Faculdade Sesi de Educação: professores preparados para enfrentar os desafios do século 21

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Alguns dos países mais desenvolvidos do mundo se dedicam, hoje, a estudar mudanças e novos caminhos para a educação. Um contexto em que a integração, a interdisciplinaridade, ganham força. Comprometido com o ensino que é, com 167 escolas, 5 mil professores e 100 mil alunos, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) não poderia ficar de fora desse debate. Com direito a criar uma faculdade para a formação de docentes, a Faculdade Sesi de Educação, cujas primeiras turmas de graduação começam a estudar em fevereiro de 2017. Serão oferecidas as formações em Linguagens, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Matemática. Outro detalhe importante está no fato de que todos os formandos serão contratados para trabalhar na rede Sesi-SP de ensino se assim desejarem.

“Um dos grandes problemas da educação é ser fragmentada, ter disciplinas estanques”, explica o diretor da Faculdade Sesi de Educação, Cesar Callegari. “Estudar logaritmos só por estudar logaritmos, por exemplo, não adianta nada. Se não tiver significado, não vira conhecimento”.

É exatamente nesse ponto que o mais novo projeto educacional do Sesi-SP pretende tocar, na formação de professores com essa visão mais ampla, por área do conhecimento. Assim, quem se formar em Ciências Humanas poderá trabalhar com temas de História, Geografia, Sociologia e Filosofia. Quem escolher Ciências da Natureza, poderá desenvolver conteúdos de Ciências, Física, Química e Biologia. E assim por diante.

“Com isso, os professores poderão trabalhar com melhores condições, com mais estabilidade”, afirma Callegari. “Em vez de dar aulas em muitas escolas, os docentes poderão dar mais aulas para uma mesma turma, variando as disciplinas e reforçando o vínculo com os alunos”.

Segundo o diretor da Faculdade Sesi de Educação, é fundamental que conteúdos de história sejam relacionados com temas de geografia e que as aulas de sociologia “sejam impregnadas de filosofia”.

Para que os futuros docentes possam aprender na prática, a nova faculdade oferecerá residência educacional em dois formatos: a básica, com cinco horas de atividades por semana, e a ampliada, com jornada de 20 horas. Os estudantes que optarem pela ampliada ganham isenção de mensalidade do curso, que será de R$ 990.

“Os nossos estudantes serão desafiados o tempo inteiro, sairão daqui prontos para assumir os desafios de uma sala de aula no século 21”, afirma Callegari. “Hoje, os professores não são apenas transmissores de conteúdo, mas orientadores de pesquisa e conhecimento”, diz. “Seremos uma referência na formação de professores no Brasil”.

Conforme estudo citado na reportagem Teaching the teachers (ensinando os professores, em tradução livre), da edição de 11 de junho da revista The Economist, o peso do trabalho do professor na educação de crianças e jovens é maior do que muitos outros fatores valorizados pelos pais, como a quantidade de alunos por sala. A pesquisa, feita na Universidade de Melbourne, na Austrália, analisou 65 mil documentos e considerou um universo de 250 milhões de estudantes para concluir que a experiência do docente é o que realmente faz a diferença na educação. Assim, o levantamento apontou que as 20 formas mais eficientes de melhorar a educação passam por aquilo que o professor faz em sala.

Pós-graduação

As aulas da faculdade, que começam em fevereiro de 2017, serão ministradas no Centro de Atividades do Sesi-SP na Vila Leopoldina, em São Paulo. Atualmente, já são oferecidos três cursos de pós-graduação no local. São eles: especialização em Ciências da Natureza, Matemática para os anos finais do ensino fundamental e Coordenação Pedagógica. As turmas começaram a estudar em março de 2016 e juntas somam 50 estudantes.

Para 2017, estão previstos mais dois cursos de pós: um de especialização em Educação Física Escolar e o outro em parceria com a universidade norte-americana de Stanford sobre uma metodologia própria chamada “step” com ênfase em Matemática. “Stanford é o principal centro de formação de educadores dos Estados Unidos”.

