Fiesp entrega 2 mil redutores de vazão de água à Polícia Militar Ambiental

Amanda Viana, Agência Indusnet Fiesp

A ação “Água na Medida”, promovida pela Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) continua com a distribuição dos kits com anéis de plástico redutores de água para torneiras.

Nelson Pereira dos Reis, diretor do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da Fiesp, entregou nesta sexta-feira (6/3), 2 mil redutores ao comandante Geral da Polícia Militar Ambiental do Estado, coronel Renato Cerqueira Campos, que serão utilizados em 114 quartéis. “Essa campanha nos dá a oportunidade de mostrar que a Fiesp tem um compromisso com o desenvolvimento sustentável e com a conservação dos recursos naturais”, comentou o diretor.

Nelson Pereira dos Reis entrega o redutor de vazão ao coronel Renato Cerqueira Campos. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Os redutores de vazão foram desenvolvidos por alunos do Curso de Aprendizagem Industrial – Ferramenteiro de Moldes Plásticos da Escola Senai Mario Amato. “A Fiesp sempre esteve envolvida em ações de preservação da água. Essa campanha mostra que a entidade é comprometida com a sociedade”, afirmou Nelson Pereira dos Reis.

Para o coronel Cerqueira, a ação é essencial para estimular a população a reduzir o consumo de água, e já encomendou à Fiesp mais 20 mil redutores, para estender a campanha aos 1.300 quartéis da Polícia Militar. “A ideia é envolver a PM como um todo nessa campanha de divulgação, estimulando a população a reduzir o consumo, para atingir os nossos objetivos”, disse o coronel.

“Essa campanha vai atingir não só nossos quartéis, mas também as famílias dos policiais militares, que, no contato diário com a população, levarão a mensagem de que o esforço conjunto vai garantir o sucesso sobre essa crise hídrica em nosso estado”, completou o coronel Cerqueira.

“Polícia de São Paulo está preparada para a Copa”, afirma coronel da PM

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Coronel Álvaro Batista Camilo, comandante geral da PM de São Paulo

A cidade de São Paulo está acostumada com eventos internacionais, como a Corrida Internacional de São Silvestre, Grande Prêmio de Fórmula 1 e a parada do orgulho GLBT. E a Polícia Militar tem buscado por expertise fora do País para situações de elevado risco durante a Copa do Mundo de 2014 como ataques terroristas.

A afirmação é do coronel Álvaro Batista Camilo, comandante geral da PM de São Paulo, durante o Congresso de Segurança Brasil São Paulo 2011, nesta segunda-feira (12), na Fiesp.

“Temos que ter pé no chão, terrorismo não é uma cultura do Brasil, então fui para Israel, Alemanha e Espanha para aprender com quem tem experiência”, disse o coronel ao informar sobre a realização de dois simulados de emergência realizados no Pacaembu e em um hotel na zona sul de São Paulo. “Devem acontecer simulados até a Copa, vamos fazer mais testes em metrôs, cinemas e shoppings”, acrescentou.

Segundo ele, cerca de 3.000 câmeras de monitoramento devem ser entregues em São Paulo antes do início da Copa. Atualmente, o estado conta com 270 câmeras. Além disso, a PM aumentou seu efetivo com 2.300 homens em maço e pretende reforçar o quadro de funcionários com mais 2.190 policias em outubro e 1.690 em dezembro.

“Os policiais cadetes têm curso de inglês e espanhol durante os quatro anos do bacharelado. Eles vão sair falando o idioma justamente para atender a esses eventos”, acrescentou o coronel da Polícia Militar.

Operações

A Polícia Militar de São Paulo atende 150 mil ligações por dia e, de janeiro a julho deste ano, efetuou 50.709 prisões em flagrante, 212.778 resgates, apreendeu 7.734 armas e 21 toneladas de drogas.

“Eu diria que o ponto fundamental para o desempenho da Polícia Militar é investimento governamental, atenção do Estado à segurança publica”, concluiu o comandante geral da PM.