Ganhadora do Prêmio ODM, Avape tem programa de reabilitação profissional para pessoas com deficiência

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Para mostrar um exemplo de prática premiada, foi apresentado, durante o seminário de lançamento da 5ª Edição do Prêmio ODM Brasil, na manhã desta terça-feira (02/07), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o programa de reabilitação profissional realizado pela Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência (Avape), que recebeu o prêmio ODM em 2007. Na ocasião, o gerente de capacitação e inclusão da entidade, Marcelo Vitoriano, falou sobre os resultados do programa premiado.

A Avape começou a trabalhar na capacitação de jovens com deficiência em 1994, época em que ainda não havia uma grande abertura do mercado de trabalho para essas pessoas. Mas de acordo com Vitoriano, havia também uma falta de preparo das pessoas atendidas, não só com relação à capacitação profissional, mas também de habilidades sociais, importantes no ambiente de trabalho.

Vitoriano: abertura de mercado de trabalho para pessoas com deficiência. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Vitoriano: abertura de mercado de trabalho para pessoas com deficiência. Foto: Julia Moraes/Fiesp

 

“O grande diferencial do nosso programa é que ele faz a ponte entre o mundo doméstico e o mundo do trabalho, cada vez mais exigente e competitivo”, explica o gerente. “Temos três objetivos: desenvolver competências para o início ou retorno a vida profissional, trabalhar com habilidades pessoais e sociais e incluir essas pessoas em alternativas de trabalho.”

Com uma equipe formada por profissionais de serviço social, psicólogos e orientadores profissionais, monitores de oficina, médicos e auxiliares administrativos, a Avape chega a atender cerca de 300 pessoas nesse programa, em todas as suas unidades no País. “Se somarmos o trabalho realizado desde a criação da Avape até hoje, foram cerca de 23 mil pessoas encaminhadas ao mercado de trabalho.”

Para Vitoriano, o prêmio ODM é motivo de orgulho para a instituição, que busca cumprir seu papel para melhorar os índices sociais do País. “Para que a gente melhore nosso IDH e tenha um Brasil melhor, precisamos de todos os atores. E as ONGs têm papel fundamental no atendimento das populações vulneráveis.”