São Sebastião e Ilhabela renovam convênio e iniciam formação esportiva em vela

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de São Sebastião

Mostrando a diversidade de modalidades esportivas e o aproveitamento da estrutura de cada cidade, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) renovou, nesta sexta-feira (21/03) o convênio do Programa Atleta do Futuro (PAF) com as cidades de Ilhabela e São Sebastião. Somadas, as duas cidades do litoral norte atendem cerca de 1500 crianças em várias modalidades, com destaque para a vela.

Nilce Signorini e Alexandre Pflug com o documento do convênio logo após a assinatura. Montanaro (com uniforme preto) representou o presidente do Sesi-SP, Paulo Skaf. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Os convênios foram assinados pelo diretor de esportes e qualidade de vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug; Nilce Signorini, vice-prefeita de Ilhabela; Fabio Figueiredo Lopez, secretário de esportes de São Sebastião; e José Bosco Fernandes de Castro, superintendente da Sabesp, empresa parceira do PAF no litoral norte.

O gestor da modalidade de vôlei do Sesi-SP, José Montanaro Júnior, representou o presidente Paulo Skaf e aconselhou os futuros campeões. “O Sesi-SP entende o esporte, antes de tudo, como uma ferramenta educacional. Por isso, aproveitem essa oportunidade e acreditem em vocês. Sonhem com os olhos abertos, sonhem em ser grandes campeões. Valorizem cada palavra do que o professor diz para vocês. Os valores que vocês vão aprender aqui, vão levar para a vida toda. E é desses valores que o Brasil precisa.”

Prática da vela atraiu interesse de muitos jovens. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Em São Sebastião, o PAF oferece 500 vagas para os esportes: futebol, futsal, futebol de areia, voleibol, basquete, tênis de mesa, vela, judô, xadrez e natação. Ilhabela tem mil vagas, nas modalidades futebol, futsal, voleibol, basquete, tênis de campo, vela, jiu-jitsu, natação, rugby, atletismo e dança.

Mais do que aproveitar a estrutura das duas cidades litorâneas, o Atleta do Futuro usa o mar para desenvolver a prática da vela, que atraiu muitos interessados e trouxe grandes resultados. Tanto que São Sebastião se tornou um polo de formação esportiva do Sesi-SP nessa modalidade, para treinar atletas de alto rendimento.

Um exemplo do sucesso da parceria no Atleta do Futuro é o atleta Pedro Luiz Marcondes Corrêa, de 16 anos, que já ganhou regatas nacionais e internacionais. Ele começou na vela fazendo um curso básico oferecido em São Sebastião. Por meio do PAF, seguiu treinando e começou a participar de competições, obtendo boas colocações. Já participou em competições no México, Itália, Estados Unidos, Portugal, Chile.

Regata celebrou assinatura do PAF. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Pedrinho, como é conhecido, ganhou recentemente o Sul-americano na categoria byte, realizada na Represa de Guarapiranga, e seu próximo desafio é a Olimpíada da Juventude, na China, e o Mundial de Byte, na Itália. Além de prêmios, o atleta diz que ganhou muito mais com o esporte.

“Na vela, tem dias que a gente não vai tão bem em uma regata. É como na vida: temos que aprender a dar a volta por cima, ter garra, perseverança, humildade e nunca abandonar seus sonhos.”

Tendo Pedrinho como exemplo, outros alunos da vela também querem ser campeões. Praticando Vela há seis meses, André dos Santos Silva Júnior, de 11 anos, tem metas ambiciosas. “Já aprendi muitas coisas, conheço as regras de regata, sei dar jibe, bordo, 360, 720”, conta o aluno, que diz que melhorou seu desempenho na escola depois que começou no esporte. “Quero ser um velejador mundialmente conhecido.”

No fim da solenidade, os alunos realizaram uma regata, que foi acompanhada pelos maratonistas aquáticos do Sesi-SP, Mariana Serrano e Lucas Cortini, que caíram no mar com a turma da vela.

Nadadores do Sesi-SP acompanham regata. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

TJ-SP concede liminar que suspende reajuste do IPTU em São Sebastião

Agência Indusnet Fiesp

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) concedeu nesta segunda-feira (20/01) uma liminar suspendendo o reajuste do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) no município do litoral norte paulista.

O TJ-SP acolheu a Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) impetrada pela Federação e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) na terça-feira (14/01).

Em São Sebastião, a Lei Complementar nº 167, de 26/9/2013, reajustara o metro quadrado da construção pela inflação em 6%, porém, o metro quadrado do terreno foi atualizado em valores excessivos – em média, 232%, atingindo pico em até 1.324%, ou seja, um aumento que não tem fundamento em qualquer índice que demonstre tal valorização. Comparativamente, a inflação do período medida pelo IPCA (IBGE) foi de 87%, desde a última revisão efetuada no valor venal.

