Influência do aumento do desemprego na Política Fiscal em 2015 e 2016

O Departamento de Competitividade e Tecnologia – DECOMTEC, por meio do estudo Influência do aumento do desemprego na Política Fiscal em 2015 e 2016, calculou o impacto fiscal do desemprego nas contas públicas.

Em 2015, o fechamento de 1,56 milhão de vagas formais, além dos problemas sociais que acarreta, causou um custo de R$ 21,9 bilhões ao Governo, equivalente a 0,37% do PIB.

A Indústria de Transformação foi o setor mais impactado pela crise, com a perda de 567 mil empregos formais, 36% do total da economia em 2015.

Em 2016, o aumento do desemprego pode gerar um custo de R$ 28,6 bilhões aos cofres públicos, equivalente a 0,47% do PIB. Nessa conta estão incluídos a queda de arrecadação de R$ 20,9 bilhões em tributos ligados à folha de pagamentos e ao consumo, e o gasto adicional de R$ 7,7 bilhões com o seguro desemprego.

Os resultados do estudo do DECOMTEC foram publicados pela Revista Isto É, na edição 967 de 18 de maio de 2016.