Retrospectiva 2012 – Ações para incentivar a pequena e média indústria

Agência Indusnet Fiesp

Com o objetivo de fomentar o desenvolvimento do setor industrial, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), por meio do seu Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi), promoveu uma série de iniciativas ao longo de 2012.

Destaque para a realização do primeiro Programa Caixa Melhor Crédito, em junho, e do VII Congresso da Micro e Pequena Indústria, em outubro.

Em junho, a Fiesp e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), em parceria com a Caixa, promoveram o Programa Caixa Melhor Crédito, destinado a empresários e dirigentes da indústria paulista.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540329650

Programa Caixa Melhor Crédito. Foto: Helcio Nagamine

“A economia precisa ser irrigada com um crédito que realmente ajude e alavanque o emprego, o desenvolvimento do país e dos setores produtivos”, destacou o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, na ocasião.

O evento contou com a participação de Dario Castro de Araújo, superintendente Nacional de Micro e Pequena Empresa, que apresentou as linhas de crédito do banco.

O VII Congresso da Micro e Pequena Indústria, em outubro, teve como destaques a assinatura um acordo entre Fiesp e a Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP).

O termo de cooperação foi assinado pelo 2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, representando o presidente da entidade, Paulo Skaf, pelo diretor-titular do Dempi, Milton Bogus e pelo presidente da Desenvolve SP, Milton Luiz de Melo Santos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540329650

Milton Bogus, diretor do Dempi/Fiesp, assina termo de cooperação. Foto: Everton Amaro



O evento foi marcado ainda pela divulgação do estudo inédito Indicadores da Micro e Pequena Indústria, desenvolvido em conjunto por Fiesp e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP).

A pesquisa, que apontou um crescimento de 2,6% no faturamento real das micro e pequenas no 1º semestre de 2012, informa Sebrae-SP traz um panorama da evolução do faturamento destas empresas, postos de trabalhos gerados, estimativa de receita gerada, e uma radiografia do setor apontando os segmentos da indústria que concentram a maior quantidade de micro e pequenas empresas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540329650

Sala de crédito, no VII Congresso da Micro e Pequena Indústria. Foto: Helcio Nagamine


O evento teve painéis sobre inovação, gestão de recursos humanos, mídias digitais e um talk show com representantes de empresas bem-sucedidas, além de espaços para os empresários dialogarem com universidades e instituições financeiras.



Feiras

A Fiesp participou ainda com estandes de diversos eventos. Entre eles, a Feira Internacional de Panificação, Confeitaria e do Varejo Independente de Alimentos, e a Feira Internacional de Produtos e Serviços para a Alimentação Fora do Lar – as duas realizadas no Expo Center Norte.

Além de palestras, destaque para a Sala de Crédito, ação em que são apresentadas as melhores linhas e formas de financiamento a longo prazo, melhorando também o acesso dos empresários das micro, pequenas e médias empresas junto aos principais agentes financeiros, facilitando a comunicação entre os dois lados.

Entrevista

Em novembro, o diretor Milton Bogus, titular do Dempi/Fiesp, concedeu entrevista ao Canal do Empresário, site da Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP).  Bogus falou sobre os serviços prestados pela Fiesp às pequenas e médias indústrias em todo o estado. Entre eles, a Sala de Crédito e a série de cursos, palestras e rodadas de negócios no Brasil e no exterior.

Energia a Preço Justo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540329650

Energia a preço justo. Foto: Divulgação

A principal conquista da Fiesp para as pequenas e médias indústrias, no entanto, foi a decisão do Congresso Nacional, que aprovou o projeto de lei que reduz o preço da conta de luz para todos os brasileiros. O desfecho é resultado direto da campanha Energia a Preço Justo, mobilização da Fiesp e do Ciesp inserida no esforço para aumentar a competitividade do país.

Caixa apresenta linhas de crédito para indústrias paulistas

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Dario Castro de Araújo, superintendente Nacional de Micro e Pequena Empresa, afirmou que o Programa Caixa Melhor Crédito é uma oportunidade rica de interação entre os empresários e gerentes. Ele explicou que o carro chefe do programa foi o de capital de giro, o Giro Caixa Fácil, no qual a taxa de 2,72% caiu para 0,94%.

Roberto Derziê de Sant’Anna, diretor de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal. Foto: Helcio Nagamine

Roberto Derziê de Sant’Anna, diretor de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal

Após a abertura do Programa Caixa Melhor Crédito, nesta terça-feira (05/06), na sede da Fiesp e Ciesp, Roberto Derziê de Sant’Anna, diretor de Pessoa Jurídica da Caixa, agradeceu às entidades e aos empresários que prestigiaram o evento e apresentou um balanço do primeiro trimestre de 2012.

Segundo ele, a Caixa atingiu R$ 270 bilhões em créditos, o que confere ao banco pública a terceira posição no ranking no volume destas operações. “Um objetivo estratégico que foi atingido em pouco espaço de tempo”, avaliou.

