Em workshop na Fiesp, palestrantes criticam timing político na elaboração de projetos de infraestrutura

Amanda Viana, Agência Indusnet Fiesp

Os problemas em relação à qualidade dos projetos de infraestrutura desenvolvidos eminentemente pelo poder público foram um dos motes discutidos durante o “Workshop Logística e Transporte – Qualidade de projetos e financiamento: como alavancar o investimento em infraestrutura”, nesta terça-feira (15/3), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Luís Felipe Valerim Pinheiro, diretor da Divisão de Logística e Transporte do Departamento de Infraestrutura da Fiesp (Deinfra), afirmou que os projetos públicos não valorizam a técnica, sendo entregues de forma ruim e inadequada. “Com isso, temos todos os problemas de execução em relação à quebra de cronograma, sobrepreço, aditivos etc”, comentou.

Pinheiro criticou também o timing político, que leva a prazos extremamente apertados para a entrega de projetos, para cumprir intenções políticas. “Os projetos são priorizados e colocados no mercado segundo um timing político, que é muito curto para projetos de infraestrutura, então aí temos o caos instaurado”, afirmou. Segundo ele, são dois lados: o de um projeto de baixa qualidade, não executado em preço e prazo, devido ao poder público, e o outro lado da insanidade na elaboração dos projetos em timing muito apertados. “Não dá tempo, não há sofisticação suficiente, não há boa elaboração e gerenciamento de projetos”.

Marcelo Bruto, diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), comentou sobre projetos em processo de concessão, que, segundo ele, têm tido grandes avanços, como o uso de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), e apresentou um balanço do que já tem sido feito e os próximos passos no que diz respeito aos projetos aprovados ou em processo de aprovação. Para ele, o uso de PMI é controverso e tem prós e contras. “A PMI antecipa e muito a interação do poder público com o setor privado em se encontrar soluções e projetos viáveis. O outro lado disso é que leva tempo, existe uma demora. Há um processo de aprendizagem e custo, pode ser que isso melhore, mas a experiência tem mostrado que há ganhos, apesar da demora”, disse.

Em relação à estruturação de projetos, Bruto acredita que há um avanço significativo com o uso de PMI, mas que de forma geral é preciso melhorar essa estruturação. “Já passou do tempo de revermos a forma de contratação de estudos e projetos.” O palestrante apontou ainda a necessidade de financiamento privado para projetos de infraestrutura, mais segurança jurídica para a atração de novos investidores e previsão de prazos e procedimentos.

Para Bruno Martinello Lima, secretário de Fiscalização de Infraestrutura do Tribunal de Contas da União (TCU), mais do que nunca o contexto atual faz necessária essa reflexão de como alavancar investimentos em infraestrutura, e apresentou projetos no âmbito do TCU. “A nossa missão estabelecida é aprimorar a administração pública em benefício da sociedade por meio do controle externo, então todas as ações do Tribunal são voltadas para alcançar essa missão, com o objetivo final de beneficiar a sociedade”, afirmou.

Lima apresentou tipos de irregularidades, diferenças entre obras públicas e privadas, prazos de análise e estatísticas das fiscalizações do TCU e comentou sobre a qualidade dos projetos. Para ele, projetos com falta de planejamento acontecem mais por urgência do que por erros cometidos e é preciso um detalhamento completo. “A falta de planejamento para contratação e prazos muito curtos para a elaboração de projetos acabam levando a um projeto deficiente, sem estudos”, disse.

O gerente do Departamento de Transportes e Logística do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Edson Dalto, explicou como o banco financia a infraestrutura logística, apresentou perspectivas de desenvolvimento, estrutura do financiamento a concessões e condições para financiar infraestrutura e política organizacional. “O BNDES busca tornar projetos viáveis financeiramente. O setor de infraestrutura sempre teve uma participação significativa na economia do país, e tem uma tendência de crescimento de acordo com os últimos anos. Logística, energia, energias alternativas, telecomunicações, saneamento, mobilidade urbana, tudo isso é infraestrutura em sua forma mais ampla”, afirmou Dalto.

