24º PRÊMIO FIESP DE MÉRITO AMBIENTAL – VENCEDORAS 2018

A edição 2018 do prêmio promovido pelo Departamento de Desenvolvimento Sustentável da Fiesp recebeu 65 cases. Os finalistas foram contemplados com troféu e o selo do Mérito Ambiental.

Saiba mais sobre os cases vencedores da 24ª edição nos links abaixo:

Vencedora grande porte:

Ford Motor Company Brasil

Manual para indústria alcançar o resíduo zero para aterro

 

Vencedora pequeno porte:

Habitar Construções Inteligentes

Entulho Zero na Construção Civil

Honda reduz consumo de energia e vence 22º Prêmio de Mérito Ambiental da Fiesp

Solange Sólon Borges e Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

A Honda Automóveis do Brasil foi a vencedora na categoria Grande Porte do 22º Prêmio de Mérito Ambiental da Fiesp, que registrou recorde de inscrições neste ano, com 56 projetos apresentados por 46 empresas, sendo 27 de grande porte, 10 de pequeno porte (em que o prêmio ficou para a GED) e 19 na categoria de responsabilidade social (destaque dado a cinco empresas). O anúncio foi feito nesta terça-feira (7/6), na sede da Fiesp.

Na abertura do evento, Nelson Pereira dos Reis, vice-presidente da Fiesp e do Conselho Superior de Meio Ambiente da entidade (Cosema), ressaltou os grandes ganhos para o meio ambiente obtidos graças aos projetos inscritos no prêmio ao longo de sua história.

A seleção dos premiados, disse Reis, é difícil para a comissão julgadora, formada por 14 membros de entidades variadas, pela alta qualidade dos trabalhos. Reis incentivou os inscritos a continuar, pelo estímulo que isso representa a que mais empresas criem seus projetos.

Este ano o destaque socioambiental estreou, por sugestão do Comitê de Responsabilidade Social da Fiesp (Cores).

Gracia Fragalá, diretora titular do Cores, disse que os avanços na área ambiental inspiram os que lutam pela inserção do pilar social da sustentabilidade na vida das empresas. Questões sociais urgem, lembrou. Fator humano é o diferencial para a inovação e para a competitividade nas corporações. Investir nisso prepara as organizações para enfrentar os grandes desafios, para chegar a uma sociedade mais justa, completou.

Os vencedores

O projeto Eficiência Energética, que deu à Honda o prêmio, resultou na redução de consumo nos departamentos de pintura de chassis e dos compressores de ar. No setor de pintura da planta de Sumaré, com cinco diferentes áreas produtivas, foi alterado o processo da cabine de “Top Coat” (onde ocorre a aplicação de cor e verniz nas partes internas e externas da carroceria), em que 19 motores e 2 queimadores ficavam ligados 24 horas por dia. No terceiro turno, quando são realizadas manutenções preventivas e limpeza, passaram a ser desligados 16 motores e todos os queimadores, acionando-se o modo de economia.

Outra alteração realizada foi a interligação do sistema de 18 compressores de ar dos três prédios da planta, construídos em momentos diferentes, em rede de anel, balanceando a pressão e possibilitando o desligamento de dois dos compressores. Em cada prédio havia um sistema de compressores individual. Com as plantas funcionando de forma integrada e com o sistema de ar comprimido fechado em anel, foi possível melhorar o fluxo de ar comprimido e manter a pressão do ar balanceada.

O resultado foi a redução do custo de manutenção e do consumo de energia elétrica. A queda no consumo de energia foi de 9,3%, o triplo da meta, que era de 3%. Nos dois sistemas, de pintura e de compressores de ar, houve economia de 843 MWh/ano e redução de 105 toneladas na emissão de CO2.

Osamu Morishita, gerente da Honda Automóveis, recebeu o prêmio e disse que foi uma grata surpresa. A premiação, disse, “veio para coroar uma grande preocupação na empresa com o meio ambiente. Mostra que os esforços vêm dando resultados.”

