A democratização da cultura

A democratização da cultura

Paulo Skaf 

Construir uma sociedade independente, livre e democrática passa pela qualidade da educação que todos recebem desde a infância. É nisso que a indústria acredita. Por isso investe em escolas que têm como prioridade o cidadão. Escolas que unem o ensino à arte, à música, ao teatro, ao esporte e à ciência.

Nós acreditamos que a educação só é completa quando o cidadão tem a oportunidade de conhecer outras expressões de arte, pois elas trazem conhecimento e estimulam as pessoas a fazer diferente, a ousar, a criar.

Quando formamos a orquestra Bachiana Sesi-SP, regida pelo maestro João Carlos Martins,  levamos à população a oportunidade de ver os mais variados concertos de música clássica. Foi um estrondoso sucesso. Só em 2012, a orquestra foi vista por mais de três milhões de pessoas.

Nos teatros e anfiteatros das escolas do Sesi-SP, sempre estimulamos as apresentações de grupos profissionais e amadores que pudessem disseminar cultura e informação entre nossos alunos.

Dentro dessa filosofia, criamos o Projeto Educacional Sesi-SP em Teatro Musical, com o objetivo de oferecer aos alunos oficinas de vivência, capacitar atores para os musicais e também formar plateia para espetáculos deste gênero.

A estreia do musical “A Madrinha Embriagada”, dirigido por Miguel Falabella, no sábado passado, veio coroar esse importante movimento da indústria para oferecer à população o que há de melhor em cultura.

Durante onze meses, mais de 150 mil pessoas poderão assistir gratuitamente a um espetáculo que até agora estava restrito apenas aos que podiam pagar. Estamos mudando este cenário. Agora os musicais estarão ao alcance de todos. Isso é democratizar a cultura! Você é nosso convidado. Acesse o site www.sesisp.org.br/ingressomadrinha e reserve o seu ingresso.

Emoção e magia no primeiro ensaio aberto de ‘A Madrinha Embriagada’

Juan Saavedra e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Depois de dois meses de trabalho intenso, o elenco de “A Madrinha Embriagada” finalmente fez na noite de segunda-feira (12/08), para convidados, seu primeiro ensaio aberto no Teatro do Sesi-SP.

A apresentação serviu como um apronto para a estreia oficial, marcada para sábado (17/08), ponto de partida em uma temporada de aproximadamente 11 meses com entrada gratuita, resultado de uma realização conjunta do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

Miguel Falabella: espetáculo investe na magia. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Minutos antes da exibição, o diretor Miguel Falabella, responsável pela adaptação do texto original “The Drowsy Chaperone”, falou brevemente sobre a produção.

“É um espetáculo encantador, que investe na magia e nos personagens para que a gente esqueça a dura realidade que nos espera lá fora. Espero que vocês sonhem conosco, que vocês se divirtam conosco”, disse Falabella.

O convite é a senha para a entrada no palco de Ivan Parente, ator que interpreta o Homem da Poltrona, um dos principais personagens de “A Madrinha Embriagada”.

Menos de duas horas depois, Parente admitiu a emoção desse primeiro contato com o público. “É inexplicável porque a gente fez o espetáculo tantas e tantas vezes sem público e sem ninguém, só com o Miguel [Falabella], que dava risada. Ele é muito nosso amigo. Então, eu não sei se ele dava risada porque gosta da gente, mas quando a gente viu esse público, ficamos muito extasiados, emocionados. A gente viveu um sonho, tanto quanto eles devem ter vivido com a gente”, revelou o ator.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

Ivan Parente: 'ficamos muito extasiados, emocionados.' Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


“Foi especial. A gente não tinha menor ideia em que trecho eles [público] responderiam, quando dariam risada. Mas eles responderam e, agora, a gente está feliz. Foi lindo.”

De acordo com Fred Reuter, que vive o personagem Roberto Marcos, os bastidores tiveram muita comemoração ao final do primeiro ensaio aberto.

“É uma confraternização. Todo mundo abraçado, dando parabéns. São dois meses de trabalho, dez horas por dia, seis vezes por semana. E, quando finalmente nasce a criança, é uma comemoração do elenco, da equipe técnica, com Miguel [Falabella], com todo mundo.”

