Gerente de Agronegócio da Fiesp fala do Protocolo de Nagoya no Terra Viva

Agência Indusnet Fiesp

Representante do Deagro/Fiesp foi convidado do Terra Viva . Imagem: reprodução.

O Protocolo de Nagoya pode ser uma legislação com potencial para impactar a competitividade do agronegócio brasileiro, avaliou o gerente do Departamento do Agronegócio (Deagro) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Antônio Carlos Costa, ao participar do programa de entrevistas Dia a Dia Rural, do canal Terra Viva.

“Além de questões climáticas, do câmbio, variação dos preços internacionais, temos um arcabouço de questões regulatórias que acabam impactando o negócio”, disse Costa no final de outubro.

O Protocolo de Nagoya regula o acesso aos recursos genéticos procedentes da biodiversidade e estabelece diretrizes para a repartição “justa e equitativa” dos benefícios decorrentes de seu uso.

“Talvez esse seja, depois do Código Florestal, um dos temas mais importantes porque o protocolo está sendo discutido internacionalmente”, completou o gerente.

Clique aqui e assista à entrevista na íntegra.

Fiesp participa de reunião sobre biodiversidade em Montreal, no Canadá

Agência Indusnet Fiesp 

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) participa da 17ª reunião do Órgão Subsidiário de Assessoramento Técnico, Científico e Tecnológico (SBSTTA-17 – sigla em inglês), que se iniciou na segunda-feira (14/10) e segue até a sexta-feira (18/10), em Montreal, no Canadá.

O grupo da Fiesp é coordenado pelo diretor-titular do Departamento de Meio Ambiente (DMA), Nelson Pereira dos Reis. A participação da indústria já resultou em um encontro, no dia 13/10, com o Secretário da Convenção da Diversidade Biológica (CDB), Braulio Dias, e no dia 16/10, com o Secretário de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, Roberto Cavalcanti.

Os pontos de pauta em ambos os encontros foram os meios de implementação das chamadas “Metas de Aichi”, bem como questões ligadas ao processo de ratificação Protocolo de Nagoya pelo Congresso Nacional Brasileiro.

O encontro do SBSTTA17 consiste em reunião preparatória para a COP12, agendada para acontecer na Coreia, em 2014. Focado na análise e discussão dos meios de implementação das “Metas de Aichi” pelos países signatários do acordo, o debate inclui discussões técnicas, de financiamento e formas de envolver os stakeholders, inclusive governos, para obter efetividade em sua implementação.

É importante dizer que nesta reunião o governo brasileiro anunciou que já internalizou as “Metas de Aichi”, denominadas “Metas Nacionais de Biodiversidade para 2020”, e trabalha no Plano Estratégico Nacional a ser apresentado até a COP em 2014. Os principais pontos da pauta são o estabelecimento de metodologias e ferramentas políticas de suporte, adequação dos sistemas de informação e de observação para monitoramento e desenvolvimento de indicadores que estejam de acordo com a capacidade dos países para implementarem suas ações.