Sérgio Guedelha, sócio da Guedelha e Associados, falou sobre a qualidade na gestão de projetos e também criticou os prazos muito apertados. “Pedem um prazo muito curto, com um custo muito baixo e um escopo gigantesco. Isso acaba não dando certo, e o resultado é um número enorme de obras e projetos paralisados, além do desperdício de recursos”, disse Guedelha. O palestrante mostrou exemplos de projetos bem-sucedidos, mas apresentou também algumas constatações que mostravam os motivos das falhas de projetos, como engenharia insuficiente, licitações sem projeto executivo, prazos políticos ou irreais, extrema dificuldade de obtenção de consenso e falta de adoção de metodologia na gestão de projetos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544802022

Workshop do Departamento de Infraestrutura da Fiesp que discutiu qualidade de projetos. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

10º Prêmio Fiesp/Ciesp de Conservação e Reúso de Água – Cases Vencedores

O Prêmio FIESP de Conservação e Reúso de Água objetiva conhecer, difundir e homenagear, anualmente, empresas que utilizam boas práticas na promoção do uso eficiente de água, com medidas efetivas na redução do consumo e do desperdício de água, gerando benefícios ambientais, econômicos e sociais e aumentando a competitividade do setor, bem como dar ampla publicidade às ações realizadas pela indústria paulista na construção do desenvolvimento sustentável.

Clique nos links abaixo para ver os projetos das empresas vencedoras.


Empresa vencedora categoria Média/Grande: 

CRS Brands


Empresa vencedora categoria Micro e Pequena:

– Metalúrgica Inca

Fiesp realiza o maior evento em empreendedorismo do Brasil nos dias 7 e 8 de maio

Agência Indusnet Fiesp

Reconhecido como o principal evento de empreendedorismo e investimento-anjo do Brasil, o “Concurso Acelera Startup”, organizado pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), será realizado nos dias 7 e 8 de maio, na sede da entidade, em São Paulo. O objetivo é fomentar o empreendedorismo e a inovação, atraindo o maior número de participantes e de investidores-anjo para a geração de negócios.

O evento é aberto e gratuito para empreendedores que tiverem suas ideias, projetos ou startups selecionados na primeira fase de avaliação. Os interessados devem fazer a inscrição até o dia 23 de abril de 2014, diretamente na página do evento: https://www.fiesp.com.br/acelera.

Na edição anterior, em 2013, como parte integrante do Festival do Empreendedorismo (Festemp), foram avaliados mais de 1.000 projetos inscritos. Desses, 350 projetos/startups acabaram selecionados para participarem de um exclusivo processo de aceleração, com palestras, mentorias e avaliações de investidores. Mais de 50 investidores-anjo formaram a maior banca do país, com um montante total de investimento disponível em torno de R$ 500 bilhões. Somando as três edições anteriores (2011, 2012 e 2013), o evento já gerou investimentos-anjo de mais de R$ 1 milhão.

Aceleração de negócios

Dividido em dois dias de atividades, o “Concurso Acelera Startup” vai destacar ações que estimulem o empreendedorismo e o aumento da rede de inovação no Brasil. O primeiro dia será dedicado à capacitação dos empreendedores e ao aprimoramento dos negócios por meio de palestras e mentorias.

O segundo dia terá como foco a avaliação de 150 negócios por investidores-anjo. Eles selecionarão os dez melhores, que terão a oportunidade de realizar apresentações de curta duração (no formato “pitch”, em poucos minutos), no palco central do Acelera, para o público presente e para a banca de investidores. O potencial de investimento em projetos/startups gira em torno de R$ 1,5 milhão.

As inscrições de ideias, projetos e/ou startups acontecem até esta quarta-feira (23/04), pelo endereço: https://www.fiesp.com.br/acelera. Em caso de dúvidas, basta entrar em contato pelo e-mail: cje@fiesp.org.br.

