Editoras do Sesi-SP e Senai-SP registram participação positiva na Bienal do Livro

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

A participação da Sesi-SP Editora e Senai-SP Editora na 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo foi muito boa.

O diretor regional do Senai-SP e superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, explicou a importância da participação das entidades da indústria no evento. “O Sesi-SP e o Senai-SP sempre foram produtores de conhecimento e as editoras têm como objetivo não só despertar o desenvolvimento material das pessoas, mas despertar grandes aspirações. Uma boa leitura e uma boa educação transformam as pessoas. E é este o nosso objetivo”.

Rodrigo Faria, editor-chefe das editoras do Sesi-SP e Senai-SP

De acordo com o editor-chefe das duas editoras, Rodrigo de Faria e Silva, o objetivo principal era divulgar o advento das duas editoras no maior evento editorial do Brasil e contar para o mercado e para o grande público o que são as editoras e o que elas fazem.

“Nesse sentido, atingimos os objetivos de forma plenamente satisfatória, pois houve muito interesse por parte dos editores e dos frequentadores da feira sobre nossas atividades. Tanto que foram pegos, espontaneamente, cerca de 15 mil folders e catálogos”, conta Silva, acrescentando que a programação cultural do Sesi-SP/Senai-SP “foi ótima e atraiu grande público”.

Segundo dados do editor-chefe, as atrações culturais das entidades da indústria levaram para o estande das editoras cerca de 10% do público que foi conferir a programação oficial da Bienal.

“Os coquetéis de lançamentos produzidos pela área de nutrição do Sesi-SP, dentro do programa Alimente-se bem, estava impecável”, ressalta Silva. “Nossa programação também contemplou as demais áreas de atuação do Sesi-SP e as gerências de Inovação e Tecnologia e de Design do Senai-SP, agregando ainda mais as duas instituições e atraindo diversos colaboradores, o que acabou por representar uma efetiva ação espontânea de endomarketing”, completa.

Conforme Silva, não havia expectativas quanto às vendas, tanto que os livros não foram dispostos em gôndolas, mas sim em estantes como numa biblioteca. “Queríamos, sim, que os livros despertassem interesse, mas não fomos com o intuito de efetivar venda. Mesmo assim, vendemos mais de 600 livros”, contabiliza.

A coleção Receitinhas para você, da nutricionista Rosineia Aparecida Bigueti, publicada pela Sesi-SP Editora, foi a campeã de vendas: 119 exemplares. Em seguida, o livro Caminhos da Inclusão, da socióloga Marta Gil, da Senai-SP Editora, com 45 exemplares vendidos.

“As pessoas mostravam-se satisfeitas ao ver que o Sesi-SP e o Senai-SP estão publicando livros e, com isso, contribuindo ainda mais para a formação e educação da sociedade”, conclui Silva.

Bienal em números

Segundo informações do editor-chefe, em 10 dias de evento o estande de 200 m² das editoras do Sesi-SP e Senai-SP ofereceu: 25 lançamentos de livros, revistas e cadernos didáticos; dois lançamentos de DVDs; 13 palestras e mesas de debate; nove atividades culturais (entre apresentações da Filarmônica do Senai, apresentações teatrais, leituras dramáticas, entre outras.)

Nesse período,  os espetáculos oferecidos atraíram a atenção de cerca de 1.500 pessoas, mais os curiosos transeuntes que assistiam por trás dos vidros, parados nos corredores.

Os espetáculos teatrais e a Orquestra Filarmônica Senai-SP foram as atividades que mais despertaram interesse do público.

Nanotecnologia

Rodrigo de Faria e Silva informa que as unidades de nanotecnologia do Senai-SP, expostas no 10 dias de evento, também foram muito visitadas: “Outro sucesso de público na Bienal! Calcula-se que cerca de 20 mil pessoas passaram pelas seções de nanoesclarescimento oferecidas nas duas unidades móveis de Nanotecnologia”.

Orquestra Filarmônica do Senai-SP é sucesso de público no estande das editoras do Sesi-SP e Senai-SP na Bienal do Livro de São Paulo