilhadeiras, auditório com capacidade para 118 pessoas e quadra poliesportiva coberta. Os ambientes de ensino possuem equipamentos de ponta e são projetados para oferecer diferentes níveis de capacitação: desde jovens que desejam qualificação para o primeiro emprego, até adultos que buscam ampliar a formação.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Paulo Skaf na inauguração da Escola Senai Ricardo Lerner, em Cotia. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A escola desenvolve atendimento a empresas do setor industrial, e a partir do segundo semestre de 2018 serão oferecidos cursos de Aprendizagem Industrial (Mecânico de Usinagem, Assistente Técnico de Vendas, Eletricista de Manutenção Eletroeletrônica, Manutenção Mecânica), Técnicos (Logística e Eletromecânica) e a partir de janeiro de 2019 o curso Técnico de Fabricação Mecânica, além dos cursos de Formação Inicial e Continuada de diversas áreas tecnológicas da indústria, tais como: Eletroeletrônica, Logística, Metalmecânica, Metalurgia (Soldagem), Tecnologia da Informação e Gestão. A previsão de atendimento até o final do ano é de 1.500 matrículas nas três modalidades de ensino.

Informações oficiais sobre a escola estão no site: www.sp.senai.br/cotia e na página oficial da escola no Facebook: www.facebook.com/senaicotia

O patrono

Vice-presidente e diretor do Departamento de Segurança da Fiesp, Ricardo Lerner morava em Cotia, era administrador de empresas e atuou no ramo de joias por 40 anos. Reconhecidamente ativo nesse setor, foi presidente do Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM), da Associação dos Joalheiros do Estado de São Paulo (Ajesp) e do Sindicato da Indústria de Joalheria, Bijuteria e Lapidação de Gemas do Estado de São Paulo (Sindijoias).

“Esta escola tem Ricardo Lerner como patrono porque ele é um bom exemplo a ser seguido”, disse Skaf ao inaugurar a nova unidade do Senai-SP.

Na Fiesp Lerner foi um dos responsáveis pela criação, em 2008, do Departamento de Segurança (Deseg), do qual foi diretor até seu falecimento, dia 8 de janeiro deste ano. À frente do Deseg, Lerner buscou desenvolver e promover ações em prol da segurança empresarial (privada) e pública, bem como na promoção das Polícias Civil, Militar e Técnico-Científica do Estado de São Paulo, oferecendo cursos variados por meio de parcerias com o Senai-SP, além de capacitação profissional para egressos do sistema prisional.

Foi também responsável pela criação, ainda no âmbito do Deseg/Fiesp, do Observatório de Mercados Ilícitos, cujo trabalho já resultou na publicação de dois Anuários de Mercados Ilícitos Transnacionais em São Paulo – 2016 e 2017.

Senai-SP e Henkel inauguram centro de treinamento na capital

Agência Indusnet Fiesp

O Senai-SP, em parceria com a alemã Henkel, líder global em soluções de adesivos, selantes e tratamentos de superfícies, inaugurou, nesta quarta-feira (23/05), um novo Centro de Treinamento dentro da Escola Senai Conde José Vicente Azevedo, no bairro do Ipiranga, na capital. A cerimônia que oficializou o acordo teve a presença do presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, e do presidente para o Brasil e para a América Latina da Henkel, Manuel Macedo.

Com investimento de R$ 1,5 milhão, o local tem 16 postos de trabalhos individuais, em área de 250 metros quadrados, onde serão capacitados 900 alunos por ano, com aulas teóricas e práticas para aplicação do portfólio completo da Henkel de soluções químicas para o mercado de reparação, manutenção e embelezamento automotivo.

“Vivemos hoje a era da prática, não podemos ficar só na teoria”, disse Skaf. “É o aprender fazendo, o lema que nós seguimos no Senai-SP”.

Segundo Skaf, o novo centro de treinamento será palco de muita inovação. “Muita coisa vai sair daqui para a Alemanha, além do que vamos receber de tecnologia de lá para cá”, afirmou. “Estamos recebendo o que há de mais moderno no mundo”.