Reuter não escondeu ter as melhores expectativas para a temporada. “Acho que vai ser um sucesso. O musical é lindo, é encantador, não cansa porque não tem 3 horas e meia de duração, e o elenco está muito afinado.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

Fred Reuter (à esquerda): temporada vai ser um sucesso. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Par romântico do personagem de Reuter, a atriz Sara Sarres, a Jane Valadão, ficou satisfeita com o ensaio aberto. “É muito legal ver onde o público dá risada, ver onde [originalmente] não tinha piada e as pessoas riem. É uma preparação final para a estreia.”

Segundo Kiara Sasso, a Eva, faltam poucos ajustes para o começo oficial da temporada. “É só um aperta aqui, aperta ali. E também o fato de fazer para o público vai ajudar a gente. Tem muita troca, tem muita comédia”, avaliou.

“É uma peça que quebra muito os moldes do teatro musical. As pessoas vão se surpreender para o lado bom. Vão sair satisfeitas apesar de ser uma linguagem diferente”.

Ainda sem poder interpretar o Aldolpho, em função de um período convalescente que lhe custou perder parte da preparação, o ator e diretor geral de produção Cleto Baccic disse ter ficado comovido ao ver, nos palcos, o resultado de um projeto de dois anos.

“É uma emoção muito grande ver o esforço de todo mundo, ver a genialidade do Miguel [Falabella] impressa nessa adaptação, na contextualização para o nosso país. Isso enriquece muito o espetáculo. A produção está riquíssima. Claro, ainda faltam alguns ajustes; é nosso primeiro [ensaio] aberto, mas estamos num caminho muito bom. Em paralelo a isso, o projeto educacional já está acontecendo na Vila Leopoldina, com as oficinas; logo mais tem o curso profissionalizante. Está tudo nascendo. É um filho de três cabeças.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

Ivan Parente, Kiara Sasso e Saulo Vasconcelos. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Em evento marcado pela emoção, Sesi-SP lança projeto educacional Teatro Musical

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Em um evento repleto de momentos de emoção, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) lançaram nessa segunda-feira (20/05), Projeto Educacional em Teatro Musical.

Por meio de oficina de vivências, curso de formação de atores e a produção do espetáculo “A Madrinha Embriagada”, a iniciativa visa formar profissionais e o público para o teatro musical brasileiro.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

Atriz Stella Miranda, entre outros integrantes do elenco de 'A Madrinha Embriagada', cumprimenta Paulo Skaf. Ao fundo, nas poltronas, Walter Vicioni e maestro João Carlos Martins. Foto: Everton Amaro.

“Nós temos [no Sesi-SP e no Senai-SP] um trabalho muito forte na educação. E na nossa visão, além da sala de aula e dos laboratórios, a educação está nas quadras de esportes, nas atividades culturais, no teatro, na dança… A gente vem estimulando bastante  esses projetos que, na nossa visão, são bons para o Brasil, para as pessoas, para a formação, para  a educação, para o entretenimento, para a alegria, para a emoção. O teatro musical é um importante projeto: um educacional; o outro, uma grande estreia para o mês de agosto”, explicou o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf.

“A produção do espetáculo ‘A Madrinha Embriagada’ é uma oportunidade de todo mundo assistir sem pagar nada”, acrescentou Skaf.

>> Saiba mais sobre o projeto educacional do Sesi-SP em teatro musical
>> ‘Educação é única forma de dar oportunidade a todos’, afirma Skaf na solenidade
>> Elenco de ‘A Madrinha Embriagada’ tem grandes nomes do teatro musical brasileiro
>> Artistas aprovam a criação do programa Teatro Musical
>> Iniciativa atrai estudantes e profissionais da área artística
>> Estado de S.Paulo destaca projeto do Sesi-SP em teatro musical

 
A cerimônia

Com os atores Saulo Vasconcelos e Sara Sarres como mestres de cerimônia, o evento aconteceu no Teatro do Sesi-SP.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

O ator e produtor Cleto Baccic, durante o lançamento do Projeto Sesi-SP em Teatro Musical. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Um dos idealizadores do projeto, o ator e produtor Cleto Baccic, emocionou a plateia ao afirmar, sem esconder as lágrimas, que o lançamento representa a realização de um sonho.

