Uma ideia bem executada vale mais do que uma campanha publicitária, afirma fundador do site Veduca

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Carlos Souza, fundador do site Veduca. Foto: Everton Amaro

Democratizar o acesso à educação de alta qualidade, por meio da divulgação de aulas das principais universidades do mundo como Harvard, Columbia, MIT, USP e Yale, para a população brasileira e os habitantes de países em desenvolvimento. Com este propósito, o engenheiro de aeronáutica, Carlos Souza, desistiu do mercado financeiro e apostou no nicho de mercado na área de educação, com a criação do site Veduca.

O case foi apresentado durante o Pocket Jovem Empreendedor 2012 – Inovação por Minuto, realizado nesta segunda-feira (26/11) pelo Comitê dos Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

“O meu sonho era ter um negócio que não visasse apenas ao lucro, mas que de alguma forma mudasse a vida das pessoas”, contou Souza.

Com apenas nove meses de vida, o site Veduca reúne cinco mil vídeo-aulas das 13 principais universidades do mundo – traduzidas para o português –, que abordam 21 temas diferentes, contabilizando mais 1,1 milhão de visitas. Resultados estes, que segundo o empreendedor, foram obtidos sem o auxilio de campanhas publicitárias: “Durante todo esse período nós investimos 0% em publicidade. Isso mostra que uma boa ideia, bem executada, vale mais do que uma campanha publicitária. Ela ganha força no boca a boca”, enfatizou.

Oriundo de uma família de educadores, Souza explicou aos jovens empresários que a ideia de criar uma plataforma educacional nada mais é do que a concretização de um sonho. No seu entendimento, projetos que facilitem o acesso dos estudantes brasileiros ao conhecimento de alta qualidade contribuem para o crescimento econômico e social do país.

“O Brasil tem um atraso educacional muito grande, a gente está sempre nas últimas posições nos rankings educacionais. A revolução na educação que está acontecendo agora, graças à tecnologia, é uma oportunidade que nós temos de acelerar a resolução deste atraso educacional”, avaliou.

‘Precisamos quebrar os paradigmas invisíveis’, afirma o CEO da Boehringer

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Pensar fora caixa e ter coragem para transformar os sonhos em oportunidade de negócios são apenas algumas das características presentes no DNA do empreendedor. Esta é a opinião do CEO do grupo empresarial Boehringer Ingelheim Brasil, Martin Nelzow, que participou do Pocket Jovem Empreendedor 2012 – Inovações por Minuto, realizado nesta segunda-feira (26/11) pelo Comitê dos Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na sede da entidade.

Com mais de 20 anos de experiência na área química e farmacêutica, Nelzow relatou que há pouco mais de oito anos a empresa registrou

Martin Nelzow, CEO do grupo empresarial Boehringer Ingelheim Brasil: 'Quando você estimula um modelo mental diferente, precisa dar o exemplo' Foto: Everton Amaro

uma queda no faturamento. Para reverter esse quadro, os executivos Boehringer Ingelheim Brasil decidiram romper, segundo ele, os paradigmas visíveis e invisíveis.

Entre as medidas adotadas pela empresa, o executivo destacou a criação de uma política de gestão por competência, que aboliu o uso de salas para os membros da diretoria. No entendimento de Nelzow, a iniciativa promoveu a integração entre colaboradores e diretores, sendo reconhecida por dois anos consecutivos (2003-2004), como uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil, de acordo com a pesquisa realizada pela Revista Exame.

“Usamos a filosofia do exemplo para motivar os nossos funcionários. Quando você estimula um modelo mental diferente, precisa dar o exemplo”, ressaltou Nelzow, salientando os avanços nos índices de produtividade registrados após a implementação deste novo processo.

“A minha mediação de produtividade não está ligada ao número de horas de trabalho ou de relatórios entregues, mas se estamos conseguindo discutir os grandes temas ligados à sociedade, sem, é claro, deixar de cumprir as metas estabelecidas e aumentando a nossa participação no mercado”, afirmou o CEO da Boehringer Ingelheim Brasil.

No final de sua explanação, ele aconselhou os jovens empreendedores a apostarem nos seus sonhos: “O DNA do empreendedor tem um quê de sonhador e de coragem. Vocês devem agir pelo coração, acreditando que o seu projeto fará a diferença na sociedade”.

Na visão de Nelzow, o empreendedor não pode achar que a sua razão de existir é apenas ganhar dinheiro. “Ele [empresário] precisa acreditar na sua idade. Os resultados virão com o tempo e também com o reconhecimento do mercado”, finalizou.

A empresa

O grupo empresarial Boehringer Ingelheim, com matriz em Ingelheim, Alemanha, é um dos 20 maiores grupos farmacêuticos do mundo, com 156 afiliadas em 45 países e mais de 34 mil funcionários. Além disso, a empresa investe cerca de 20% do faturamento em projetos de pesquisa e inovação.