MDIC ouvirá indústria antes de lançar o PDP 2

Elcio Cabral, Agência Indusnet Fiesp

Da esq. p/ dir.: Paulo Skaf (pres. Fiesp), Robson Braga (pres. CNI), Fernando Pimentel (min. MDIC) e Luciano Coutinho (pres. BNDES), durante o XXVII Fórum Nacional da Indústria, em São Paulo

 

 

Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), afirmou no XXVII Fórum Nacional da Indústria que, em até dois meses, deverão sair as definições da segunda etapa da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP) do País.

O evento, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), aconteceu na manhã desta segunda-feira (14), em São Paulo.

Segundo o ministro, a presidente Dilma Rousseff pediu prioridade para o assunto. As interlocutoras da indústria com o governo serão a Fiesp e a CNI. Junto ao PDP 2 será formulada uma nova estratégia de comércio exterior.

“Ficou decidido que sociedade e governo trabalharão a quatro mãos”, informou o presidente da Fiesp, Paulo Skaf.

“Há um sentimento de urgência por parte do governo no sentido de definirmos a PDP2”, disse o presidente do BDNES, Luciano Coutinho, ao final da reunião do Fórum.

PSI

Segundo Pimentel, a Medida Provisória do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) deverá sair em 48 horas: “Vai ser prorrogado em condições adequadas. Acho que será muito favorável ao acordado com o setor produtivo”.

CNDI

O ministro do Desenvolvimento acrescentou que a presidente Dilma ordenou a reativação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI), criado em 2004, no âmbito da primeira política industrial do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Vamos fazer renascer o CDNI como uma entidade de alto nível, voltada para discussão, acompanhamento e implementação da política industrial do governo”, afirmou Pimentel.

Segundo ele, o CNDI será composto por 14 ministros de estado e pelo presidente do BNDES. A sociedade civil terá 14 assentos no conselho.

Competitividade

Durante a reunião, os participantes do Fórum discutiram sobre a perda de competitividade de muitos setores industriais, provocada, entre outros fatores, pela valorização do real, altas taxas de juros, dificuldade de acesso ao crédito e agressiva concorrência externa, especialmente de países asiáticos.

“Mostrou-se grande preocupação a respeito da importação de manufaturados”, contou Skaf aos jornalistas. E completou: “Se continuar com esse ritmo na importação, muitos setores terão problemas num futuro próximo”.

Indústria vai avaliar Política de Desenvolvimento Produtivo

Os setores industriais de São Paulo terão a oportunidade de avaliarem o andamento da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP), lançada no ano passado pelo Governo Federal. Entre os dias 20 e 30 de outubro, o Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) da Fiesp promoverá workshops para discutir com industriais duas das principais metas: os incentivos e instrumentos para investimentos e pesquisa, e inovação tecnológica.

“Vamos traçar um panorama do cenário macroeconômico brasileiro e os representantes dos setores industriais poderão avaliar o cumprimento de metas, desafios e instrumentos da PDP”, explica o diretor-titular do Decomtec, José Ricardo Roriz Coelho.

O objetivo dos encontros é reavaliar e atualizar as metas, desafios e instrumentos da PDP considerando a mudança do cenário devido a crise econômica mundial; propor melhorias, e aprimoramentos necessários.

O evento pretende criar novos instrumentos a serem inseridos na Política Industrial, a fim de cumprir os objetivos iniciais e minimizar os efeitos da crise; e sugerir metas adicionais para 2011 e 2012 para fazer valer seu caráter estrutural.

Os workshops terão ainda espaço para debate entre os participantes para levantar sugestões e propostas que serão apresentadas em um novo encontro, agendado para dezembro.


Diagnósticos



Durante os workshops serão apresentados os diagnósticos setoriais. “São entrevistas que foram realizadas com as principais entidades representativas de cada setor inserido na PDP”, explica Roriz.

Participarão dos workshops diversas instituições relacionadas à política industrial, como a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Governo do Estado de São Paulo.

A Fiesp, por meio do Decomtec, tem colaborado com a avaliação e a divulgação da Política de Desenvolvimento Produtivo do Governo Federal (PDP) desde seu lançamento, em maio de 2008.

Entre as ações realizadas está a elaboração de duas publicações sobre a Política Industrial: o caderno Avaliação da PDP (junho de 2008) e o Manual de Instrumentos da PDP (abril de 2009).



O formulário para inscrições e a programação completa dos workshops está disponível aqui.