“Sonhar é elevar o intelecto humano e agir pelo bem das pessoas. O sonho que hoje compartilho com vocês é um ato de amor ao teatro brasileiro e uma ação de responsabilidade social”, disse Baccic.

Ele destacou que a parceria com o Sesi-SP, para ele, é “o exemplo maior da excelência na educação e promoção de inclusão social”.

“Com felicidade, fomos acolhidos aqui. E somos muito gratos”, disse ele.

Com a equipe de coordenação do projeto, o ator presenteou Paulo Skaf com uma caneta. “O senhor é o grande responsável pela realização desse sonho, com a sua visão do novo, à frente do seu tempo. Que a caneta seja o instrumento de muitos atos ainda, pela educação do povo, pela cultura brasileira, por São Paulo e pelo Brasil”, finalizou Baccic.

Coube a ele explicar o funcionamento do projeto, que será composto por três eixos principais: as oficinas de vivência em Teatro Musical, que começam em agosto, no Sesi Vila Leopoldina e será implantado em outras unidades de ensino por todo Estado; o curso de formação de atores, que começa em março do ano que vem e tem duração de três anos; e a montagem do musical “A Madrinha Embriagada”, que fica 11 meses em temporada no Teatro do Sesi-SP, com entrada gratuita.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

Falabella diz que projeto do Sesi-SP 'abre a porta do sonho'. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Falabella: ‘projeto do Sesi é de grandeza ímpar’

A adaptação e direção do espetáculo serão de Miguel Falabella, que também se emocionou ao contar sua experiência com o teatro musical. “Minha avó adorava teatro, mas éramos 15 primos e ela não podia levar todos, claro. Por isso havia uma tradição na família que, no dia do aniversário, o presente era ir ao teatro”, lembra. “Em 1966, eu, com nove anos, fui ao teatro João Caetano, no Rio de Janeiro, ver a Bibi Ferreira, fazendo ‘Alô Dolly’. E eu saí de lá um menino transformado, uma outra pessoa.”

Para ele, a criação do projeto do Teatro Musical é de uma grandeza ímpar. “É a realização máxima de poder abrir a porta do sonho e da possibilidade para meninos como eu fui um dia. Tenho certeza que vários meninos vão sentar aqui na temporada de ‘A Madrinha Embriagada’ e sair transformados.”

Na sequência, Falabella apresentou o elenco do espetáculo, que inclui nomes como Paula Capovilla, Stella Miranda, Fred Reuter e Kiara Sasso. Juntos, eles cantaram, em primeira mão, uma das músicas de “A Madrinha Embriagada” e foram aplaudidos de pé pelo público.


‘Educação é única forma de dar oportunidade a todos’, afirma Skaf ao falar do projeto do Sesi-SP em teatro musical

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

“Nunca participei de uma solenidade com tanta emoção”, disse o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP), Paulo Skaf, após a interpretação do Hino Nacional Brasileiro, feita no piano pelo maestro João Carlos Martins, durante o lançamento do Projeto Educacional Sesi-SP em Teatro Musical, na manhã desta segunda-feira (20/05), no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

Skaf disse estar entuasiasmado com projeto. No fundo, da esquerda para a direita, Saulo Vasconcellos (em pé), Cleto Baccic, Miguel Fallabella, Walter Vicioni e João Carlos Martins. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Em seu breve pronunciamento, o presidente das entidades afirmou que a indústria prioriza o investimento em educação, pois tem uma visão ampla desse conceito, já que além das salas de aula e laboratórios, as escolas do Sesi-SP  contam com quadras de esportes e atividades culturais. “Educação é única forma de dar oportunidade a todos,” afirmou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

O maestro João Carlos Martins interpretando o Hino Nacional Brasileiro ao piano. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Skaf explicou que, além de tudo o que o ensino do Sesi-SP já oferece, com esse novo projeto, os alunos também terão oficinas teatrais que ajudarão em seu desenvolvimento. “Estou super entusiasmado com esse projeto”, completou o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, saudado por artistas como Miguel Falabella, Cleto Baccic e Saulo Vasconcellos.