Na visão da Fiesp e do Ciesp, a lei municipal não só afrontou os princípios constitucionais da razoabilidade e da capacidade contributiva do cidadão, mas também da moralidade em função do aumento do imposto incompatível com o crescimento da economia.

“Não é possível aceitar esse reajuste desproporcional”, afirmou o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, na ocasião.

“Ainda que fosse razoável o aumento do valor dos imóveis, a renda do cidadão não subiu na mesma proporção”, observou Skaf.

Em São Paulo 

No município de São Paulo, o aumento do IPTU acima da inflação foi suspenso em outra decisão do TJ-SP, que julgou procedente o pedido de liminar na Adin proposta pelas entidades para barrar o aumento do IPTU.

A Prefeitura recorreu a instâncias superiores para cassar a liminar, mas a decisão do TJ-SP foi mantida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e, na sequência, pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Fiesp e Ciesp entram com ação na justiça contra aumento do IPTU em São Sebastião

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

Nesta terça-feira (14/01), a Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) entraram com Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) contra o aumento abusivo do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) no município de São Sebastião.

A Lei Complementar nº 167, de 26/9/2013, reajustou o metro quadrado da construção pela inflação em 6%, porém, o metro quadrado do terreno foi atualizado em valores excessivos – em média, 232%, atingindo pico em até 1.324%, ou seja, um aumento que não tem fundamento em qualquer índice que demonstre tal valorização. Comparativamente, a inflação do período medida pelo IPCA (IBGE) foi de 87%, desde a última revisão efetuada no valor venal.

A lei municipal não só afrontou os princípios constitucionais da razoabilidade e da capacidade contributiva do cidadão, mas também da moralidade em função do aumento do imposto incompatível com o crescimento da economia.

“Não é possível aceitar esse reajuste desproporcional”, afirma o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, pois “ainda que fosse razoável o aumento do valor dos imóveis, a renda do cidadão não subiu na mesma proporção”.

Sesi-SP: Skaf lança programa esportivo de vela para crianças e jovens do litoral norte

Lucas Dantas – Agência Indusnet Fiesp

Em agenda na manhã deste sábado (23/06) em Ilhabela, no litoral norte paulista, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de (Sesi-SP), Paulo Skaf, lançou a nova modalidade esportiva do programa “Sesi-SP Atleta do Futuro“: a Vela.

Paulo Skaf: expectativa é que, a partir de agosto, 200 jovens já estejam começando a aprender a velejar.

O objetivo do programa é o de propiciar oportunidade às crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 17 anos de começar o aprendizado à prática da Vela na categoria Optimist.

“Esporte é saúde. Esporte é educação. Quem pensa que um país se desenvolve sem educação, não sabe nada”, afirmou Skaf durante evento no Antigo Campo de Aviação, Pequeá, com presença do prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci.

Em entrevista à imprensa, o presidente da Fiesp e do Sesi-SP disse que a expectativa é que, a partir de agosto, 200 jovens já comecem a aprender a velejar. “Além da vela também vamos ter natação, vôlei, futsal, outras tantas modalidades. O Sesi tem investido pesadamente no esporte e aqui e em Ilhabela vamos iniciar esse trabalho com 1.000 jovens e na região de São Sabastião com mais 1.500 jovens”, completou Skaf.

A Vela foi o esporte escolhido para o programa por disseminar os valores olímpicos e unir grupos sociais para atingir objetivos. Por ser um esporte coletivo, a Vela ensina a trabalhar em grupo, valorizando o ser humano e o coletivo. Sua prática também respeita diferenças, regras, limites e lideranças.

Para viabilizar o programa o Sesi-SP realizou parcerias com a Sabesp e as prefeituras de Ilhabela e São Sebastião.

Turmas terão até 20 alunos, sempre com a instrução de profissionais.

As aulas

As aulas ocorrerão de segunda a quinta-feira, nos períodos da manhã e tarde, em horários não conflitantes com os da escola, na Praia Grande de Ilhabela e de São Sebastião.

As turmas terão até 20 alunos, sempre com a instrução de profissionais. Toda a coordenação do programa ficará a cargo da equipe técnica de esporte e lazer do CAT Ozires Silva, de São José dos Campos.

Além das aulas para os alunos da região, o Sesi-SP promoverá vivências exclusivas para os demais estudantes da rede Sesi-SP. Essas práticas serão realizadas às sextas-feiras em São Sebastião e aos sábados em Ilhabela. Os alunos da entidade ainda participarão de atividades extracurriculares ligadas ao meio ambiente e geografia nas quais terão a oportunidade de utilizar bússolas e aprender a ler mapas.

Atualmente, o Atleta do Futuro conta com 18 modalidades esportivas, atendendo a 50.355 alunos do Estado de São Paulo.

Veja no Fickr: a galeria de imagens do evento – fotos de Ayrton Vignola