Conheça os vencedores do Rally da Safra 2012/13

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Vencedores do Rally da Safra 2012/13. o coordenador geral do Rally da Safra, André Pessôa; a secretária da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Mônica Bergamaschi; e o presidente do Cosag/Fiesp, João de Almeida Sampaio Filho. Foto: Julia Moraes/Fiesp

O Rally da Safra 2013/13 teve os seguintes vencedores: Grupo Bom Futuro, na categoria “Produtor da década”; SLC Agrícola, em “Gestão de Propriedade Agrícola”; Cooperativa Agrária, na categoria “Alta Produtividade”; e Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), em “Excelência Agronômica”.

Segundo secretário do Ministério da Agricultura, governo está sensível aos problemas de logística que afetam agronegócio

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller. Foto: Júlia Moraes/Fiesp

O Rally da Safra é uma importante ferramenta para captar informações para elaboração do novo Plano Safra. A afirmação foi feita pelo secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, durante a cerimônia de premiação do Rally da Safra 2012/13. O evento aconteceu nesta terça-feira (26/03) na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Segundo Geller, a falta de investimento em logística é um grande gargalo para o aumento da exportação da safra brasileira. “O governo está sensível às questões importantes que estão acontecendo”, disse ele, afirmando que a solução para os problemas de logística passa por uma política que precisa ser elaborada junto com o setor.

“Estamos atentos não só com políticas de crédito, mas para fazer uma política que resolva os grandes gargalos do país”, avaliou Geller.

O secretário aproveitou para anunciar a conclusão da BR-163. A rodovia que liga o município de Tenente Portela (RS) a Santarém (PA) vai contribuir com o escoamento da produção da região norte.

De acordo com a secretária da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Mônica Bergamaschi, o apagão logístico do setor de agronegócio já era um problema anunciado há muitos anos.

“A logística não afeta apenas aos produtores de grãos. Ela tem reflexos em outros setores, o que nos traz muita insegurança. Precisamos de rodovias, mas também de hidrovias e da modernização dos nossos portos. Enquanto o setor de agronegócio não for prioridade, isso não acontecerá”, enfatizou a secretária.

Brasil terá safra recorde de soja 2012/13, aponta estudo Rally da Safra

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

O desempenho histórico das lavouras do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul contribuíram para que o Brasil registrasse uma safra recorde de soja 2012/13. O volume alcançará 84,4 milhões de toneladas de soja – contra 66,4 milhões de toneladas em 2011/12, totalizando um aumento de 27,7%. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (26/03) durante a coletiva do estudo Rally da Safra 2013, em evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

André Pessôa, coordenador geral do Rally da Safra: 'Logística mais cara é aquela que não existe. Estamos no limite do uso da que temos. Precisamos de medidas emergenciais para não penalizar o setor pelo nosso sucesso'. Foto: Julia Moraes/Fiesp

A expedição técnica percorreu mais de 60 mil quilômetros entre os dias 28 de janeiro e 13 de março, coletando amostras nas lavouras de milho e soja em 12 unidades da federação: Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Piauí, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Tocantins. Estas unidades representam 96,6% da área cultivada da soja e 72,3% da área de milho no Brasil.

Com o registro de uma colheita recorde, o Rio Grande do Sul foi o destaque desta edição. De acordo com André Pessôa, coordenador geral do Rally da Safra e diretor da Agroconsult, apesar da estiagem do mês de dezembro, o estado produziu 49 sacas por hectares de soja e safra de 13,5 milhões de toneladas. “Este número é espetacular. É mais do que o dobro da produção da temporada passada [6,5 milhões de toneladas]. Tanto na colheita de soja quanto na de milho, o estado teve uma safra muito boa. O desempenho do sul do país contribuiu para que a gente tivesse uma safra de soja acima do esperado”, avaliou Pessôa.

Já o Paraná registrou a maior produtividade do Brasil, com 56 sacas por hectares e produção de 15,8 milhões de hectares – em 2011/12 foi de 10,9 milhões de toneladas. Santa Catarina chegou a 54 sacas por hectares e 1,6 milhões de toneladas.

Na região centro-oeste, o destaque positivo é Goiás, com 54 sacas por hectares. Mato Grosso ficou pouco abaixo do esperado, com média de 52 sacas por hectares. Um dos motivos, apontados por Pessôa, foi o excesso de chuvas no processo da soja tardia.