Serviço

Evento: 4º Concurso Acelera

Datas: 07 e 08 de maio de 2014

Horário: das 07:30h às 20h, em ambos os dias

Local: Edifício-sede da Fiesp

Endereço: Avenida Paulista, 1.313 – São Paulo/SP

Site: https://www.fiesp.com.br/acelera

Fiesp chama academia para parceria com foco na área militar

Agência Indusnet Fiesp

A necessária aproximação entre Indústria e academia ganhará novo impulso nesta sexta-feira (14/09), a partir das 9h, na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O “Seminário e Rodada de Relacionamentos, Apresentação de Projetos da Escola Politécnica da USP” demonstrará a empresários pelo menos 21 soluções que podem ser empregadas em operações militares ou aplicações civis. Tudo made in Brazil.

As soluções envolvem tecnologia de ponta, criatividade e inovação. Entre as novidades estão veículos sub-aquáticos não tripulados para inspeção e reparo de cascos de navios, usinas hidrelétricas e outras estruturas submersas; ambientes virtuais 3D; estruturas infláveis para utilizações civis e militares, simulador marítimo hidroviário, hub militar, desenvolvimento de navegação autônoma etc..

O evento contará com 150 empresários participantes. A programação é composta por um seminário, que acontece na parte da manhã, e à tarde começam as rodadas de relacionamento em mesas temáticas. O diretor-titular do Departamento da Indústria da Defesa (Comdefesa) da Fiesp, Jairo Cândido, e o professor Dr. José Roberto Cardoso, diretor da Escola Politécnica, da USP, farão a abertura e darão início aos debates. A partir das 14h, iniciam-se as rodadas de relacionamento.

Confira aqui a programação.

Serviço
Seminário e Rodada de Relacionamentos, Apresentação dos Projetos da Escola Politécnica da USP
Data/horário: 14/09/2012, sexta-feira, das 9h às 18h
Local: Sede da Fiesp – Av. Paulista 1313, 4º andar, São Paulo, capital

Fiesp está à disposição do Comitê Organizador do Rio-2016, diz Paulo Skaf a Nuzman

Flavia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544802022

Carlos Arthur Nuzman e Paulo Skaf durante encontro na Fiesp

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016 representam uma excelente oportunidade para o Brasil apresentar ao mundo sua cultura, desenvolvimento tecnológico e os projetos na área de inovação. A opinião é do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, ao receber nesta terça-feira (26/06), na sede da federação, a visita de Carlos Arthur Nuzman, presidente do comitê organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Nuzman esteve na Fiesp para um encontro com empresários. O presidente do comitê organizador apresentou oportunidade de negócios e possibilidades de patrocínio durante a preparação para o evento, agendado para o segundo semestre de 2016.

Em sua participação no encontro, Skaf disse que o Brasil se tornará uma vitrine para o mundo durante os Jogos. “A Fiesp está à disposição para ajudar o presidente Nuzman em tudo que for possível durante a organização deste importante evento”, afirmou Skaf.

Skaf propôs ao comitê a realização de uma nova reunião em setembro, também na Fiesp, com representantes das indústrias paulistas. O objetivo é o de discutir oportunidades de negócios e a venda de cotas de patrocínio para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

“Independentemente dos interesses comerciais do setor produtivo, a Fiesp tem uma responsabilidade com o Brasil. E a organização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos não pode ser encarada apenas como um problema do comitê olímpico, mas como um interesse de todos os brasileiros”, explicou o presidente da Fiesp.

Veja o vídeo sobre a visita de Nuzman à Fiesp:

Nataltec de 2011 encerra com promessa de mais interatividade no próximo ano

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544802022

Atração premiada: Copa Noel. Foto: Everton Amaro

Ao anunciar os cinco colocados do Nataltec nas categorias Consciência Ambiental e Tecnologia, o gerente de Inovação e Tecnologia do Senai-SP, Osvaldo Lahoz Maia, afirmou que o maior ganho na edição deste ano, e também o principal desafio para os alunos do futuro, é criar projetos com interatividade.

