Em Santo André, embaixadores tomam posse e garantem incentivar o esporte na escola

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Na escola do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) de Santo André, na Grande São Paulo, 23 alunos tomaram posse, na manhã desta terça-feira (03/06), como embaixadores do esporte. Agora, eles têm como missão incentivar a prática esportiva entre os colegas e disseminar os valores da atividade esportiva. Ao todo, serão 417 embaixadores em 22 unidades do Sesi-SP.

A iniciativa faz parte do Projeto Pedagogia do Exemplo, conceito que serve de base para o desenvolvimento do esporte no Sesi-SP. “Não adianta só falar, no conceito ‘faça o que eu digo e não o que eu faço’. Precisa mostrar e dar o exemplo”, acredita Kathia Regina Asolini, orientadora de estudos da unidade de Santo André e tutora dos embaixadores do esporte.

Para ela, os educadores e os atletas de alto rendimento do Sesi-SP podem contribuir muito para a formação das crianças e jovens. “O esporte desperta nos alunos valores como disciplina, trabalho em equipe, auto-respeito e respeito entre si”, defende.

Os embaixadores do esporte em Santo André: disciplina, trabalho em equipe e respeito. Foto: Caio Lopes/Fiesp

Os embaixadores do esporte em Santo André: disciplina, trabalho em equipe e respeito. Foto: Caio Lopes/Fiesp


Cada escola conta também com um atleta-símbolo. No caso de Santo André, esse papel é de Verônica Hipólito, do Atletismo Paralímpico. Disputando o Meeting Paris, a atleta mandou um recado aos embaixadores.

“Sei que teremos um trabalho árduo. Mas todos juntos, líderes de sala, de ano e a embaixadora da escola, vamos dar nosso melhor para disseminar os valores do esporte e incentivar a prática”, declarou Verônica. “No que precisarem, vou estar disponível para ajudar e aconselhar. Vai, Brasil e vai, Sesi!”

Participaram da solenidade outros atletas de rendimento do Sesi-SP, das equipes de vôlei e de atletismo de Santo André. Entre eles, Marco Aurélio da Silva, do arremesso de peso paralímpico, que é atleta-símbolo da unidade de Guarulhos.

“É fantástica essa iniciativa de criar os embaixadores e os atletas-símbolo”, disse Marcão. “Muitas crianças conhecem apenas futebol e vôlei e acabam com a falsa sensação que não são aptas para o esporte. Quando mostrarmos outras modalidades, mais adequadas ao tipo físico deles e que eles gostem mais, vão gostar”.

Em Guarulhos, Marcão pretende ajudar a desenvolver o atletismo, que já começou a ser praticado na unidade. “Se não formarmos grandes atletas, formaremos grandes cidadãos.”

Embaixadores

Entre os embaixadores, foram selecionados representantes de sala, representantes de ano e um representante da escola. Todos foram escolhidos pelos alunos em uma eleição. Eleita embaixadora da unidade de Santo André, Bianca de Farias Sigi Miyazatu, de 13 anos, quer que os colegas troquem algumas horas de computador pela quadra de esportes.

“É importante que as pessoas conheçam outros esportes”, diz a menina, que pratica handebol e rúgby. “Também quero passar para os alunos que o esporte não é importante só por causa do físico, mas também é saúde. Hoje, as pessoas da minha idade são muito sedentárias, por causa do computador e do celular.”

Representante do 7º ano, Gabriela Garcia Ribeiro, de 12 anos, quer mostrar a diversidade das modalidades esportivas. “Um dos principais objetivos é divulgar o esporte, mas não só os mais conhecidos, como futebol e vôlei, mas o atletismo, o polo aquático, a natação, que estão disponíveis para praticar no Sesi-SP, mas as pessoas acabam não experimentando”, afirma a aluna, que gosta de correr e jogar vôlei, mas já praticou ginástica.

Embaixador eleito pela 8º ano B, Brian Andrade Nunes, de 13 anos, diz que há espaço para todos no esporte. “Quero mostrar para as pessoas que não gostam de esporte ou se acham ruins em alguma modalidade podem melhorar. Se você focar e se esforçar, consegue se sair bem”, disse o adolescente, que não se achava bom quando começou a praticar vôlei, mas hoje, depois de muito treino, tem nesse o seu esporte preferido.