Que Monstro te Mordeu? é finalista do prêmio da APCA de melhor programa de TV de 2015

Rosângela Gallardo, Agência Indusnet Fiesp

A série infantil Que Monstro Te Mordeu? é uma das cinco finalistas ao prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) na categoria Melhor Programa de Televisão de 2015. Em junho, a série já havia vencido o Festival comKids – Prix Jeunesse Iberoamericano 2015, na categoria ficção de 7 a 11 anos. Agora, concorre com os programas Zorra (TV Globo), Lucky Ladies (Fox), Masterchef Brasil (Band) e Todas as Manhã do Mundo (Nat Geo).

Realizada pelo Sesi-SP, que investiu R$ 14 milhões no projeto, a série também reuniu como parceiros a TV Cultura, a Caos Produções e a Primo Filmes.

A primeira temporada, criada por Cao Hamburger e Teodoro Poppovic e produzida por Matias Mariani, teve a orientação pedagógica de profissionais da área de educação da entidade da indústria.

Exibida pela TV Cultura desde novembro de 2014, a série também chegou ao canal Discovery Kids em agosto deste ano.

Em 50 episódios de meia hora cada, a produção retrata o dia a dia dos habitantes de um lugar mágico e lúdico: o Monstruoso Mundo dos Monstros. Nesse lugar, sempre que uma criança humana desenha um monstro, a criatura ganha vida e retrata os sentimentos infantis.

Além de premiar os melhores do ano na televisão, a APCA também destaca as melhores produções do teatro, do teatro infantil, da dança, das artes visuais, do cinema, do rádio, da literatura, da música erudita, da música popular e da arquitetura.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540205811

A atriz Daphne Bozanski, da série Que Monstro te Mordeu?. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“Que Monstro te Mordeu?” vence Prix Jeunesse Iberoamericano 2015

Alex de Souza, Agência Indusnet Fiesp

A série infantil “Que Monstro Te Mordeu?” venceu neste final de semana o Festival comKids – Prix Jeunesse Iberoamericano 2015, na categoria ficção de 7 a 11 anos. A cerimônia de premiação aconteceu no Sesc Consolação, em São Paulo, e reuniu 109 finalistas de diversos países. O público infanto-juvenil elegeu os melhores trabalhos audiovisuais, produções multimídia e aplicativos e sites.

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) realizou e investiu R$ 14 milhões no projeto, o qual também com a parceria da TV Cultura, Caos Produções e da Primo Filmes. A primeira temporada da série, criada por Cao Hamburger e Teodoro Poppovic, e produzida por Matias Mariani, teve a orientação pedagógica de profissionais da área de educação da entidade da indústria.

O primeiro capítulo foi ao ar pela primeira vez em novembro de 2014, na TV Cultura, e atualmente a série também é exibida no canal Discovery Kids. Em 50 episódios de meia hora cada, a produção retrata o dia a dia dos habitantes do “Monstruoso Mundo dos Monstros”. Nesse lugar, sempre que uma criança humana desenha um monstro, a criatura ganha vida.

O tema de cada episódio se desenvolve em torno de um novo ser criado, que pode ser o Monstro do Medo do Escuro, o Monstro do Ciúme, o Monstro da Fofoca ou o Monstro da Preguiça, por exemplo. Ao final do capítulo, o aprendizado sobre o que o monstro da vez trouxe ao “Mundo dos Monstros” é consolidado pelo Dr. Z em seu laboratório, onde identifica e cataloga cada criatura.


‘Que Monstro Te Mordeu?’ vai ajudar as crianças, diz protagonista da série

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Quem a vê na pele de Lali, a personagem principal de “Que Monstro Te Mordeu?”, pode pensar que ela se trata de uma menina de uns 13 ou 14 anos. Mas ela já passou da casa dos 20 anos. Nascida em 1992, a atriz Daphne Bozaski desfruta da visibilidade de quem aparece diariamente na série infantil lançada em novembro pela TV Cultura, com direção geral de Cao Hamburguer – a realização tem apoio do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540205811

Daphne Bozaski no evento de lançamento da série, no Teatro do Sesi-SP. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Em “Que Monstro Te Mordeu?”, logo no primeiro dos 50 episódios gravados, a personagem dessa paulista criada no Paraná sai de um desenho num papel e se materializa em um ser meio humano, meio monstro, que faz amizade com um sofá rosa (chamado Luísa), uma bola de chiclete (Dedé), uma lata de lixo (Gorgo) e um cientista maluco que tem cabeça de olho e boca de livro (Dr. Z).