Também animado com a iniciativa, Macedo destacou que o projeto pode ser “o primeiro de muitos em parceria com o Senai-SP”. A Henkel tem 142 anos, com 62 anos de mercado no Brasil. “O Senai-SP é muito importante para nós”, disse. “O conhecimento produzido aqui vai chegar a muitos profissionais”, explicou. “Estamos seguindo o conceito vencedor do Senai-SP: ganhamos nós e ganham todos os clientes finais”.

O novo espaço foi totalmente reformado e equipado e será utilizado para aprimorar os cursos já oferecidos gratuitamente para os alunos da unidade. Será possível aprender na prática as aplicações para adesão, vedação, travamento e fixação para motores; adesivos, selantes e tratamento de superfície para a carroceria, além de técnicas de emblezamento, vitrificação e polimento profissional de veículos.

No Centro de Treinamento Henkel/Senai-SP, também serão ministrados cursos de curta duração para atualização dos profissionais de clientes e parceiros da Henkel, entre eles, as principais redes de concessionárias, funilarias e mecânicas.

Para o diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni, a parceria firmada nesta quarta-feira (22/05) “vai durar muito”.


Atividades do Senai-SP são destacadas em reunião na Fiesp

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Foi realizada, na manhã desta segunda-feira (22/05), na sede da Fiesp, em São Paulo, a reunião do Conselho Superior de Estudos Avançados (Consea) da federação. O debate teve como convidado o diretor regional do Senai-SP e superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni. Na ocasião, ele destacou a importância dos ensinos técnico e superior desenvolvidos pelo Senai-SP e as atividades das editoras da indústria paulista. O encontro foi conduzido pelo presidente do conselho, Ruy Altenfelder Silva.

Vicioni lembrou que o Senai-SP foi criado, em 1942, “por empresários visionários”, já tendo nascido como “uma instituição moderna”, com foco nos cursos de aprendizagem industrial. “Sempre oferecemos a possibilidade de realização de cursos nas próprias indústrias, as escolas de extensão”, disse. “O Senai-SP já nasceu com flexibilidade, com formação continuada para os trabalhadores da manufatura”, explicou.

Outro ponto importante no trabalho da instituição, conforme Vicioni, é o apoio ao desenvolvimento tecnológico das empresas.

E isso com foco em projeto, processo e produto na condução e avaliação dos cursos, o que inclui o acompanhamento dos alunos egressos.

Ele destacou ainda o vínculo do desenvolvimento econômico ao desenvolvimento das pessoas, uma das premissas do trabalho do presidente da Fiesp, do Senai-SP e do Sesi-SP, Paulo Skaf.

O compromisso com a atualização e aperfeiçoamento dos técnicos e docentes da instituição, com a metodologia do “aprender fazendo”, também foi citado. Assim como o acesso a tecnologias de ponta e o desenvolvimento de pesquisas e inovação em parceria com as indústrias, sempre com foco no incremento de qualidade, produtividade e competitividade das empresas.

Segundo Vicioni, há um projeto de internacionalização das faculdades da rede. “Temos 16 faculdades hoje”, disse. “Entramos em áreas nas quais não existe a oferta de cursos similares no mercado”.

Nesse ponto, a instituição tem parcerias com instituições de ensino na Holanda, França, Portugal, Itália e Alemanha, entre outros países.

No que se refere aos cursos técnicos, são oferecidas 38 habilitações nas mais variadas áreas: de alimentos a construção civil. E isso envolve até modalidades de ensino à distância.

Entre 2005 e 2017, de acordo com Vicioni, o Senai-SP recebeu investimentos de R$ 2,1 bilhões.

Editoras

As editoras da indústria paulista, a Sesi-SP e a Senai-SP editoras, foram criadas para proteger o conhecimento produzido na área e publicar os conteúdos elaborados pelos profissionais das duas instituições. “Já recebemos mais de dez prêmios Jabutis, o mais importante na área literária no Brasil”, disse. “Ganhamos muito prestígio com a doação de um acervo de 900 títulos da editora Cosac Naif, que desenvolveu um trabalho muito sofisticado”.