A região nordeste registrou uma queda significativa na colheita, com destaque para Piauí, que teve a pior produtividade no país, em função da estiagem de 45 dias, totalizando 31 sacas por hectares. A Bahia também teve um desempenho abaixo do esperado, com uma produção de 42 sacas por hectares.

Outro problema que assolou as lavouras brasileiras, de acordo com o coordenador geral do Rally da Safra, foi a incidência de pragas, que aumentou os custos da produção de soja e milho brasileira.

Milho verão

O milho verão alcançou 36,7 milhões de toneladas na safra 2012/13, com produtividade média de 85 sacas por hectares. Na safra 2011/12 o número foi de 75 sacas por hectares. Com destaque para o Paraná, cuja produção recorde chegou a 145 sacas por hectares. Santa Catarina registrou 120 sacas por hectares e o Rio Grande do Sul atingiu 97 sacas por hectares. Goiás de também apresentou uma ótima produtividade, com 144 sacas por hectares, seguido por Minas Gerais, que registrou 102 sacas por hectares.

Década de crescimento

De acordo com Pessôa, o Brasil registrou um crescimento significativo no setor do agronegócio nos últimos 10 anos. Segundo coordenador geral do Rally da Safra, neste período a área de plantio de soja brasileira cresceu 50% – de 18,5 milhões de hectares em 2002/03 para 27,8 milhões de hectares em 2012/13, uma expansão de 4,1% ao ano. Neste mesmo período, a produção aumentou 62%, de 52 milhões de toneladas (2002/03) para 84,4 milhões de toneladas (12/13).

No caso do milho, a área plantada foi ampliada em 18% – de 13,2 milhões de hectares em 2002/03 para 15,6 milhões de hectares em 2012/13, uma elevação de 1,7% ao ano.

Porém, no entendimento de Pessôa, a falta de investimento em logística e o apagão da mão de obra no setor agrícola são grandes empecilhos para o crescimento da agricultura brasileira.

Segundo o coordenador do Rally da Safra, apenas 16% do volume de exportações de soja e milho brasileiro é realizado pelos portos do nordeste, o que, no seu entendimento é pouco funcional, tendo em vista que a região norte/nordeste é responsável por 83,5% da produção de soja e milho do país.

De acordo com Pessôa, os custos para exportação do produto pelos portos da região sul/sudeste provocam morosidade e ônus para os produtores da região norte/nordeste, com um custo médio de US$ 100 por frete.

“A logística mais cara é aquela que não existe. E nós estamos no limite do uso da que temos. E precisamos de medidas emergenciais para não penalizar nosso setor pelo nosso sucesso”, alertou.

 

Balanço do Rally da Pecuária 2012 aponta perspectivas favoráveis para produtores

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

O Rally da Pecuária 2012 registrou uma melhoria significativa nas informações coletadas em nove Estados brasileiros. Durante a cerimônia de encerramento, que aconteceu na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) nesta terça-feira (23/10), o diretor da Agroconsult e membro do Conselho Superior do Agronegócio (Cosag) da federação,  André Pessoa, afirmou que avaliação deste ano teve foco qualitativo e quantitativo das estatísticas, avaliadas pelas cinco equipes das consultorias Agroconsult e Bigma.

André Pessoa, diretor da Agroconsult e membro do Cosag/Fiesp. Foto: Everton Amaro

“Tiramos conclusões heroicas, e hoje estamos felizes por mostrar números com mais consistência na avaliação realizada. Demos um passo importante no levantamento dessas informações”, afirmou Pessoa. Foram medidas as condições das pastagens e das fazendas de criação de gado do país, bem como os índices zootécnicos e a qualidade do rebanho nacional.

O diretor da Agroconsult revelou que a pecuária está sob pressão por causa da competição com outras atividades, como a agricultura. “Nos próximos 10 anos, as atividades de produção de grãos, açúcar e reflorestamento demandarão 15,3 milhões de hectares, e nossa expectativa é de que 82% venha da pastagem. É um desafio enorme”, comentou.

Entretanto, as perspectivas são muito favoráveis para a pecuária brasileira, que necessita de investimentos em tecnologia e aumento de produtividade, recuperação de venda via tecnificação e levantamento de informações do setor. “O sucesso depende da genética, estratégia de nutrição do gado, sanidade, reprodução, manejo e fertilização das pastagens, integração com lavoura e florestas, além de gestão e sucessão”, listou André Pessoa.

