Pedágio por quilômetro rodado é mais justo e principal objetivo da CCR, afirma executivo

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Ricardo Castanheira, Vice Presidente Insitucional do Grupo CCR. (Foto: Everton Amaro)

Ricardo Castanheira, Vice Presidente Insitucional do Grupo CCR. (Foto: Everton Amaro)

Um passo extremamente importante para o sistema de transportes é a cobrança do pedágio por quilômetro rodado, afirmou nesta segunda-feira (21/05) Ricardo Castanheiras, vice-presidente institucional do Grupo CCR, ao participar do 7º Encontro de Logística Fiesp.

“É muito mais justo quando todos pagam pelo que usam. O pedágio hoje é caro porque sua forma de pagamento não é democrática. Este é um grande desafio que tomamos para nós, estamos investindo nisso. Evidentemente, é muito difícil de realizar, dadas as burocracias existentes”, afirmou Castanheiras.

Segundo o executivo, a concessionária Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) investe em pesquisas sobre o “free flow”, sistema de cobrança eletrônica de pedágio por quilômetro rodado que já funciona em mais de 20 países. “Nós precisamos transformar nossos pedágios em pedágios por quilômetros rodados. A CCR está estudando fortemente uma maneira”, completou Castanheiras.

A CCR é um dos cinco maiores grupos de concessão de rodovias do mundo, e opera, por meio da empresa STP, os meios eletrônicos de pagamento Sem Parar/Via Fácil e Onda Livre. A companhia liderou o consórcio vencedor para a operação e manutenção da Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo, operada pela Via Quatro, da qual a CCR tem 58% do capital.