Somente a Senai-SP Editora imprime uma média de 200 mil livros por ano, com um catálogo com mais de 500 títulos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Vicioni: “O Senai-SP já nasceu com flexibilidade, com formação continuada para os trabalhadores da manufatura”. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Senai-SP e BMW Group Brasil investem R$ 3 milhões para implantação de novo Centro Técnico de Treinamento em São Paulo

Agência Indusnet Fiesp 

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial São Paulo (Senai-SP) e o BMW Group Brasil anunciam o investimento conjunto de R$ 3 milhões para a implantação de um novo Centro Técnico de Treinamento na capital paulista. O local servirá para o aprimoramento da capacitação técnica para as novas tecnologias em produtos e serviços das marcas BMW, MINI e BMW Motorrad e irá atender os colaboradores da própria empresa e de sua rede de concessionários de todo Brasil, além de alunos e funcionários do SENAI-SP, ainda em 2018.  As novas instalações também serão utilizadas para aumentar a capacitação técnica em veículos eletrificados, híbridos e elétricos no país.

A iniciativa foi oficializada nesta segunda-feira (7/5), por meio da assinatura do Convênio de Cooperação Técnica entre os representantes das duas instituições na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), por meio do Presidente da Fiesp, Senai, Sesi, Ciesp e IRS, Paulo Skaf e Helder Boavida, Presidente e CEO do BMW Group Brasil. A Escola Senai-SP do Ipiranga disponibilizou suas instalações para abrigar o novo empreendimento, que contará com um espaço dedicado de aproximadamente 800 metros quadrados de área construída.

“A implementação do Centro Técnico de Treinamento Senai-SP/BMW Group, em São Paulo, abre novas oportunidades para uma educação profissionalizante dos colaboradores da rede de concessionários, alunos e funcionários do Senai-SP, além de contribuir com a excelência na qualidade presente em nossos produtos e serviços”, afirma Helder Boavida, Presidente e CEO do BMW Group Brasil. “Essa ação abre ainda novas oportunidades para a contratação de profissionais com uma formação técnica da escola do Senai-SP por parte de nossa Rede de Concessionários BMW, MINI e BMW Motorrad”, acrescenta o executivo.

“O Senai é uma instituição mundialmente conhecida por sua capacitação profissional e respeitada pelos resultados alcançados em competições internacionais nas quais nossos alunos estão sempre entre os primeiros lugares. E a parceria entre o SENAI-SP e o BMW Group Brasil é o reconhecimento da nossa excelência na formação profissional. Não tenho dúvida de que esse trabalho conjunto impactará fortemente a sociedade brasileira, difundindo conhecimento tecnológico de alto nível”, afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp e Senai-SP.

Além de otimizar a logística, reduzindo o tempo de deslocamento de equipamentos e de pessoal, graças à sua adequada localização e facilidade de acesso por conta da grande oferta de voos para a capital paulista, o novo Centro Técnico de Treinamento Senai-SP/BMW Group Brasil permitirá a unificação das áreas de capacitação específica de funilaria e pintura, além das áreas de mecânica e eletrônica embarcada, e contará ainda com um Brand and Customer Institute (BACI), um espaço voltado para imersão nos valores das marcas do BMW Group.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Boavida (à esquerda) e Skaf: novas oportunidades a partir da parceria. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Skaf assina em Bauru convênios de esporte, capacitação profissional e empreendedorismo

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp, do Sesi-SP, do Senai-SP e do Sebrae-SP, Paulo Skaf, assinou nesta quinta-feira (3 de maio), em Bauru, convênios com a Associação Bauruense de Desportos Aquáticos (ABDA), beneficiando 4.000 de seus alunos.

O convênio prevê a participação de alunos da ABDA em Ligas de Treinamento do Sesi-SP, capacitação profissional gratuita em cursos do Senai-SP e cursos de empreendedorismo no Sebrae-SP.

No Sesi-SP, o Treinamento Esportivo é a área de estímulo à prática esportiva situada entre os projetos Atleta do Futuro e Rendimento Esportivo. Participam jovens de 10 a 17 anos que têm predisposição natural para uma das modalidades ofertadas: atletismo, natação e polo aquático. O programa vai além da prática esportiva, pois trabalha valores como ética, disciplina, motivação, liderança e trabalho em equipe, tudo com o objetivo de promover a formação do cidadão e a transformação do jovem como atleta.

