‘Não estamos perdendo esse jogo’, diz gerente da EMTU sobre transporte público

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O gerente de Planejamento da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), Ivan Regina, afirmou na manhã desta quinta-feira (22/05) que a companhia não está perdendo na disputa contra a falta de mobilidade urbana na metrópole.

Ivan Regina: projeto de Corredor BRT Metropolitano Perimetral Leste deve entrar em fase de execução em dois meses e deverá atender mais de 170 mil passageiros por dia. Foto: Alberto Rocha/Fiesp

 

“Queria deixar uma mensagem de otimismo. Não estamos perdendo esse jogo”, afirmou o gerente ao participar da Semana da Infraestrutura (L.E.T.S.), encontro da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) sobre infraestrutura integrada.

Segundo Regina, a última pesquisa encomendada pela EMTU em 2007 mostrou que o transporte coletivo voltou a se sobrepor ao transporte individual, detendo 55% da escolha da população.

Na terça-feira, um grupo dissidente do sindicato que representa funcionários de empresas de ônibus iniciou uma paralisação para manifestar seu desacordo com a proposta salarial aceita pelo sindicato da categoria. O grupo acordou suspender a greve na manhã desta quinta-feira. Mesmo assim, a cidade ainda enfrenta trânsito caótico e filas em paradas de ônibus e terminais.

Responsável por projetos de expansão da cobertura de ônibus metropolitanos em São Paulo, o gerente informou que, de 15 empreendimentos sendo feitos por meio do Programa Paulista de Mobilidade Urbana da EMTU, nove estão em fase final do projeto com o objetivo de aumentar a mobilidade de pessoas entre as regiões metropolitanas.

“Até o momento R$ 1,3 bilhão está contratado e outros R$ 500 milhões contrataremos até o final do ano, ou seja, vamos terminar o ano com R$ 1,8 bilhão em obras contratadas”, afirmou.

Ivan Regina citou as obras do Corredor BRT Metropolitano Perimetral Leste, que deve ligar os corredores metropolitanos entre Guarulhos (Grande São Paulo), Tucuruvi (zona norte da capital) e a região ABC. Segundo ele, o projeto deve entrar em fase de execução em dois meses e deverá atender mais de 170 mil passageiros por dia.

Mobilidade em Salvador

Roberto Moussallem: Salvador está desenvolvendo um projeto de corredores BRT de transporte coletivo. Foto: Alberto Rocha/Fiesp

 

O gerente de Projetos Estratégicos da Prefeitura de Salvador, Roberto Moussallem, participou do L.E.T.S. e apresentou os projetos para melhorar a mobilidade urbana de Salvador que, segundo ele, encontra-se em um “colapso” provado pela urbanização desordenada na cidade.

“Em dez anos a população cresceu 70% e Salvador tem hoje mais de dois milhões de habitantes. A cidade cresceu sem planejamento adequado e hoje está dividida em renda e acesso”, afirmou.

Dividida entre o subúrbio ferroviário, onde está concentrada a área mais pobre; o miolo, onde se concentra uma população de renda média; e o centro, com concentração da renda mais elevada, Salvador possui uma infraestrutura viária insuficiente para abrigar o volume de veículos.

De acordo com Moussallem, essa condição resulta em “um colapso com situações onde o trânsito é muito pior que em São Paulo porque lá é imprevisível e não temos soluções de transporte coletivo que já são usadas em São Paulo”.

Outro aspecto negativo da infraestrutura de transportes em Salvador, segundo o gerente, é a insegurança dos coletivos.

“As linhas irracionais não obedecem a nenhuma diretriz sistemática, são desconfortáveis e inseguras. Em março foram mais de 80 assaltos a ônibus em Salvador”, adicionou.

Moussallem afirmou que, no entanto, há um cenário para perspectivas de mudanças. “Existe um ambiente político muito favorável, apesar de o prefeito e o governador serem de partidos que fazem oposição entre si, há um entendimento, um espírito republicano que estão dominando as decisões”.

O gerente informou que a primeira linha do metrô de Salvador deve entrar em operação ainda este ano, enquanto trechos da linha dois devem entrar em operação a partir do ano que vem.

Ele disse ainda que será licitado no próximo mês um novo acesso rodoviário à cidade de Salvador. Há também o projeto de corredores BRT de transporte coletivo, do qual Moussallem é o coordenador. São faixas exclusivas monitoradas eletronicamente que vão ligar os bairros de Iguatemi e Pituba ao aeroporto de Salvador.

“Todo esse conjunto de projetos está em fase de implantação e deverá estar concluído nos próximos quatro anos”, completou.

O diretor da Infrapar Projetos, José Ricardo Marar,  também participou do debate sobre transporte coletivo.

L.E.T.S.

A Semana da Infraestrutura da Fiesp (L.E.T.S.) representa a união de quatro encontros tradicionais da entidade: 9º Encontro de Logística e Transporte, 15º Encontro de Energia, 6º Encontro de Telecomunicações e 4º Encontro de Saneamento Básico.

O evento acontece de 19 a 22 de maio (segunda a quinta-feira), das 8h30 às 18h30, no Centro de Convenções do Hotel Unique, em São Paulo.

Mais informações: www.fiesp.com.br/lets