Programa Atleta do Futuro, do Sesi-SP, chega a Biritiba Mirim

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp, de Biritiba Mirim

Em posição de luta enquanto posavam para fotos, os estudantes Camila Aparecida Santos, de 13 anos, e Ruan Pablo Macedo, de 12, eram dois dos convidados mais ansiosos pelo início da cerimônia de assinatura do convênio Programa Atleta do Futuro (PAF) em Biritiba Mirim, cidade a 80 quilômetros da capital, nas proximidades de Mogi das Cruzes.

O evento, que prevê a implementação no município do programa de formação esportiva do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), foi realizado na sede da prefeitura local.

“Amo o taekwondo”, disse Ruan, praticante da modalidade há oito anos e já na faixa vermelha/preta. “Acho que vai ser um bom incentivo.”

Ostentando a mesma faixa que ele, Camila, também praticante há oito anos, contou que ficou sabendo do projeto do Sesi-SP por uma amiga. “Estou empolgada.”

Criado para estimular a prática esportiva e a cidadania, o PAF já atende 110.600 alunos em 258 municípios paulistas. Em Biritiba Mirim, o programa beneficiará 240 crianças e jovens com a prática de basquetebol, futebol, futsal, taekwondo e tênis de mesa.

A capacitação dos professores envolvidos no projeto será realizada nos dias 6 e 7 de agosto, em São José dos Campos. Serão disponibilizados quatro professores e três estagiários pela prefeitura de Biritiba.

Para o diretor da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, que assinou o convênio com o prefeito local, Carlos Alberto Taino Junior, é muito importante que as famílias acompanhem o desenvolvimento das crianças e jovens participantes do PAF. “Com essa postura, os professores podem ajudar as famílias no que se refere ao comportamento dos filhos”, afirmou.

Pflug, mais à esquerda, e Taino Júnior, ao centro, com autoridades e participantes do PAF: suporte às famílias. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Pflug, mais à esquerda, e Taino Júnior, ao centro, com autoridades e participantes do PAF: suporte às famílias. Foto: Everton Amaro/Fiesp


A diversificação das modalidades, segundo Pflug, é outra prioridade do projeto. “Buscamos estimular a qualidade de vida, identificando talentos específicos”, explicou. “Estamos à disposição para atender Biritiba Mirim e podemos oferecer mais modalidades esportivas aqui no futuro.”

De acordo com o diretor do Sesi-SP, a seleção das atividades oferecidas em cada município tem por objetivo atender as demandas locais, sempre em sintonia com a formação dos professores de cada lugar. Por isso, a prática de taekwondo em Biritiba, por exemplo.

O primeiro uniforme

Entre as muitas palavras de agradecimento que já ouviu em suas andanças pelo estado de São Paulo após celebrar convênios com outras prefeituras, Pflug relembra histórias como o caso da mãe que o procurou para dizer que o uniforme do programa era o primeiro que o seu filho recebia para praticar esportes na vida. “O menino nunca tinha tido uma roupa própria para treinar”, lembrou.

O envolvimento dos pais é outro ponto alto. “Já tivemos casos de famílias que descobriram que os jovens tinham um comportamento tímido em casa e outro agressivo no esporte a partir dos relatórios do programa, o que fez toda a diferença.”

De acordo com Pflug, o PAF é uma oportunidade única para que todas as crianças pratiquem esporte e aprendam conceitos de cidadania. “O Sesi-SP vem transferindo sua tecnologia social na área do esporte mesmo para quem não é aluno da entidade”, disse. “Isto permite que milhares de jovens tenham acesso a diferentes modalidades esportivas por meio de uma metodologia desenvolvida por especialistas.”

“Ficamos muito felizes e agradecidos ao Sesi-SP por essa visão, pela parceria feita com as prefeituras em nome do esporte e da inclusão social”, discursou o prefeito.

Além da prática esportiva, os alunos do PAF recebem orientação em temas como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural, dentre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, sempre com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

Tênis de mesa e futebol

Prontos para treinar tênis de mesa pelo PAF em Biritiba, os amigos Gabriel Augusto de Freitas, de 11 anos, e Vitor Akira, também de 11, garantiram estar animados para sair das práticas informais, em família ou na escola, para treinamentos mais direcionados.

“Aprendi com o meu pai”, contou Vitor . “Agora vai ser diferente”, animou-se Gabriel .

Craques da bola, Lucas Vinícius dos Santos Lima e Wiliam Aparecido, ambos de 14 anos, dizem amar o futebol e jogar sempre nas horas vagas. “Sei que vou me desenvolver muito agora”, contou Lucas. “Posso ter um futuro no futebol”, completou Wiliam.

A partir da esquerda: Wiliam, Lucas, Vitor e Gabriel. Empolgação com as aulas do PAF. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A partir da esquerda: Wiliam, Lucas, Vitor e Gabriel. Empolgação com o PAF. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Estrutura

O PAF contempla crianças e jovens entre 6 e 17 anos e as atividades estão organizadas em três fases, adequadas para cada faixa etária.

Na fase que compreende crianças entre seis e oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas. A partir dos oito anos, os participantes iniciam a prática esportiva, conhecendo as diversas modalidades e suas diferenças.

Então, dos 11 aos 17 anos, os alunos optam por uma modalidade e realizam treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria da instituição, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família.

Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.