Fiesp realiza curso de gestão em excelência para policiais civis e peritos criminais

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Cerca de 20 policiais civis e peritos criminais de unidades do interior e da capital participaram esta semana, nos dias 11 e 12/09, do curso “Rumo à Gestão de Excelência”, uma realização do Departamento de Segurança da Fiesp (Deseg) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

A turma foi a primeira a ser formada no curso criado pelo Deseg/Fiesp  para profissionais de segurança pública com base na metodologia de capacitação de gestores da iniciativa privada adotada pela Fundação Nacional de Qualidade.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539618196

Ricardo Lerner, diretor-titular do Deseg da Fiesp. Foto: Everton Amaro

“É uma iniciativa da Fiesp em benefício da sociedade. O curso tem o objetivo de incentivar os policiais a praticar os fundamentos da excelência em gestão. O conteúdo programático tem ênfase na importância de uma administração absolutamente estratégica, a partir de uma visão de futuro e de 11 princípios adotados mundialmente em organizações excelentes: liderança, visão de futuro, valorização da força de trabalho, tomada de decisões baseadas em informações, visão sistêmica e foco no cliente (a comunidade), entre outros”, afirma o diretor-titular do Deseg, Ricardo Lerner.

O curso foi preparado e ministrado por outro diretor do Deseg, o coronel PM Renato Aldarvis, doutor em planejamento estratégico para organizações públicas, mestre em gestão de segurança pública e especialista em gestão de qualidade.

Metodologia

Deseg/Fiesp. Curso "Rumo à Gestão de Excelência" Cel. Renato Aldarvis. Foto: Everton Amaro

Coronel PM Renato Aldarvis: , doutor em planejamento estratégico para organizações públicas, mestre em gestão de segurança pública e especialista em gestão de qualidade. Foto: Everton Amaro

Segundo o professor do curso, a proposta estimula o aprendizado organizacional – o ato de rever a organização, de tempos em tempos, buscando a melhoria contínua. Seu diferencial é respeitar o ambiente e a cultura policial da instituição que busca aperfeiçoar sua gestão.

“A experiência [na Polícia Militar] tem demonstrado que modelos externos provocam mais resistência, em razão de conflitos com a cultura policial, do que benefícios”, explica Aldarvis, também coordenador do comitê técnico Rumo à Excelência, da Comissão Nacional da Qualidade.

“Boa parte das vezes em que a polícia foi ‘ajudada’ por terceiros, traziam para o Brasil modelos exitosos em polícias internacionais ou modelos teóricos concebidos nas universidades e que se mostravam distantes da cultura policial. Isso causava dificuldade de compreensão e até de aceitação”, completa o professor, lembrando que experiências bem sucedidas da Polícia de Nova York não prosperaram nas tentativas de replicá-las em São Paulo.

O método do curso busca ser um instrumento de otimização do trabalho já feito na polícia – a implementação deve ser proposta pelos próprios profissionais que atuam no dia a dia.

“Que práticas de gestão atenderiam à polícia?”, raciocina Aldarvis. “As práticas”, prossegue ele, “que a polícia tem e da forma que a polícia faz, mas com um método, para que se garanta o êxito do que vai fazer. Com essas características, a gente acredita que conseguiremos resultados.”

Além do curso, o Deseg/Fiesp está à disposição dos participantes para prestar assessoria técnica na implementação de determinadas práticas. O planejamento estratégico da delegacia é um deles. Outro incentivo é o apoio aos interessados em concorrer no ano de 2013 ao Prêmio Paulista de Qualidade da Gestão.

Leia também: Alunos elogiam curso ‘Rumo à Gestão de Excelência’ do Deseg/Fiesp