Lali, segundo a atriz, representa a essência de sua infância. “Ela é um pouquinho do que todo mundo passa, dessa curiosidade, de descobrir as coisas, os mistérios. Qualquer pessoa se identifica com ela. Como ela é mordida por vários monstros, ela transita muito. Ela é muito bonitinha. Eu vejo na TV e às vezes digo: ‘não acredito que fiz isso’.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540205811

Daphne: “Que Monstro Te Mordeu?” não subestima as crianças. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Ela diz identificar-se com as brincadeiras e o jeito de brincar da personagem. “A Lali tem muito da Daphne. Essa leveza de ficar criando sozinha, de se deixar levar por todos os sentimentos. Esse lado da brincadeira, de ser curiosa, tem muito da Daphne”, revela a moça, que começou a fazer teatro em Curitiba em 2004 e voltou para a capital paulista aos 17 para tentar a carreira.

Para ela, um dos diferenciais de “Que Monstro…” é a abordagem de sentimentos e de emoções com as quais os pequenos lidam na vida, sem subestimar a inteligência deles. “O Cao queria que fosse uma coisa educativa, mas não fosse tão fofinha. Os monstros arrotam”, exemplifica.

“É legal não se travar para as nossas emoções”, prossegue Daphne. “A série vai ajudar as crianças. A Lali tem essa função de fazer essa associação, de a criança se ver naquele mundo. A gente está num mundo totalmente tecnológico, em que é tudo para fora. Vamos fazer algo para dentro.”

Dois dias antes de conversar com a reportagem, Daphne aparecera na primeira página da edição dominical do jornal Folha de S. Paulo. Ela diz que ainda não é tão reconhecida nas ruas, mas fica feliz com o reconhecimento que começa a chegar. “As pessoas estão gostando muito, recebo mensagens no Facebook e meus priminhos ligam e dizem que estão gostando.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540205811

Daphne: "A gente está num mundo totalmente tecnológico, em que é tudo para fora. Vamos fazer algo para dentro.” Foto: Everton Amaro/Fiesp

Ela diz ter noção da responsabilidade de ser protagonista de uma série feita pelos mesmos produtores do sucesso “Castelo Rá-Tim-Bum” (1994), que também envolveu TV Cultura, Sesi-SP e o diretor Cao Hamburguer.

“Eu assistia quando era criança, adorava”, admite.  “É muito maior do que se pensa quando está gravando.”

A série, diz Daphne, chega em boa hora, particularmente em um momento de poucas produções brasileiras para o público infantil. “Estava precisando de uma coisa de qualidade. As crianças estão ficando adultas muito cedo. Eu brinquei até os 14 anos e hoje, com 12, as crianças estão mocinhas”, analisa a atriz, que também pode ser vista em outro programa dedicado a esse público, o “Experimentos extraordinários”, no Cartoon Network.

Para Daphne, é significativo estar envolvida em um projeto da TV Cultura novamente apoiado do Sesi-SP – a instituição investiu R$ 14 milhões na produção e fez ainda a consultoria pedagógica. “O Sesi-SP é super reconhecido”, exclama. “Traz de todas as faixas e todas as classes. Fazer a segunda série [da TV Cultura para esse público] que tem apoio do Sesi-SP ajuda a atingir o objetivo.”

A série

“Que Monstro Te Mordeu?” vai ao ar de segunda a sexta, às 11h30 e 19h30 na TV Cultura, e às 13h30 e 20h30 na TV Rá Tim Bum!. Foram realizados 50 episódios para a televisão, com 30 minutos cada, e 50 episódios mais curtos para a internet, com duração de um a três minutos.