No crédito para pessoa jurídica, foco do evento, ele mostrou que a instituição financeira obteve crescimento de 40% na contratação de operações de crédito, enquanto o restante do mercado alcançou 15%. “Este crescimento se deu de forma consistente e equilibrada, com forte planejamento”, anotou.

Soluções em atendimento

Além da extensa rede de agências próprias e com um diferencial de mercado disponíveis, o diretor adiantou que as operações de crédito da Caixa Econômica poderão ser feitas por meio eletrônico. “É um bloco vasto de linhas de crédito com taxas imbatíveis em termos de mercado, mas queremos que vocês sejam nossos clientes com relacionamento amplo”, afirmou Sant’Anna.

Ele revelou ainda a intenção da Caixa de construir com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) uma estrutura de juros diferenciada para a indústria –– foco do Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda (BNDES Progeren).

“Nossa taxa é extremamente competitiva, vai de 0,87% para no máximo 1,17%, ou seja, uma variável que, com a redução do spread no BNDES, certamente proporcionará taxas muito mais competitivas do que o capital de giro, que é mais direcionado para o comércio mas que também abrange indústrias”, comparou o diretor.

Conveniência

Dario Castro de Araújo, superintendente Nacional de Micro e Pequena Empresa da Caixa Econômica Federal. Foto: Helcio Nagamine

Dario Castro de Araújo, superintendente Nacional de Micro e Pequena Empresa da Caixa Econômica Federal

“Houve ainda um importante corte no cheque especial, derrubando as taxas praticamente pela metade, de 7,95% para 4,27%”, afirmou Araújo. Ele apontou também que recentemente, acompanhando o movimento do Copom, a Caixa Econômica fez uma importante redução nas taxas de financiamento de veículos novos e usados para micro, pequenas e médias empresas.

Giovanni de Carvalho Alves, superintendente Nacional de Média e Grande Empresa da Caixa Econômica Federal, sublinhou o objetivo do banco para a indústria. “Não queremos ter somente operações de crédito com as empresas, queremos realizar um atendimento completo de todas as suas necessidades, de seus parceiros e de seus colaboradores, criando diferenciais para que a empresa tenha condições de ter seus benefícios transferidos também às pessoas e empresas próximas a elas”, concluiu. 

Paulo Skaf elogia papel da Caixa e pede ampliação de prazo para pagamento de tributos

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Da esq. p/ dir.: Geddel Vieira Lima, Paulo Skaf, Milton Bogus, José Henrique Toledo Correa Foto: Everton Amaro

É preciso reduzir o custo financeiro, ampliar o crédito é estender prazo para pagamento de impostos, afirma Skaf

Em seu pronunciamento para uma plateia de empresários durante a cerimônia que abriu o evento “Programa Caixa Melhor Crédito”, nesta terça-feira (05/06), o presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp), Paulo Skaf, reforçou a necessidade de o governo prosseguir com a política de reduzir juros e ampliar o crédito para as empresas brasileiras.

“A economia precisa ser irrigada com um crédito que realmente ajude e alavanque o emprego, o desenvolvimento do país e dos setores produtivos. O papel da Caixa tem sido exemplar pois está realmente indo atrás de quem precisa de crédito e de reduzir este custo, de modo a estimular a concorrência entre os bancos”, comentou Skaf.

Iniciativa conjunta da Fiesp, do Ciesp e da Caixa, o Programa Caixa Melhor Crédito visa informar os empresários sobre as facilidades de acesso ao crédito e as mais adequadas linhas de financiamento. Os atendimentos são personalizados e o evento é aberto a qualquer empresa, não havendo a necessidade de filiação a algum sindicato ou de ser associado ao Ciesp.

Skaf avaliou a parceria com a Caixa como fundamental para alavancar a competitividade brasileira e destacou como positivas as ações do governo federal na redução de juros, criticando o curto prazo para pagamento de tributos.

“A forma mais democrática de reduzir o custo financeiro e de ampliar o crédito é estendendo o prazo para pagamento de impostos. Algumas empresas vão tomar dinheiro emprestado na Caixa para pagá-los porque, além da carga tributária ser muito elevada no país, o prazo do imposto é curto”, assinalou Skaf.

“É muito comum a indústria comprar matéria-prima, produzir e vender, e pagar o imposto antes de receber pelo que vendeu”, explicou o presidente da Fiesp e do Ciesp.

Crédito facilitado

A Fiesp desde 2005 promove ações para facilitar o acesso ao crédito. Entre as iniciativas estão as mais de 20 edições das salas de crédito e o Congresso da Micro e Pequena Indústria, realizado anualmente no mês de outubro. A coordenação é do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi).

Milton Bogus, diretor do Dempi, parabenizou a Caixa Econômica Federal pelo programa Caixa Melhor Crédito. “A Caixa, desde o início, é uma das parceiras do nosso programa de melhoria de acesso ao crédito, instituído pelo presidente Paulo Skaf no princípio de sua gestão na Fiesp”, elogiou.

Quarenta gerentes da Caixa participam do encontro que acontece ao longo desta terça no Espaço Fiesp, andar térreo do edifício-sede. Os empresários contam ainda com o suporte de uma equipe técnica especializada das entidades.