Entre os dias 5 e 15 de dezembro, a Exposição Nataltec, que todos os anos inaugura o período natalino no prédio da Fiesp, apresentou 25 projetos tecnológicos produzidos em Escolas Senai de todo o Estado. Paralelamente, foram realizadas apresentações musicais de bandas, fanfarras e orquestras da entidade em frente ao edifício da entidade.

“Esse ano nós tivemos trabalhos com um alto nível de interatividade, e isso com certeza agrega demais para o nome do Senai e para o nome da Fiesp. A gente espera que os alunos aprendam com os resultados de cada concurso e incentivem uns aos outros, trazendo mais projetos interativos”, afirmou.

Maia anunciou na tarde desta quinta-feira (15) os projetos mais votados pelos mais de 11 mil visitantes que conheceram a exposição. Eles elegeram 10 concepções, cinco para a categoria Tecnologia e outras cinco para Consciência Ambiental. “Todas as votações são populares. Não temos nenhum júri técnico”, completou o gerente de Inovação e Tecnologia do Senai-SP.

O projeto Copa Noel, chute a gol sendo Papai Noel o goleiro, ficou em primeiro lugar na categoria Consciência Ambiental. O grupo de alunos do Senai de Cubatão utilizou 700 garrafas pets para conceber a ideia.

Em segundo lugar, o projeto Natal da Ecotransformação, Senai de Sorocaba, seguido por Noel Vencendo a Tempestade, de Votuporanga, e A Eficiência Energética e o Lixo Aplicado à Beleza Natalina, de Pirituba, que ficou com a quarta colocação. O projeto Tempo de Boas Energias, dos alunos de Osasco, levou o quinto lugar.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544802022

Visitantes fazem vila para brincar no Trenó do Bem. Foto: Everton Amaro

Na escolha por melhor projeto de Tecnologia, oTrenó do Bem, do Senai Roberto Simonsen no Brás, ficou em primeiro lugar.

Um trenó simulador com tela de LCD “42” e assento que se movimenta permite ao visitante do Nataltec viajar por diversos países, lançar presentes nessas regiões e controlar a renas simuladas na tela. A atração se movimenta de acordo com comando dado por controle Joystick.

A criação Gongo do Papai Noel, de Campo Limpo Paulista, ficou em segundo lugar enquanto o projeto Doutor Noel – Nataltec com Saúde, dos alunos de Campinas, conquistou a terceira colocação. As concepções Natal da Ecotransformação e Noel Vencendo a Tempestade, ficaram em quarto e quinto lugar respectivamente.

Ministro da Saúde participa de encontro na Fiesp

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544802022

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, durante reunião na sede da entidade



Em visita à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, conversou com o presidente Paulo Skaf sobre projetos e ações na área de saúde realizado pela federação e o poder público.

Skaf destacou os programas desenvolvidos pelo Sesi-SP, de orientação nutricional para os estudantes, trabalhadores de empresas e a população em geral. “Vamos formar um grupo de trabalho junto com o Ministério de Saúde, no qual apresentaremos os projetos do Sesi-SP e da Fiesp”, disse.

Padilha destacou a assinatura, nesta quinta-feira (7), do termo de compromisso entre o Ministério da Saúde e associações que representam os produtores de alimentos processados. O acordo prevê a redução gradual da porcentagem de sódio presente em 16 categorias de alimentos, começando por massas instantâneas e pães. A meta deverá ser cumprida até 2012.

“O programa é fundamental porque traz a indústria de alimentos para esse debate. O Brasil é pioneiro no estabelecimento de um acordo voluntário entre o governo e as indústrias”, argumentou o ministro.