O Senai de Bauru disponibilizará cursos gratuitos de Formação Inicial e Continuada nos seguintes títulos: Auxiliar Mecânico de Motocicletas (duas turmas), Inspetor da Qualidade, Ajustador Mecânico, Costureiro de Máquina Reta Overloque. São cursos de 160 horas que capacitam mão de obra e proporcionam oportunidades de rápida inserção no mercado de trabalho.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Skaf na assinatura de convênios com a a Associação Bauruense de Desportos Aquáticos. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Orienta a concretizar o negócio, diz Skaf sobre a Feira do Empreendedor

Agência Indusnet Fiesp

Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Sebrae-SP, inaugurou neste sábado (7 de abril) a Feira do Empreendedor 2018. Organizada pelo Sebrae-SP, a feira tem entrada grátis e vai até dia 10 e oferece “orientação desde a concepção da ideia até tirá-la do papel e concretizar o negócio”, segundo Skaf.

Fiesp, Ciesp e Senai-SP têm estande na Feira do Empreendedor, em que oferecem minipalestras, mentorias, orientação empresarial e soluções do Up Lab Senai-SP.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Sebrae-SP, abre a Feira do Empreendedor 2018. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“Para muita coisa não precisa de dinheiro. Precisa de criatividade, esforço e trabalho”, afirma Skaf

Agência Indusnet Fiesp

Em entrevista nesta quinta-feira (1º de fevereiro) à Rádio Central 870 AM de Campinas, o presidente da Fiesp, do Sesi-SP e do Senai-SP, Paulo Skaf, mostrou que há formas de contornar a falta de recursos dos governos. “Para muita coisa não precisa de dinheiro. Precisa de criatividade, esforço e trabalho”, afirmou Skaf.

Exemplo é o Programa Atleta do Futuro, do Sesi-SP, que, explicou Skaf, aproveita a infraestrutura esportiva das cidades, muitas vezes ociosa, e leva a metodologia da instituição. Skaf nesta quinta-feira assina convênios do PAF com municípios da região de Campinas, na qual atualmente mais de 12.000 crianças e adolescentes praticam esporte graças ao PAF.

Skaf destacou o investimento em educação feito pela indústria na região, com quase R$ 1 bilhão nas escolas do Sesi-SP e do Senai-SP. “São mais de 100.000 matrículas anuais.” Também defendeu a educação de qualidade. “Temos que ter isso como meta para todas as crianças.”

Ao longo do dia Skaf firma convênios do Programa Sesi-SP Atleta do Futuro com os municípios de Aguaí, Mococa, Mogi Guaçu, Itobi, Tambaú, Caconde, Vargem Grande do Sul, Águas da Prata, Tapiratiba, São João da Boa Vista e São José do Rio Pardo. A parceria beneficiará mais de 4.000 crianças e adolescentes nos 11 municípios com a prática de diversas modalidades esportivas.

Criado para estimular a prática esportiva e a cidadania, o Programa Sesi-SP Atleta do Futuro contempla participantes entre 6 e 17 anos. Além da prática esportiva, os alunos recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural, dentre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

Skaf também destacou na entrevista assinatura, com o município de Aguaí, de convênio para implantação do Sistema Sesi de Ensino em 16 escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental. A parceria prevê a capacitação de 207 docentes, 31 gestores e técnicos e beneficiará 3.805 alunos da rede municipal.

Com o Sistema Sesi-SP de Ensino, os municípios recebem know-how pedagógico e educacional do Sesi-SP, o que permite a transferência tecnológica do modelo educacional desenvolvido pela entidade.

“Vai fazer com que nossos alunos possam absorver melhor os conhecimentos e ter também melhor desempenho nas provas, fazendo nossos indicadores melhorarem”, destacou o prefeito de Aguaí, José Alexandre Pereira De Araújo.