Para a faculdade, serão 40 vagas por curso. As inscrições para o processo seletivo foram abertas nesta quinta-feira (01/09) e seguem até 26 de outubro, sendo feitas pelo site www.faculdadesesi.edu.br.

Serão aplicadas provas de conhecimento, redação e entrevista. “Procuramos aqueles que realmente querem ser professores, que tenham vocação”, diz Callegari. “Por isso a entrevista pode ser eliminatória também”.

Para saber mais sobre a Faculdade Sesi de Educação, só clicar aqui.

Paulo Skaf destaca a importância dos professores em evento no Humanidade 2012

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp 

Paulo Skaf, presidente da Fiesp/Sesi/Senai-SP, ressalta a importância dos professores para o país

Paulo Skaf, presidente da Fiesp/Sesi/Senai-SP, ressalta a importância dos professores para o país

Diante de 500 professores que lotaram o auditório do Humanidade 2012 para o seminário A Voz do Professor, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, revelou nesta quinta-feira (14/06), no Rio, sua admiração pelos educadores brasileiros.

“Não há como calcular o quanto vale o trabalho de educar. Vocês todos são muito importantes para o país. E é por isso que o Sesi e o Senai do Rio de Janeiro e o de São Paulo investem pesadamente na educação”, afirmou Skaf, também presidente do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e do Serviço Nacional de Aprendizagem de São Paulo (Senai-SP).

O seminário, uma realização conjunta do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), teve como principais pontos de pauta os conceitos de sustentabilidade dentro de uma perspectiva educacional – e a instrumentalização de docentes para incluir o tema nas práticas pedagógicas.

Skaf expressou sua satisfação com o entrosamento cada vez maior com a Firjan. “Ontem, fui à aula inaugural do MBA que estamos desenvolvendo em parceria com a Firjan. É uma forte contribuição para a sociedade que beneficia os diretores das escolas públicas para melhorar a gestão destas unidades de ensino. Agradeço ao [presidente da Firjan] Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira e posso dizer que a cada vez que damos um passo fico animado e já penso nos próximos.”

Walter Vicioni, superintendente operacional do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, mencionou ações das entidades e o compromisso com a educação. “Ao adotar o tema ‘Crescem as Pessoas, Cresce o Brasil’, a Fiesp da gestão Paulo Skaf colocou em relevo a presença e a participação do Sesi e do Senai, estruturas educacionais da indústria no contexto do desenvolvimento econômico brasileiro.”

Troca de experiências

Em seguida, a atriz Lucélia Santos moderou palestras com pessoas atuantes em diferentes áreas. Silvio Meira, engenheiro formado pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e pesquisador da área de Engenharia de Software, falou sobre a relação da tecnologia com a sustentabilidade e a educação e o papel do professor neste processo.

Já a palestra de Tião Santos, presidente da Associação de Catadores de Material Reciclável de Jardim Gramacho, abordou o engajamento dos trabalhadores que recolhem material reciclável no Rio de Janeiro e as estratégias que usou para mantê-los motivados e conscientes de seu papel. Ele falou ainda sobre a experiência vivida no filme Lixo Extraordinário, do artista plástico Vik Muniz.

O evento contou com a presença de 150 educadores do Sesi-SP e outros 350 do Rio de Janeiro – do Sesi Rio e do Senai Rio.

Humanidade 2012 é uma iniciativa conjunta da Fiesp, Sistema Firjan, Fundação Roberto Marinho, Sesi-Rio, Sesi-SP, Senai-Rio, Senai-SP, com patrocínio da Prefeitura do Rio, do Sebrae e da Caixa Econômica Federal.

O evento acontece no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, até 22 de junho, paralelamente à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. O objetivo engajar a sociedade no debate sobre como aliar o crescimento econômico ao desenvolvimento social e à conservação ambiental.