Greve

Durante o encontro, Padilha comentou a paralisação de advertência dos médicos de todo o País credenciados às operadores de planos de saúde. Segundo os manifestantes, as convênios não repassam aos médicos os reajustes que cobram dos pacientes.

“Qualquer reivindicação deve ser ouvida, e o diálogo é muito importante. O Ministério torce e trabalha para que a população não seja prejudicada por conta da discussão do acordo salarial entre médicos e planos de saúde”.

Empresas mostram os benefícios de fazer o bem

Agência Indusnet Fiesp

O último dia (27/08) da Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental colocou na mesa de discussões o compromisso das empresas com a ética e o exercício da cidadania, como alicerces para gestões mais competitivas e lucrativas.

Por meio do “Programa Sou Legal” da Fiesp – que tem o objetivo de difundir o conceito de Responsabilidade Social Empresarial como uma ferramenta de gestão –, as empresas mostraram como é fácil praticar o bem.

A proposta do programa é adequar o cotidiano empresarial às práticas e condutas éticas, em suas diversas frentes de atuação. De acordo com a Fiesp, a iniciativa incentiva o diálogo sobre melhoria das relações trabalhistas; importância do consumo consciente; combate à pirataria e estímulos de políticas que visam a competitividade.

Troca de resíduos recicláveis por descontos na conta de luz

Nesta esteira, a Coelce – terceira maior distribuidora de energia do Nordeste e responsável por todo o abastecimento de energia no Estado do Ceará – criou o programa “Ecoelce”, que possibilita a troca de resíduos recicláveis por descontos na conta de energia elétrica da população.

Conforme o chefe do Departamento de Inovação e Projetos de Pesquisa da Coelce, Odailton Arruda, o programa nasceu a partir de uma pesquisa realizada em 184 comunidades de baixa renda da Grande Fortaleza.

O resultado mostrou que grande parte do lixo gerado pelos moradores é depositado inadequadamente no meio ambiente. Esta mesma população apresenta os maiores índices de inadimplência e furto de energia elétrica, implicando o aumento das perdas de energia.

“A Coelce diminui a inadimplência, o consumidor ganha dinheiro e as empresas de reciclagem ganham matéria-prima para trabalhar”, disse Arruda. “Com esta iniciativa, a população de baixa renda recebe o incentivo ao consumo organizado e eficiente da energia elétrica e contribui, significativamente, para a redução do impacto ambiental provocado pelos resíduos sólidos”, explicou.

Como funciona?
Imagem relacionada a matéria - Id: 1544802022Por meio da conta de energia, o cliente obtém um cartão magnético com seus dados pessoais e uma cartilha explicativa sobre como separar os resíduos. Após a seleção, o consumidor se dirige a um posto de coleta, onde estes resíduos serão pesados e, a partir de uma escala de valores, recebe os créditos a partir do peso de cada lixo reciclável.

Os resultados impressionam. Desde o início do projeto, que tem cerca de ano ano e meio, a empresa já concedeu quase R$ 800 mil em descontos; recolheu mais de 6,4 mil toneladas de resíduos; conta com cerca de 1,6 mil clientes cadastrados; realizou a economia de dois milhões de quilowatts de energia e de 57 milhões de litros de água.

Também do Ceará vem outro bom exemplo. Trata-se da Sanny Underware – fabricante de peças íntimas –, que desenvolveu o projeto “Zelo”, de prevenção ao câncer de mama e de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). O programa consiste na implantação de etiquetas nas peças com informações sobre como prevenir o câncer de mama, AIDS e outras DST´s.

“Com esta ação colocamos nossos produtos no foco da informação”, explicou a presidente da empresa, Teresa Joca. “A Sanny desenvolve este programa por acreditar que cada cidadão pode contribuir para um mundo melhor e que o marketing com base na responsabilidade social pode chegar a construir, a longo prazo, um valor diferencial para a marca e uma vantagem competitiva à empresa”, completou.