Conheça os vencedores do 10º Prêmio Fiesp Conservação e Reúso de Água 2015

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

O Prêmio Fiesp Conservação e Reuso de Água apresentou, ao longo de 10 anos, 162 projetos por mais de 100 empresas de diversos segmentos e portes. Juntos, esses projetos geraram uma economia superior a 95 milhões de metros cúbicos de água por ano, com investimentos superiores a R$ 490 milhões. Até o ano passado, os 69 finalistas pouparam uma média de 15 milhões de metros cúbicos de água por ano, o equivalente a 4,5 mil piscinas olímpicas.

“O prêmio é um incentivo. E a indústria cumpre o seu papel de uma forma brilhante, ou seja, está sempre na frente de qualquer situação porque ela sabe muito bem as suas necessidades”, diz  Paulo Roberto Dallari Soares, diretor de Meio Ambiente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

A iniciativa da Fiesp homenageia empresas que adotam medidas efetivas na redução do consumo e do desperdício de água, gerando benefícios ambientais, econômicos e sociais.

Conheça os vencedores da 10ª edição do Prêmio Conservação e Reuso da Água:

Categoria Médio e Grande Porte

A CRS Brands Indústria de Bebidas, em Jundiaí, interior de São Paulo, venceu o primeiro lugar na categoria Médio e Grande Porte com o projeto Uso sustentável da água na indústria de bebidas.

O objetivo do programa é diminuir o consumo de água por litro de bebida produzida, reduzindo consequentemente a captação de água superficial do Rio Jundiaí-Mirim, que abastece a unidade de Jundiaí.

A CRS Brands iniciou o projeto em 2010 com programas de monitoramento de consumo da água, modificações no processo, sistema mais eficiente de enxágue de garrafas e uso de água pluvial.

“Começamos com um projeto de ter um departamento específico de meio ambiente dentro da empresa onde poderia focar tanto na redução de água, como energia, desperdícios, redução dos resíduos sólidos. E desde esse período a gente vem trabalhando com diversos projetos”, diz Luciana Lopes, coordenadora de qualidade e meio ambiente da empresa.

Em 2014, outros dois projetos foram implementados trazendo ainda mais ganho no consumo de água da empresa. Um foi o de reaproveitamento da água da bomba de vácuo da enchedora para abastecer o sistema de lubrificação das esteiras de garrafas. E a outra iniciativa foi recuperar a água de retrolavagem dos filtros e tanques de fabricação de água desmineralizada. O objetivo da companhia é reduzir um total de 40% do consumo de água tratada em relação a 2010.

“Obtivemos resultados bem interessantes tanto financeiros para a empresa como também na área ambiental, ainda mais nessa época de escassez de água”, acrescenta Luciana.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542492774

Representante da CRS Brands Indústria de Bebidas recebe o Prêmio Fiesp Reúso da Água. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Categoria Micro e Pequeno Porte

Na categoria Micro e Pequeno Porte, a Metalúrgica Inca implantou em 2014 uma nova linha de zincagem, processo para proteger o aço da corrosão atmosférica, com objetivo de economizar até 70% o consumo de água em comparação ao processo usado anteriormente, de zincagem manual.

“Independente do prêmio, a nossa intenção é colher frutos do trabalho de reúso da água dentro da empresa. É uma satisfação muito grande poder manter esse programa que enxerga essa necessidade tão crítica nos dias atuais”, afirma Luís Américo Dal Bello, gerente industrial da metalúrgica.

Segundo a empresa, na troca de compostos químicos como o desengraxante, a economia de água foi de 50%, uma vez que na zincagem manual a troca era semanal e no processo automático, a troca acontece a cada 15 dias.

Na operação de enxágue, a economia foi de 62% por conta de um sistema interligado dos tanques que permite apenas uma troca. E no processo de banhada a economia chegou a 59%, já que o controle do escoamento é automatizado.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1542492774

Representante da Metalúrgica Inca recebe Prêmio Reúso da Água para categoria micro e pequena empresa. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Menções Honrosas

O projeto Estação Produtora de Água de Reúso da Sanasa, companhia de abastecimento de água e saneamento básico de Campinas, recebeu uma menção honrosa na noite desta terça-feira (24/3).

