São Paulo se destaca em sustentabilidade, segundo pesquisa internacional

Cesar Augusto, Agência Indusnet Fiesp

A consultoria Price Waterhouse Coopers (PwC) apresentou nesta terça-feira, durante a 5ª Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental, a pesquisa Cidades de Oportunidades 2011. Hazem Galal, sócio da PwC e coordenador do estudo, explicou os critérios do estudo e como este pode ajudar a compreender a dinâmica urbana, analisando profundamente questões como: gestão regional, educação, sustentabilidade, densidade populacional, transporte e preservação.

Única cidade brasileira analisada, São Paulo só ficou à frente de Joanesburgo e Mumbai. As primeiras colocadas foram: Nova York, Toronto, São Francisco, Estocolmo e Sydney.

Em questões específicas como Sustentabilidade, Berlim é a primeira colocada. Já em Capital Intelectual, Estocolmo é a que mais se destaca. E Paris é a melhor em Transporte e Infraestrutura. São Paulo só aparece entre as dez melhores em Sustentabilidade e Agitação Cultural, sobressaindo-se como o maior centro urbano do hemisfério sul.

“São Paulo recebe 5 milhões de turistas estrangeiros por ano, enquanto Dubai que é muito menor recebe 8 milhões”, ressaltou Galal. “Isso precisa ser analisado com atenção pelo governo local, pois, além de receber menos turistas, eles gastam menos aqui do que em outros lugares.”

O estudo completo pode ser acessado no site www.pwc.com/br/cidadesdeoportunidade.

O secretário de Desenvolvimento Urbano, Miguel Bucalem, mostrou o Plano SP 2040 – A Cidade que Queremos: uma pesquisa que vem sendo feita junto à população para traçar um horizonte com metas para além de uma ou duas gestões, mas para daqui a 30 anos. “Um plano como este cria uma perspectiva para quem mora e/ou trabalha na cidade”, afirmou. “Além dos objetivos para 2040, há metas intermediárias para serem acompanhadas, até 2025, em diversas áreas como Habitação, Saúde, Educação, Meio Ambiente, Transporte etc..”

O diretor-titular do Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho, destacou que o município de São Paulo concentra 27% da população do estado e 36% do PIB. E mostrou dados de uma pesquisa da Fiesp que mostra as principais virtudes e principais problemas da cidade apontados pelos industriais paulistanos.

De acordo com o levantamento, Infraestrutura urbana e proximidade dos mercados consumidores foram os principais atrativos da cidade. Já a questão da mobilidade urbana, transporte, alto custo de vida, baixa qualidade de vida e falta de terrenos disponíveis são as maiores dificuldades.

Pesquisa inédita “Cidades de Oportunidade 2011” será lançada na Mostra Fiesp/Ciesp

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

A capital paulista ocupa posição significativa no cenário mundial quanto à agitação cultural e sustentabilidade. Este é um dos resultados da 4ª edição da pesquisa Cidades de Oportunidades 2011, levantamento mundial feito pela PriceWaterhouseCoopers (PwC), em parceria com a Partnership for New York, que analisou dados fornecidos pelo Banco Mundial (Bird) e Fundo Monetário Internacional (FMI).

Foram avaliadas 66 variáveis de 26 grandes centros urbanos do mundo. São Paulo é a única metrópole brasileira incluída no estudo inédito, em português, que será lançado dia 22/11 na 5ª Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental, e está entre as 10 melhores em sustentabilidade e agitação cultural, fundamental na atração de jovens talentos, mentes inovadoras e turistas.

O documento e as propostas para o futuro da nossa cidade poderão ser debatidos durante mesa redonda com a participação de Hazem Galal, sócio da PwC e coordenador do estudo, e Miguel Bucalem, secretário municipal de Desenvolvimento Urbano de São Paulo.

Avaliação

Foram avaliados os quesitos: capital intelectual e inovação, custo, demografia e qualidade de vida, estilo de vida, facilidade para fazer negócios, influência econômica, prontidão tecnológica, saúde e segurança, sustentabilidade, transporte e infraestrutura.

Além de São Paulo, figuram o ranking as cidades de Nova York, Toronto, São Francisco, Estocolmo, Sydney, Londres, Chicago, Paris, Cingapura, Hong Kong, Houston, Los Angeles, Berlim, Tóquio, Madri, Seul, Pequim, Abu Dhabi, Xangai, Cidade do México, Moscou, Santiago, Istambul, Joanesburgo e Mumbai.

Evolução do Estudo

Em 2010, a PwC apresentou um levantamento semelhante na Mostra anterior, com ranqueamento de 21 municípios ao redor do mundo apontando 10 vetores principais e 58 variáveis, hoje são 66. São Paulo aparecia em 17º lugar, à frente de Santiago, México City, Mumbai e Joanesburgo.

Os melhores posicionamentos da cidade representante brasileira apontados no relatório foram: custo de operação (11º lugar) e demografia e qualidade de vida (9º lugar). E os piores: transporte e infraestrutura (2ª pior colocação, atrás somente de Joanesburgo) e saúde e segurança (3ª pior, perdendo somente para Mumbai e Joanesburgo).

O relatório é produzido desde 2002, mas a capital paulista começou a aparecer na listagem nos dois últimos anos, um reflexo da boa economia do País.