Ainda na categoria Médias e Grandes Empresas, receberam menção honrosa:

Unilever Brasil, por ações e resultados sustentáveis em 2014/2015.

Novelis do Brasil, pela gestão de energia e a eficiência energética visando a competitividade e a sustentabilidade do negócio da Novelis América do Sul (unidade Pindamonhangaba-SP).

Duratex, pela potencialização da eficiência energética nos negócios da Deca.

Visafértil Indústria e Comércio de Fertilizantes Orgânicos, pela Solução Cíclica: compostagem e produção de alimentos.

Intelli Indústria de Terminais Elétricos, pelo projeto Nada se perde tudo se transforma, de gerenciamento de sucatas e resíduos do Grupo Intelli.

Na categoria Pequena e Microempresa, o primeiro lugar ficou com a GED – Inovação, Engenharia e Tecnologia, com o projeto Ração Sustem, de produção de rações ecológicas para cães e gatos com restos de camarões da indústria pesqueira. Com produção em escala piloto, o objetivo foi reutilizar 240 t/ano ou 650 kg/dia de resíduos contaminantes do Rio do Meio (Guarujá/SP). À fase de conscientização seguiu-se a disponibilização de bombonas de coleta seletiva nas peixarias. Em Santos, Bertioga, Praia Grande, Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe desembarcam aproximadamente 1.370 t/ano de peixes e camarões, sendo que 50% se tornam resíduos.

Nesse projeto, resíduos indesejáveis são separados, e o composto triturado é misturado a um farelo (milho, trigo, soja etc) para compor rações com valor nutricional. A produção, ainda não comercializada, é doada para criadores locais.

A área de captação da matéria-prima é o Bairro Santa Rosa III (Guarujá), que não conta com rede de coleta de esgoto e abriga uma comunidade carente próxima a extensa área de manguezal. O processo atende a preceitos de sustentabilidade e contribui, também, para a geração de renda.

Nos quatro anos do projeto foram reutilizadas 12 toneladas e produzidas 28 toneladas de ração, com investimento de aproximadamente R$ 570 mil reais em pesquisa, desenvolvimento, equipamentos e patente. Em fase de execução, conta com um Termo de Ajuste de Conduta (TAC).

Nessa categoria, receberam menção honrosa:

Condomínio Pátio Victor Malzoni, pelo Projeto EcoMalzoni – Gestão de Resíduos e Educação Ambiental.

M.A Gomes Indústria de Acrílicos, pela redução de custo da moldagem plástica por meio da cadeia reversa de suprimentos.

Instituto do PVC, pela análise de ecoeficiência de janelas.

BHS Comércio de Produtos para Saúde, pelo Programa Descarte Consciente de medicamentos fora de uso.

Loop Logística Reversa, pelo sistema de cálculo de economia de recursos ambientais gerados por meio da reciclagem de equipamentos eletroeletrônicos e posterior reinserção de matéria-prima reciclada em ciclos produtivos.

Responsabilidade social

No destaque de Responsabilidade Social, foram premiadas:

Flamin Mineração, pelo projeto BioleveReciclaPet.

COFCO Brasil, pelo Projeto Futuro Mais Verde.

Liquigás Distribuidora, pela Campanha Chama Segura.

MRV Engenharia e Participações, pelo Projeto Escola Nota 10.

Unilever Brasil, pelos projetos de responsabilidade social Ciclo Brilhante, Vim para Unicef e Tamu Junto.

No encerramento, Aprígio Azevedo, diretor de Projetos Especiais da Fiesp, frisou o avanço do reconhecimento do tema ambiental, considerando um marco a COP21, em Paris. Evento tornou realidade o acolhimento, por unanimidade, de 195 países e a União Europeia, de documento sobre a mudança do clima. O mundo começa a olhar com um pouco mais de atenção o tema. E qualquer iniciativa, não importa o tamanho, tem importância, disse.

Clique aqui para ver a galeria de fotos da premiação.

Os vencedores do prêmio na cerimônia de ontem: a indústria em defesa da sustentabilidade. Foto: Everton Amaro/Fiesp

20º Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental – menções honrosas

A edição 2014 do prêmio promovido pelo Departamento de Meio Ambiente da Fiesp recebeu 41 cases. Os finalistas premiados com menção honrosa receberam o diploma de Mérito Ambiental.

Saiba mais sobre os cases nos links abaixo:

Empresas de Médio e Grande Porte

 

AES Tietê

Essencis Soluções Ambientais

Honda Automóveis

Johnson & Johnson

 

Empresas de Micro e Pequeno Porte

 

Ambiental MS Projetos, Equipamentos e Sistemas

Cynersis do Brasil Tecnologia

* Metalúrgica Inca

 

Veja também:

20° Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental – cases vencedores 2014

GM do Brasil é a grande vencedora do Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental 2011

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

Na noite desta segunda-feira (6), foram conhecidos os vencedores do 17º Prêmio de Mérito Ambiental da Fiesp, iniciativa do Departamento de Meio Ambiente (DMA), durante a XIII Semana Fiesp/Ciesp de Meio Ambiente, que se realizará até 8 de junho.

Segundo Nelson Pereira dos Reis, diretor do DMA, dois aspectos chamaram a atenção nesta edição do Prêmio: a quantidade de empresas que inscreveram projetos pela primeira vez e o fato de as propostas serem muito mais abrangentes, voltadas para resultados econômicos e a preservação ambiental.

Nelson Branco, gerente regional de serviços ambientais da General Motors, com o troféu: 1º lugar na categoria médias e grandes indústrias

Em cerimônia realizada na sede da federação, os prêmios contemplaram duas categorias, levando em conta o porte da empresa.

O primeiro lugar, na categoria médias e grandes indústrias, ficou com a General Motors, que recebeu o Troféu, o Diploma e o selo do Mérito Ambiental Fiesp.

Na categoria Micro e Pequenas, destaque para a Guarany Indústria e Comércio Ltda.

“O meio ambiente não é marginal para a Fiesp, é uma questão central”, enfatizou Walter Lazzarini, presidente do Conselho Superior de Meio Ambiente (Cosema) da Federação.

A afirmação foi referendada por Eduardo Assad, secretário nacional de Mudança Climática do Ministério do Meio Ambiente (MMA), representando a ministra Izabella Mônica Teixeira, ao tratar da aproximação dos diversos setores e da promoção do diálogo: “Sustentabilidade é desenvolvimento; é desenvolvimento industrial”.

Premiados

Pela primeira vez a General Motors do Brasil inscreveu um projeto no Prêmio e foi uma surpresa a obtenção do primeiro lugar, conforme Nelson Branco, gerente regional de serviços ambientais da empresa: “A GM sempre teve critérios ambientais que fazem parte dos conceitos corporativos e dão direcionamento à empresa”.

Fábio Roberto Alves, analista de Sistemas Ambientais da Guarany, recebe o troféu de 1º lugar na categoria micro e pequenas empresas

Já para Fábio Roberto Alves, analista de sistemas ambientais da Guarany, empresa há 90 anos no mercado, “a conscientização dos seus colaboradores e o ganho ambiental são os fatores mais importantes. O prêmio é um reconhecimento”. O projeto levou três meses para ser colocado em operação, com investimentos da ordem de R$ 16 mil e retorno obtido em um ano e meio após sua implantação.

Conheça os vencedores:

Categoria Média e Grande Empresa
1º lugar: Troféu, Diploma e Selo de Mérito Ambiental

General Motors do Brasil Ltda.

Com seu projeto, a General Motors obteve a primeira colocação. O Chevrolet Flexpedition 2010 levou 20 jornalistas expedicionários para conhecer, na prática, o conceito de sustentabilidade, em suas unidades de São Paulo (São Caetano do Sul, São José dos Campos, Sorocaba, Indaiatuba e Mogi das Cruzes), no Rio Grande do Sul (Gravataí) e na Argentina (Rosário).

A Chevrolet Flexpedition 2010 resultou na evolução das relações entre a empresa e seus stakeholders, além do reforço da reputação da GM do Brasil ligada ao desenvolvimento sustentável.

Há 86 anos no País, a GM do Brasil é a maior subsidiária da companhia na América do Sul e a segunda maior em operação fora dos Estados Unidos; em primeiro lugar está a China. A GM possui a maior linha de veículos “flex” do mercado brasileiro.

Menções Honrosas (Diplomas de Mérito Ambiental)

Mahle Metal Leve S.A
Projeto: Programa Mahle Mercosul de Produção Mais Limpa (P+L)

Construtora Andrade Gutierrez S/A
Projeto: Sustentabilidade e Inovação para Obras de Construção Pesada

Oxiquímica Agrociência Ltda.
Projeto: Tecnologia inovadora para produção de suspensões concentradas estáveis de compostos de cobre para uso na agricultura

Borgwarner Brasil Ltda.
Projeto: Turbos Borgwarner Reman: Sustentabilidade Integral

Categoria Micro e Pequena Empresa

Guarany Indústria e Comércio Ltda.
Projeto: Eliminação do desperdício de óleo solúvel nos Centros de Usinagem

O objetivo do projeto foi melhor dispor os resíduos e sucatas resultantes do processo de usinagem. Outros dois pontos positivos dizem respeito à diminuição de danos ambientais, em função da reutilização do óleo, e ao aumento do valor de venda do cavaco gerado.

O resultado é que o cavaco sem óleo ganhou maior valor de venda, passando de R$ 6,50 a R$ 7,50 – aumento de 15,38%. A Guarany passou a reutilizar o óleo que anteriormente estava incorporado ao cavaco, gerando retorno anual de 1.530 litros, ou uma economia da ordem de R$ 36.597,60.

Balanço do Prêmio 2011

Os setores sucroalcooleiro, da construção civil, alimentação, farmacêutico e tecnologia participaram ativamente desta edição. Foram inscritos 70 projetos, no total, e 46 concorreram à final.

Os critérios de julgamento levaram em conta a otimização do uso de recursos naturais, resultados obtidos com a implementação do projeto, o qual precisa estar em execução pelo menos desde o ano anterior à edição do prêmio.

A Comissão Julgadora foi composta por representantes de mais de uma dezena de entidades atuantes na defesa do Meio Ambiente, órgãos do governo, organizações não-governamentais, entidades de classe, Ordem dos Advogados de São Paulo (OAB-SP), Revista Meio Ambiente Industrial, Senai-SP e Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual Paulista (Unesp) e Universidade Estadual de Campinas.

Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental conta com vinte e seis projetos inscritos

Agência Indusnet Fiesp

Os vinte e seis projetos, concorrentes do Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental, foram entregues nesta quarta-feira (24) à Comissão Julgadora, durante reunião coordenada pelo Departamento de Meio Ambiente (DMA) da federação.

As inúmeras entidades que compõem a Comissão devem, agora, analisar todas propostas e julgá-las de acordo com sua capacidade de promover a melhoria do meio ambiente e estimular boas práticas nesse sentido.

Elas foram divididas em duas categorias, que levam em conta o porte da empresa; as médias e grandes indústrias apresentaram 21 projetos e as micro e pequenas, cinco.

As empresas que conquistarem o primeiro lugar receberão o troféu e o selo do Mérito Ambiental Fiesp. O resultado será divulgado na solenidade de premiação, agendada para o dia 7 de junho deste ano.

Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental chega à sua 16ª edição, comprovando a maturidade e a importância de se discutir os temas ligados ao meio ambiente.

A Comissão Julgadora é composta por representantes de mais de uma dezena de entidades atuantes na defesa do Meio Ambiente, órgãos do governo, organizações não-governamentais, entidades de classe, além das três universidades públicas estaduais de São Paulo.