A companhia está implantando a Estação de Produção de Água de Reuso (EPAR Capivari II) para reúso da água. A distribuição da água reutilizada começou em fevereiro de 2014 inicialmente para a própria empresa e para a Prefeitura Municipal.  As obras de ampliação do Aeroporto de Campinas também recebem essa água para atividades de construção civil, como compactação do solo, terraplenagem e drenagem do imóvel.

O valor da água potável da Sanasa é cerca de R$ 11,90 por metro cúbico e o valor da água de reúso corresponde a R$ 1,40 por metro cúbico. Em fevereiro de 2014, a Sanasa e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) assinaram um termo de associação, no qual a água de reúso passou a ser disponibilizada para as indústrias a um custo mais baixo em relação a água potável.

A unidade de Pindamonhangaba da Novelis América do Sul, também recebeu menção honrosa pelo Projeto Redução do Consumo Específico de Água. A iniciativa identifica oportunidades de gerenciamento de água mais eficaz.

A instalação no interior de São Paulo utiliza como fonte de água a captação subterrânea. O projeto teve como o objetivo reduzir em 2% o consumo específico de água em 2014 em relação ao ano anterior. A expectativa da companhia é reduzir em 25% até 2020.

Segundo a Sanasa, as ações trouxeram ganhos financeiros de US$ 63,470 no ano passado.

Menção honrosa também para a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) que readequou a estratégia de uso dos recursos hídricos para processos como laminação, extrusão e tratamento da superfície do alumínio.

A instalação da cidade de Alumínio, interior de São Paulo, conquistou autonomia fabril em meio à escassez de água em São Paulo.  A nova estratégia para os tratamentos do alumínio gerou uma economia de 20 metros cúbicos por hora no volume de captação direta dos mananciais.

A Ambiental MS Projetos, Equipamentos e Sistemas, empresa de soluções ambientais, foi homenageada nesta terça-feira pelo projeto MS ECO 3000 Automática – Estação de Tratamento e Reúso da Água.

A estação foi projetada especialmente para o tratamento e reúso do efluente de lavagem de veículos, com aproveitamento de até 90% da água de lavagem. O projeto resultou na economia de um milhão de litros de água por mês, o equivalente a R$ 100 mil por ano.

Prêmio Fiesp de Conservação e Reúso da Água: cases serão referência para a indústria

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542492774

Nelson Pereira dos Reis: indústria vai aproveitar exemplos do prêmio. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Na visão do diretor titular do Departamento de Meio Ambiente da Fiesp (DMA) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Nelson Pereira dos Reis, a 9ª edição do Prêmio Fiesp de Conservação e Reúso da Água incentiva práticas de conservação ambiental ao divulgar projetos de pequenas, médias e grandes empresas voltados para a preservação do meio ambiente.

“A indústria vai aproveitar esses exemplos e utilizá-los e implantá-los em suas empresas”, disse Reis durante a cerimônia de premiação em que Toyota do Brasil e Antares Reciclagem saíram como vencedoras e Ambev do Brasil e Votorantim Metais receberam menções honrosas.

Este ano, um total de 21 empresas inscreveu projetos no prêmio, dividido em duas categorias: médio/grande e micro/pequeno porte.

Foram representados os setores de alimentos e bebidas, papel e celulose, automotivo e autopeças, eletroeletrônico, metalúrgico, cerâmico e eletrodomésticos, químico, fármaco e petroquímico.

De acordo com a organização, o prêmio também é um indicador ambiental, uma vez que forma um acervo de casos bem sucedidos de preservação no estado de São Paulo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542492774

Eduardo San Martin: número de inscrições no prêmio é indicador da disposição dos empresários estão dispostos a produzir consumindo menos água. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Para o diretor do DMA e da área de meio ambiente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Eduardo San Martin, o número de projetos inscritos no prêmio mostra a disposição do empresário em se desenvolver com práticas mais limpas de produção.

“Temos ações concretas para mostrar que nós iniciamos esse movimento. Os senhores [representantes da indústria] decidiram apresentar os cases de suas empresas”, afirmou San Martin na solenidade.

“Isso mostra que existe na mentalidade do nosso empresário uma grande disposição de produzir consumindo menos água, energia”, completou.

>> Toyota do Brasil e Antares Reciclagem vencem 9º Prêmio Fiesp de Conservação e Reúso da Água

Toyota e Antares Reciclagem vencem 9º Prêmio Fiesp de Conservação e Reúso da Água

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542492774

Sheila Sakamoto, da Toyota, recebe premiação da diretoria do Departamento de Meio Ambiente da Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A Toyota do Brasil e a Antares Reciclagem são as vencedoras da 9º edição do Prêmio Fiesp de Conservação e Reúso da Água – iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A cerimônia de premiação aconteceu nesta terça-feira (18/03) no Teatro do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) na Avenida Paulista.

