Folha de S. Paulo destaca estudo da Fiesp sobre peso da burocracia tributária na indústria

Agência Indusnet Fiesp

Um estudo da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), divulgado nesta quarta-feira (25/09) pelo jornal Folha de S. Paulo, aponta que a indústria de transformação gastou 24,6 bilhões de reais somente com burocracia para pagar tributos no ano passado, valor que representa 10% da folha de pagamento do setor e o dobro do que ele investiu em pesquisa, desenvolvimento e inovação.

>> Leia o  ‘O Peso da Burocracia Tributária na Indústria de Transformação 2012’

De acordo com o jornal, isso equivale a dizer que, para cada 1.000 reais desembolsados no pagamento de impostos, a indústria gastou mais 64,90 reais em burocracia.

“É um dinheiro perdido que vai para o ralo. Em vez de investir em tecnologia para tornar a produção mais eficiente e entregar ao consumidor um produto melhor e mais barato, o empresário é obrigado a gastar com a burocracia tributária”, comenta o diretor titular do Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho, ao ser entrevistado pela Folha.

A reportagem destaca que os custos diretos e indiretos da burocracia representam 2,6% do preço final dos produtos, considerado o efeito cascata na cadeia produtiva do pagamento de tributos desde a compra de insumos. E acrescenta que as indústrias de pequeno porte do setor de transformação são as que mais sofrem o impacto dos custos administrativos e burocráticos para pagar tributos no país.

A Folha informa ainda que os dados que mensuram o custo na indústria em nível nacional serão apresentados amanhã em seminário em São Paulo.

A iniciativa da Fiesp também foi assunto de uma notícia da rádio Jovem Pan.


O estudo

“O Peso da Burocracia Tributária na Indústria de Transformação 2012” revela que, além da elevada carga tributária para produzir no Brasil, há, também, o excesso de obrigações acessórias, que são exigências do sistema tributário que elevam os gastos para preparar e recolher tributos.

O estudo quantifica os custos que se caracterizaram como uma carga tributária extra à indústria brasileira em 2012.

O relatório está dividido em três partes. A primeira avalia os custos totais do sistema tributário para a indústria de transformação. Em seguida, os custos por porte de empresa. Por fim, a conclusão e propostas.

Os principais resultados indicam que em 2012 foram gastos R$ 24,6 bilhões pela indústria de transformação com os custos para pagar tributos.

Esse custo equivale a 1,16% do faturamento  do setor e, considerando a cumulatividade na cadeia produtiva, impacta em 2,6% os preços dos produtos industriais.

Na análise por porte de empresa, o custo para pagar tributos de R$ 24,6 bilhões em 2012 distribuiu-se da seguinte forma: pequenas empresas (R$ 6 bilhões), médias empresas (R$ 5 bilhões) e grandes empresas (R$ 13,6 bilhões).