Na cerimônia de assinatura do convênio, Skaf ressaltou a necessidade de buscar as oportunidades boas no momento atual, em meio à quarta revolução industrial.

Diferentemente de outros programas existentes, o Sistema Sesi-SP de Ensino não se limita à entrega do material didático e à capacitação de docentes. O modelo oferecido às prefeituras contempla a formação da equipe gestora e a realização de reuniões periódicas com o secretário de Educação de cada cidade, além do acompanhamento de todo o processo de implantação do Sistema nas escolas dos municípios.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Paulo Skaf na assinatura de convênio do Sistema Sesi-SP de Ensino com o município de Aguaí. Foto: Divulgação

Economia

Ao falar na rádio, Skaf também defendeu as reformas estruturais já aprovadas, como o teto de gastos e a modernização trabalhista, e as em curso, como a da Previdência e a tributária. O presidente das entidades paulistas da indústria também listou as melhoras já percebidas na economia, como o controle da inflação. “A cada dia as coisas estão melhorando na economia. A situação é muito melhor que há seis meses, e estará muito melhor daqui a seis meses.”

Também em 1º de fevereiro foi concedido a Skaf o título de cidadão guaçuano, durante evento na Câmara Municipal de Mogi Guaçu.

Senai-SP Superação: ‘O Senai é a uma paixão, tenho prazer em compartilhar conhecimento’

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Dos tempos de trabalho na lavoura de café, em que cada intervalo era uma oportunidade de abrir os livros para estudar, com direito a colocar sacos plásticos nas mãos para não sujar nada, ele guarda uma lembrança: era preciso ter muita esperança. Numa época em que o acesso aos estudos era infinitamente menos democrático, quem não acreditasse de verdade desistia. Não foi o que aconteceu com o engenheiro eletrônico e professor da Escola Senai Anchieta, na Vila Mariana, em São Paulo, Erineu Bellline, de 54 anos. De Duartina, no interior paulista, onde nasceu, até a maior metrópole brasileira, ele percorreu um caminho de muito esforço e estudo, encontrando no Senai-SP o incentivo que faltava para se sentir realizado na vida e no trabalho.

Tendo chegado em 1987 na capital paulista, onde sempre sonhou morar, ele conseguiu seu primeiro emprego como professor numa escola particular. “Chegar em São Paulo foi uma aventura, até o idioma parecia diferente daquele que eu falava”, lembra. “Vindo do interior, dava bom dia até para poste, foi difícil no começo”.

Em 1995, participou de uma seleção, foi escolhido e começou a dar aulas na unidade da rede na Vila Mariana. “Nessa época o Senai já era uma instituição forte, era difícil entrar”, conta.

Em paralelo, começou a trabalhar em indústrias nos horários livres. Hoje, segue como consultor de empresas e professor. “Trouxe conhecimentos da indústria para cá e daqui para lá”, diz. “Mas o Senai é a uma paixão, tenho prazer em compartilhar conhecimento”.

Um prazer tão grande que o fez dizer não a vários convites para trabalhar com manufatura em tempo integral. “Eu já escolhi o Senai mais de uma vez, não abriria mão do que faço aqui, mesmo sendo para ganhar melhor”, conta.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Erineu dando aula na Escola Senai Anchieta: nem pensar em sair da instituição. Foto: Divulgação

Isso por se sentir presente e relevante em seu ambiente de trabalho. “Quando se tem uma equipe de verdade, as coisas acontecem”, diz. “Tenho sempre a sensação de que não posso amarelar, não quero passar por aqui como se nada tivesse acontecido”.

Nesse ponto, o envolvimento de Belline incluiu participação ativa na implantação do primeiro curso superior da escola: Tecnologia em Eletrônica Industrial, no qual é professor. “O Senai é a minha casa”, diz.

A sua casa e um lugar no qual muitos têm nele uma referência. “Aqui já fui uma espécie de padre e psicólogo de vários amigos e alunos, tento ajudar se me procuram para resolver algum problema”, diz.

Ele é famoso ainda pelas suas participações nas festas de formatura da unidade, nas quais costuma encerrar seus discursos cantando e, claro, fazendo a alegria das plateias. “O ser humano só se liberta quando tem acesso ao conhecimento”, diz. “O Senai liberta porque ensina”.

