Ministro polonês quer ampliar relações comerciais com o Brasil

Nina Proci, Agência Indusnet Fiesp

O ministro das Relações Exteriores da Polônia, Radoslaw Sikorski, estará na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), nesta quarta-feira (28/11), onde participa do seminário Brasil-Polônia: Oportunidades de cooperação bilateral, a partir das 10h.

Sikorski e representantes do governo polonês apresentarão aos mais de 50 empresários poloneses e brasileiros as oportunidades de negócios nos setores de transporte e infraestrutura, petróleo e gás, energia, defesa e serviços de off-shore.

A corrente de comércio polonesa com o mundo movimentou US$ 397,3 bilhões em 2011. O principal parceiro comercial da Polônia foi a Alemanha, que respondeu por 26% das exportações polonesas e 22% das importações do país naquele ano. O Brasil ocupou a 31ª posição no ranking.

No mesmo ano, a pauta exportadora polonesa se concentrou em máquinas (23%) e veículos automóveis, incluindo tratores (13%). Nas importações, destacaram-se também os setores de máquinas e combustíveis minerais, com participações respectivas de 22% e 13%.

Em 2011, a corrente comercial entre Brasil e Polônia foi de US$ 947,8 milhões. Nos últimos cinco anos, o Brasil foi predominantemente superavitário, apresentando déficits comerciais com os poloneses apenas em 2008 e 2010.

O Brasil exportou principalmente aeronaves (22%), fumo e tabaco (21%) e resíduos da indústria alimentícia (11%) para a Polônia em 2011. Nesse mesmo ano, o país importou, principalmente, máquinas (37%) e veículos, incluindo tratores (11%).

Antes de São Paulo, a delegação polonesa participa de reuniões com o governo brasileiro, em Brasília (26/11), e no Rio de Janeiro na Firjan (27/11), encerrando a visita oficial na Fiesp.