Construção de porto em Cuba ajuda na inserção do Brasil na América Central e Caribe

Agência Indusnet Fiesp 

A construção do porto cubano é uma oportunidade para o Brasil melhorar a presença econômica na América Central e Caribe, afirmou o diretor titular do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Thomaz Zanotto, em entrevista para o Jornal da Record News. A entrevista foi ao ar no dia 28 de janeiro.

Conforme o dirigente, o porto de Mariel, cujo investimento deverá chegar a 1 bilhão de reais, representa “um movimento interessante do governo brasileiro”.

Para Zanotto, o porto é interessante para o Brasil não apenas do ponto de vista econômico, mas também do ponto de vista estratégico. “A inserção econômica brasileira no Caribe é pouca, atualmente. O porto pode ajudar a melhorarmos isso””, disse.

“Cuba pode ser um plataforma comercial e ajudar o Brasil a ampliar sua influência no Caribe e América Central”, opinou.

Segundo Zanotto, o porto foi financiado pelo governo e construído por indústrias e empresas brasileiras. “80% dos materiais e equipamentos foram construídos aqui no Brasil”, disse.

Zanotto também prevê que Cuba, através de iniciativas semelhantes, tende a seguir o exemplo da China, liberando cada vez mais sua econômica. “Cuba segue caminho de uma economia de mercado e deverá crescer muito nos próximos anos”, disse Zanotto.

Para assistir a entrevista na íntegra, clique aqui.