Para ampliar inclusão de pessoas com deficiência, Fiesp apresenta ‘Meu Novo Mundo’

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Criado para ser uma alternativa para a contratação de pessoas com deficiência, o programa “Meu Novo Mundo” realizou um encontro nesta segunda-feira (01/12) com o objetivo de incentivar empresas a investir em inclusão social ao mesmo tempo em que cumprem a chamada Lei de Cotas, legislação que estabelece a obrigatoriedade de as empresas com 100 ou mais empregados preencherem uma parcela de seus cargos com pessoas com deficiência.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043229

Reunião teve representantes de grandes empresas. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


“Temos 750 pessoas com deficiência cadastradas no site do projeto, mas ainda faltam empresas. Queremos desatar esse nó, porque além de ser uma possibilidade de cumprimento da lei, é um investimento social real que a indústria pode fazer”, afirmou o diretor titular do Departamento de Ação Regional (Depar) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Sylvio Alves de Barros Filho, a representantes da área de Recursos Humanos de grandes empresas da área automotiva, de construção, saúde, entre outras, e também a dirigentes sindicais.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043229

Sylvio de Barros: programa "Meu Novo Mundo" é um investimento social real que a indústria pode fazer. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O supervisor de Qualidade de Vida da Divisão de Esportes e Qualidade de Vida do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Mario Quaranta, explicou como funciona o programa, que oferece vagas de aprendiz para pessoas com deficiência.

Ao todo, são três anos de curso (disponíveis nas qualificações iniciais de auxiliar de linha de produção, assistente e administrativo e almoxarife, assistente técnico de TI e inspetor de qualidade), em que a pessoa com deficiência vai se preparando para o mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que a empresa se adapta para receber essas pessoas.

“A inclusão gradativa das pessoas com deficiência durante o programa dá tempo para as empresas prepararem seus ambientes internos”, diz Quaranta. “É um projeto que traz benefícios a todos que participam: a Fiesp, o Sesi-SP, o Senai-SP [Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo], as empresas, as entidades e órgãos públicos e as pessoas com deficiência.”

Superintendência: programa oferece isenção por três anos

Para tirar dúvidas dos empresários, também foi convidado para o encontro o auditor do trabalho e coordenador do projeto de inclusão da Superintendência de São Paulo, José Carlos do Carmo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043229

José Carlos do Carmo: aprendizagem profissional, da forma como é oferecida pelo projeto “Meu Novo Mundo”, é uma boa maneira de iniciar a inclusão laboral das pessoas com deficiência. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

“As empresas que não perceberem que, se não abrirem as suas portas às pessoas com deficiência, se não se despirem de preconceitos, que não perceberem que não dá para desperdiçar talentos, vão perder o bonde da história”, disse o auditor.

Ele afirmou que a aprendizagem profissional, da forma como é oferecida pelo programa “Meu Novo Mundo”, é uma boa maneira de iniciar a inclusão laboral das pessoas com deficiência. Também ressaltou que as empresas que contratarem aprendizes por meio do programa estarão isentas do cumprimento da cota nos três anos de duração do período de preparação.

No fim da apresentação, os empresários presentes puderam tirar dúvidas sobre a Lei de Cotas e sobre o programa “Meu Novo Mundo”.

>> Saiba mais sobre o programa “Meu Novo Mundo” no hotsite 

Instituições firmam carta em prol da inserção de pessoas com deficiência

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp 

Criar o programa “Meu Novo Mundo”. Este é o objetivo da carta de intenções assinada na manhã desta segunda-feira (31/03) pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e a Superintendência Regional do Trabalho do Estado de São Paulo. O acordo foi firmado durante a abertura do Fórum Sou Capaz, que acontece na sede da Fiesp.

O programa “Meu Novo Mundo” consiste na inserção de pessoas com deficiência no Programa Atleta do Futuro (PAF), do Serviço Social d Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043229

Da esquerda para a direita: Sylvio de Barros (Fiesp), e os auditores Alice Grant Marzano e José Carlos do Carmo (Superintendência Regional do Trabalho do Estado de São Paulo). Carta de intenções tem o objetivo de criar o programa "Meu Novo Mundo". Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

“O PAF conta hoje com mais de 100 mil crianças.  Entendemos que o esporte leva às crianças ao contato com outras oportunidades e que, portanto, o PAF poderia ser adaptado às crianças com deficiência, por meio dos esportes paralímpicos praticados no Sesi-SP”, explicou o diretor titular do Departamento de Ação Regional (Depar) da Fiesp, Sylvio de Barros.

Além disso, o programa envolve atividades do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP).

Entre essas ações, inclusão digital, programas de cidadania e um projeto vocacional. “O objetivo é apresentar vários cursos de aprendizado e quando o aluno descobrir sua melhor aptidão, o Senai-SP irá inseri-lo na capacitação dentro dessa aptidão”, informou Barros.

A carta de intenções foi assinada por Sylvio de Barros, pela Fiesp, e pelos auditores da Superintendência Regional do Trabalho do Estado de São Paulo, Alice Grant Marzano e José Carlos do Carmo.

“Se hoje ainda temos muito a avançar no processo de inclusão e resgate dos direitos das pessoas com deficiência de modo geral, maior ainda é a nossa tarefa com aqueles que moram nas periferias dos grandes centros e nas áreas rurais mais isoladas”, afirmou Carmo, que também é coordenador do Projeto de Fiscalização e Inclusão de Pessoas Com Deficiência da Superintendência Regional do Trabalho.

Sobre o Sou Capaz 

O  Sou Capaz tem como finalidade oferecer a equivalência de oportunidade a todos os cidadãos por meio da capacitação técnica de pessoas com deficiência e aprendizes.

Por meio de fóruns e cursos em modelo itinerante, que percorrem diferentes regiões do estado de São Paulo, bem como da ação contínua do Depar, o programa aborda assuntos legais, jurídicos e institucionais com a finalidade de obter resultados positivos nos níveis de empregabilidade, possibilitando também que instituições de formação profissional otimizem sua oferta de pessoas com deficiência e aprendizes para a indústria.

Acompanhe a programação completa da iniciativa, que prevê ações em Jundiaí, Sorocaba e Marília, entre outras cidades, no site do programa: http://hotsite.fiesp.com.br/soucapaz/#home.

O Sou Capaz é organizado pela Fiesp e pelo Ciesp, com patrocínio da Bayer e da Eaton.