Em entrevista a rádios, Skaf defende voto de confiança no governo Temer

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, disse à Rádio Trianon 740 AM nesta sexta-feira (13/5) que é preciso dar voto de confiança ao novo governo. “Temos que torcer para as coisas darem certo”, disse. “Estamos com a nossa economia no chão, com o desemprego aumentando, com empresas fechando, com desânimo.”  É fundamental haver a volta da confiança e a retomada dos investimentos, do consumo e da geração de empregos.

O novo governo, avaliou Skaf, nasce com uma visão de retomada de crescimento do país.

Lembrando que a maioria da população brasileira se manifestou a favor do processo de impeachment –que, frisou, vem sendo conduzido de forma totalmente legal- Skaf disse que pode haver Interesses pontuais que levam a críticas à mudança de governo.

O Brasil hoje respira novos ares, disse Skaf. “Este momento é especial, um momento que a nação brasileira quer. A nação foi atendida na mudança.” Skaf defendeu a união, “porque a nação é uma só”.

Eficiência

À Rádio Gaúcha (RS), Skaf disse que a indústria não concorda com o aumento de impostos em hipótese nenhuma. O Brasil chegou ao limite, disse. “Ninguém aceita pagar mais impostos. Já se paga bastante.” O pato, símbolo da campanha de centenas de entidades e mais de um milhão de pessoas contra o aumento de impostos, continua a postos, disse Skaf. É preciso, afirmou, melhorar a gestão e oferecer melhores serviços públicos. Os recursos bem aplicados, na avaliação de Skaf são investimentos, seja na saúde, seja na educação, seja em outras áreas.

Voltou a defender o voto de confiança no novo governo, mas disse que o novo ministro da Fazenda deve se preocupar com a redução de gastos e desperdícios. “Há, sim, formas de reduzir gastos, desperdícios e de aumentar a arrecadação sem elevar os impostos.”