Pouco antes, o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, disse que a data é para ficar na história do teatro musical brasileiro. “Estamos abrindo as portas para que a imaginação, a arte e a cultura de todos os povos possam se concretizar e se tornar reais no lugar mágico que é o teatro.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Vicioni afirmou que cabe ao Sesi-SP promover a qualidade de vida do trabalhador e de seus dependentes, com foco na educação, saúde, cultura e lazer. “O Sesi-SP tem se dedicado às ações de expansão cultural ao democratizar o acesso de todos à arte e à cultura, com forte investimento na área”, explicou.

Na opinião de Vicioni, a arte provoca emoções e sensações únicas. “A arte reside nos corações e não em nossas cabeças. O coração é o grande núcleo onde nasce os grandes temas que a arte expressa”, concluiu.


Saiba mais sobre o projeto educacional do Sesi-SP em teatro musical

Agência Indusnet Fiesp

O projeto educacional do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) em teatro musical, lançado nesta segunda-feira (20/05), é uma iniciativa pioneira nas áreas cultural e de educação.

O objetivo é combinar o desenvolvimento do potencial criativo dos alunos da rede Sesi-SP de ensino, a capacitação profissional de atores e a formação de plateia para espetáculos de teatro musical.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

Da esquerda para a direita: Saulo Vasconcelos (ator de musicais), Cleto Baccic (coordenador do projeto), Vivian Albuquerque (atriz e preparadora corporal), Paulo Skaf (presidente da Fiesp/Sesi), Miguel Falabella (ator e diretor), Christina Trevisan (atriz e diretora), Carlos Bauzys (diretor musical) e Floriano Nogueira (produtor). Foto: Ayrton Vignola/FIESP

“O teatro musical é um segmento muito importante da nossa indústria cultural. Tem público, tem talentos à disposição, mas ainda enfrenta carência de formação profissional”, explica Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Sesi-SP. “Com este projeto, vamos proporcionar aos alunos do Sesi-SP e aos atores de teatro musical uma experiência inovadora. A população também irá ganhar com a apresentação de um espetáculo grandioso e divertido”, diz Skaf.

A ação inédita irá contemplar oficinas de vivência, curso de formação de atores e sessões gratuitas do musical “A Madrinha Embriagada”, com direção e tradução de Miguel Falabella.

A peça é uma adaptação do premiado “The Drowsy Chaperone”, que estreou na Broadway em 2006. Durante 11 meses, 150 mil espectadores poderão assistir à comédia musical em oito sessões semanais, no Teatro do Sesi São Paulo, na avenida Paulista.

“O projeto do Sesi-SP já nasce bem-sucedido. Somos um povo extremamente musical e esse gênero de teatro encontra sua plateia com muita facilidade no Brasil”, destaca o ator e diretor Miguel Falabella.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000944

O espetáculo A Madrinha Embriagada, dirigido por Falabella, faz parte da programação do Sesi-SP

O Sesi-SP desenvolveu e está implantando o “Projeto Educacional Sesi-SP em Teatro Musical” com recursos próprios, sem captação de leis de incentivo à cultura. Seu orçamento inicial é de cerca de R$ 14 milhões, incluindo a grade curricular educacional e a produção e realização da temporada da peça “A Madrinha Embriagada”.

O projeto inédito baseia-se no reconhecimento desta linguagem teatral como uma indústria criativa na cena brasileira. Estimativas do mercado cultural apontam que o Brasil é o terceiro maior produtor mundial de montagens de teatro musical, ficando atrás apenas dos EUA e da Inglaterra. Entretanto, não existe no Brasil grande disponibilidade de cursos de formação de atores que façam a fusão do ensino de interpretação, de canto e de dança, com padrão internacional.

