Na Fiesp, presidentes do Brasil e da França recebem medalha Ordem do Mérito Industrial

Agência Indusnet Fiesp 

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, entregou a Ordem do Mérito Industrial São Paulo, mais relevante comenda da entidade, à presidente da República Dilma Rousseff e ao presidente da França, François Hollande, durante a abertura do Encontro Econômico Franco-Brasileiro, na manhã desta sexta-feira (13/12), na sede da entidade. O evento contou com a presença de ministros franceses, embaixadores e empresários.

“Eu felicito à Fiesp e ao Paulo Skaf pela organização desse encontro e aproveito para dizer que muito me honrou ganhar esta homenagem, porque é uma grande medalha representando a indústria brasileira”, afirmou Dilma.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1540174465

François Hollande, presidente da França, recebe a Ordem do Mérito Industrial das mãos de Paulo Skaf. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

A Ordem do Mérito Industrial foi criada em abril de 2007 e já condecorou autoridades como o presidente e o vice-presidente da República nos mandatos de 2003 a 2010, Luiz Inácio Lula da Silva e José de Alencar, respectivamente; a atual presidente da Argentina, Cristina Kirchner; e Michelle Bachelet, presidente do Chile no mandato de 2006/2010, entre outras personalidades brasileiras e mundiais.

Nota oficial: presidente Dilma acerta em vetar pontos na MP dos Portos, afirma presidente da Fiesp e do Ciesp

Nota oficial

A Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) apoiam a decisão corajosa da presidente Dilma Rousseff em vetar os pontos que desvirtuavam o melhor ambiente competitivo instituído pela MP 595/2012.

“Os vetos são positivos, porque reestabelecem os princípios originais da MP. Isso garante o choque de competição e ampliação dos serviços portuários que o Brasil necessita”, afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp.

Segundo Skaf, o veto para a prorrogação de contratos foi fundamental. “O Brasil precisa de leilões por menor tarifa, que foram instituídos pela medida, e para isso precisamos o mais rápido possível de licitação nos terminais de contratos vencidos”, enfatiza.

Para as entidades, esse é o primeiro passo para ampliar a oferta de operadores, promovendo maior concorrência e a consequente redução de tarifas portuárias. “Com investimentos previstos na ordem de 50 bilhões de reais para os próximos cinco anos é possível dobrar a capacidade portuária brasileira. Com isso, também duplica a oportunidade de emprego. É um ganho para os 200 milhões de brasileiros”, ressalta Skaf.

Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)
Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)