Metodologia realista

Maurício Nogueira, sócio-diretor da Bigma. Foto: Everton Amaro

Para Mauricio Nogueira, sócio-diretor da Bigma, o Rally da Pecuária 2012 foi muito mais conclusivo que o do ano anterior. “Conseguimos ir a campo com metodologia mais realista e conseguimos levantar dados inéditos”, opinou.

Os métodos utilizados, segundo ele, foram: registro fotográfico e anotação do ponto com GPS, avaliação das condições e uso da pastagem, homogeneidade do pasto, volume de massa, tipo de capim e invasoras presentes.

Nogueira apontou o perfil da amostra do Rally da Pecuária 2012:

  • Rebanho médio: 3.400 cabeças;
  • Rebanho total: 1,3 milhão;
  • Área média da pecuária: 2.356 hectares;
  • Ocupação média: 1,44 cabeças por hectare.
  • Rebanho total confinado: 549 mil cabeças;
  • Produtividade média estimada: 6,96 hectares por ano.

 

“Concluímos que a amostra foi muito mais rigorosa e realista esse ano. Não podemos dizer que a pecuária piorou”, avaliou Mauricio Nogueira, ao informar que o rebanho dos produtores vem aumentando em 52,1% dos casos, enquanto se manteve estável em 39,3% e reduziu em 8,6% dos avaliados.

“Os pecuaristas pretendem reformar mais de 14% das pastagens ao ano, o que nos permite concluir que há um espaço enorme de oportunidades para o produtor economizar, adotando técnicas mais eficientes para lidar com as pastagens. A demanda por tecnologia do pecuarista é maior que a do agricultor”, completou.

Entrega de Homenagens

Durante o evento também foi feita a entrega de homenagens aos apoiadores e patrocinadores do Rally 2012.  As empresas que patrocinam a iniciativa são Dow AgroSciences, Vale, Marfrig, MSD e Heringer. São apoiadoras do Rally 2012, instituições como a Fiesp, Embrapa e INPE, além das indústrias Mitsubishi Motors, Famato, Famasul e BeefPoint.

Patrocinadores e apoiadores do Rally 2012 recebem troféu. Foto: Julia Moraes

 

 

 

 

 

Safra brasileira registra recorde em volume e produtividade

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

André Pessôa, coordenador geral do Rally e diretor do Agroconsult

O bom desempenho das lavouras de soja precoce no Centro-Oeste e a alta produtividade dos estados do Paraná e Rio Grande do Sul contribuíram para o crescimento recorde da produção do grão acima de 50 sacas por hectare. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (29) pela Agroconsult, na sede da Fiesp, durante a apresentação dos resultados do Rally da Safra 2011.

A expedição técnica percorreu 55 mil quilômetros e avaliou lavouras de soja e milho de 11 estados, entre os dias 31 de janeiro e 27 de março de 2011. Destaque da safra 2010/2011, a soja alcançou 72,7 milhões de toneladas, contra 68,9 milhões da última colheita. Já a produção de milho chegou a 34,8 milhões de toneladas, ultrapassando os 34 milhões registrados na safra passada.

Segundo André Pessôa, coordenador geral do Rally e diretor do Agroconsult, o Paraná registrou a melhor produtividade de soja de todo o País, com 54 sacas por hectares.

O excesso de chuvas e o atraso no plantio dos grãos causaram a queda da produtividade dos estados do Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. “Mesmo não tendo sido verificado recorde da produtividade nesses estados, ainda sim é uma safra rentável, entre as mais rentáveis já registradas”, analisou Pessôa.

O coordenador mostrou otimismo com os resultados parciais das colheitas do Piauí, Tocantins, Bahia e Maranhão, cuja previsão é de crescimento da produção de soja de 44 sacas/ha para 51 sacas/ha.

Transgênicos

O investimento em sementes de grãos geneticamente modificados cresceu na última safra. Segundo dados do Rally, a média de área plantada de soja no Brasil passou de 72% (2009/201) para 86% (2010/2011). No mesmo período, o milho verão aumentou de 45% para 83% do plantio das lavouras avaliadas. Já os indices de pós-colheita foi de 4%, equivalente a duas sacas de soja por hectare.