A Toyota do Brasil obteve o primeiro lugar na categoria média/grande  com o “Sistema de Gestão Ambiental (SGA)”, que faz uso da norma ISO 14.001.

Aplicado no cotidiano das operações de fábrica da montadora, nos escritórios e nos centros operacionais da organização, o sistema da Toyota identifica oportunidades de aumentar a eficiência do uso de água, diminuindo desperdícios, o consumo e a geração de efluentes.

Ao implementar o SGA no Brasil, a montadora conseguiu diminuir o consumo de água em 40,9 mil metros cúbicos de água, o que corresponde a uma redução de 81,7%. Foram investidos no projeto R$ 721,5 mil e os resultados apontam uma poupança de R$ 411 mil anuais no consumo.

Para Sheila Sakamoto, representante da Toyota do Brasil, o reconhecimento da Fiesp incentiva os funcionários da montadora a continuar produzindo com práticas menos agressivas ao meio ambiente.

“Esse trabalho que desenvolvemos em específico não envolve grandes tecnologias. É um trabalho baseado na melhoria, mesmo, do dia a dia de nossos colaboradores. A Toyota preza muito a questão de treinamento. Então, essa orientação que o colaborador recebe todo dia dá a ele as oportunidades de apresentar melhorias”, afirmou Sheila.

“Esse reconhecimento é para todos os colaboradores da Toyota. Vamos voltar com esse troféu e divulgar para as três unidades. E isso vai ser mais um incentivo”, completou.

Micro e pequena empresa

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542492774

Antares Reciclagem vence categoria Micro e Pequena Empresa do Prêmio Fiesp de Reuso da Água. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Na categoria micro e pequena empresa, a Antares Reciclagem levou o primeiro lugar com o “Processo ecológico de reciclagem (Ecoácido) para solução eletrolítica”, o único componente de baterias que não era recuperado durante o reaproveitamento dos dispositivos.

Antes de ser tratada e transformada em matéria recuperada para um novo consumo, a solução eletrolítica de baterias usadas era neutralizada em estações de tratamento de efluentes com alcalinos fortes (soda cáustica ou cal) e descartada na redes públicas de esgoto, rios e córregos.

O programa Ecoácido completa o ciclo de reciclagem das baterias e ganhou o Selo Verde da Associação Brasileira de Normas e Técnicas (ABNT).

O processo consiste no tratamento da solução sem queda de concentração, eliminando metais pesados por meio de procedimentos químicos e de filtração. A solução tratada é fornecida a outras indústrias como produto reciclado, a um custo inferior a matéria prima original.

Segundo Daniel Trindade, assessor da companhia, a Antares “tem traçado uma longa jornada com esse projeto. Tem dado tudo certo e temos recebido boas indicações e prêmios”.

O programa Ecoácido em Pindorama e Bauru, interior de São Paulo, produz cerca de 390 mil litros da solução eletrolítica por mês. Os clientes da Antares Reciclagem diminuíram em ao menos 90% o descarte de seus efluentes industriais.

A Antares Reciclagem possui outras nove unidades de reciclagem de ácido em indústrias recicladoras de baterias chumbo-ácido no Brasil, localizadas em Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. Segundo a companhia, o processo de reciclagem é 20% mais barato que o de neutralização.

Menções honrosas

A fabricante de bebidas Ambev recebeu uma menção honrosa pelo trabalho desenvolvido nos últimos quatro anos para redução do consumo de água.

A filial de Jaguariúna reduziu o índice de consumo de água de 3,80 para 2,75 litros usados na produção de cada litro de cerveja, o que equivale a mais de 1,17 milhão de metros cúbicos.

A companhia ainda pretende, entre outras metas, reduzir a emissão de gases de efeito estufa em até 10% até 2017.

Já a Votorantim Metais também recebeu menção honrosa por adotar processos mais eficientes de lavagem de resíduos em instalações como filtros e diluição de substâncias.  Segundo a companhia, o projeto somou, em cinco meses, um retorno de R$ 1,117 milhão.

 >> Prêmio Fiesp de Conservação e Reúso da Água: cases serão referência para a indústria, diz diretor da Fiesp