Decisão da Câmara pró-impeachment “foi a vontade do povo brasileiro”, afirma Skaf

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, disse neste domingo (17/4) que o prosseguimento do processo de impeachment da presidente da República, aprovado na Câmara, “foi a vontade do povo brasileiro”. Skaf fez essa declaração durante entrevista coletiva minutos depois de, às 23h07 deste domingo, ter sido emitido o 342º voto na Câmara dos Deputados a favor de encaminhar o processo ao Senado, que analisará sua aceitação.

Para Skaf, o resultado na Câmara e a vontade do povo brasileiro devem levar os senadores a aprovar o recebimento do processo de impeachment, com o afastamento da presidente do cargo até o julgamento no Senado Federal. “Uma etapa importante foi cumprida no dia de hoje”, afirmou.

O resultado trará efeitos positivos já nesta segunda-feira, disse Skaf. Ele lembrou que o mercado já havia reagido na semana passada, “pela expectativa de um bom resultado” neste domingo – que se concretizou.

E o término do processo de impeachment, que Skaf espera que ocorra o mais rapidamente possível, faz nascer uma nova esperança, e permite a retomada da confiança. “E com isso a roda da economia volta a andar, gerando empregos, desenvolvimento, investimentos.”

O processo, frisou Skaf, tem acontecido dentro das determinações constitucionais, passo a passo, e não pode ser chamado de golpe. Para ele, golpe contra a Nação foi o fechamento de lojas e fábricas e o desemprego, provocados pelo desgoverno da gestão atual.

A Fiesp declarou em 14 de setembro de 2015 o apoio ao processo de impeachment, e em 27 de março deste ano anunciou a participação na campanha “Impeachment Já!”, destinada a sensibilizar os deputados da necessidade de votar rapidamente pela aprovação do relatório pró-afastamento.

>> Ouça declarações de Paulo Skaf sobre o processo de impeachment

Paulo Skaf comemora aprovação pela Câmara do prosseguimento do processo de impeachment. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp