Centro Cultural Fiesp exibe 20 curta-metragens nacionais nesta segunda-feira (10/06)

Agência Indusnet Fiesp

Encerrando a mostra Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema, serão exibidos nesta segunda (10/06), a partir das 14h, 20 curtas-metragens nacionais no Espaço Mezanino do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.  Todas as sessões têm entrada gratuita e a capacidade da sala é de 50 lugares.

Na terça, dia 11, serão divulgados os vencedores do Prêmio Fiesp/Sesi-SP, em 13 categorias.

Confira todos os filmes desta segunda-feira (10/06):

Filme: Mauá: Luz ao redor
Horário: 14h
Diretor: Juliana Vicente
Duração: 5 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: No centro de São Paulo, a comunidade Mauá vive há mais de 5 anos e hoje está sob ameaça de despejo. No entorno da Rua Mauá encontra-se a vida das 230 famílias que habitam a ocupação: escolas, locais de trabalho, hospitais e esse deslocamento pode causar graves danos a essa população, para a qual não é oferecido um destino. O documentário apresenta os arredores da ocupação, a trajetória da luta, da chegada, os sonhos e o destino das pessoas que não querem retornar à condição de sem-tetos.


Filme: Monumento
Horário: 14h
Diretor: Gregorio Graziosi
Duração: 10 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: Documentário sobre a escultura paulistana Monumento às Bandeiras, de Victor Brecheret. Um registro dos detalhes, identificando personagens e destacando as possíveis relações entre eles.


Filme: Peixe vermelho
Horário: 14h
Diretor: Andreia Vigo
Duração: 14 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: Uma misteriosa sequência de eventos leva uma mulher para território desconhecido.


Filme: Penas
Horário: 14h
Diretor: Paulinho Caruso
Duração: 15 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: Buscando uma explicação, um homem se depara com uma história de medo, traição e ornitologia explícita. “Penas” é uma adaptação da história em quadrinhos do cartunista brasileiro Laerte Coutinho publicada em 1988.


Filme: Amazônia, você ainda vai estar lá
Horário: 14h
Diretor: Alexandre Naval
Duração: 13 minutos
Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Durante a realização de um exercício de defesa da Amazônia, dois soldados do Exército Brasileiro refletem: será que vale mesmo a pena defendê-la?


Filme: Arremate
Horário: 16h
Diretor: Rodrigo Luna
Duração: 8 minutos
Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Um homem ciumento considera as ofertas especiais de uma operadora de telemarketing.


Filme: Quem é Rogério Carlos?
Horário: 16h
Diretor: Pedro Bughay
Duração: 14 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: O filme narra história de Adelino, fanático por Rogério Carlos, que não consegue aceitar que as pessoas acreditem que o rei da música brasileira é Amado Batista. Isso causa problemas conjugais e sua mulher decide freqüentar uma terapia de casal para tentar salvar o casamento. Acreditando que o casamento está por um fio, Adelino, decide caminhar pela cidade para espairecer, mas numa sorte do destino ou infelicidade dele, encontra seu ídolo cantando na rua os grandes sucessos do verdadeiro rei.


Filme: Olhar contestado
Horário: 16h
Diretor: Fabianne Batista Balvedi
Duração: 15 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: O documentário aborda um episódio acontecido quase 15 anos após o término da Guerra de Canudos. Com proporções e significado semelhantes, a Guerra do Contestado conflagrou-se numa região do sul do Brasil cuja posse era disputada pelos estados do Paraná e Santa Catarina.


Filme: Os sons do Divino e o Espírito Santo do Silêncio
Horário: 16h
Diretor: Claudia Pinheiro
Duração: 15 minutos
Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse:Pai e filha percorrem uma longa caminhada silenciosa até São Luis do Paraitinga. A Festa do Divino é o pano de fundo para a história, uma história sobre a incomunicabilidade e o amor entre pai e filha, sobre a descoberta do amor por uma menina e sobre a fé que nos move e, às vezes, nos cega. Enquanto o pai, embriagado, se perde em seus devaneios, a jovem Pituinha se encanta com a festa, e sem saber, segue os passos da mãe que ela mal conheceu.


Filme: Linear
Horário: 18h30
Diretor: Amir Admoni
Duração: 6 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: A linha é um ponto que saiu caminhando.


Filme: A idade da inocência
Horário: 18h30
Diretor: Ivann Willig
Duração: 15 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: No aniversário de seis anos de Raphael, nenhum dos seus convidados aparece para a comemoração. Por conta disso, Raphael sai em disparada pelo clube e não retorna. Seus pais e avós, angustiados, buscam vestígios do menino.


Filme: O Mundo de Ulim e Oilut
Horário: 18h30
Diretor: Caru Alves de Souza
Duração: 13 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: Milu tem 6 anos e está de férias. Isso não significa diversão, pois ela tem que ficar sozinha em casa enquanto a mãe trabalha. Túlio, um menino misterioso, a convida para brincar. Aos poucos, suas brincadeiras e fantasias tomam conta da realidade que os cerca.


Filme: Animador
Horário: 18h30
Diretor: Cainan Baladez e Fernanda Chicolet
Duração: 15 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: Ligia trabalha num parque de diversões. Suspensa num brinquedo de bolinhas, espera enquanto as crianças tentam acertar o alvo para derrubá-la. Seu uniforme é uma fantasia.


Filme: Destimação
Horário: 18h30
Diretor: Ricardo de Podestá
Duração: 13 minutos
Classificação indicativa:livre

Sinopse: Um papagaio é seduzido pelas belas imagens de uma caixa de luz e atrapalha a convivência mórbida do recinto.


Filme: Festa no apartamento da Suzana
Horário: 20h30
Diretor: Christopher Faust
Duração: 4 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: Augusto é convidado para uma festa no apartamento de uma colega de faculdade. Filme realizado em super8.


Filme: Tudo bem
Horário: 20h30
Diretor: Christopher Faust
Duração: 11 minutos
Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Camila terminou recentemente seu namoro. Divide agora seu tempo entre baladas, amigas e seu cachorro.


Filme: A triste história de Kid-punhetinha
Horário: 20h30
Diretor: Andradina Azevedo e Dida Andrade
Duração: 14 minutos
Classificação indicativa: 14 anos

Sinopse: Victor e Verônica estudam na mesma classe. A menina, que nunca beijou ninguém, é apaixonada por Victor.  Um dia, por pressão dos amigos, ele transa com ela. Dois meses depois, entre silêncios e angústias, Victor e Verônica vão a uma clínica de aborto.


Filme: Amores (In)versos
Horário: 20h30
Diretor: Davi Mello
Duração: 15 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: Alberto e Mariana se conhecem durante uma sessão de “A Carruagem Fantasma”, e a partir daí, passam a viver um romance de cinema. Eles são atores e personagens vivenciando gêneros cinematográficos, perdendo-se num mundo de versos e ilusões, onde o som do projetor é como o pulsar de seus corações.


Filme: Pra que a vida siga adiante
Horário:20h30
Diretor: André Queiroz
Duração: 15 minutos
Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Durante sua formatura, Bruno olha para trás e encara seus maiores desejos e frustrações revendo as decisões que o levaram até ali. Quando passado e presente se encontram, é o momento de seguir adiante.


Filme: O fim do filme
Horário: 20h30
Diretor: André Dib
Duração: 15 minutos
Classificação indicativa: livre

Sinopse: João Lucas é funcionário de uma videolocadora e sempre acaba revelando o final dos filmes aos clientes. Após conhecer uma cliente que aluga sempre o mesmo filme, os dois passam a debater nas madrugadas o verdadeiro significado de seu final.

Ganhador pela segunda vez, Cauã Reymond envia vídeo de agradecimento

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Ocupado com as gravações da novela Avenida Brasil, da Rede Globo, Cauã Reymond não pode comparecer à cerimônia do VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista, que o consagrou como o vencedor na categoria “melhor ator”. Mas não deixou de manifestar sua satisfação.

Em um vídeo enviado especialmente para a ocasião, Cauã arrancou aplausos da plateia que compareceu ao Teatro Sesi São Paulo na quarta-feira (02/05) para o evento. “Quando receber o prêmio, vou colocá-lo na minha estante e olhar para ele com muito orgulho”, reconheceu.


Eleito também melhor ator na sexta edição do Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista em 2010, com o filme Se Nada Mais der Certo, Cauã Reymond começou sua carreira em 1998, aos 18 anos, trabalhando como modelo na Europa. Pouco tempo depois estreou na televisão, no seriado Malhação. Daí, até estrelar no horário nobre na novela Da Cor do Pecado, foi uma questão de (pouco) tempo.

Atualmente Cauã soma mais de 20 participações em novelas, séries e filmes, além de uma passagem pelo teatro com as peças Em Alto Mar e Essa Nossa Juventude. Acumula ainda outros prêmios de melhor ator em 2008 pela novela A Favorita: Troféu Imprensa (SBT) e Prêmio Contigo de Televisão (Editora Abril).

Foi também melhor ator coadjuvante nos prêmios Melhores do Ano (Rede Globo), além de dois Prêmios Extra de Televisão em 2008 e 2010, por A Favorita e Passione, respectivamente.

José Dumont, um defensor da arte e do Brasil

Agência Indusnet Fiesp

Um dos atores mais onipresentes no cinema e da teledramaturgia brasileira, com dezenas de filmes e novelas realizados ao longo da carreira, José Dumont foi o grande homenageado no VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista. Durante a cerimônia, na quarta-feira (02/05), Dumont recebeu o troféu pelo reconhecimento de suas atuações em produções cinematográficas rodadas no Estado de São Paulo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540189312

O ator José Dumont: "Minha história está muito ligada ao cinema de São Paulo"

“Minha história está muito ligada ao cinema de São Paulo. Talvez os filmes mais significativos que fiz na vida foram produções paulistas como O Homem que Virou SucoNarradores de Javé, A Hora da Estrela, Kenoma, ou seja, São Paulo me permitiu ter uma história”, afirmou Dumont, que brilhou também em produções na TV, como na minissérie Grande Sertão: Veredas e na novela Pantanal.

Nascido em Bananeiras (PB), o ator relembrou um de seus primeiros empregos em São Paulo – “fui carteiro nessa grande cidade” – e destacou que o setor precisa de parcerias como a do Sesi-SP. “É algo que me emociona o fato de o prêmio vir do Sesi-SP – uma instituição como essa ajudando e produzindo a arte é uma necessidade. Acho mesmo que deveria fazer parte do currículo escolar para que criássemos uma geração mais bem formada, com alcance humano maior.”

Na opinião de Dumont, o incentivo à arte passa pala questão tributária. “Defendo a mudança na tributação, uma revisão nos impostos, e acho que o Brasil está caminhando para isso. E nós somos parceiros, uma força auxiliar do governo. A arte é fundamental na vida de um país, sem ela não há nada, seja no campo espiritual, no campo das relações, até no campo do consumo ela existe.”

Ele expressou ainda seu apoio às causas defendidas pelo presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf. “Endosso as palavras do presidente Skaf, que enfatiza o quanto é importante uma reforma fiscal no Brasil para que se possa produzir e ganhar mais, tanto o empregador como o trabalhador.”


Carreira

Desde 1977, quando estreou no cinema em Morte e Vida Severina, José Dumont, de 61 anos, participou de 44 filmes e em outras 26 produções na TV. No cinema, destacam-se as produções Abril Despedaçado (2001), Olga (2004), 2 filhos de Francisco (2005) e Kenoma (1998). Na TV, Dumont trabalhou em minisséries como Padre Cícero (1984 – Rede Globo) e Grande Sertão: Veredas (1985 – Rede Globo); em novelas, Pantanal (1990 – TV Manchete), Terra Nostra (1999-Rede Globo) e América (2005 – Rede Globo), entre muitas outras.

Ao longo da carreira, recebeu diversos prêmios de melhor ator: três vezes o Troféu Candango, do Festival de Brasília (1998, por Kenoma; 1985, por A Hora da Estrela; 1980, por O Homem que Virou Suco); três Kikitos de Ouro, do Festival de Gramado (1984, por O Baiano Fantasma; 1981, por O Homem que Virou Suco; 1980, por Gaijin – Os Caminhos da Liberdade) e um Troféu APCA, da Academia Paulista dos Críticos de Arte (1999, por Kenoma).

Outros prêmios internacionais completam a lista: Festival de Havana, em Cuba (1980, por O Baiano Fantasma) e Festival do Cinema Brasileiro em Miami (1999, por Kenoma). Em 2005 teve sua vida biografada no livro José Dumont – Do Cordel às Telas, escrito por Klecius Henrique. Lançada do festival de cinema de Gramado (RS), a obra traz curiosidades como o sobrenome “afrancesado” pelo cartorário em seu registro de nascimento: seu pai se chamava Severino do Monte. Revela também que o ator aprendeu a ler com livretos de cordel vendidos em mercados e feiras típicos do Nordeste, que retratam fatos do cotidiano e episódios históricos.

‘Meu País’ é o grande vencedor do VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista

Flávia Dias e Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Em noite de homenagem a José Dumont, o Teatro do Sesi São Paulo reuniu na quarta-feira (02/05) cerca de 400 convidados entre diretores, atores e produtores da indústria cinematográfica paulista para a entrega do VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista . O grande vencedor da noite foi o filme Meu País , do diretor André Ristum.


“Agradeço ao Paulo Skaf, que desde o início da sua gestão tem apoiado enormemente o cinema, e pela iniciativa de incluir o cinema nas unidades do Sesi-SP do Estado, pois antes não havia nenhum tipo de programação audiovisual, e também a toda equipe do Sesi-SP e da Fiesp. Os filmes paulistas aqui indicados estrearam ano passado nos cinemas e a partir deste mês circularão nas unidades do Sesi-SP em cidades onde não há mais cinema. É uma chance para nossos filmes, que tem muita dificuldade de entrar no circuito comercial”, afirmou Ristum.

O diretor de arte Cassio Amarante valorizou a importância da premiação. “Com a extinção do festival de Paulínia, o Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista passa a ser fundamental para fazermos cinema em São Paulo”, afirmou.

Outro destaque da edição é Estamos juntos. O filme do diretor Toni Venturi conquistou prêmios nas categorias “melhor ator” (Cauã Reymond), “melhor atriz” (Leandra Leal) e “melhor ator coadjuvante” (Nazareno Casero). Já o filme VIPs, estrelado por Wagner Moura, recebeu dois prêmios: “melhor direção de arte” (Frederico Pinto) e “melhor fotografia” (Mauro Pinheiro Jr.).

Opinião compartilhada pelo cineasta Charly Braun, premiado com melhor roteiro. “Esse prêmio é uma grande iniciativa. E quem frequenta teatro sabe que a Fiesp é também uma das maiores incentivadoras do setor no País. Na ausência do festival de Cinema de Paulínia, fica a dica para a Fiesp criar também um prêmio de fomento ao cinema paulista.”

A cerimônia foi comandada por dois atores do grupo teatral Parlapatões, Hugo Possolo e Raul Barreto, que arrancaram gargalhadas da plateia com seus improvisos. Os vencedores receberam troféus e prêmios em dinheiro que totalizam R$ 45 mil. [VEJA A LISTA DOS PREMIADOS]

Homenagem

José Dumont, ator homenageado no VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista

José Dumont, ator homenageado no VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista

Com mais de 27 longa-metragens no currículo, o ator José Dumont foi o homenageado desta oitava edição. Emocionado, Dumont alertou sobre a importância da inclusão de aulas de teatro na grade curricular.

“Esse prêmio significa muito para mim, até por ser do Sesi-SP. Vou explicar: sempre achei que um dia esse país excluirá os atravessadores e será um país de trabalhadores e empregadores, de quem produz, de quem trabalha.  Para mim, que venho deste ramo, pois trabalhei na indústria, fui carteiro em São Paulo, esse prêmio significa muito. Quanto ao cinema não preciso nem falar. Acho até que a arte deveria ser – e não sei como não faz – parte do currículo escolar”, afirmou.


Sobre o Prêmio 

Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista é uma iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) e do Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo (Siaesp). O objetivo é incentivar a produção cinematográfica paulista, divulgar o cinema brasileiro, facilitar o acesso público às produções de filmes nacionais e formar novas plateias.

Segundo dados divulgados pelo Siapes, a indústria cinematográfica paulista é responsável por 40% dos filmes comercializados no Brasil, além de deter o posto de principal mercado consumidor, com mais de 800 salas de cinema.

Fiesp e Sesi-SP abrem mostra gratuita de cinema

O público já pode conferir, gratuitamente, a exibição dos 32 filmes – 22 longas e 10 curtas-metragens – que concorrem no VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista. As sessões serão apresentadas até 15 de abril, de segunda-feira a domingo, no Mezanino do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

Os longas-metragens são:

As Doze Estrelas; Família Vende Tudo, Bróder; Pólvora Negra, Evoé! Retrato de um Antropófago; Eu Eu Eu José Lewgoy; Onde está a Felicidade?; Os 3; O Samba que mora em mim; Bollywood Dream – O Sonho Bollywoodiano; Amanhã Nunca Mais; Mamonas pra Sempre; Além da Estrada; VIPs; Lixo Extraordinário; Natimorto; Estamos Juntos; Quebradeiras; Trabalhar Cansa; No Olho da Rua; À Margem do Lixo; Meu País
.

Os curtas A Grande Viagem, Irene, Cativeiro, Tatu Bolinha e Flash serão aglutinados em uma única etapa de exibição: na abertura (terça-feira, 27, às 20h) e no dia 3 de abril, às 18h.

Nos dias 5 (às 16h) e 11 de abril (às 18h) serão exibidos: Inquérito Policial nº 0521/09; Máscara Negra; Morte e Morte de Johny Zombie; D. on Ice; e Às vezes o céu é azul.

Seleção

A premiação contemplará 12 categorias: melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro, melhor atriz e ator, melhor fotografia, melhor ator e atriz coadjuvante, melhor montagem, melhor trilha sonora, melhor direção de arte e melhor filme de curta-metragem.

Os três finalistas de cada categoria serão selecionados por um júri popular (público), que poderá efetuar o voto por meio do site www.fiesp.com.br/cinema ou após cada sessão em cédulas entregues ao espectador na entrada do filme.

Os vencedores serão determinados por um júri oficial, constituído por profissionais ligados às áreas cinematográfica e cultural. A premiação dos melhores em cada categoria será realizada no Teatro do Sesi São Paulo, somente para convidados, em 2 de maio. Os prêmios em dinheiro totalizam R$ 45 mil.

Confira a programação de filmes em exibição: www.sesisp.org.br/cultura/cinema


Serviço
Mostra de filmes – VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista
Período: de 27 de março a 15 de abril de 2012
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso
Entrada: franca

Fiesp e Sesi-SP anunciam hoje os vencedores do VI Prêmio do Cinema Paulista

A sexta edição do Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista se realizará às 20h desta quarta-feira (31), no Teatro do Sesi São Paulo, com entrega dos troféus e prêmios em dinheiro, que totalizam R$ 45 mil.

O evento será transmitido pelo site da Fiesp: http://itv.netpoint.com.br/fiesp/ 

Os vencedores foram definidos por um júri oficial composto por três profissionais da área cinematográfica:

  • Silvia Prado, produtora executiva;
  • Paulo Morelli, cineasta;
  • Márcia Kling, produtora cultural e presidente da Associação dos Produtores Culturais do Estado de São Paulo e presidente da Cooperativa de Produção de Arte e Cultura.

Eles elegeram um dos três melhores colocados em cada uma das 12 categorias: melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro, melhor atriz, melhor ator, melhor fotografia, melhor ator coadjuvante, melhor atriz coadjuvante, melhor montagem, melhor trilha sonora, melhor direção de arte e melhor filme de curta-metragem.

Os três finalistas de cada categoria foram escolhidos por um júri popular durante realização de uma mostra gratuita, entre os dias 24 de fevereiro e 14 de março, com exibição dos 20 filmes – 15 longas-metragens e cinco curtas-metragens – concorrentes em 11 endereços no Estado.


Finalistas:

Melhor Filme
– O Menino da Porteira
–  É Proibido Fumar
– Besouro


Melhor direção
– Anna Muylaert (É Proibido Fumar)
– João Daniel Tikhomiroff (Besouro)
– Fernando Meirelles eToniko Melo (Som e Fúria)

Melhor roteiro
– Sergio Groisman E Marcelo Rubens Paiva (Fiel)
– Anna Muylaert (É Proibido Fumar)
– Walbercy Ribas (O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes)


Melhor Atriz
– Vanessa Giacomo (O Menino da Porteira)
– Glória Pires (É Proibido Fumar)
– Sílvia Lourenço (Quanto Dura o Amor?)
– Maria Clara Spinelli (Quanto Dura o Amor?)


    Melhor Ator

– Daniel (O menino da Porteira)
– Cauã Reymond (Se Nada Mais Der Certo)
– Felipe Camargo (Som e Fúria)



Melhor Atriz Coadjuvante

– Claudia Missura (O Menino da Porteira)
– Giovanna Antonelli (Budapeste)
– Danni Carlos (Quanto Dura o Amor?)

Melhor Ator Coadjuvante
– Antonio Edson (É Proibido Fumar)
– João Miguel (Hotel Atlântico)
– Pedro Paulo Rangel (Som e Fúria)


Melhor Fotografia
– Pedro Farkas (O Menino da Porteira)
– Enrique Chediak (Besouro)
– Rafael Ribas (O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes)


Melhor Montagem
– André Francioli (Fiel)
– Oscar Rodrigues Alves E Branco Mello (Titãs, a vida até parece uma festa).
– Gustavo Giani (Besouro)

Melhor Direção de Arte
– Adrian Cooper (O Menino da Porteira)
– Claudio Amaral Peixoto (Besouro)
– Rafael Ribas (O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes)


Melhor Trilha Sonora
– Luiz Macedo (Fiel)
– Nelson Ayres (O Menino da Porteira)
– Titãs (Titãs, a Vida Até Parece Uma Festa).

Melhor Curta
Pedra Bruta
Pão com Mortadela
Bailarino e o Bonde