Nessa linha, seu lema de trabalho e de vida é uma reflexão do filósofo Sócrates: “Existe apenas um bem: o saber. E apenas um mal: a ignorância”. “Sempre acreditei na educação, fui uma criança muito esperançosa, por isso conseguia estudar em cada intervalo na roça de café, com sacos de plásticos nas mãos para não sujar os livros”, lembra.

Uma lembrança boa dessa época, além da esperança que era para ele um combustível para mudar de vida? “Nunca vou esquecer da época da florada do café: a plantação fica branca e o perfume é dos melhores que eu já senti”, conta.

O cheiro do café e as memórias das primeiras aulas que deu, para boias-frias na igreja católica de Ubirajara. “A igreja precisava de mais fiéis e nós trouxemos os boias-frias para rezar o terço e aprender a ler”, conta. “Foi quando eu descobri que queria mesmo ensinar, o mesmo comprometimento que eu tenho até hoje no Senai-SP”.

Senai-SP Superação: ‘O Senai é uma ONU, integra todo mundo’

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

O que não faltam são histórias para contar. Desde 1972 morando no Brasil, para onde se mudou com a família vindo de Taiwan, seu país natal, o professor e técnico de Ensino do Senai-SP Wan Chi Ming, nunca imaginou que a sua vida pudesse se transformar tanto. Aos nove anos, já era funcionário da pastelaria aberta pelo seu pai em Suzano (SP), onde trabalhou até os 24. Foi quando decidiu estudar Gestão em Processo de Produção pela Fatec. O sonho de estudar Medicina foi abandonado pela dificuldade com o idioma, que o impediria de passar no vestibular da Fuvest. Mas quem o vê hoje, dando aulas ou circulando pelos corredores da Escola Senai Francisco Matarazzo e Faculdade de Tecnologia Antoine Skaf, voltadas para a indústria têxtil e instaladas no bairro do Brás, em São Paulo, não consegue imagina-lo de jaleco num hospital.

“Até o colegial tinha muita dificuldade com o português”, conta Ming. “Nunca repeti de ano, mas precisava decorar os conteúdos para passar nas provas”. E assim foi até os tempos da Fatec. “Era muito difícil escrever um parecer técnico”.

As coisas só começaram a melhorar nesse sentido quando ele se matriculou num curso do Senai-SP de costureiro industrial. “Na sequência, fiz todos os cursos de modelagem oferecidos”, lembra. Não saiu mais da instituição, para a qual foi consultor antes de ser convidado a começar a dar aulas. “O Senai-SP é uma ONU, integra todo mundo”, diz.

Sentindo-se apoiado, Ming conta que enfim conseguiu aprender a fazer pareceres técnicos no Senai. “Tive muita ajuda, o suporte que não encontrei em lugar nenhum antes”, diz. “Nunca me senti tão acolhido”.

Uma sensação que não se restringe à força para aprimorar o português. “Sendo estrangeiro, já sofri bullying e me senti excluído, o que nunca aconteceu dentro da escola”, conta. “Até porque aqui temos alunos de todos os perfis: judeus, muçulmanos, japoneses, coreanos, gays, transexuais”, afirma. “Um cuida do outro e todos cuidam de todos”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1558937052

Ming e sua história de superação no Senai-SP: “Um cuida do outro e todos cuidam de todos”. Foto: Divulgação

Hoje, não consegue se imaginar sem o seu trabalho, para o qual dedica as suas tardes e noites, das 13h às 22h, de segunda a quinta, com mais aulas aos sábados. “Não consigo imaginar a minha vida sem o Senai”, conta. “Me peçam tudo, mas não me tirem as minhas aulas, gosto de gente”.

Hoje pai de dois jovens, um de 20 e outro de 16 anos, ele diz ter levado para casa e para a educação dos filhos a noção de compromisso e carinho com aquilo que se faz. “Isso e mais a vontade de superar, de crescer”, afirma.

Quem o vê tão confiante e feliz, não tem a menor dúvida de que ele diz a verdade.