Para criar o projeto, o Sesi-SP conta com a consultoria da produtora paulista Atelier de Cultura, de Cleto Baccic (“Cats” e “Mamma Mia), e também dos atores Saulo Vasconcelos (“O Fantasma da Ópera”, “A Bela e a Fera”, “Cats”, “A Noviça Rebelde”), Sara Sarres (“O Fantasma da Ópera”, “Mamma Mia”, “Família Addams” e “Shrek”), Vivian Albuquerque (“Aladim”, “Hair”), dos diretores Floriano Nogueira (ex-Time For Fun) e Christina Trevisan (“Tieta”, “Avenida Q”, “Grease”), e pelo maestro Carlos Bausys, diretor musical das produções de Miguel Falabella.

Para o ator Cleto Baccic, diretor do Atelier de Cultura, o mercado atual necessita uma fonte coesa para formação e desenvolvimento de artistas. “Vivemos um momento muito importante no teatro musical brasileiro e, sem dúvida, o programa do Sesi-SP cria espaço para a profissionalização de novos artistas”, avalia.

Projeto Educacional Sesi-SP em Teatro Musical é composto de:

  • Oficinas de Vivência em Teatro Musical: Iniciam a partir da primeira quinzena de agosto, no Centro de Atividades do Sesi Vila Leopoldina. Após a implantação das turmas piloto, o Sesi-SP irá implantar as oficinas de vivência nas demais unidades de ensino do Estado. As aulas irão proporcionar o acesso à linguagem do teatro musical para os alunos da rede Sesi de ensino, complementando seu desenvolvimento cognitivo e motor. Serão três turmas em faixas etárias de 12 a 15 anos, de 16 a 18 anos e acima de 18 anos, totalizando 90 vagas.

  • Montagem de espetáculo de Teatro Musical: A peça “A Madrinha Embriagada terá direção e tradução de Miguel Falabella, elenco de 25 atores, orquestra com 15 músicos, Stella Miranda como atriz convidada e orçamento de R$ 12 milhões. Durante 11 meses, serão realizadas 325 sessões do musical com ingressos gratuitos, para ampliar e democratizar o acesso do público. O texto original é de quatro autores canadenses. “The Drowsy Chaperone” foi o espetáculo mais premiado na Broadway em 2006: ganhou cinco Tony Award e sete Drama Desk Award. Um de seus autores é Don McKellar, roteirista do filme “Ensaio Sobre a Cegueira”, ao lado de José Saramago, dirigido por Fernando Meirelles. Serão oito sessões semanais, sendo duas destinadas a agendamentos escolares para instituições de ensino públicas e privadas, no período da tarde. Com intuito de reunir mais de 150 mil espectadores, o Sesi-SP vai investir R$ 80 por espectador durante toda a temporada.

  • Curso de Formação de Atores em Teatro Musical: Com duração de três anos, o curso será implantado em março de 2014. Serão abertas 90 vagas por ano e a seleção dos candidatos será por meio de audições. Um extenso trabalho de pesquisa foi desenvolvido com mais de 50 personalidades do teatro musical brasileiro, a fim de montar a estrutura básica do curso. Além disso, a equipe do Sesi-SP e do Atelier de Cultura visitou quatro universidades nos EUA (University of Florida, Tisch School of the Arts, em Nova York, Carnegie Mellon, em Pittsburg, e The Boston Conservatory) e na Inglaterra (Royal Academy of Music e Urdang Academy) para pesquisar os melhores cursos oferecidos no exterior. O custo inicial para estruturação do projeto é de R$ 1,2 milhão.


Sobre o Sesi-SP Cultura

Há mais de 60 anos, o Sesi-SP fomenta e difunde manifestações artísticas em diversas linguagens, contribuindo com a melhoria da qualidade de vida dos industriários e da comunidade. Os projetos culturais da entidade, que abrangem as áreas de artes cênicas, música, literatura e artes visuais, visam fortalecer e promover a multiplicidade da arte em seus aspectos estéticos, sociais e culturais, incentivando o exercício da cidadania.

Localizados em todo o Estado de São Paulo, os 55 centros de atividades culturais da instituição realizam espetáculos teatrais, musicais e de dança; encontros literários; mostras de cinema e exposições – complementados por ações educativas. Atuando efetivamente na formação de plateias, o Sesi-SP atende cerca de três milhões de pessoas anualmente.