Reeleitos, presidentes da Abimo e Sinaemo tomam posse em São Paulo

Agência Indusnet Fiesp

Presidentes reeleitos para mais quatro anos de mandato (2011-2015), Franco Pallamolla, da Abimo, e Ruy Baumer, do Sinaemo, tomaram posse na última quinta-feira (31/3), em cerimônia na sede das instituições que representam as indústrias da saúde.

Foi empossado também o Conselho Fiscal das duas instituições. Rodrigo Hanna é o novo vice-presidente da Abimo, e Paulo Takaoka, diretor financeiro. Já Paulo Fraccaro foi eleito secretário e Milton Rubens Sales, tesoureiro da entidade.

Planos

A Abimo-Sinaemo tem como objetivo para os próximos anos dar ênfase aos temas que fortaleçam a produção brasileira de produtos para a área da saúde. Entre os assuntos a serem tratados, estão a desoneração tributária, a regulamentação da Lei 12.3490/2010 e a celeridade nos processos de registro dos produtos na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Conseguimos oferecer um peso político para a entidade, sem perder o tradicional perfil técnico. Agora somos os atores principais na política industrial da saúde, que vem se consolidando nos últimos anos. Nosso setor é estratégico para a política nacional pois tem grande capacidade competitiva e de inovação”, destacou Franco Pallamolla, presidente da Abimo.

Ruy Baumer, presidente do Sinaemo e coordenador do Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde (Comsaude), disse se sentir honrado com a reeleição. Segundo ele, a experiência adquirida, anteriormente, o ajudou a “formar uma base, um verdadeiro alicerce” que possibilitará alavancar mais conquistas para o setor. “Não queremos proteção para as empresas nacionais competirem e, sim, as mesmas condições para concorrer com os importados em nosso País”, sinalizou.

Resumo das Conquistas Gestão 2007–2011

  • Política de Desenvolvimento Produtivo;
  • Lançamento da Política de Desenvolvimento de produtos do setor;
  • Definição do setor de saúde como estratégico para o governo;
  • Criação do complexo industrial da saúde;
  • Aumento de recursos para pesquisa e desenvolvimento;
  • Avanço na legislação sanitária passando de um para dois anos o certificado de boas práticas de fabricação;
  • Isonomia na obrigatoriedade da apresentação do CBPF no registro de produtos de empresas nacionais e internacionais;
  • Prioridade do registro de produtos por interesse do Ministério da Saúde (Anvisa criou possibilidades para a conquista de registro de produtos);
  • Aprovação da Lei das compras públicas;
  • Criação do Prêmio Inova;
  • Consolidação de parcerias estratégicas com setores governamentais;
  • Avanço do programa de exportação PSI e ampliação do número de empresas exportações (entidade que mais inclui no setor de exportação);
  • Desoneração de vários produtos do setor;
  • Investimentos em comunicação.