“Belíssima causa”, afirma Skaf sobre parceria entre INSS, Fiesp e Senai-SP para reabilitação profissional

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, disse nesta quinta-feira (5 de outubro) que a parceria assinada entre as duas entidades da indústria e o INSS para reabilitação profissional é uma “belíssima causa”. O acordo – que prevê o oferecimento até dezembro de até 500 bolsas de estudo integrais em cursos de qualificação profissional em diversas áreas tecnológicas pelo Senai-SP – foi assinado na mesma data no prédio da Fiesp por Skaf e pelo presidente do INSS, Leonardo Gadelha. “É o início de uma nova história” para o trabalhador que participar dos cursos, disse Skaf.

Leonardo Gadelha disse que a parceria terá impacto profundo. Por limitações materiais, explicou, é muito baixo o número de reabilitados anualmente. “Queremos dar ao trabalhador bem-intencionado as condições para voltar ao mercado de trabalho. É uma parceria em que todos ganham.” Os trabalhadores voltam a ter uma profissão, as empresas ganham mão de obra e deixam de ter o custo provocado pelo afastamento, e o governo deixa de ter a despesa previdenciária.

Sylvio de Barros, diretor do Departamento de Ação Regional da Fiesp, lembrou que além disso a pessoa reabilitada volta a contribuir para o INSS. “É um convênio permanente”, disse, que vai ser voltado inicialmente aos industriários. São 98 cursos de capacitação profissional, explicou, ministrados nas escolas do Senai-SP às pessoas indicadas pelo INSS. “Não é um convênio que vamos fazer. Já estamos fazendo.”

“Esse convênio, que deve ser o primeiro de muitos outros semelhantes, favorece tanto o INSS, que ganha em capacidade de atendimento às demandas da área de reabilitação, quanto o trabalhador, que tem a oportunidade de se aprimorar e retornar ao mercado de trabalho”, afirmou o superintendente do INSS em São Paulo, José Carlos Oliveira.

Ouça boletim sobre essa notícia

No evento também foi lançada a Cartilha de Educação Previdenciária, iniciativa do INSS, Fiesp e Sesi-SP, para ser distribuída livremente.

O objetivo da parceria é otimizar o processo de reabilitação profissional dos segurados incapacitados para o trabalho e afastados pelo INSS, promovendo redução do tempo de afastamento do segurado, com vistas ao seu retorno e permanência na vida profissional. O INSS indica segurados maiores de 18 anos, com ensino fundamental completo, com apresentação de autodeclaração de baixa renda e vindos de empresas contribuintes do Sesi e do Senai. Após a participação no programa, o INSS certifica o segurado, que poderá ser empregado na cota de pessoas com deficiência e terá também certificação do Senai-SP.

Skaf, Leonardo Gadelha e Sylvio de Barros na assinatura da parceria para reabilitação profissional. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

INSS estuda modelo da Fiesp de reabilitação e reinserção no mercado de trabalho

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, e o presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Leonardo Gadelha, assinaram, nesta quinta-feira (6), na sede da Federação, protocolo de intenções para o desenvolvimento e implantação de programas que permitam agilizar, com segurança e transparência, a tramitação de processos de segurados da Previdência Social e beneficiários da Assistência Social. O objetivo é promover a reabilitação e reinserção no mercado de trabalho de afastados do INSS, com programas de reabilitação física e psicológica do Sesi-SP e reabilitação profissional com cursos do Senai-SP, entidades também presididas por Skaf.

“Isso é bom para o Instituto, que deixa de ter um gasto e volta a ter alguém contribuindo com o sistema; para o próprio cidadão, que ao voltar a produzir se sente útil à sociedade, e bom para as empresas, que voltam a contar com um funcionário qualificado, pronto para enfrentar os desafios do mercado de trabalho”, afirma Gadelha.

De acordo com Gadelha, após conhecer detalhadamente o trabalho desenvolvido pela Fiesp, o protocolo de intenções avança para um projeto-piloto nas dependências do Sesi-SP e Senai-SP e, se bem-sucedido, pode ser replicado para outras regiões do país.

De acordo com o diretor do Departamento de Ação Regional da Fiesp (Depar), Sylvio de Barros, a Federação quer colaborar com o governo com a experiência que tem com a reabilitação de profissionais para a indústria há mais de 50 anos. “Hoje o INSS tem uma lista de mais de dois milhões de trabalhadores afastados por doenças e nós temos instalações técnicas e conhecimento para a reabilitação de tanta gente.”

O diretor explica que se for preciso o programa poderá ser estendido para as regiões dos cinco centros de reabilitação do Sesi-SP no Estado de São Paulo. “O mercado precisa de pessoas reabilitadas, e os reabilitados precisam de trabalho”, conclui Barros.

Visita

Antes da assinatura do protocolo de intenções, Gadelha visitou as unidades do Sesi-SP e do Senai-SP instaladas na Vila Leopoldina, na capital paulista. Ele foi recebido por Sylvio de Barros, que o acompanhou durante o trajeto.

O primeiro compromisso foi na Escola Senai “Mariano Ferraz”, onde Gadelha e sua equipe conheceram as instalações da unidade, que oferece cursos profissionalizantes para atender as áreas de solda, metalmecânica, eletroeletrônica, automação industrial, mecânica automotiva e médico odonto-hospitalar.

Em seguida, a comitiva se dirigiu ao Centro de Atividades Gastão Vidigal, que abriga uma escola da rede Sesi-SP, o Centro de Lazer e Esportes, a Faculdade Sesi-SP de Educação, com um moderno FabLab, e as dependências do Centro de Reabilitação do Sesi-SP, foco da visita de Gadelha, que elogiou o trabalho realizado pela equipe composta por médicos fisiatras, ortopedistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e fonoaudiólogos, entre outros.

“Saio daqui bastante impressionado. Essa é a parte do Brasil que funciona, porque a gente vê o dinheiro sendo bem empregado. A estrutura é excelente, bem como os serviços oferecidos”, disse Gadelha.

Leonardo Gadelha durante visita, com Sylvio de Barros, a unidade de reabilitação do Sesi-SP. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Encontro internacional discute reabilitação e reintegração profissional

Agência Indusnet Fiesp

Especialistas da Alemanha, Portugal e Brasil estarão presentes ao Encontro Internacional das Melhores Práticas em Reabilitação Profissional, que acontece nesta quinta feira (10) na sede da Fiesp.

O evento faz parte do programa Sou Capaz, criado pelo Departamento de Ação Regional (Depar) da federação para dar apoio institucional e informações técnicas e legais às indústrias, em questões relativas à inclusão profissional das pessoas com deficiência.

O principal objetivo do encontro é discutir a reabilitação profissional de trabalhadores afastados por doença ou acidentes, além de mostrar a importância da união de esforços entre Estado, empregadores, seguradoras e prestadores de serviços em reabilitação médica e profissional.

Outra questão importante a ser tratada é a dificuldade que as empresas enfrentam para cumprir a Lei de Cotas. De acordo com a Lei, organizações que têm entre 100 e 200 empregados devem reservar pelo menos 2% das vagas para profissionais com deficiência. Para empresas com até 500 funcionários, a cota sobe para 3%; com até 1.000, 4%; e acima de 1.000, 5%.

A principal dificuldade relatada pelos empresários, para cumprimento da Lei, é com relação à escassez de mão de obra com esse perfil. O elevado número de trabalhadores afastados por doenças ou acidentes provoca aumento dos gastos sociais com programas de atenção à doença e à incapacidade, resultando em enormes prejuízos tanto para a iniciativa pública quanto para a privada.

Confira aqui a programação do evento.